browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Marinha da Rússia ameaça Hawaii com ‘inéditos exercícios navais’ e põe em alerta militares dos EUA

Posted by on 23/06/2021

Rússia forneceu mais detalhes sobre seus recentes exercícios marítimos e aéreos conduzidos no Pacífico central, que incluíram ataques simulados a um grupo de ataque de porta-aviões. Embora não saibamos exatamente quando esse exercício aconteceu, seu anúncio vem poucos dias depois de relatos de que caças stealth F-22A Raptor da Força Aérea dos EUA armados foram acionados no Havaí em resposta às atividades russas na região, a segunda missão de alerta relatada em muitas semanas . A robusta presença russa aparentemente alarmou o governo dos EUA em um grau significativo, até mesmo levando-o a mover um grupo de porta aviões para a região em resposta, mas os detalhes sobre o que exatamente está acontecendo no Hawaii e por que isso é tão preocupante permanecem obscuros e ignorados pela “mídia mainstream”.

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

Rússia pratica exercícios de destruição de “Porta Aviões” inimigos na região do Hawaii soando alarmes aos militares dos EUA [um recado ao DEEP STATE ?!]

Fonte:  The Drive

O Ministério da Defesa da Rússia publicou hoje um relato sobre as manobras da Frota do Pacífico, que são descritas como tendo praticado “as tarefas de destruir um grupo de ataque de porta-aviões de um inimigo simulado”. Um ataque de míssil de cruzeiro simulado foi realizado pela nau capitânia da Frota do Pacífico, o cruzador da classe Slava Varyag , bem como o destróier da classe Udaloy Marshal Shaposhnikov e as corvetas da classe Steregushchiy  Herói da Federação Russa Aldar Tsydenzhapov , Gromky e Sovershenniy .

Um mod. Tu-142MZ Bear-F da marinha russa. 4 do tipo que parece ter sido o gatilho para os F-22s serem acionados de sua base havaiana em duas ocasiões nas últimas semanas.

Os dois destacamentos de navios estavam operando a uma distância de cerca de 300 milhas um do outro, um fazendo o papel do inimigo. Também estava envolvido nas manobras um submarino da Marinha russa sem nome e identificação, um par de aeronaves Tu-142MZ Bear-F Mod. 4 anti-submarinos de longo alcance do ramo de aviação naval da Frota do Pacífico, operando na Base Aérea de Yelizovo, na península de Kamchatka, que foram escoltadas por caças interceptores MiG-31BM Foxhound .

Os dois destacamentos navais russos “trabalharam nas tarefas de detectar, conter e lançar ataques de mísseis contra um grupo de ataque de porta-aviões de um inimigo simulado”, anunciou o Ministério da Defesa russo. Além de ataques antinavios, a força-tarefa também testou sua prontidão para missões antiaéreas e antissubmarinas, acrescentou o Ministério da Defesa da Rússia.

Vídeo oficial do Ministério da Defesa da Rússia mostrando as manobras recentes no Pacífico central, que incluíram um ataque simulado a um grupo de porta-aviões inimigo:

O Ministério da Defesa russo diz que tudo isso estava acontecendo a uma distância de cerca de 2.500 milhas a sudeste das Ilhas Curilas. A localização corresponderia amplamente aos relatos dos canais da mídia dos EUA de que navios de guerra russos [Ahead of Biden-Putin summit, Russia conducts what it calls its largest naval exercise in the Pacific since Cold Warestavam conduzindo suas manobras entre 300 e 500 milhas a oeste das principais ilhas havaianas.

Honolulu Star Advertiser citou um funcionário anônimo dos EUA dizendo que o exercício naval russo estava ocorrendo “várias centenas de quilômetros a oeste do Estado havaiano de Aloha”.

Imagens de satélite não confirmadas pretendem mostrar alguns dos navios de combate de superfície da Marinha russa a apenas 35 milhas náuticas ao sul de Honolulu, Havaí, em 19 de junho, quando eles estariam sendo escoltados por três destróieres da classe Arleigh Burke da Marinha dos Estados Unidos e um navio Sentinela da Guarda Costeira dos Estados Unidos classe Cutter, embora as imagens disponíveis pareçam inconclusivas. Independentemente disso, essa distância, se verdadeira, colocaria os navios de guerra da Rússia muito mais perto do Havaí, DE FORMA ABSOLUTAMENTE INÉDITA, do que qualquer uma das outras fontes atualmente indicam e parece altamente incomum que não haja relatos de testemunhas oculares correspondentes de moradores nas proximidades.

Por sua vez, a aeronave Tu-142 da Marinha russa teria passado mais de 14 horas no ar, cobrindo cerca de 6.200 milhas no processo. Eles foram completados no Pacífico por uma aeronave de reabastecimento aéreo Il-78 Midas das Forças Aeroespaciais Russas .

A declaração do Ministério da Defesa russo também afirma que o ataque simulado de míssil foi realizado tanto de navios de guerra de superfície quanto do ar, embora não esteja claro quais aeronaves estavam envolvidas nesta parte dos exercícios. Além das aeronaves Tu-142MZ e MiG-31BM, o ministério também menciona a aeronave anti-submarina Il-38 May e os helicópteros anti-submarinos e de busca e resgate Ka-27 Helix baseados em navios.

Ocorre que nenhuma dessas aeronaves russas é capaz de lançar mísseis de cruzeiro anti-navio, embora o MiG-31BM esteja sendo atualizado para transportar o Kinzhal  míssil de ataque balístico lançado do ar , que foi, no passado, descrito como uma arma “matadora de porta-aviões”. No entanto, embora haja relatos de que a Frota do Norte em breve receberá o Kinzhal, a Frota do Pacífico não é conhecida por ter recebido nenhum exemplo da nova e mortal arma russa ainda.

Carenagem aerodinâmica e as aletas de direcionamento do Kinzhal na linha central da fuselagem do MiG-31K.. Dois amortecedores na parte frontal do ponto de fixação.

Quanto aos seis aviões Il-38s – que compreendiam o Il-38 original e o Il-38N atualizado – seu trabalho era procurar e rastrear submarinos do grupo ‘inimigo’. Voando em pares, as aeronaves realizaram suas manobras sobre o Mar de Okhotsk e o Pacífico, cada uma voando por cerca de oito horas e lançando sonobuoys.

De acordo com o Ministério da Defesa da Rússia, a atual série de manobras no Pacífico central são as primeiras do tipo conduzidas pela Frota do Pacífico nos últimos anos e, ao todo, envolvem até 20 navios de guerra de superfície, submarinos [tipo desconhecido] e navios de apoio, além de um número semelhante de aeronaves. Na semana passada, a agência de notícias estatal russa TASS  informou que uma flotilha da Frota do Pacífico do mesmo tamanho estava recentemente “praticando o comando e controle de uma força-tarefa de armas combinadas em operações a distâncias consideráveis”. O cenário do míssil de cruzeiro descrito hoje também poderia ter acontecido durante uma fase anterior dos exercícios.

Honolulu Star Advertiser relatou que em 18 de junho um par de caças F-22s Raptors foi acionado para investigar “Bombardeiros russos Tupolev Tu-95 … em direção ao Havaí”. Neste caso, “bombardeiros” é provavelmente uma descrição da aeronave russa Tu-142 da Marinha. Os meios de comunicação frequentemente descrevem o Tu-142 como um bombardeiro, uma vez que ele compartilha muitos pontos em comum com o bombardeiro porta-mísseis estratégico Tu-95MS Bear-H das Forças Aeroespaciais Russas .

Aeronave Urso Russo 'H' MOD 45158140.jpg

Bombardeiro pesado Tupolev Tu-95

Na semana passada, The War Zone relatou que três F-22s da Força Aérea dos EUA saíram de sua base na Base Conjunta de Pearl Harbor-Hickam em 14 de junho. A CBS News posteriormente  relatou que, de acordo com oficiais de defesa não identificados dos EUA, os F-22s estavam respondendo para interceptar aeronaves associadas ao exercício naval russo. Mais uma vez, a CBS informou na época que as aeronaves russas eram “bombardeiros”, embora os prováveis ​​candidatos sejam três aeronaves Tu-142MZ que participavam de manobras da Frota do Pacífico na época, cujo vídeo foi divulgado pelo Ministério da Defesa da Rússia.

Independentemente disso, em ambas as ocasiões, as aeronaves russas em questão nunca entrou na zona de identificação de defesa aérea do Havaí (ADIZ), nem foi realmente interceptada. Ainda restam dúvidas sobre o primeiro incidente em particular, sem nenhuma confirmação oficial registrada do por que os F-22s foram acionados para interceptação e por que não foi realmente nada interceptado.

Depois, há o movimento de um grupo de ataque de porta-aviões da Marinha dos EUA – baseado em torno do porta aviões USS Carl Vinson (CVN-70) e sua frota – levado para mais perto do Havaí, aparentemente em resposta aos movimentos russos. A princípio, esse movimento não foi ainda oficialmente confirmado, mas em 17 de junho a Marinha admitiu discretamente que o grupo capitaneado pelo porta aviões Carl Vinson e seu grupo de ataque estavam operando perto do Havaí, sem revelar quando chegaram, ou por quê para lá se dirigiram.

Porta aviões nuclear classe Nimitz USS Carl Vinson (CVN-70)

Toda essa atividade vem antes de um teste de defesa de mísseis em potencial, para o qual um alerta de navegação foi emitido em 16 de junho. Isso parecia indicar um lançamento planejado de defesa contra mísseis de Kodiak, Alasca, teste para hoje, 21 de junho. Kodiak é o lar do Pacific Spaceport Complex-Alaska, uma instalação regularmente usada em testes pela Agência de Defesa de Mísseis (MDA) e seus parceiros . Esses avisos também indicaram um impacto potencial ou impactos de algum tipo no Atol de Kwajalein nas Ilhas Marshall, outra instalação usada rotineiramente em testes de mísseis militares e de defesa antimísseis dos EUA.

Além disso, até ontem, uma cadeia de navios de rastreamento por radar ligados ao MDA também estava aparentemente estacionado no Pacífico central. Eles estavam dispostos ao longo da mesma rota que a descrita nos avisos de navegação, quase confirmando que estavam se preparando para monitorar o teste. A War Zone entrou em contato com o MDA para obter mais informações e a agência encaminhou nossas perguntas ao Gabinete do Secretário de Defesa.

É provável que os militares dos EUA, em geral, estejam prestando uma atenção especial aos movimentos navais russos no que parece ser a preparação para um teste de míssil. É importante notar que entre os navios russos que estiveram ativos nas águas ao redor do Havaí nas últimas semanas está um aparente navio de coleta de inteligência, que supostamente apareceu ao norte de Oahu. De acordo com o Honolulu Star Advertiser , este é o Kareliya , cuja presença interrompeu um teste de míssil SM-6 lançado em maio, fazendo com que fosse reprogramado.

Uma foto da época da Guerra Fria do então navio de inteligência da Marinha soviética Kareliya navegando ao lado do cruzador de mísseis guiados USS Texas (CGN-39), em 1988.

O aumento da atividade naval russa em torno do Havaí ocorre em meio ao encontro entre o presidente dos EUA, Joe Biden, e o presidente russo, Vladimir Putin, que ocorreu na Suíça na semana passada. Essa cúpula aconteceu depois de uma briga diplomática entre Washington e Moscou, no início deste ano, que viu os países retirarem seus respectivos embaixadores das capitais uns dos outros. O encontro entre presidentes viu uma solução nessa frente , sugerindo certo grau de reaproximação, mas ainda há muita divergência entre os dois países.

De forma mais geral, entretanto, a crescente disposição da Marinha russa em conduzir manobras de longo alcance perto das águas dos Estados Unidos agora parece ter adicionado, PELA PRIMEIRA VEZ,  o Havaí e o Pacífico central aos seus interesses. No passado, por exemplo, a atividade naval russa perto dos EUA Continental viu a superfície de alto perfil do submarino de mísseis guiados Omsk no Mar de Bering, ao largo do Alasca, no ano passado. A presença do submarino Omsk foi associada a exercícios que também foram descritos como alguns dos maiores pela Marinha Russa no Pacífico desde o fim da Guerra Fria, o que se assemelha às descrições das últimas manobras, mais perto do Havaí. Uma diferença significativa, no entanto, é que o Omsk e os exercícios associados geraram declarações proativas dos militares dos EUA e foram confirmados por moradores locais que testemunharam a atividade. Nada disso realmente aconteceu neste último caso.

Enquanto isso, um oficial sênior da Marinha dos EUA advertiu no ano passado que seu serviço não considera mais a costa leste dos Estados Unidos como uma área “incontestada” ou um “porto seguro” automático para seus navios e submarinos, como resultado do aumento da atividade submarina da Marinha russa nessa área. Era apenas uma questão de tempo até que uma realidade semelhante ocorresse no Pacífico central.

À medida que a Marinha russa se aventura cada vez mais longe de seus portos com exercícios de longo alcance desse tipo, pode ser que os navios de guerra, submarinos e aeronaves da Força militar russa se tornem uma visão mais comum perto da costa do Havaí também. Ainda assim, comunicações claras, ou a falta total delas, ao público por parte do Pentágono em relação a esta situação em curso no Pacífico é o que é mais intrigante. É possível que a Marinha tenha feito o possível para torná-lo um problema antes da reunião entre Biden e Putin, mas agora, depois dessa reunião, a falta de franqueza da Força em relação ao que é uma ameaça bastante sem precedentes, pelo menos em muitos anos, perto do Havaí é desconcertante para os militares dos EUA.

Contate o autor: thomas@thedrive.com


“O indivíduo é [TÃO] deficiente mentalmente [os zumbis], por ficar cara a cara, com uma conspiração tão monstruosa, que nem acredita que ela exista. A mente americana simplesmente não se deu conta do mal que foi introduzido em seu meio. . . Ela rejeita até mesmo a suposição de que as [algumas] criaturas humanas possam adotar uma filosofia, que deve, em última instância, destruir tudo o que é bom, verdadeiro e decente”.  – Diretor do FBI J. Edgar Hoover, em 1956


Mais informação adicional:

Permitido reproduzir desde que mantida a formatação original e a conversão como fontes.

phi-cosmoswww.thoth3126.com.br

2 Responses to Marinha da Rússia ameaça Hawaii com ‘inéditos exercícios navais’ e põe em alerta militares dos EUA

  1. Anonimo

    Que se matem!Quero ver o circo pegar fogo!KKKKKKKKKKKKKKKKKK

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.