browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Gravação impressionante da NASA: passagem do Irma pelo Atlântico em 30 segundos

Posted by on 12/09/2017

A NASA publicou em sua conta no Twitter um vídeo impressionante que permite repassar os últimos dias do percurso do furacão Irma sobre as ilhas do Caribe até chegar à Flórida em apenas 30 segundos. A gravação mostra a passagem do furacão IRMA seguido de perto pelo furacão JOSÉ sobre o oceano Atlântico

Edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

Gravação impressionante da NASA: passagem do Irma pelo Atlântico em 30 segundos

Fonte: https://br.sputniknews.com/  e  http://veja.abril.com.br/

O vídeo reflete a trajetória do furacão até às ilhas do Caribe, assim como sua chegada ao território norte-americano em 10 de setembro. No domingo passado, a parede norte do olho do furacão devastador Irma atingiu as Florida Keys (um arquipélago composto por cerca de 1700 ilhas no Sudeste dos Estados Unidos).

O ciclone, que era da categoria 4, com ventos constantes que atingiam 210 km/h, provocou chuvas intensas, destruição generalizada e inundações graves.

A gravação mostra a passagem do furacão IRMA seguido de perto pelo furacão JOSÉ sobre o oceano Atlântico:

Mais tarde, de acordo com o Centro Nacional de Furacões dos EUA (NHC, sigla em inglês), a tempestade enfraqueceu até à categoria 1 com ventos de até 136 km/h. No entanto, como observa o NHC, a tempestade continua representando uma ameaça para os cidadãos dos EUA e a zona da baía de Tampa ainda corre risco de inundações, já que o ciclone se está aproximando de suas margens.

Segundo a rede ABC, até agora a tempestade deixou cerca de 3,5 milhões de residentes da Flórida sem eletricidade e causou 5 mortes nos EUA. Atualmente, o Irma se está movendo a uma velocidade de 24 km/h em direção ao noroeste.

O furacão Irma continua se aproximando da cidade de Tampa, na Flórida, no seu avanço rumo ao norte do estado norte americano, mas está cada vez mais fraco: conforme o Centro Nacional de Furacões (NHC, na sigla em inglês) dos Estados Unidos, ele agora caiu para a categoria 1 na escala Saffir-Simpson (veja o gráfico abaixo).

Caos e destruição na passagem do Irma pelas ilhas do Caribe. Acima San Marteen ficou devastada

No seu boletim das 2h (horário local, 3h em Brasília), o NHC disse que o Irma estava a 40 quilômetros de Tampa, onde vivem perto de quatro milhões de pessoas. Durante a madrugada, o ciclone gerava ventos máximos sustentados de 135 km/h, uma velocidade menor do que a registrada no boletim anterior, emitido três horas antes, que era de 155 km/h.

Embora mais fraco, o boletim reforça que ainda há risco de vida provocado pelas rajadas de ventos nas proximidades do corpo do furacão. O governador do estado, Rick Scott, disse que as seis milhões de pessoas que foram obrigadas a sair de casa ainda não deveriam voltar.

O NHC manteve a previsão de que o ciclone vai continuar avançando pelo oeste da península da Flórida nesta segunda-feira, 11, pela manhã. Em seguida se desviará para o sudeste dos EUA no final do dia e, na terça-feira, deve se transformar em uma tempestade tropical. As chuvas fortes, seguidas por alagamentos, já começaram causar problemas nos estados da Geórgia e da Carolina do Sul.

“EM BREVE ALGO SEMELHANTE ESTARÁ ACONTECENDO NO BRASIL…”


“Haverá muitas mudanças dramáticas no clima do planeta, muitas mudanças nas condições meteorológicas  na medida em que o TEMPO DA GRANDE COLHEITA se aproxima RAPIDAMENTE ao longo dos próximos anos. Você vai ver a velocidade do vento em tempestades ultrapassando 300 milhas (480 quilômetros) por hora, às vezes. (Já esta acontecendo com o Furacão IRMA)

Deverão acontecer fortes tsunamis e devastação generalizada NAS REGIÕES COSTEIRAS, e emissão de energia solar (CME-Ejeção de Massa Coronal do Sol)  que fará  importante fusão e derretimento das calotas de gelo nos polos, e subseqüente aumento drástico no nível do mar, deixando muitas áreas metropolitanas submersas em todo o planeta“. Saiba mais AQUI 


Muito mais informações, leitura adicional:

Permitida a reprodução, desde que mantido no formato original e mencione as fontes.

www.thoth3126.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *