browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Magma sob supervulcão Yellowstone está “subindo”; cientistas alertam erupção devastaria todo o planeta

Posted by on 26/02/2019

Poderia ser possível que uma erupção plena do supervulcão de Yellowstone não estivesse muito longe de acontecer? Em todo o mundo, a atividade sísmica e vulcânica tem aumentado nos últimos anos, e esse processo parece ter se acelerado nos primeiros dias de 2019 . Em particular, alguns vulcões, uma vez adormecidos, estão voltando à vida novamente, e isso tem deixado muitos preocupados com o que poderia acontecer em Yellowstone. É claro que o Yellowstone nunca esteve “adormecido”, mas tem havido novos sinais de vida nos últimos seis meses. 

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

Magma sob o supervulcão de Yellowstone está “subindo”, e cientistas alertam que uma erupção devastaria todo o planeta

Fonte:  http://theeconomiccollapseblog.com/

Gêiseres completamente novos surgiram do solo, o Steamboat Geyser tem estado o mais ativo em décadas , e alguns gêiseres agora também estão atirando “detritos e rochas” no céu além da costumeira água fervente. E agora estamos sendo informados de que “um pedaço gigantesco de magma com cerca de 465 milhas de comprimento” está “subindo” diretamente sob a caldera do Yellowstone …

“Cientistas estão monitorando de perto um pedaço de rocha derretida que se eleva abaixo da caldeira de Yellowstone, revelou um documentário bombástico. O supervulcão, localizado no Parque Nacional de Yellowstone, entrou em erupção três vezes na história – 2,1 milhões de anos atrás, 1,2 milhões de anos atrás e 640 mil anos atrás. Os vulcões geralmente sopram quando a rocha derretida, conhecida como magma, sobe à superfície após o derretimento do manto da Terra devido à mudança das placas tectônicas. No entanto, os geólogos revelaram como a câmara de magma do Yellowstone, que fica no topo da pluma de magma, está subindo lentamente a cada ano”.

Espero que nada importante aconteça no Yellowstone durante muito tempo. Mas os especialistas nos asseguram que outra erupção completa acontecerá um dia, e quando isso acontecer, poderá criar um “inverno vulcânico” global que tornaria o cultivo de grãos e cereais quase impossível e, em última instância, causaria terríveis fomes globais pela falta de produção de alimentos. A seguinte citação vem do Dr. Christopher Kilburn …

“Como resultado disso, a quantidade de luz solar que chega à superfície da Terra cairá e, como conseqüência disso, desencadeará o que é chamado de inverno vulcânico em que as temperaturas nunca terão a chance de se recuperar para a produção de alimentos. “Assim, quando você passa o inverno, o véu de cinza evita que a luz do sol aqueça a terra sazonalmente, de modo que você apenas vive sob invernos contínuos que podem desencadear, em última análise, uma extensa cobertura de gelo na superfície do planeta.”

Se o Yellowstone entrasse em erupção plena hoje, nenhuma das nossas vidas seria mais a mesma desde esse momento em diante. Estamos falando de um desastre que está em uma escala que a maioria de nós não poderia sequer imaginar, e isso instantaneamente tornaria a maior parte do país completamente inabitável. Segue-se um excerto extenso de um dos meus artigos anteriores sobre os efeitos de uma erupção plena do Yellowstone …

“Eu gostaria de tentar descrever para você o que uma erupção completa do supervulcão de Yellowstone significaria para este país. Centenas de quilômetros cúbicos de cinzas, rochas e lava seriam lançados na atmosfera, e isso provavelmente mergulharia grande parte do hemisfério norte em vários meses de completa escuridão.  Praticamente tudo dentro de 100 milhas (160 km) de Yellowstone seria imediatamente morto, mas um destino muito mais cruel aconteceria com aqueles que vivem nas principais cidades fora da zona de explosão imediata, como Salt Lake City e Denver.

Um exemplo da possível distribuição de cinzas de uma supererupção de Yellowstone que durasse um mês. O mapa de distribuição foi gerado por um novo modelo desenvolvido pelo US Geological Survey usando informações de vento de janeiro de 2001. O aperfeiçoado modelo computacional, detalhado em um novo estudo publicado na Geochemistry, Geophysics, Geosystems, descobriu que a grande erupção hipotética criaria um tipo distinto de nuvem de cinzas conhecido como um guarda-chuva, que se expande uniformemente em todas as direções, enviando cinzas por toda a América do Norte. A distribuição de cinzas irá variar dependendo da altura da nuvem, duração da erupção, diâmetro das partículas vulcânicas na nuvem e condições do vento, de acordo com o novo estudo. Crédito: Crédito: USGS
Read more at: https://phys.org/news/2014-08-yellowstone-supereruption-ash-north-america.html#jCp

Cinzas vulcânicas quentes, pedras e poeira choveriam nessas cidades literalmente por semanas. No final, seria extremamente difícil para qualquer pessoa que viva nessas comunidades sobreviver. Na verdade, estima-se que 90 por cento de todas as pessoas que vivem dentro de uma distância de 600 milhas (965 km) de Yellowstone seriam mortas.

Especialistas projetam que tal erupção despejaria uma camada de cinzas vulcânicas que está a pelo menos 3 metros de profundidade, a até 1.000 milhas (1.600 km) de distância, e aproximadamente dois terços dos Estados Unidos seriam subitamente inabitáveis. As cinzas vulcânicas contaminariam severamente a maior parte de nossos suprimentos de água, e o cultivo de alimentos no interior (meio oeste) do país se tornaria praticamente impossível.

Em outras palavras, seria o fim do nosso país como o conhecemos hoje. O resto do planeta, e isso seria especialmente verdadeiro para o hemisfério norte, experimentaria o que é conhecido como “inverno nuclear”. Um período extremo de “resfriamento global” aconteceria e as temperaturas em todo o mundo cairiam até 20 graus. As colheitas fracassariam em todo o planeta e a fome severa varreria o globo. No final, bilhões poderiam morrer.”

Cientistas Alertam que o Supervulcão, com uma cratera de 90 quilômetros de diâmetro, localizado no parque federal de Yellowstone, pode DESTRUIR os EUA.

Os cientistas estão constantemente monitorando o Yellowstone em busca de possíveis sinais de uma iminente erupção, mas a verdade é que um grande desastre desta magnitude provavelmente virá com pouco ou nenhum aviso. É inegável que nos últimos meses tem havido sinais de aumento de atividade em Yellowstone. Isso não significa que uma erupção é iminente, mas sem dúvida deve ser motivo de preocupação.

E isso é especialmente verdade considerando todos os tremores que estamos vendo em outras partes do mundo.  Apenas nos últimos dias, vimos um terremoto de magnitude 4,1 atingir a Califórnia e um terremoto de magnitude 5,1 perto de Anchorage, no Alasca. Este último definitivamente abalou muitas pessoas …

“Os moradores levaram para o site de monitoramento de terremotos EMSC para compartilhar suas experiências. Um deles disse: “Longo e grande. Aumento significativo de ansiedade! Outro acrescentou: “Isso foi assustador. Terremoto forte”.

Já estamos m meados de fevereiro, e já houve mais de 100 terremotos significativos no Alasca neste ano. Isso não é normal. Nosso planeta parece estar passando por algumas mudanças importantes, e muitos acreditam que toda essa atividade sísmica é uma indicação de que as coisas estão prestes a se tornar bastante apocalípticas . Pessoalmente, sou da opinião de que vamos continuar a assistir a um aumento do número de sismos e que vamos continuar a assistir a um aumento do número de erupções vulcânicas.

Como eu disse antes, a casca do nosso planeta está rachada e nós estamos apenas flutuando nos seus pedaços. Agora, essas peças parecem estar ficando cada vez mais instáveis, e isso vai nos afetar de uma forma que a maioria das pessoas não pode nem sequer imaginar agora, {isso em relação à pequena minoria que esta consciente, pois a imensa e maior parte da população global pensa apenas em ter mais Pão e Circo}.


“Haverá muitas mudanças dramáticas no clima do planeta, muitas mudanças nas condições meteorológicas  na medida em que o TEMPO DA GRANDE COLHEITA se aproxima  rapidamente ao longo dos próximos anos. Você vai ver a velocidade do vento em tempestades ultrapassando 300 milhas (480 quilômetros) por hora, às vezes.

Deverão acontecer fortes tsunamis e devastação generalizada NAS REGIÕES COSTEIRAS, e emissão de energia solar (CME-Ejeção de Massa Coronal do Sol)  que fará  importante fusão e derretimento das calotas de gelo nos polos, e subseqüente aumento drástico no nível do mar, deixando muitas áreas metropolitanas submersas em todo o planeta“. Saiba mais AQUI 


Muito mais informações, LEITURA ADICIONAL:

Permitida a reprodução desde que mantida a formatação original e mencione as fontes.

phi-golden-ratiowww.thoth3126.com.br

 

 

 

2 Responses to Magma sob supervulcão Yellowstone está “subindo”; cientistas alertam erupção devastaria todo o planeta

  1. JEDU

    Assustador, mas real! É um processo cíclico (que parece inevitável) que não importa quando aconteça, pois, somos apenas habitantes temporários neste planeta. É bom lembrar que “somos seres ‘espirituais’ vivendo uma experiência material.

  2. Malom

    Está acontecendo em todo planeta cientistas concordam que neste dia 1° de fevereiro entramos em um novo ciclo uma era apocalíptica

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.