browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Liquidação Brasil: (des)governo quer vender Casa da Moeda e reserva de minérios

Posted by on 24/08/2017

O (des)governo federal anunciou nesta quarta-feira (23/08) a inclusão de 57 projetos na lista de concessões e privatizações do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI). Além da já esperada Eletrobras, a medida envolve aeroportos, portos, rodovias e empresas estatais, incluindo a Casa da Moeda. Em decreto, Temer extingue a chamada Reserva Nacional de Cobre e Associados, localizada entre o Amapá e o Pará. Após mais de 30 anos fechada à mineração, área rica em ouro poderá ser explorada por mineradoras. a região tem alto potencial para exploração de ouro, mas também de tântalo, minério de ferro, níquel, manganês, além de outros minerais nobres.

Edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

O (des)Governo anuncia privatizações e inclui Casa da Moeda. Lista adiciona 57 projetos ao Programa de Parcerias de Investimentos (PPI). Além do órgão que confecciona dinheiro e passaportes, medida envolve Eletrobras e aeroporto de Congonhas. Previsão é arrecadar R$ 44 bilhões.

(EK/abr/ots) – Fonte: http://p.dw.com/p/2ij4K  e http://p.dw.com/p/2iirO

O anúncio, mais uma rodada de concessões do PPI, foi realizado por ministros do governo após reunião com o presidente Michel Temer nesta quarta-feira. O objetivo, segundo eles, é melhorar o caixa da União e estimular a economia. Com a medida, o governo informou que espera arrecadar, a partir deste ano, cerca de 44 bilhões de reais ao longo dos anos de vigência dos contratos.

Presidente Temer

A Casa da Moeda, com sede no Rio de Janeiro, deve ser vendida até o fim do ano que vem. Ainda não foi definida, no entanto, a forma como será desestatizado o órgão, responsável por confeccionar as notas de real e passaportes do Brasil. Segundo o jornal Folha de S. Paulo, pode ser que seja vendida somente 51% e a União permaneça no negócio.

Sobre a Eletrobras, o governo declarou que concederá apenas uma parte. “Haverá emissão de papéis da empresa sem subscrição da União, que será diluída e perderá o controle acionário”, explicou.

A proposta de privatização da companhia, que atua na geração, transmissão e distribuição de energia elétrica, havia sido antecipada na segunda-feira. Segundo o Ministério de Minas e Energia, a redução da participação da União no capital da Eletrobras dará mais competitividade e agilidade à empresa.

O governo também confirmou a privatização da Lotex, braço da Caixa Econômica Federal para loterias instantâneas. A estimativa é obter 2 bilhões de reais com a venda, segundo um novo modelo de negócio anunciado. A previsão anterior era de 1 bilhão de reais.

Entre outras estatais incluídas na lista estão a Companhia Docas do Espírito Santo (Codesa), a Companhia de Armazéns e Silos do Estado de Minas Gerais (Casemg) e CeasaMinas.

Aeroportos e mais

Além das empresas, o pacote engloba ainda 14 aeroportos, 11 lotes de linhas de transmissão, 15 terminais portuários e trechos de duas rodovias. Os aeroportos a serem licitados foram divididos em quatro blocos. Um deles inclui Congonhas, em São Paulo – ele é o mais lucrativo da Infraero e o segundo maior do país, com movimento de 21 milhões de passageiros por ano. O valor estimado de venda é de 4 bilhões de reais somente em outorgas.

Aeroporto de Congonhas

Um segundo bloco abrange aeroportos do Nordeste (Maceió, Aracaju, João Pessoa, Campina Grande, Juazeiro do Norte e Recife). Outro é formado por terminais localizados no estado do Mato Grosso (Cuiabá, Sinop, Alta Floresta, Barra do Garça e Rondonópolis). Um quarto bloco engloba os aeroportos de Vitória e de Macaé.

Ainda no setor aeroportuário, o governo anunciou a venda da participação acionária da Infraero nos aeroportos de Guarulhos, Confins, Brasília e Galeão, que foram leiloados durante o governo da ex-presidente Dilma Rousseff. Os lotes de linhas de transmissão, que serão licitados em dezembro, estão distribuídos em dez estados: Bahia, Ceará, Pará, Paraná, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Minas Gerais e Tocantins. Já os terminais portuários são em Belém, Vila do Conde, Paranaguá e Vitória.

Em relação a rodovias, o governo anunciou que pretende leiloar um trecho da BR-364, entre Rondônia e Mato Grosso, e relicitar o trecho da BR-153 entre Goiás e Tocantins. A previsão é realizar a venda dos dois trechos no último trimestre de 2018.

primeiro pacote de concessões e privatizações do PPI foi apresentado por Temer em setembro do ano passado, incluindo 25 projetos de infraestrutura, como aeroportos. Em março passado, o governo federal anunciou o leilão ou renovação da concessão de mais 55 projetos, entre rodovias, ferrovias, portos e linhas de transmissão de energia.

O (des)Governo federal libera reserva na Amazônia para exploração. Em decreto, Temer extingue a chamada Reserva Nacional de Cobre e Associados, localizada entre o Amapá e o Pará. Após mais de 30 anos fechada à mineração, área rica em ouro poderá ser explorada por mineradoras.

O governo federal publicou nesta quarta-feira (23/08) um decreto que extingue a Reserva Nacional de Cobre e Associados (Renca), na Amazônia. Após mais de 30 anos fechada à atividade de mineração, a área poderá voltar a ser explorada pela iniciativa privada.

A reserva, criada em 1984, ainda durante a ditadura militar, possui cerca de 47 mil quilômetros quadrados e está localizada na divisa entre o sul e sudoeste do Amapá com o noroeste do Pará. Apesar de trazer cobre no nome, a região tem alto potencial para exploração de ouro, mas também de tântalo, minério de ferro, níquel, manganês, além de outros minerais nobres.

A dimensão dos depósitos não foi informada, mas o governo avalia que a área pode atrair empresas mineradoras de todo o mundo. O próximo passo, após a extinção, é dar início aos leilões dos territórios para companhias interessadas em explorar a região. Ainda não há datas para isso.

A extinção da Renca vem sendo debatida desde o início do ano e faz parte do novo pacote de medidas do governo federal para ampliar o setor minerador do país. A proposta foi feita pelo Ministério de Minas e Energia e aguardava apenas assinatura do presidente Michel Temer.

A abertura da reserva preocupa ambientalistas, uma vez que a área engloba florestas protegidas e terras indígenas. Em relatório divulgado no fim de julho, a ONG WWF Brasil alertava que a Renca contém territórios de nove áreas protegidas. Por esse motivo, estudos visando a exploração mineral estavam bloqueados em 69% de toda a área da reserva, acrescentou a organização.

O decreto assinado por Temer destaca que a medida levará em conta as normas de preservação ambiental, apesar de não ter detalhado como será a entrada de mineradores na região. “A extinção não afasta a aplicação de legislação específica sobre proteção da vegetação nativa, unidades de conservação da natureza, terras indígenas e áreas em faixa de fronteira”, afirma o texto publicado no Diário Oficial da União.

A Renca foi criada por meio de um decreto assinado pelo então presidente João Figueiredo, impedindo a exploração mineral na região. Inicialmente, o plano militar era explorar grandes jazidas de cobre na área por meio de uma estatal, mas o objetivo nunca saiu do papel. (EK/efe/ots)


“Conhece-te a ti mesmo e conheceras todo o universo e os deuses, porque se o que tu procuras não encontrares primeiro dentro de ti mesmo, tu não encontrarás em lugar nenhum”.  –  Frase escrita no pórtico do Templo do Oráculo de Delphos, na antiga Grécia.

“De tanto ver triunfar nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto”  –  Ruy Barbosa

 


Saiba mais, leitura adicional:

Permitida a reprodução desde que mantida na formatação original e mencione as fontes.

phi-golden-ratiowww.thoth3126.com.br

 

14 Responses to Liquidação Brasil: (des)governo quer vender Casa da Moeda e reserva de minérios

  1. Luiz Alexandre

    O brasileiro só está tendo o que merece, se não acabarem com o sertanejão universitário, BBB, carnaval, carnaval fora de época, baladas, futebol, domingão do faustão, rodeios, etc. etc. então tudo bem! o resto que se dane , o brasileiro dorme em berço esplêndido, o importante é a churrascada e a cerveja no fim de semana, como diz o locutor de rodeios ! tchê tchê tchê Tcheeeeeeeeee, ihuuuuuuuu ..

  2. Maria Isolina Oliveira

    É… nosso país aos poucos sendo entregue a ganância estrangeira…virão mais uma vez levarão nosso “ouro”, deixando miséria, violência, destruição, etc…
    Os que estão a comandar esse descalabro vão encher os bolsos, feito ratos que são, farão a festa num banquete regado a muitos conchavos, escândalos, tapinha nas costas, sorrisos falsos e deboche à inocência do povo. Se, na sua época Rui Barbosa vivia o sentimento de desesperança, que nos resta hoje??

  3. monoatomic gold

    Povo burro , idiota e imbecil.
    Não só não se dá o respeito, como não merece respeito.
    O que este governo esta fazendo é um tapa na cara de qualquer povo.
    Concordo em gÊnero, número e grau com o Luiz.
    Agora vão vender o Brasil e deixar o povo na mão de alguns espertos que irão controlar até o dinheiro que todos usam.

  4. Hipólito Augusto

    ..sou a favor do estado mínimo.. mas depois deste desgoverno canalha e corrupto quebrar toda estrutura financeira do Brasil, de inviabilizar todo o empresariado nacional vender o que resta de brasil dos brasileiros é uma covardia, uma traição, já que é para entregar devido a incompetência derivada na corrupção e desvios, deveriam distribuir ações entre o povo brasileiro ao invés de entregar aos grupos multinacionais que são os compradores e que certamente pagarão gordas PROPINAS AOS CANALHAS DE PLANTÃO…
    ..#INTERVENÇÃO E TRIBUNAL MILITAR!
    ..cadeia e pena de morte aos canalhas, corruptos e traidores da pátria e do povo brasileiro…

  5. Silvia

    Além do fluor na água desde a década de 70, que o governo militar linha dura da época tornou obrigatório até na água mineral engarrafada que emburreceu gerações desde então, concordo com a teoria do ‘contrato de alma’ dos nascidos no país tropical abençoado por demo e sofrer com corrupção, safadeza e aceitar ou ignorar tudo alegremente-estupidamente!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *