browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Mudança Climática: nos EUA, 19 milhões de acres de terras agrícolas não foram plantadas neste ano

Posted by on 17/08/2019

Se a manchete soa muito ruim para você, é porque a situação que estamos enfrentando é muito ruim. Nos últimos meses, escrevi artigo após artigo sobre a crise sem precedentes que os agricultores dos EUA enfrentam este ano. Nesses artigos, eu sempre disse que “Milhões” de hectares de terras agrícolas não foram plantados este ano porque eu sabia que ainda não tínhamos um número final. Bem, agora temos e eles são extremamente preocupantes.

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

De acordo com o governo dos EUA, 19 milhões de acres de terras agrícolas não foram plantados com lavouras neste ano

Fonte: http://endoftheamericandream.com/

Claro que há algumas pessoas por aí que nem acreditam que estamos enfrentando uma crise e alguns até me acusaram de exagerar a gravidade dos problemas que os agricultores dos EUA estão lidando atualmente Infelizmente as coisas não são tão ruins quanto eu pensava – a verdade é que elas são ainda piores De acordo com as safras do Departamento de Agricultura dos EUA não foram plantados cerca de 194 milhões de acres de terras agrícolas dos EUA este ano. A seguinte notícia vem diretamente do site oficial do USDA …

Produtores agrícolas relataram que não foram capazes de plantar culturas em mais de 19,4 milhões de acres em 2019, de acordo com um novo relatório divulgado pelo Departamento de Agricultura dos EUA (USDA, na sigla em inglês) desde o relatório de 2007 e 17,49 milhões de acres mais do que o relatado neste ano em relação ao ano passado

Portanto, este é o maior número que o USDA já registrou em um único ano e é quase 17,5 milhões de acres maior do que a contagem final do ano passado com total de menos de 2 milhões de acres.

Apesar da negação, as mudanças climáticas e o clima em desequilíbrio já estão afetando seriamente a produção de alimentos de forma global,com maior impacto nos EUA em 2019.

Se você tem seguido meus artigos regularmente, sabe exatamente por que isso aconteceu. O meio do país foi (maior zona agrícola dos EUA) totalmente atingido por chuvas sem fim e inundações sem precedentes durante o primeiro semestre de 2019, e esse novo relatório do USDA mostra que a grande maioria dos acres que não foram plantados vêm daquela área do país …

Dessas áreas de plantio impedidas, mais de 73% estão em 12 estados do Meio-Oeste, onde fortes chuvas e inundações neste ano impediram que muitos produtores plantassem principalmente soja, trigo e milho.

“Produtores agrícolas em todo o país estão enfrentando desafios significativos e decisões difíceis em suas fazendas”, disse o subsecretário de Agricultura e Conservação do USDA, Bill Northey. “Sabemos que esses são tempos difíceis para os agricultores e trabalhamos para melhorar a flexibilidade de nossos programas para ajudar os produtores impedidos de plantar ”

Planícies Centrais dos EUA

Trigo e os alimentos dele derivados

Essa é a região celeiro agrícola dos EUA, onde estão o wheat-belt (cinturão do trigo) e o corn-belt (cinturão do milho). Nessa região das pradarias, a agricultura é toda mecanizada. A extensão das superfícies cultivadas e a utiliza­ção de tecnologia avançada de plantio, associadas à vari­edade de clima e solo, permitem uma produção em gran­de escala.

Por isso, os Estados Unidos constituem o primeiro mercado mundial de produtos agrícolas. Com toda a tecnologia empregada, o que se tem nas planícies é uma agroindústria muito desenvolvida, que escoa todos os seus produtos pela rede hidrográfica na­vegável, onde se destaca o complexo Mississipi-Missouri.

Claro que os 194 milhões de acres que não foram plantados são apenas parte da história. A maioria dos agricultores conseguiu sementes no solo apesar das condições difíceis, mas em grande parte do país as plantações não estão em boa forma. De fato, de acordo com o último relatório de progresso da safra, apenas 57% do milho é considerado “bom” ou “excelente”

Infelizmente, a safra de soja do país está em pior situação. Neste ponto, apenas 54% da soja estão em boa ou excelente forma. Além disso, apenas 8% da safra de trigo de primavera dos EUA foi colhida até agora. Isso é “nitidamente abaixo da média de cinco anos de 30%”.

Então, o que tudo isso significa?

Bem, isso significa que temos uma crise real em nossas mesas. Muito menos colheitas estão sendo cultivadas e uma porcentagem substancial das culturas que estão sendo cultivadas não está em boa forma. Os rendimentos serão bem menores e isso significa que a produção agrícola dos EUA vai estar bem abaixo das expectativas iniciais.

Em outras palavras, vamos cultivar muito menos comida do que o normal.

Corn fields near Cayuga, Indiana

Campos de milho, perto de Royal, Illinois

Um ano ruim não vai ser o fim do mundo, mas e se as coisas não se recuperarem no próximo ano? Como eu continuo dizendo aos meus leitores que nosso planeta está se tornando cada vez mais instável em um monte de maneiras diferentes e padrões climáticos globais estão mudando dramaticamente. Muitos especialistas estão emitindo alertas muito sinistros sobre o que está à frente, à medida que os padrões climáticos continuam a mudar e alguns acreditam que o que temos testemunhado até agora é apenas o começo dessa crise climática.

Quase todos os dias há novas manchetes sobre condições climáticas extremas e registros sendo quebrados. Por exemplo, uma comunidade no Colorado acaba de ser atacada pela queda de granizo do tamanho de softballs…

O granizo monstruoso caiu do céu e atingiu áreas centrais dos Estados Unidos na terça-feira, destruindo um recorde do Estado Antes da tempestade, o meteorologista Reed Timmer, do AccuWeather Extreme, alertou que o estado do Colorado pode estar em perigo devido à intensidade das tempestades que ele enfrentou e estão em desenvolvimento.

Sua previsão se concretizou na tarde de terça-feira quando um granizo com diâmetro máximo de 483″ caiu em Bethune Colorado na tarde de terça-feira. O recorde foi confirmado na noite de quarta pelo Colorado Climate Center e pelo escritório do Serviço Nacional de Meteorologia em Goodland, Kansas.

Para alguns dos meus leitores este incidente bizarro vai desencadear grandes alarmes. Estamos vendo regularmente coisas no clima que nunca vimos antes.  Em outras palavras, o aparentemente impossível está acontecendo com tanta freqüência que se tornou mundano e comum.

O Cinturão do Milho é uma região dos Estados Unidos que desde 1850 dominou a produção de milho nos Estados Unidos. Mais geralmente, o conceito do Cinturão do Milho conota a área do Centro-Oeste dominada pela agricultura.

Apesar de toda a nossa tecnologia avançada, ainda estamos completa e totalmente dependentes do clima. Se o tempo não cooperar, os agricultores não podem cultivar a nossa comida e nós não vamos comer sem gastar muito mais pelo alimento.

Espera-se que a safra corra bem, mas mesmo que isso aconteça, a oferta de alimentos será muito mais apertada nos próximos meses e no ano seguinte e isso significa que os preços continuarão subindo de forma constante.  Esta é uma crise que vai afetar todos nós, eu desejaria conseguir que todos entendessem isso, mas infelizmente ainda há muitas pessoas por aí que não estão levando isso a sério ou sequer sabem o que REALMENTE esta acontecendo.


Um ‘Anel de Fogo’ está prestes a devastar os EUA com ondas de calor, fortes tempestades e mais inundações

 – Mateus Cappucci – The Washington Post

De um calor crepitante no sul a tempestades severas no leste e no meio do Atlântico, um padrão de clima de incêndio trará riscos neste final de verão (hemisfério norte) nos EUA para mais de 40 milhões de americanos na primeira parte desta semana.

Os alertas de calor se estendem por mais de 1.600 quilômetros de San Angelo, no Texas, até Jacksonville, na Flórida, uma região em que os índices de calor podem atingir 43 graus Celsius em alguns pontos.

Áreas que se encontram sob uma grande e alastrante crista de alta pressão irão assar, enquanto o sentido horário ao redor das bordas altas trarão periodicamente tempestades severas em torno de sua periferia. Para aqueles ao longo da borda, é um one-two punch – uma configuração que começa para alguns com calor opressivo e umidade, e pode terminar com tempestades prejudiciais.

Ondas de calor

O clima de sauna está a caminho de afetar pessoas em mais de uma dúzia de estados, a cúpula de calor que vai do corredor I-35, no Texas, até a Costa Leste.

Em Dallas, o mercúrio está previsto para subir a 103 graus F (39 graus C) na terça-feira, a temperatura mais quente desde julho do ano passado. O Aeroporto Internacional de Dallas / Fort Worth atingiu a marca do século na sexta-feira, sábado e domingo.

Previsão de altas temperaturas para terça-feira. (The Washington Post)

Mapa de previsão de altas temperaturas para última terça-feira. (The Washington Post)

A alta média para esta época do ano é de cerca de 96 graus F (36 graus C). Em Galveston, o índice de calor permaneceu acima de 100 graus F (37,8º C) por impressionantes 41 horas no final da semana passada, as condições abafadas implacáveis ​​mesmo na calada da noite.

Orange, Texas, iniciou sua semana de trabalho com uma nota não tão agradável. O índice de calor subiu para 111 graus (43,9º C) antes das 9h, graças a um ponto de orvalho extremo de 83 graus F . O termo técnico de meteorologia para isso é “yuck”.

O que diferencia essa onda de calor das outras é a umidade, que está impedindo a capacidade das pessoas de se resfriar através da transpiração. Os altos pontos de orvalho são parcialmente rastreáveis ​​para as temperaturas da água do Golfo do México, que estão alguns graus acima da média da bacia. (Isso também é algo para se observar enquanto nos aprofundamos na próxima temporada de furacões.)

O calor não está confinado à costa do golfo, no entanto. Oklahoma City atingiu 103 graus F (39,4º C) no sábado e 102 no domingo. O Aeroporto de Will Rogers World está novamente nos primeiros 100 graus na segunda-feira, marcando a primeira sequência de três dias consecutivos de 100 graus lá desde 2017.

Se você está procurando fugir do calor, siga para o norte! Boston deve desfrutar de uma refrescante terça-feira de 76 graus F (24,4º C) , uma pausa bem-vinda nas solas de seu mês mais quente já registrado. Na quarta-feira, uma área de pontos de orvalho refrescantes na faixa dos 40s a cerca de 50 graus de latitude norte irá filtrar para o sul do Canadá, trazendo um sabor precoce e confortável do ar do outono.

As tempestades

Onde essas duas massas de ar muito diferentes se chocarem, tempestades severas estão na previsão. Alguns meteorologistas os chamam de “corredores do cume”, uma vez que são propelidos em torno da borda do alto de bloqueio, como o que está estacionado no sul.

Com calor e umidade abundantes, essas tempestades podem causar um impacto, especialmente na região de Washington, na terça-feira. Nestes ambientes, as tempestades às vezes tendem a ser superalimentadas.

O Centro de Previsão de Tempestades colocou partes do Meio-Atlântico, incluindo Washington, Filadélfia e Baltimore, sob um “risco aumentado” para o mau tempo na terça-feira.

Esta categoria não é frequentemente emitida para ameaças de tempestade da Costa Leste com um dia de antecedência. Isso ressalta o potencial da terça-feira de apresentar um evento grave de alto nível para a área de Washington. Ventos e granizo prejudiciais são possíveis, mas algumas supercélulas de tempestade com um baixo risco de tornado podem girar ao longo da frente quente.

New Jersey está na zona para assistir também. Já viu oito tornados neste ano, algo muito incomum para um estado cuja média anual é de dois eventos.

A inundação

No lado norte do alto, é possível algum risco de inundação onde as tempestades podem atacar nas mesmas áreas. Um total de 24 horas de chuva de 7,21 polegadas foi registrado por um observador do tempo no lado leste de St. Louis na manhã de segunda-feira, enquanto outras quantidades superiores a 4 polegadas foram medidas nas proximidades.

Um alerta de enchente foi emitido para St. Louis na segunda-feira, com mais de três polegadas caindo em apenas 90 minutos.

O risco de inundações está previsto para diminuir à medida que o sistema avança para o leste, mas ainda é algo para ser percebido – particularmente na noite de terça-feira em Nova Jersey e pontos ao sul da área metropolitana de Nova York, dependendo de como a atividade da tempestade evolui. O Centro de Previsão do Tempo incluiu muitas dessas áreas sob um leve risco de chuvas excessivas.

2019 © The Washington Post


Image result for the end gifs

Isto é tudo pessoal, o Tempo acabou!

“Haverá muitas mudanças dramáticas no clima do planeta, muitas mudanças nas condições meteorológicas  na medida em que o tempo da grande colheita se aproxima muito rapidamente ao longo dos próximos anos. Você vai ver a velocidade do vento em tempestades ultrapassando 300 milhas (480 quilômetros) por hora, às vezes. Deverão acontecer fortes tsunamis e devastação generalizada NAS REGIÕES COSTEIRAS, e emissão de energia solar (CME-Ejeção de Massa Coronal do Sol)  que fará  importante fusão e derretimento das calotas de gelo nos polos, e subseqüente aumento drástico no nível do mar, deixando muitas áreas metropolitanas submersas em todo o planeta“.  SAIBA MAIS no LINK 


Muito mais informações, LEITURA ADICIONAL:

Permitida a reprodução desde que mantida a formatação original e mencione as fontes.

www.thoth3126.com.br

 

 

2 Responses to Mudança Climática: nos EUA, 19 milhões de acres de terras agrícolas não foram plantadas neste ano

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.