browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Guerra entre Trump x Deep State chegou às gigantes de TI e Internet

Posted by on 04/06/2019

Desde que o governo Trump chegou ao poder dois anos atrás, apesar da oposição velada das gigantes de TI do Vale do Silício – como foi revelado mais tarde, as grandes empresas de TI conspirou efetiva e abertamente com a campanha de Hillary Clinton {pois “servem” aos mesmos senhores} para prejudicar as chances de Trump se eleger presidente – a bateria do escrutínio antitruste cresceu sem parar mais alto, facilitado pelas próprias suspeitas expressas pelo presidente de complô contra sua eleição. Uma vez protegidos pela lógica do incansável movimento de inovação em TI do Vale do Silício – que ditava que nenhum império tecnológico reinaria por muito tempo antes de seguir o caminho do Yahoo e da AOL – gigantes da tecnologia como Facebook, Amazon e Google começaram a ser submetidos à intensificação da pressão antitruste do governo Trump. 

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

Trump declara guerra às gigantes de TI do Vale do Silício: DoJ lança ataque anti-monopólio contra  Facebook, Amazon, Google e associadas

Fontes: https://www.zerohedge.com/

Desde que o governo Trump chegou ao poder dois anos atrás, apesar da oposição velada dos grandes conglomerados de empresas de TI do Vale do Silício – como foi revelado mais tarde, as grandes empresas de tecnologia e mídia social conspirou efetivamente com a campanha de Clinton para prejudicar as chances de Trump na campanha presidencial de 2017 – a bateria do escrutínio antitruste cresceu sem parar e esta chegando cada vez mais alto, facilitado pelas próprias suspeitas expressas pelo presidente.

E na sexta-feira {31/05}, o dique finalmente quebrou.

Pouco antes da meia-noite de sexta-feira, no final do mês agitado de mercados, o  WSJ (Wall Street Journal) lançou uma notícia bombástica: o jornal informou que o Departamento de Justiça dos EUA abriu uma investigação antitruste contra a Alphabet Inc.{controladora do Google}, que poderia “apresentar um grande nova camada de escrutínio regulatório para o gigante das buscas da Internet, de acordo com pessoas familiarizadas com o assunto. ” 

O relatório foi originado por “pessoas familiarizadas com o assunto”, mas foi rapidamente corroborado pelo The New York Times, a Bloomberg e outro veículos da mídia mainstream.

Há meses, a FTC {Federal Trade Commission que é uma agência independente do governo dos Estados Unidos, criada em 1914 pelo Federal Trade Commission Act. Sua principal missão é a promoção da proteção ao consumidor e a eliminação e prevenção de práticas comerciais anticompetitivas, como o monopólio coercitivo.} parece estar se preparando para um confronto com os grandes conglomerados de TI do Vale do Silício. 

A agência – que compartilha autoridade antitruste com o Departamento de Justiça – DoJ criou uma nova comissão que poderá ajudar a desfazer as principais aquisições e fusões de grandes empresas na área de TI, como a aquisição do Instagram e WhatsApp pelo Facebook, e contratou advogados que avançaram em novas teorias antimonopólio que ajudariam a justificar a decisão e o desmembramento de empresas como a gigante Amazon.

Mas, como se vê, a primeira investida do governo Trump contra as grandes empresas de tecnologia não veio da FTC; em vez disso, essa responsabilidade foi delegada ao DoJ (Depto de Justiça), que teria sido encarregado de supervisionar a investigação contra o Google.

Isso não é super surpreendente, já que a FTC  {Federal Trade Commission} teve a chance de enquadrar o Google com uma investigação antimonopólio em 2013, durante o último mandato de Barack Obama. Mas a agência ficou aquém naquele momento… por motivos óbvios pelo que podemos dizer, parece que agora o governo vai dividir a responsabilidade por quaisquer futuras investigações antitruste entre as duas agências, o que significa que a FTC – que já está se preparando para cobrar uma multa bilionária contra o Facebook – pode acabar assumindo a liderança nesses casos de combate ao antitruste.

Embora o WSJ {Wall Street Journal} não tenha especificado quais aspectos do negócio do Google poderiam estar sob o microscópio do DoJ, uma série de multas de bilhões de euros aplicadas recentemente contra o Google pela UE poderia oferecer alguma orientação à respeito. A autoridade antitruste do bloco europeu, que tem estado muito mais ansiosa para enfrentar gigantes da tecnologia americana do que a sua contraparte norte americana (por razões que deveriam ser óbvias para todos), multou o Google sobre sua prática de agregar software com sua licença padrão do Android, e assim, seus rankings nos mecanismos de busca favorecem suas próprias listas de produtos e prejudicam a concorrência no mercado de publicidade digital.

Durante o auge da controvérsia sobre os abusos do uso de dados de usuários sensíveis da grande tecnologia no ano passado, o Verge publicou uma matéria especulando sobre como as tendências monopolistas de cada um dos gigantes tecnológicos do Vale do Silício poderiam ser remediadas. Para o Google, argumentou Verge , o melhor remédio seria a proibição de aquisições de empresas pela companhia gigante – uma estratégia que tem sido discutida no Congresso.

Nosso melhor modelo antitruste de tecnologia é o caso anti-trust do Departamento de Justiça contra a Microsoft nos anos 90, que argumentava que a Microsoft estava usando seu controle sobre o mercado de PCs para forçar sistemas operacionais concorrentes e navegadores. Se você está procurando por um equivalente contemporâneo, o Google é provavelmente o ajuste mais próximo. Em um bom dia, o Google (ou Alphabet Inc., se você preferir) é a empresa mais valiosa do mundo por valor de mercado, com dezenas de produtos diferentes suportados por uma rede de anúncios abrangente. O Google também tem inimigos claros e comprometidos, com a Microsoft, Oracle, Yelp e até mesmo a Motion Picture Association of America pedindo restrições ao poder da empresa”.

“Mas, de acordo com Matthew Stoller, da Open Markets, o melhor remédio de longo prazo para o domínio do Google tem muito mais a ver com as aquisições do Google. “Se você está procurando por uma bala de prata, provavelmente a melhor coisa a fazer seria impedir o Google de comprar qualquer empresa”, diz Stoller. “De repente, você tem que competir com o Google, pois NÃO pode ser comprado pelo Google.”

“Isso pode soar manso em comparação com as multas de bilhões de dólares impostas pela Europa, mas corta o âmago de como o Google é organizado. A empresa adquiriu mais de 200 empresas startups desde que foi fundada, incluindo produtos centrais como o YouTube, o Android e o DoubleClick. A estrutura modular da empresa é indiscutivelmente um resultado direto da onda de compras, e é difícil imaginar como seria o Google sem ela. Compras mais recentes, como a Nest, caíram sob o guarda-chuva mais amplo da Alphabet Inc., mas a estratégia central não mudou. O Google ainda seria um gigante da IA ​​se não comprasse o DeepMind? Provavelmente, mas todos os envolvidos teriam que trabalhar e se esforçar muito mais”.

“Ainda melhor, os ativistas antimonopólios teriam várias maneiras diferentes de bloquear essas aquisições. A divisão antitruste do Departamento de Justiça dos EUA (DoJ) não contestou as aquisições do Google até agora, mas sempre pode mudar sua abordagemA correção mais forte viria do Congresso do país, onde a senadora Amy Klobuchar (D-MN) apresentou um projeto de lei que colocaria uma proibição total de aquisições por qualquer empresa com valor de mercado superior a US$ 100 bilhões. (No momento desta publicação, o Google vale cerca de US$ 840 bilhões.)”

Sentimos que não é exagero dizer que este é apenas o começo do que poderia se tornar um novo marco da história que define sua época. E como toda boa história, esta terá personagens principais e jogadores de muitos bits. Até onde podemos dizer, um dos papéis principais provavelmente será representado pelo chefe antitruste do Departamento de Justiça, Makan Delrahim, um obscuro funcionário da administração Trump que agora está encarregado de uma das investigações mais importantes da memória recente.

Deixando de lado o que isso pode significar para às gigantes do Vale do Silício, a investigação também terá grandes ramificações para os mercados financeiros, já que as ações dessas grandes empresas de tecnologia estiveram na vanguarda do tórrido mercado pós-crise 2008. Embora a influência das ações das gigantes de TI do Vale do Silício no desempenho geral do mercado  de ações tenha diminuído este ano, elas continuam sendo extremamente influentes.

Gigantes da tecnologia são de longe os maiores contribuintes para o crescimento das vendas da SPX 500 (cotação das ações das quinhentas maiores empresas dos EUA) e geraram quase toda a margem de lucro ajustada após impostos da SPX 500 desde a última grande crise em 2008. Dado que as grandes avaliações tecnológicas muitas vezes se baseiam, pelo menos em parte, na noção de que essas empresas alcançarão uma posição inatacável no mercado, uma campanha antitruste pode ser extremamente prejudicial não apenas para gigantes de tecnologia de capital aberto, mas para todo o conglomerado de gigantes de TI do Vale do Silício com grandes implicações no futuro dos mercados de capitais.

Como contraponto, vale a pena lembrar que a presença de dois novos juízes conservadores na Suprema Corte dos EUA amigos do ambiente tornará o trabalho do DoJ muito mais difícil e poderá, em última análise, inclinar a balança a favor das empresas Big Tech vencendo essa batalha.

As notícias dessa investigação podem afetar negativamente as ações das grandes empresas de tecnologia, o que, por sua vez, criará sérios problemas para os principais índices financeiros, se não derrubar completamente as bolsas de ações. Para os investidores, será mais uma ameaça a um mercado altista que já está oscilando graças à guerra comercial do presidente Trump com a China (e agora com o México). Imaginamos que ouviremos mais sobre essa investigação através de canais oficiais e não oficiais nas próximas semanas.


O botão “Kill Switch”, do governo dos EUA, para desligar a internet ‘foi testado’ neste final de semana?

Às 15h de ontem, dia 02 de junho, parece que o Google Cloud (que afeta o Gmail, o YouTube, o SnapChat, o Instagram e o Facebook, entre outros) misteriosamente (e quase sem precedentes) ficou offline. Isto trouxe à mente a batalha aberta pelo governo Trump contra as gigantes de TI do Vale do Silício. O Congresso também tem grandes planos à esse respeito.

O Incidente começou em 02 de junho de 2019 às 12:25 (todos os horários são dos EUA / costa do Pacífico).

02 de junho, 20 12:25 Estamos investigando um problema com o Google Compute Engine. Iremos fornecer mais informações até domingo, 2019-06-02 12:45 US / Pacific.

Uma pessoa do Google explicou (via  YCombinator ):

Eu trabalho no Google Cloud (mas aviso de isenção, estou de férias !).

Estamos tendo o que parece ser uma séria  falha de rede. Está atrapalhando tudo, incluindo, infelizmente, as ferramentas que costumamos usar para nos comunicarmos com a empresa sobre interrupções.

Existem planos de backup, é claro, mas eu queria pelo menos vir aqui para dizer: você não é louco, nada está perdido (para aquelas preocupações downthread), mas há pelo menos perda séria de pacotes. Você terá que esperar por alguém realmente envolvido no incidente para dizer mais.



Neste domingo 02 de junho a internet está tendo um dia muito ruim… Zero Hedge  e mais detalhes , tudo “fora do AR”:.

Se você achava que isso não poderia acontecer, verifique o que Obama e o Congresso tinham em mente há alguns anos.

Os poderes presidenciais sobre interromper a Internet e as telecomunicações foram definidos em um  projeto de lei do Senado dos EUA em 2009, que propunha dar à Casa Branca o poder de desconectar os computadores do setor privado da Internet. 

Mas essa legislação não foi incluída na  Lei de Segurança Cibernética de 2012Eu peguei uma discussão sobre isso na época, e a lógica era que a “desinformação” talvez precisasse ser restringida. Onde eu ouvi isso antes? Alguém ainda quer saber para onde estamos indo com isso?

O presidente Obama assinou uma ordem executiva na semana de 12 de julho de 2012 que poderia dar controle ao presidente dos EUA sobre a web em tempos de emergência.

De acordo com  The Verge , os críticos da ordem estão preocupados com a Seção 5.2, que é uma longa parte descrevendo como as telecomunicações e a Internet são controladas. Afirma que o Secretário de Segurança Interna “supervisionará o desenvolvimento, teste, implementação e sustentação” de medidas de segurança nacional e preparação para emergências em todos os sistemas, incluindo “redes de comunicações não-militares”. Segundo The Verge, os críticos dizem isso que dá presidência dos EUA  o poder de usar o botão interruptor on / off para a web.

O pedido, conhecido como “Atribuição de Funções de Comunicações de Segurança Nacional e Prontidão para Emergências”, existe para entregar o controle total das comunicações e  da Internet  a certas autoridades governamentais em tempos de desastres naturais e emergências de segurança nacional, especialmente ao presidente dos EUA.

A redação para a ordem executiva é, naturalmente, longa e usa linguagem política, mas a parte que vale a pena ressaltar está na seção 5.2. É nesta seção que a ordem afirma que o Depto of Homeland Security (DHS) poderá monitorar e controlar todas as formas não-militares de comunicação em épocas de medidas extremas, o que essencialmente dá à Casa Branca a opção de ligar / desligar a internet, de acordo com alguns críticos .

Você pode ler mais sobre a ordem executiva na CNET  e na  The Verge . Se você quiser conferir a ordem na íntegra, vá para a  página de imprensa da Casa Branca. Hoje foi um bom dia para fuçar no “pântano”.

Bônus:

Ordem Executiva – Preparação dos Recursos da Defesa Nacional

Em suma, é o projeto da Lei Marcial para Tempo de Paz e dá ao presidente dos EUA o poder de fazer e assumir praticamente qualquer medida considerada necessária para a “Defesa Nacional”, em momentos de crise, seja lá o que eles decidirem. E isto em tempo de paz, porque, como diz o título da ordem, é para “preparação”:

Sec. 201. Autoridades de Prioridades e Alocações. (a) A autoridade do Presidente conferida pela seção 101 da Lei, 50 USC App.2071, para exigir aceitação e desempenho prioritário de contratos ou ordens (exceto contratos de trabalho) para promover a defesa nacional sobre o desempenho de quaisquer outros contratos ou ordens, e para alocar materiais, serviços e instalações conforme necessário ou apropriado para promover o defesa nacional, é delegada aos seguintes chefes de agências: (1) o Secretário de Agricultura com respeito a recursos de alimentos, instalações de recursos de alimentos, recursos de gado, recursos veterinários, recursos de saúde de plantas, e a distribuição doméstica de equipamento rural e fertilizante comercial; 2) o Secretário de Energia em relação a todas as formas de energia; (3) o Secretário de Saúde e Serviços Humanos com relação aos recursos de saúde, (4) o Secretário de Transporte com relação a todas as formas de transporte civil, (5) o Secretário de Defesa com relação aos recursos hídricos; e (6) o Secretário de Comércio em relação a todos os outros materiais, serviços e instalações, incluindo materiais de construção.

Fonte: http://www.whitehouse.gov/the-press-office/2012/03/16/executive-order-national-defense-resources-preparedness

Será que o governo da administração Trump acabou de testar o seu interruptor (Kill Switch) para derrubar a Internet, em uma clara demonstração de força aos grandes conglomerados de TI do Vale do Silício, que se consideram onipotentes em seus planos e estratégias?


Image result for puppet gif

A Matrix (o SISTEMA de CONTROLE MENTAL):   “A Matrix é um sistema de controle, NEO. Esse sistema é o nosso inimigo. Mas quando você está dentro dele, olha em volta, e o que você vê? Empresários, professores, advogados, políticos, carpinteiros, sacerdotes, homens e mulheres… 

As mesmas mentes das pessoas que estamos tentando salvar. “Mas até que nós consigamos salvá-los, essas pessoas ainda serão parte desse sistema de controle e isso os transformam em nossos inimigos. Você precisa entender, a maioria dessas pessoas não está preparada para ser desconectada da Matrix de Controle Mental. E muitos deles estão tão habituados, tão desesperadamente dependentes do sistema, que eles vão lutar contra você  para proteger o próprio sistema de controle que aprisiona suas mentes …”


Mais informações, leitura adicional:

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.