browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Iminente Flash Solar (FLARE) é apoiado por Insider e estudos acadêmicos (1)

Posted by on 08/01/2019

Em uma série de seis capítulos intitulados Earth Catastrophe Cycle, Ben Davidson, fundador da Space Weather News, apresentou vários estudos científicos sobre eventos de “micronova” (vulgo “flash solar”) que ocorrem na história humana, e uma subsequente MUDANÇA dos POLOS que ocorrem em uma base cíclica. Davidson se referiu a várias fontes apontando para eventos de grandes “flashes solares” sendo parte da história geológica da Terra. Entre eles está o Dr. Robert Schoch, Professor Associado de Ciências Naturais da Universidade de Boston e autor de Forgotten Civilization: The Role of Solar Outbursts in our Past and Future

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

Futuro Evento de Flash Solar (FLARE) iminente é suportado por estudos científicos e pelo testemunho de informante e insider de Programa Espacial Secreto

Fonte:  https://www.exopolitics.org/

Os dados científicos confirmam que os eventos de “Micronova” solar são ocorrências comuns em sóis de nossa galáxia, e tais eventos abrangem a história da Terra, estão associados a mudanças de orientação dos pólos magnéticos, mas cuja evidência foi suprimida pelas “autoridades governamentais” nas últimas décadas.

Na parte 4 de sua série de vídeos, Davidson apresenta estudos científicos mostrando como “micronovas” foram observadas ocorrendo em múltiplas estrelas por astrônomos. “Micronova” é o termo de Davidson para um evento do tipo supernova que não é grande o suficiente para exaurir ou destruir a estrela que o gera, mas grande o suficiente para devastar os planetas próximos. Ele disse :

O que é uma micronova? Não é uma supernova, nem é realmente uma nova, mas é como a irmãzinha da nova, que pode afetar ( uma civilização) o mundo inteiro, mas não destruí-lo completamente.

O vídeo de Davidson mostra evidências de que tais eventos de micronova são uma parte cíclica da vida de uma estrela, e inclui a seguinte lista de 10 novos eventos recorrentes conhecidos observados na Via Láctea.

CLIQUE NA IMAGEM PARA AMPLIAR

Davidson se referiu a várias fontes apontando para eventos de grandes “flashes solares” sendo parte da história geológica da Terra. Entre eles está o Dr. Robert Schoch, Professor Associado de Ciências Naturais da Universidade de Boston e autor de Forgotten Civilization: The Role of Solar Outbursts in our Past and Future (Civilizações Esquecidas: O Papel das Explosões Solares em nosso Passado e Futuro). Em uma entrevista em vídeo na parte 4 da série de Davidson, Schoch explicou que amostras de núcleos de gelo da Groenlândia mostram que houve uma explosão solar ou erupção registrada no final da última Idade do Gelo, conhecida como Younger Dryas, em cerca de 9.700 a.C. (nota Thoth: data muito próxima da última grande catástrofe registrada pela nossa história, o Dilúvio de Noé, que teria ocorrido em 10.986 a.C)

Schock e Davidson estimaram que o último evento de micronova foi de 40 vezes o poder da tempestade solar mais destrutiva observada na história moderna, o conhecido evento de 1859 em Carrington. Isso tornaria a micronova Younger Dryas tanto quanto uma erupção solar de magnitude de X-100 + de acordo com a escala de medição atualmente em uso. Bastante alarmante, especialmente se esse tipo de evento se repetir em breve, como esta sendo esperado.

A enorme quantidade de plasma que chegou à Terra imediatamente após o evento de micronova, por volta de 9.700 aC, bombardeou nosso planeta produzindo um efeito similar a um ou mais impactos principais de grandes asteróides. Isso causou confusão e levou muitos pesquisadores de arqueologia a interpretar erroneamente evidências históricas de impactos que causavam e / ou terminavam a última era do gelo, como decorrente dos impactos de asteróides em vez de descargas gigantes de plasma efetuadas pelo sol.

Em sua entrevista e livro, Schoch afirma que os registros antigos são consistentes com um grande Flash solar que dizimou uma antiga civilização anterior ao fim da última Era do Gelo, amplamente considerada como a civilização da Atlântida de Platão.

Os dados científicos sobre flashes solares remontam a várias décadas. Bradley Schaefer, astrofísico do Centro Goddard de Voos Espaciais da Nasa, escreveu um artigo intitulado “Flashes from Normal Stars”, publicado na edição de fevereiro de 1989 do The Astrophysical Journal. Ele alaborou o início da pesquisa sobre flashes solares para um estudo de 1959 de H. Johnson, que na época “realizou o único estudo capaz de detectar flashes raros de estrelas de campo normais”.

Vídeo de uma explosão solar, feito pela sonda STEREO da NASA, no dia 28 de novembro de 2013, que revelou a existência de um imenso objeto (um SEGUNDO SOL)  já dentro do sistema solar. LINK

Schaefer examinou dados da NASA sobre o vidro descoberto em rochas lunares que foi apresentado pela primeira vez em um artigo de 1969 de T. Gold, publicado na Science, que havia concluído: “Alguns envidraçamentos são aparentemente devidos ao aquecimento por radiação; sugere uma explosão solar gigante em tempos geologicamente recentes”. Schaefer concordou com a análise de Gold e chegou a uma conclusão semelhante :

A existência de um vidro nas superfícies superiores das rochas lunares tem sido usada como um forte argumento para uma “explosão solar”, onde o Sol aumentou sua luminosidade em mais de 100 vezes por 10 a 100 nos últimos 30.000 anos.

Schaefer continuou descrevendo como uma tal explosão solar (também conhecida como flash solar ou micronova) poderia resultar em um Evento de Nível de Extinção em massa da vida na Terra:

Eu grosseiramente estimo que um grande flash solar… pode resultar em um grande episódio de extinção. (As extinções de dinossauros do Cretáceo-Terciário não podem ser explicadas por um lampejo, visto que não há mecanismo para aumentar o irídio.) O Sol poderia ter passado por alguns (super) flashes nos últimos 10 8 anos [100.000.000 anos]. Estes dados sugerem que o nosso próprio Sol pode ter uma taxa de eventos significativamente menor do que estrelas de campo médias.

Na parte 5 de sua série de vídeos , Davidson entrevista o pesquisador do ciclo solar Douglas Vogt, que discute os dados científicos de que as rochas lunares fornecem evidências concretas de flashes solares que ocorreram na história geológica recente.

Os dados científicos compilados por Davidson em sua série de vídeos são convincentes, mas não dão resposta à pergunta crítica: “Quando a próxima micronova ou evento de flash solar ocorrerá?”. Para uma resposta detalhada, podemos nos voltar para o surpreendente testemunho de Corey Goode, que diz ter recebido informações de inteligência sobre quando um novo e grande “flash solar” ocorrerá a partir de duas fontes independentes: uma a Aliança do Programa Espacial Secreto e uma civilização da Terra (Inner Earth) Interior que ele chama de “Anshar”.

Goode diz que ele serviu em múltiplos programas espaciais secretos durante um período de 20 anos, de 1986 a 2007. Embora suas alegações tenham sido muito controversas, minha pesquisa encontrou múltiplos pontos de corroboração que foram detalhados em minha série de programas espaciais secretos , incluindo Goode o primeiro a liberar dois Documentos de Referência de Inteligência de Defesa que corroboram os principais elementos de seu notável testemunho.

Goode disse que cientistas de diferentes programas espaciais previram que o flash solar ocorreria no final do Ciclo Solar 24 (2008-2018 / 2019), e que isso levou a planos de evacuação das elites globais para locais seguros (cidades e bases subterrâneas) semelhantes ao que foi mostrado no filme “2012”.

Em uma entrevista, Goode deu detalhes sobre o que lhe foi dito durante uma visita em dezembro de 2017 a uma base lunar secreta chamada Comando de Operações Lunares [LOC] sobre vários eventos de flash solar que foram preditos por diferentes grupos e seu tempo de ocorrência:

Eu disse por um tempo que me disseram que não era um evento solar, mas uma série de eventos que levaram a um grande evento. Durante a minha reunião no LOC… me disseram que a Elite esperava que o “espirro solar” final [flash solar] ocorresse no final deste período Solar Mínimo (2018/2019 de suas estimativas). “Estamos oficialmente no mínimo solar?” Foi a pergunta de uma das pessoas presentes. Para meu espanto, essa pergunta ficou sem resposta, pois as pessoas que estavam sendo informadas estavam prestando muita atenção a esse tópico em particular.

A Elite começou a se mover se mudando para o subsolo em grandes números com base nessa linha do tempo provável. Os “Programas” usaram uma provável tecnologia futura para fixar o tempo da Divulgação de Tecnologia Alien e Suprimida e do Evento Solar. Nenhum deles concordou sobre o que seria o Evento Solar, pois muitos pensaram que seria um flash que os transformaria em seres de luz ascensionados, enquanto outros esperavam que fosse um dia terrível para o planeta Terra. O “Egg Heads” e os Smart Glass Pads descreveram tudo isso ocorrendo na janela de tempo de 2018-2023 / 24.

Goode disse que também recebeu informações de outra fonte, a Anshar, que afirma ser os descendentes dos viajantes do tempo do nosso futuro. Isso significava que seus ancestrais haviam vivido o (s) futuro (s) evento (s) do flash solar e transmitido seus efeitos através de registros históricos, que foram transportados no passado distante da Terra pelo Anshar para manter a linha do tempo atual. Goode explica o que os Anshars disseram a ele :

Os flashes (não necessariamente todos os flashes visíveis) que estão ocorrendo se acumularão em um (em breve FUTURO) grande evento solar. O Anshar descreveu um grande Evento Solar em seu passado (Nosso Futuro?) Que era muito parecido com a “ejeção coronal de massa de circunferência total” que descrevi como sendo uma das teorias científicas sobre o Evento Solar.

Pouco antes do meio-dia de 1 de setembro de 1859, os astrônomos ingleses Richard C. Carrington e Richard Hodgson fizeram, de forma independente, as primeiras observações de uma erupção solar gigantesca. O evento foi associado com uma grande ejeção de massa coronal (CME-Coronal Mass Ejection), que viajou diretamente para a Terra e completou a viagem de 93 milhões de milhas em apenas 17,6 horas. Entre 1 e 2 de setembro de 1859, uma das maiores tempestades geomagnéticas já registradas ocorreu na Terra. Auroras polares foram vistas em todo o mundo, do hemisfério norte até o Caribe; sobre as Montanhas Rochosas foram tão brilhantes que sua luminosidade acordou garimpeiros, que começaram a preparar o café da manhã, porque achavam que estava amanhecendo. LINK

Eles descreveram a explosão solar sendo tão poderosa que causou uma mudança de orientação do eixo do pólo físico na Terra de vários graus. Eles descreveram a atmosfera sendo violada pelo CME [Coronal Mass Ejection] no Hemisfério Norte, que causou incêndios massivos que destruíram uma grande área e, ao fazê-lo, derrubou toda a tecnologia do planeta. Houve uma quantidade razoável de perda de vidas humanas no evento real.

A informação de Goode é muito útil, pois fornece dados de inteligência de cientistas do programa espacial secreto e seres da Terra Interna que estão monitorando a atividade solar, e também estão cientes de registros detalhando flashes solares ou evento micronova da história da Terra. Isso complementa os dados científicos compilados por Davidson, que fundamentam as micronovas como um fenômeno recorrente para muitas estrelas em nossa galáxia, incluindo nosso próprio sol.

Isso nos leva a outro elemento-chave da série Ciclo de Catástrofes Terrestres de Davidson , que as fontes classificadas de Goode fornecem informações complementares. Isso se refere à micronova prevista ou ao flash solar, que desencadeia uma mudança geofísica de pólos que pode ser catastrófica para muitas regiões ou para o planeta inteiro.

Continua…

© Michael E. Salla, Ph.D.


{Nota de Thoth: O que é uma ejeção de massa coronal ou CME-Coronal Mass Ejection? A ANATOMIA DE UM FLARE SOLAR GIGANTE

Os choques resultantes ondulam através do sistema solar e podem interromper satélites e derrubar e destruir redes elétricas na Terra. Durante um FLARE SOLAR (CME-Coronal Mass Ejection, Ejeção de Massa Coronal do sol), enormes bolhas de gás superaquecido – chamado plasma – são ejetadas do sol. Ao longo de várias horas, bilhões de toneladas de material carregado energeticamente são levantadas da superfície do sol e aceleradas a velocidades superiores a um milhão de milhas por hora.

Isso pode acontecer várias vezes ao dia quando o sol está mais ativo. Durante os períodos mais calmos, as CMEs FLARE SOLAR (CME-Coronal Mass Ejection, Ejeção de Massa Coronal do sol) ocorrem apenas uma vez a cerca de cada cinco dias. O próprio plasma solar é uma nuvem carregada energeticamente de prótons e elétrons levados pelo vento solar.  SAIBA MAIS:

Viajando a um milhão de milhas por hora, a ejeção pode atravessar a distância de 93 milhões de milhas para a Terra em apenas alguns dias. Uma aeronave à jato movendo-se tão rápido poderia levá-lo de Los Angeles a Nova York em 18 segundos. Fim de citação}


Matrix (o SISTEMA de CONTROLE)

“A Matrix é um sistema de controle, NEO. Esse sistema é o nosso inimigo. Mas quando você está dentro dele, olha em volta, e o que você vê? Empresários, professores, advogados, políticos, carpinteiros, sacerdotes, homens e mulheres… As mesmas mentes das pessoas que estamos tentando despertar. 

Mas até que nós consigamos despertá-los, essas pessoas ainda serão parte desse sistema de controle e isso as transformam em nossos inimigos. Você precisa entender, a maioria dessas pessoas não está preparada para ser desconectada da Matrix de Controle. E muitos deles estão tão habituados, tão profunda e desesperadamente dependentes do sistema, que eles vão lutar contra você  para proteger o próprio sistema de controle que aprisiona suas mentes …” 


Mais informações, leitura adicional:

Permitida a reprodução desde que mantida a formatação original e mencione as fontes.

thoth(172x226)www.thoth3126.com.br

 

3 Responses to Iminente Flash Solar (FLARE) é apoiado por Insider e estudos acadêmicos (1)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.