browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Mudança Impressionante, WaPo admite Condições Catastróficas e Colapso Moral dos Militares da Ucrânia

Posted by on 28/05/2022

Com a guerra da Rússia na Ucrânia agora entrando em seu quarto mês, os [zumbis] consumidores da grande mídia pre$$titutes (máquina de propaganda anti Rússia) foram tratados com manchetes aparentemente intermináveis ​​e análises das “grandes perdas militares da Rússia”. Ao mesmo tempo, as forças ucranianas tendiam a ser idolatradas e suas proezas no campo de batalha romantizadas, com praticamente nenhuma informação pública, útil e real até agora sendo fornecida, detalhando as baixas, contratempos, perdas de equipamentos e grandes derrotas das forças ucranianas.

Mudança Impressionante no “discurso”, o The Washington Post [WaPo] admite condições catastróficas e Colapso Moral dos militares da Ucrânia

Fonte: Zero Hedge

Mas, agora pela primeira vez, o The Washington Post [WaPo] publicou uma avaliação mais realista e surpreendentemente terrível e negativa de como as forças militares [mercenários, voluntários despreparados e mal assistidos…] ucranianas apoiadas e equipadas pelos EUA-OTAN-UE (o Hospício Ocidental) estão realmente se saindo contra as forças de militares profissionais da Rússia. 

Acabou-se a rósea lente idealizadora através da qual cada encontro com os russos é tipicamente retratado. O correspondente do WaPo e autor do novo relatório, o jornalista Sudarsan Raghavan  ressalta a  verdadeira situação de que “os líderes militares ucranianos projetam uma imagem de invulnerabilidade militar contra a Rússia, enfrentando a morte certa na frente de combate.”

Como muitos observadores cuidadosos e “menos idealistas” suspeitavam o tempo todo, um fluxo constante de propaganda de guerra e feeds unilaterais de mídia social para zumbis, onde parece que os únicos tanques explodidos são russos, serviu para apresentar um retrato muito distorcido do que realmente esta acontecendo no campo de batalha para o público do hospício ocidental

Embora talvez seja mais fácil ser sugado para esse viés ocidental pró-Ucrânia com base nos inúmeros chamados “especialistas” auto-ungidos de inteligência de código aberto no Twitter, isso é menos verdade se alguém entrar no Telegram, onde uma enxurrada de vídeos sem censura de ambos lados dá uma imagem mais verdadeira, como o novo relatório parece também sugerir.

A reportagem do Washington Post admite tardiamente a avalanche de propaganda baseada em uma narrativa pró-Kiev e pró-Ocidente desde o início: “Vídeos de ataques a tanques ou posições russas são postados diariamente nas mídias sociais. Os correios até lançaram selos comemorativos do naufrágio de um navio de guerra russo no Mar Negro.”

O relatório do WaPo então  gira para a realidade de uma força militar ucraniana mal treinada, mal comandada e mal equipada, sem coesão da linha de comando, composta principalmente de voluntários no Leste, que se encontram cada vez mais cercados pelos profissionais e treinados militares russos numericamente superiores e com armas modernas que penetraram quase toda a região de Donbass. 

“A Ucrânia, como a Rússia, forneceu poucas informações sobre mortes, ferimentos ou perdas de equipamento militar. Mas depois de três meses de guerra, uma companhia ucraniana de 120 homens caiu para 54 por causa das mortes, ferimentos e deserções” [que eliminaram 66 combatentes], diz o relatório sobre um batalhão ucraniano em particular.

As fontes de soldados ucranianos para as informações do relatório se manifestam apesar da ameaça de serem submetidos à corte marcial em meio a um fluxo de informações fortemente controlado:

“A guerra destrói as pessoas”, disse Serhiy Haidai, chefe da administração regional de guerra na província de Luhansk, reconhecendo que muitos voluntários ucranianos não foram devidamente treinados porque as autoridades ucranianas não esperavam que a Rússia invadisse. Mas ele sustentou que todos os soldados são atendidos: “Eles têm suprimentos médicos e alimentos suficientes. A única coisa é que há pessoas que não estão prontas para lutar .”

A primeira ‘grande mídia’ dos EUA que vi relatar a condição catastrófica das forças ucranianas, desmoronando o moral ucraniano no front. Parece óbvio que devemos saber a verdade sobre uma guerra em que nosso governo está tão profundamente investindo.

Líderes ucranianos projetam uma imagem de invulnerabilidade militar contra a #Rússia. Mas os comandantes oferecem um retrato mais realista da guerra, onde voluntários desarmados descrevem ter sido abandonados por seus chefes militares para enfrentar a morte certa no front.

O relatório faz referência a um vídeo que circulou amplamente online esta semana em que um grupo do tamanho de um pelotão declara que simplesmente não pode lutar por falta de armamento, munição, comida e, fundamentalmente, apoio de comando adequado :

“Estamos sendo enviados para a morte certa”, disse um voluntário, lendo um roteiro preparado, acrescentando que um vídeo semelhante foi filmado por membros do 1º Batalhão da 115ª Brigada. “Não estamos sozinhos nesta condição, somos muitos.”

Os militares da Ucrânia refutaram as alegações dos voluntários em seu próprio vídeo postado online , dizendo que os “desertores” tinham tudo o que precisavam para lutar: “Eles pensaram que vieram de férias”, disse um membro do serviço. “É por isso que eles deixaram suas posições.”

Na sequência do vídeo, as tropas ucranianas apresentadas estão sendo acusadas de ‘deserção’:

Vídeos adicionais surgiram que são semelhantes em seus relatos: as unidades reclamam até mesmo de serem deixadas para lutar em condições já impossíveis com rifles da Primeira e da Segunda Guerra Mundial, que podem fazer pouco contra o poder de fogo muito superior da Rússia.

O impressionante relatório do WaPo documenta ainda grupos voluntários de homens que anteriormente eram técnicos de poços de petróleo, vendedores ou de outros empregos comuns, como agricultores sendo enviados para posições de linha de frente no sul e no leste – mesmo que pensassem que estavam primeiro vinculados a simples postos de segurança em ambientes muito menos intensos em combates como Lviv. 

“Nós disparamos 30 balas e então eles disseram: ‘Você não pode ter mais munição; muito caro”,  descreveu um voluntário. E mais: “Quando estávamos vindo para cá, nos disseram que estaríamos na terceira linha de defesa”, disse Lapko. “Em vez disso, chegamos à linha zero, a linha de frente. Não sabíamos para onde estávamos indo.”

A situação ficou ainda mais terrível, pois até a água está em falta em meio ao mais intenso esforço russo para cercar as posições ucranianas no Donbas até o momento:

E nas últimas semanas, disse ele, a situação piorou muito. Quando suas cadeias de suprimentos foram cortadas por dois dias pelo bombardeio russo, os homens foram forçados a se contentar com uma batata por dia. Eles passam a maioria dos dias e noites em trincheiras cavadas na floresta nas margens de Toshkivka ou dentro dos porões de casas abandonadas. “Eles não têm água, nada lá”, disse Lapko. “Apenas a água que eu trago todos os dias.”

Enquanto isso, a retórica de mudança muito perceptível emitida por funcionários e [pseudos] especialistas proeminentes nos últimos tempos sugeriu fortemente que nem tudo está bem para os militares da Ucrânia no front com os militares da Rússia …

Observem a mudança de retórica Agora, tanto o Conselho Editorial do NY Times quanto Henry Kissinger no WEF estão pedindo uma paz negociada para a Ucrânia, mesmo que isso signifique ceder território à Rússia

O relatório do WaPo inclui ainda o seguinte testemunho e avaliação devastadores :

“Muitos tiveram choque de granada. Não sei como contá-los”, disse Lapko. As baixas aqui são em grande parte mantidas em segredo para proteger o moral entre as tropas e o público em geral. Na TV ucraniana, vemos que não há perdas”, disse Lapko. “Não é verdade.”

Os russos passaram o mês anterior dividindo as forças ucranianas no Donbas em concentrações relativamente pequenas e isoladas das tropas. Então eles começaram a atacá-los com artilharia em massa 24 horas, sete dias por semana.

Agora eles [os russos] estão avançando metodicamente com sua infantaria móvel para os restos destruídos sob um guarda-chuva de apoio aéreo de baixa altitude e ataques de artilharia de precisão corrigidos por drones. Consequentemente, os soldados ucranianos desmoralizados estão se rendendo em massa.

Muitas das baixas sofridas pela unidade de voluntários acima mencionada foram devido à falta de logística disponível para transportar os feridos para os hospitais atrás das linhas de frente. O relatório enfatiza que todas as condições catastróficas das forças da linha de frente levaram os oficiais e alistados a se recusarem cada vez mais a seguir as ordens do alto comando ucraniano.

Com este novo e inesperado relatório do Washington Post, as pre$$titutas da mídia mainstream parecem estar admitindo tardiamente o que apenas algumas semanas atrás poderia banir uma pessoa do Twitter . . .

“Lapko e seus homens estão cada vez mais frustrados e desiludidos com seus superiores. Seu pedido de baixa não foi aprovado”, conclui o relatório. “Seu comandante de batalhão exigiu que ele enviasse 20 de seus soldados para outra linha de frente, o que significava que ele não poderia trocar seus homens de Toshkivka. Ele recusou a ordem.


“E ouvireis de guerras e de rumores de guerras; olhai, não vos assusteis, porque é mister que isso tudo aconteça, mas ainda não é o fim.  Porquanto se levantará nação contra nação, e reino contra reino, e haverá FOMES, PESTES e TERREMOTOS, em vários lugares. Mas todas estas coisas são [APENAS] o princípio de dores”.  Mateus 24:6-8


“Precisamos URGENTEMENTE do seu apoio para continuar nosso trabalho baseado em pesquisa independente e investigativa sobre as ameaças do Estado [Deep State] Profundo, et caterva, que a humanidade enfrenta. Sua contribuição, por menor que seja, nos ajuda a nos mantermos à tona. Considere apoiar o nosso trabalho. Disponibilizamos o mecanismo Pay Pal, nossa conta na Caixa Econômica Federal   AGENCIA: 1803 – CONTA: 000780744759-2, Operação 1288, pelo PIX-CPF 211.365.990-53 (Caixa)” para remessas do exterior via IBAN código: BR23 0036 0305 0180 3780 7447 592P 1


“O indivíduo é deficiente mentalmente [os zumbis], por ficar cara a cara, com uma conspiração tão monstruosa, que nem acredita que ela exista. A mente americana [humana] simplesmente não se deu conta do mal que foi introduzido em seu meio. . . Ela rejeita até mesmo a suposição de que as [algumas] criaturas humanas possam adotar uma filosofia, que deve, em última instância, destruir tudo o que é bom, verdadeiro e decente”.  – Diretor do FBI J. Edgar Hoover, em 1956


Mais informação adicional:

Permitida a reprodução, desde que mantido no formato original e mencione as fontes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.