browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

França, Alemanha e Itália ‘Querem Negociações’ para acabar com a Guerra na Ucrânia

Posted by on 18/05/2022

Nas últimas semanas, os líderes dos  três maiores países da UE em população  – França, Alemanha e Itália – se manifestaram a favor das negociações entre Kiev e Moscou como forma de acabar com a guerra na Ucrânia. Ao contrário do senil marionete travestido de presidente dos EUA, Joe Biden, o presidente francês Emmanuel Macron, o chanceler alemão Olaf Scholz e o primeiro-ministro italiano Mario Draghi conversaram com o presidente russo Vladimir Putin desde que a Rússia invadiu a Ucrânia em 24 de fevereiro.

França, Alemanha e Itália ‘Querem Negociações’ para acabar com a Guerra na Ucrânia

Fonte: Anti-War.com – por Dave De Camp

Os três líderes europeus aprovaram o envio de armas aos ucranianos, mas também pediram um cessar-fogo. Depois de falar com Putin por telefone na sexta-feira, Scholz escreveu no Twitter : “Deve haver um cessar-fogo na Ucrânia o mais rápido possível”.

Em um discurso ao Parlamento Europeu na semana passada, Macron disse: “Não estamos em guerra com a Rússia”. Ele disse que o “dever da Europa é apoiar a Ucrânia para alcançar um cessar-fogo e depois construir a paz”.

Draghi [dragões em italiano…] se encontrou com o senil marionete travestido de presidente dos EUA, Joe Biden na semana passada e, após a reunião, o líder italiano, que anteriormente desencorajava as negociações com a Rússia , disse que era hora de começar a pensar em um acordo de paz.  “Concordamos que devemos continuar apoiando a Ucrânia e pressionando Moscou, mas também começamos a perguntar como construir a paz”, disse Draghi.

“As pessoas… querem pensar na possibilidade de trazer um cessar-fogo e recomeçar algumas negociações credíveis. Essa é a situação agora. Acho que temos que pensar profundamente em como lidar com isso”, acrescentou Draghi.

Após a reunião Biden-Draghi, a Casa Branca ainda parecia desinteressada em negociações“Sentimos que o papel mais construtivo é continuar a apoiar as mãos dos ucranianos na mesa de negociações e apoiá-los militarmente”, disse a secretária de imprensa da Casa Branca, Jen Psaki.

O secretário de Defesa Lloyd Austin conversou recentemente com seu colega russo pela primeira vez desde a invasão da Rússia, mas o secretário de Estado Antony Blinken, o principal diplomata dos EUA, ainda não falou com o ministro das Relações Exteriores russo, Sergey Lavrov. Os dois diplomatas falaram pela última vez em 15 de fevereiro.

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, compartilha a visão de Washington sobre as negociações. Johnson disse recentemente a Macron em uma ligação que “pediu” à Ucrânia que não negociasse com a Rússia e teria dito ao presidente ucraniano Volodymyr Zelensky em 9 de abril que, mesmo que Kiev estivesse pronta para assinar um acordo com Moscou, o [hospício do] Ocidente não estava.

Outros países agressivos da OTAN se manifestaram contra as negociações com Moscou. No início de abril, o primeiro-ministro polonês Mateusz Morawiecki criticou Macron por falar com Putin, comparando-o a “negociar com Hitler”.


“Precisamos URGENTEMENTE do seu apoio para continuar nosso trabalho baseado em pesquisa independente e investigativa sobre as ameaças do Estado [Deep State] Profundo, et caterva, que a humanidade enfrenta. Sua contribuição, por menor que seja, nos ajuda a nos mantermos à tona. Considere apoiar o nosso trabalho. Disponibilizamos o mecanismo Pay Pal, nossa conta na Caixa Econômica Federal   AGENCIA: 1803 – CONTA: 000780744759-2, Operação 1288, pelo PIX-CPF 211.365.990-53 (Caixa)” para remessas do exterior via IBAN código: BR23 0036 0305 0180 3780 7447 592P 1


Mais informação adicional:

Permitida a reprodução, desde que mantido no formato original e mencione as fontes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.