browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Meteoros e Asteroides podem estar no caminho da Terra

Posted by on 17/10/2017

Meteoros  como fragmentos originados do asteroide 2011 EO40 podem estar no caminho da Terra.

A explosão, queda e a bola de fogo do meteoro que a 15 de fevereiro de 2013 cruzou os céus de Chelyabinsk, na região dos Montes Urais na Rússia, poderá repetir-se em breve, mas em UMA ESCALA GLOBAL  e com efeitos devastadores.

Tradução, edição e imagens: Thoth3126@protonmail.ch

Cerca de 20 asteroides prováveis fragmentos originados do asteroide 2011 EO40 poderão entrar na atmosfera terrestre, e cair em alguma região do planeta tal como aconteceu com o meteorito que caiu na Rússia.

Fonteshttp://arxiv.org/abs/1307.7918 e  http://www.cmjornal.xl.pt/

Uma dupla de astrônomos espanhóis C. de la Fuente MarcosR. de la Fuente Marcos da Universidade Complutense de Madrid (UCM), na Espanha, acredita que a Terra está ameaçada por um grupo de cerca de 20 asteroides que se caírem na Terra poderão ter um impacto tão grande ou maior ainda do que aquele que se fez sentir na Rússia, em 15 de fevereiro de 2013.

Esse foi  o maior impacto registrado desde o evento de Tunguska, em 1908, que se acredita ter sido o local onde teria explodido um meteoro na atmosfera antes de cair em fragmentos no solo.

No entanto, apesar da ameaçadora previsão, os espanhóis afirmam que terão de continuar a observar os corpos celestes e a fazer simulações quanto às suas órbitas para encontrar os meteoritos que maior perigo possam causar num cenário de colisão com a Terra.

O que pode nem acontecer, dada a dificuldade em prever a reação quando em contato com o campo gravitacional do planeta.

No caso do meteoro que caiu na Rússia, não foi possível antever a queda do astro devido à posição do sol. A onda de choque da explosão provocada pela rocha espacial, cujo tamanho rondava os 18 metros e uma massa de cerca de 11 mil toneladas, provocou estragos em mais de sete mil edifícios e feriu cerca de mil pessoas.

As conclusões destes cientistas foram publicadas no site da Cornell University Library. O tamanho dos novos meteoros já identificados varia entre os 5 e os 200 metros de diâmetro e são fragmentos do asteroide 2011 EO40

Os astrônomos da UCM apontam que eles sejam pequenos fragmentos de um meteoro gigante que se tenha separado algures no tempo nos últimos 40 mil anos.

Apesar de identificar o maior asteroide do grupo, o 2011 EO40, como sendo aquele que maior probabilidade terá de colidir com a Terra, o estudo afirma que seriam precisos dois anos contínuos de observação da sua órbita para fazer uma previsão acertada.

Na opinião dos cientistas, somente com novas observações será possível afirmar se o asteroide 2011 EO40 pode ainda oferecer risco de novas colisões com a Terra.

Abaixo reveja imagens da queda e explosão do meteoro que em 15 de fevereiro caiu sobre a região de Chelyabinsk, na Rússia:

Para Jorge Zuluaga, que também vem estudando o impacto da explosão sobre a região de Chelyabinsk, junto à Universidade de Antioquia, na Colômbia, o objeto 2011 EO40 não representa mais ou menos risco do que outros objetos potencialmente perigosos já catalogados, mas que serão necessários novos estudos e observações para melhores conclusões.

A Nasa – a agência espacial americana -, universidades e grupos privados dos Estados Unidos estão mobilizados para desenvolver sistemas de alerta capazes de localizar com a maior antecedência possível pequenos meteoroides e asteroides potencialmente devastadores como o que caiu na região dos Montes Urais, em Chelyabink, na Rússia.

A agência espacial destacou, no entanto, que um fenômeno deste tipo continua sendo raro: “Um incidente desta amplitude só ocorre, em média, uma vez a cada 100 anos”, revelou Paul Chodas, um dos encarregados do programa da Nasa para a detecção de Objetos Próximos da Terra (NEO, na sigla em inglês).

A Nasa avalia que antes de sua entrada na atmosfera sobre a Rússia, este meteoro tinha cerca de 17 metros de diâmetro e massa de dez toneladas. O impacto dos fragmentos do meteorito deixou mais de mil feridos e provocou uma explosão similar à de 500 mil toneladas de TNT. ”O programa da Nasa se concentra nos últimos anos na detecção de pequenos asteroides e vários progressos foram alcançados”, disse recentemente Lindsey Johnson, diretor do programa NEO.


Ao entardecer, dizeis: haverá bom tempo porque o céu está rubro. E pela manhã: hoje haverá tempestade porque o céu esta vermelho-escuro. Hipócritas ! Sabeis, portanto discernir os aspectos do céu e não podeis reconhecer  OS SINAIS DOS TEMPOS?”  Mateus 16: 2 e 3


Muito mais informações, LEITURA ADICIONAL:

Permitida a reprodução desde que mantida a formatação original e mencione as fontes.

phi-golden-ratiowww.thoth3126.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *