browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

França torna obrigatório “Passe Covid para Eventos Culturais”

Posted by on 22/07/2021

A França passa a exigir a partir desta quarta-feira (21/07) a apresentação de um “passaporte sanitário” a todos aqueles que desejem acessar cinemas, teatros, museus e qualquer evento ou espetáculo, cultural ou esportivo, que reúna mais de 50 pessoas. O documento traz um código QR que, ao ser escaneado na entrada do estabelecimento, informa se a pessoa está completamente vacinada contra a covid-19, se teve a doença nos últimos seis meses ou se tem um teste negativo para o coronavírus feito nas últimas 48 horas. 


“O indivíduo é [TÃO] deficiente mentalmente [os zumbis], por ficar cara a cara, com uma conspiração tão monstruosa, que nem acredita que ela exista. A mente americana [humana] simplesmente não se deu conta do mal que foi introduzido em seu meio. . . Ela rejeita até mesmo a suposição de que as [algumas] criaturas humanas possam adotar uma filosofia, que deve, em última instância, destruir tudo o que é bom, verdadeiro e decente”.  – Diretor do FBI J. Edgar Hoover, em 1956


Edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

França torna obrigatório “Passe Sanitário para Eventos Culturais”. Para ir a cinemas, teatros, museus, espetáculos e grandes eventos, franceses precisarão apresentar documento que comprove a vacinação completa contra a Covid-19, recuperação da doença ou teste negativo atual.

Fonte:  Deutsche Welle

As mudanças foram implementadas por decreto, mas os parlamentares devem votar uma legislação sobre o tema, planejada pelo governo do presidente Emmanuel Macron para tentar conter a disseminação da “Variante Delta” e o aumento nos casos de covid-19.

Se aprovado pelos deputados, o passe de saúde também será obrigatório a partir de agosto para frequentar bares e restaurantes, entrar em grandes centros comerciais, visitar hospitais e casas de repouso e utilizar transporte público de longa distância (aviões, trens, ônibus e barcos).

Os locais que não conseguirem verificar as credenciais de seus clientes poderão pagar multas de até $ 1.500 euros, valor que aumenta com a reincidência. Além disso, a partir de setembro a vacinação será obrigatória para profissionais de saúde e funcionários de lares de idosos.

O passe também será exigido aos turistas estrangeiros. Quanto à população local, os menores de 18 anos ficarão isentos até o final de agosto, por se tratar de um grupo que ainda teve poucas oportunidades de se vacinar.

O uso de máscara não será mais obrigatório nos eventos que exijam o passe sanitário, mesmo se realizados em ambientes fechados. No entanto, a obrigatoriedade pode ser imposta por prefeituras, com base em condições epidêmicas locais.

Alta nos casos

O fim da obrigatoriedade das máscaras é criticado por cientistas, inclusive pelos que assessoram o Executivo. A França enfrenta agora a quarta onda da doença, com um aumento de 125% nas infecções na última semana. Nesta quarta-feira, foram registrados 18.181 casos – há uma semana, eram menos de 7.000 infecções diárias. A variante Delta já é responsável por 80% dos novos casos no país.

Enquanto a maioria dos novos infectados são jovens não vacinados, o passe sanitário é, também, uma forma de encorajá-los a se imunizar e evitar um novo bloqueio nacional, que afetaria toda a população.

Desde o anúncio da obrigatoriedade do passe sanitário em vários espaços na semana passada, 3,7 milhões de franceses agendaram a primeira dose da vacina. Até o fim de julho, o governo espera ter aplicado ao menos a primeira dose em 40 milhões dos 67 milhões de [ovelhas] habitantes.

Até agora, cerca de 56% da população francesa recebeu ao menos uma dose de vacinas contra a covid-19, e 46% está completamente imunizada.

Críticas ao projeto

A discussão sobre o passe sanitário no Parlamento começa nesta quarta-feira, e a medida deve ser votada até o fim de semana. A questão vem sendo motivo de polêmica até mesmo dentro do partido de Macron, A República em Marcha (LREM), por supostamente restringir as liberdades civis dos não vacinados e por exigir que os locais verifiquem a identidade de seus frequentadores.

“Proteger a saúde pública tem sido nossa prioridade desde março de 2020, mas não ameaçou a coesão de nosso país porque as regras eram as mesmas para todos”, disse o deputado Pacôme Rupin (LREM) na terça-feira. “O passe de saúde vai fraturar nosso país. É uma grande mudança para nossa sociedade.”

Jordan Bardella, vice-presidente do partido ultradireitista Reunião Nacional (RN), criticou o sistema e o classificou como um “modelo de vigilância”. Outros críticos, particularmente da ultradireita, acusaram Macron de transformar a França em uma “ditadura da saúde”. No sábado, mais de 100 mil pessoas protestaram em todo país contra as medidas.

“Estamos vigilantes. Precisamos encontrar um equilíbrio entre restringir a liberdade de movimento e garantir que protegemos a saúde de nossos cidadãos”, disse a deputada Yaël Braun-Pivet (LREM) ao canal France 2.

Outras medidas para conter o aumento de novos casos incluem a reintrodução de regras que exigem o uso de máscaras ao ar livre em locais como a área costeira ocidental em torno de Bordeaux, um popular destino de férias de verão.

le/ek (AFP, Efe, Lusa, ots)


“Parece duvidoso se, de fato, a política de “Botas no rosto” pode continuar indefinidamente.  Minha própria convicção é que a oligarquia governante encontrará maneiras menos árduas e perdulárias de governar e de satisfazer sua ânsia de poder, e essas formas serão semelhantes às que descrevi em Admirável Mundo Novo [uma verdadeira profecia publicada em 1932]Na próxima geração, acredito que os governantes do mundo descobrirão que o condicionamento INFANTIL e a narco-hipnose são mais eficientes, como instrumentos de governo, do que e prisões e campos de concentração, e que o desejo de poder pode ser completamente satisfeito sugerindo às pessoas que amem sua servidão ao invés de açoita-los e chutando-os até à obediência. ”  Carta de Aldous Huxley  EM 1949 para George Orwell autor do livro “1984” 


Mais informações, leitura adicional:

Permitido reproduzir desde que mantida a formatação original e a conversão como fontes.

phi-cosmoswww.thoth3126.com.br

2 Responses to França torna obrigatório “Passe Covid para Eventos Culturais”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.