browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Iminente guerra no Golfo Pérsico: Irã captura dois petroleiros, um britânico, no Estreito de Ormuz

Posted by on 19/07/2019

O Irã apreendeu dois petroleiros – um registrado no Reino Unido e outro na Libéria – no estreito de Hormuz, marcando uma dramática escalada no agravamento do impasse no Golfo Pérsico. A Guarda Revolucionária do Irã alegou ter colocado a Stena Impero, de bandeira britânica, no porto, e autoridades iranianas afirmaram que ela havia saído da rota de navegação e desativado seu localizador de satélites. Um segundo navio-tanque, o Mesdar, que é de bandeira liberiana e pertence e é operado pela empresa norueguesa Norbulk, também fez um desvio súbito de seu curso para o porto saudita de Ras Tanura na sexta-feira em direção à costa iraniana antes de aparentemente desligar o sinal de localização e navegação.

Edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

Irã captura navio britânico no Estreito de Ormuz. Informação publicada pela imprensa iraniana diz que embarcação ‘violou regras internacionais’; iranianos teriam capturado segundo navio, mas Reino Unido ainda não confirma. 

Fontes:  https://www.presstv.com/  – https://oglobo.globo.com/ – https://www.theguardian.com/

TEERÃ — A Guarda Revolucionária do Irã anunciou ter capturado um navio de bandeira britânica perto do Estreito de Ormuz, segundo informações divulgadas na imprensa do país. A emissora estatal Press TV afirmou que o navio Stena Impero (30 mil toneladas) “violou regras internacionais de navegação”, sem dar detalhes sobre quais regras ele teria violado. A captura foi confirmada por autoridades iranianas e dos EUA.

Resultado de imagem para Irã

O navio Stena Shipping , teria sido interceptado por pequenas embarcações e um helicóptero perto do Estreito de Ormuz, em águas internacionais.

governo britânico afirmou que a captura é ” inaceitável ” e convocou uma reunião de emergência do gabinete do (des)governo britânico para avaliar a situação. A nova crise acontece dias antes do anúncio de um novo primeiro-ministro inglês, em meio ao caos político que mergulhou a Inglaterra após o BREXIT, que assume já na próxima quarta-feira.

A empresa responsável pelo Stena Imperio, a Stena Shipping , diz que o navio foi interceptado por pequenas embarcações e um helicóptero perto do Estreito de Ormuz, em águas internacionais. Vinte e três tripulantes estão a bordo e não há informações se algum deles foi ferido. A empresa não consegue estabelecer contato com o navio.

De acordo com o serviço de monitoramento de embarcações Marine Traffic , o Stena Impero deixou o porto de Fujairah, nos Emirados Árabes Unidos, às 12:20 no horário local (05:20 no horário de Brasília), a caminho de al-Jubail , na Arábia Saudita. Agora, ele estaria seguindo em direção à ilha de Qeshm, já em águas iranianas.

Horas depois, surgiram informações na imprensa iraniana de que um segundo petroleiro britânico, o Mesdar, teria sido interceptado pelos iranianos. A embarcação, de bandeira liberiana, estaria a caminho do porto saudita de Ras Tanura, mas também fez uma curva inesperada no Estreito de Ormuz e seguiu em direção ao território iraniano. Funcionários do governo americano disseram ter informações que confirmam a captura.

Menos de duas horas depois, o sinal de rastreamento do Mesdar foi ligado novamente. Um site de notícias iraniano, o Iran Front Page, citou “uma fonte militar informada” dizendo que a embarcação havia sido “alertada sobre a necessidade de navegação inofensiva e de observação das regulamentações ambientais”.

O petroleiro liberiano Mesdar

Jeremy Hunt, o ministro das Relações Exteriores do Reino Unido, disse estar “extremamente preocupado” e confirmou que ambos os navios foram apreendidos pelo Irã. Ele disse que o comitê de resposta de emergência Cobra estaria se reunindo “para rever o que sabemos e o que podemos fazer para garantir rapidamente a liberação dos dois navios”.

“Suas tripulações compreendem uma gama de nacionalidades, mas entendemos que não há cidadãos britânicos a bordo de qualquer navio”, disse Hunt. “Nosso embaixador em Teerã está em contato com o Ministério das Relações Exteriores do Irã para resolver a situação e estamos trabalhando em estreita colaboração com parceiros internacionais.

“Essas apreensões são inaceitáveis. É essencial que a liberdade de navegação seja mantida e que todos os navios possam circular com segurança e liberdade na região ”. O Ministério da Defesa do Reino Unido ressaltou que havia navios na área, mas não forneceu mais detalhes sobre o que havia acontecido. Donald Trump, o presidente dos Estados Unidos, disse na noite de sexta-feira que os EUA falariam com a Grã-Bretanha sobre as apreensões, informou a Reuters.

Os proprietários do Stena Impero divulgaram um comunicado dizendo que às 15h GMT (19h, horário local), o navio havia sido “abordado por pequenos barcos não identificados e um helicóptero durante o trânsito do estreito de Hormuz enquanto o navio estava em águas internacionais”.

Nos últimos meses, com a tensão entre EUA e Irã no Golfo Pérsico, aumentou a preocupação com a segurança dos navios que passam pela região do Golfo Pérsico e Estreito de Ormuz, especialmente com os petroleiros americanos e seus aliados europeus no Golfo reclamam, há muitos anos, do que chamam de “comportamento irresponsável” dos iranianos na área do Estreito de Ormuz. Teerã nega as acusações, dizendo que age apenas para defender seu território.

A crise ganhou novos contornos no dia 4 de julho, mas a milhares de quilômetros do Golfo Pérsico. Naquele dia, um petroleiro iraniano foi capturado por forças britânicas na costa de Gibraltar , um enclave do Reino Unido na Espanha. Na ocasião, os britânicos afirmaram que o navio estaria levando petróleo para a Siria, violando sanções impostas ao país árabe pela União Europeia. O Grace 1 , de bandeira panamenha, continua no porto de Gibraltar.

Depois da apreensão, os iranianos sinalizaram que poderiam adotar medidas de reciprocidade. No dia 11 de julho, as autoridades britânicas revelaram que um de seus petroleiros quase foi bloqueado, mas a atuação de um navio de guerra, o HMS Montrose, impediu que o navio fosse levado para águas iranianas.

O petroleiro Grace 1 foi apreendido no início deste mês por fuzileiros navais britânicos na costa do território mediterrâneo de Gibraltar sob suspeita de violar as sanções contra a Síria.

A corte suprema de Gibraltar prorrogou a detenção da embarcação Grace 1 em uma audiência na sexta-feira após o ministro-chefe de Gibraltar, Fabian Picardo, ter conversado com autoridades iranianas no Ministério das Relações Exteriores do Reino Unido em Londres na quinta-feira. Picardo também conversou com Theresa May e Jeremy Hunt, o secretário do exterior. O Reino Unido vem buscando garantias legais de que o navio-tanque, se liberado, não viajará para a Síria para descarregar 2,1 milhões de barris de petróleo se for liberado, como era suspeito de tentar fazê-lo quando foi detido.

Teerã diz que não faz parte de um embargo da UE e insiste que o navio não estava destinado à Síria. Zarif, que esteve em Nova York na quinta-feira, se recusou a oferecer um destino alternativo para o navio, dizendo que não é do interesse do Irã revelar como ele está tentando evitar um embargo imposto pelos EUA a todas as exportações de petróleo iranianas. O Ministério das Relações Exteriores do Reino Unido continua certo de que o destino era a Síria.

Bob Sanguinetti, chefe executivo da Câmara de Transporte do Reino Unido, disse: “Condenamos sem reservas a captura da Stena Impero… Nossa prioridade é para a segurança e o bem-estar da tripulação. Pedimos ao governo do Reino Unido que faça o que for necessário para garantir seu retorno seguro e rápido.  “Este incidente representa uma escalada. Enquanto pedimos uma resposta medida, também está claro que uma proteção adicional para as embarcações mercantes deve estar disponível para garantir maior segurança para garantir o fluxo livre de comércio na região. ”

Drones e agora Navios

Além das ameaças aos navios, o Estreito de Ormuz também foi cenário de uma série de incidentes envolvendo drones. Há cerca de um mês, a Guarda Revolucionária iraniana derrubou um drone americano na área. Teerã afirma que a aeronave invadiu seu espaço aéreo, algo que o Pentágono nega. Em resposta, uma ação militar esteve prestes a ser lançada pelos americanos, sendo cancelada pelo presidente Trump cerca de dez minutos antes.


{ Excerto do post: NWO-Nova Ordem Mundial: A missão anglo-saxônica – 2

Bill Ryan: Tudo bem. Então o que você está dizendo, é que há um plano a longo prazo que vem sendo decidido há algum tempo para definir a situação, para configurar o tabuleiro de xadrez, o tabuleiro de xadrez global, de modo que vai ser uma guerra contra a China . Isto é o que você está dizendo.

W: Sim, em poucas palavras. Você pode ter isso. É toda uma série de eventos, e muitos deles já se concretizaram. E outra vez eu só posso enfatizar que o tempo que resta parece ser crítico.

Bill Ryan: O que aconteceu, e que ainda está para acontecer, e qual é o plano eventual para o que querem que aconteça, se tudo que eles esperam e planejam venha a ocorrer?

A destruição da Mesquita do Domo da Rocha, em Jerusalém, em algum tipo de atentado, em um dos locais mais sagrados para o mundo árabe e muçulmano poderia ser um estopim para um conflito armado generalizado no Oriente Médio.

W: Bem, o plano é para que o fusível a ser usado (que inicie o processo para UM ÚLTIMO CONFLITO GLOBAL) seja o Oriente Médio mais uma vez, de uma maneira que faria os conflitos anteriores que aconteceram na região parecerem brincadeira. Essa nova situação de confronto vai envolver o uso de armas nucleares/atômicas (n.t. De ambos os lados, pois ISRAEL tem um arsenal com cerca de 220 ogivas atômicas, desenvolvidas na usina Nuclear de Dimona) e, novamente, é para criar uma atmosfera de caos e medo extremo, não só no Ocidente, mas em todo o mundo, em todo o planeta e para colocar em prática aquilo que eu mencionei como (a implantação de) um governo ocidental unificado e mundial totalitário  (n.t. A NWO,  Nova Ordem Mundial-New World Order), e para fazer isso a CHINA precisa ser retirada de cena, politica, econômica e socialmente, para que isso possa acontecer, segundo os planos de quem deseja essa  NWO-Nova Ordem Mundial.

Bill Ryan: Então pelo que estamos vendo aqui, eles estão matando dois pássaros com uma só pedrada. Eles estão usando isso como uma justificativa para criar o que muitos na internet tem chamado o  Governo Mundial Único (NWO – A Nova Ordem Mundial), exceto que não está incluindo a China. Você está falando sobre as nações ocidentais em aliança num bloqueio contra esta nova ameaça.

W: É especificamente as nações ocidentais, mas acho que também temos de incluir o Japão nisto também.

Bill Ryan: E o que dizer sobre a Rússia? Onde é que a Rússia entra nessa conspiração?

W: Eu acredito que a Rússia é um jogador também, mas eu não tenho provas. Por alguma razão ou outra a Rússia realmente não aparece por aqui, e é apenas uma suposição minha, é que o governo russo no momento está de mãos dadas com os agentes de controle que estão operando aqui no Ocidente.

Bill Ryan: Hum. Então você está dizendo isso porque nesta “reunião que você assistiu”, a Rússia não foi mencionada como um fator importante.

W: Não, nenhum fator. A única maneira que foi mencionada é que a ideia é criar uma situação de caos em todo o planeta. Isso mais tarde significaria o uso posterior de armas biológicas, a escassez generalizada de alimentos, o que afetará os países mais vulneráveis em todo o mundo, seguido por fome e doenças. A única menção que a Rússia entra aqui é uma estranha que não consigo explicar e talvez alguém possa. Eu realmente não posso colocar minha cabeça em torno deste fato. Mas dentro desta reunião, foi mencionado: “para fazer com que os militares chineses façam um ataque à região Leste da Rússia” (n.t. Onde estão as principais reservas de gás e petróleo e que é a principal fonte de receita da nação russa pelo seu grande volume de exportação desses itens).  Agora, não posso qualificar isso e por que isso foi mencionado na reunião – eu simplesmente não sei. FIM DE CITAÇÃO. }


A Matrix (o SISTEMA de CONTROLE MENTAL): “A Matrix é um sistema de controle, NEO. Esse sistema é o nosso inimigo. Mas quando você está dentro dele, olha em volta, e o que você vê? Empresários, professores, advogados, políticos, carpinteiros, sacerdotes, homens e mulheres… As mesmas mentes das pessoas que estamos tentando despertar. Mas até que nós consigamos despertá-los, essas pessoas ainda serão parte desse sistema de controle e isso as transformam em nossos inimigos. Você precisa entender, a maioria dessas pessoas não está preparada para ser desconectada da Matrix de Controle MENTAL. E muitos deles estão tão habituados, tão profunda e desesperadamente dependentes do sistema, que eles vão lutar contra você para proteger o próprio sistema de controle que aprisiona suas mentes …”


Sobre os Judeus Khazares, saiba mais acessando os links:


Mais informações sobre NWO, Illuminati, leitura adicional:

Permitida a reprodução desde que mantida a formatação original e mencione as fontes.

www.thoth3126.com.br

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.