browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

O Meteoro que explodiu sobre Chelyabinsk, na Rússia, faz seis anos

Posted by on 16/02/2019

Há seis anos, um pequeno asteroide com um tamanho estimado de 20 metros entrou na atmosfera da Terra. Em 15 de fevereiro de 2013, o asteroide estava se movendo a 12 milhas por segundo (~ 19 km / s) quando atingiu o manto protetor da atmosfera em volta do planeta, o que fez seu trabalho e fez o asteroide explodir.  Estima-se que o asteroide, ao adentrar a atmosfera terrestre, tinha aproximadamente 10 000 toneladas de massa e 17 m de diâmetro, liberando o equivalente a 500 quilotons de energia durante o evento. Para efeitos de comparação, a bomba nuclear jogada sobre Hiroshima liberou cerca de 13 quilotons de energia. Após despedaçar-se sobre Chelyabinsk, a maior parte do objeto foi resgatada no lago Chebarkul

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

O Meteoro de Cheliabinsk foi provocado por um asteroide que adentrou a atmosfera terrestre sobre a Rússia em 15 de fevereirode 2013, transformando-se em uma bola-de-fogo que cruzou os céus do sul da região dos Urais até explodir sobre a cidade de Cheliabinsk

Fonte: https://earthsky.org/space/

A explosão brilhante e quente do meteoro ocorreu apenas a cerca de 30 quilômetros da cidade de Chelyabinsk, na Rússia, e provocou entre 20 a 30 vezes a energia da bomba atômica de Hiroshima. Sua onda de choque quebrou janelas e derrubou partes de edifícios em seis cidades russas e fez com que cerca de cerca de 1.500 pessoas procurassem atendimento médico por ferimentos, em sua maioria por causa do vidro estilhaçado, especialmente na cidade de Chelyabinsk.

Bola de fogo brilhante sobre a Rússia na manhã de 15 de fevereiro de 2013. Os cientistas disseram mais tarde que a luz da explosão do meteoro foi mais brilhante que o sol. Foi visível até 60 milhas (100 km) de distância.

Grandes e pequenos corpos do espaço atingem continuamente a atmosfera da Terra. A Organização do Tratado de Proibição de Testes Nucleares, que opera uma rede de sensores que monitora a Terra o tempo todo ouvindo as infrações de detonações nucleares, disse em 2014 que registrou 26 impactos de asteróides na atmosfera da Terra desde 2000.

Ainda assim, em 15 de fevereiro de 2013, o superbolido russo foi extremamente poderoso. Mais tarde, foi dito ser a explosão mais poderosa causada por um asteroide desde o evento Tunguska, que achatou uma ampla área de floresta e matou renas na Sibéria em 1908, também na Rússia.

Maior fragmento descoberto do meteorito russo, retirado do leito do Lago Chebarkul, nos Urais, via Voz da Rússia, com uma massa total de 1.442 libras (654 kg) .

O evento de Tunguska aconteceu em uma parte pouco povoada da Sibéria. Permaneceu misterioso para os cientistas durante todo o início do século XX. Em contraste, em uma ampla faixa da Rússia em 15 de fevereiro de 2013, câmeras de painel e fotógrafos amadores capturaram imagens da explosão do meteoro que chegava, e cuja luminosidade fez parecer haver dois sóis nos céus da região.



Depois que o meteoro de 2013 explodiu, é dito que moradores locais e estudantes descobriram fragmentos da explosão encontrados em suas vizinhanças, muitos deles localizados em montes de neve. Um mercado informal surgiu para os fragmentos de meteoritos descobertos.

A explosão do meteoro com cerca de dezessete metros e 10 mil toneladas de peso, em Chelyabinsk, Rússia  em 15 de fevereiro de 2013.

Um grande número de pequenos meteoritos caiu nas áreas a oeste de Chelyabinsk e, poucas horas depois da observação visual do meteoro, um buraco de 6 metros foi descoberto na superfície congelada do Lago Chebarkul nos Montes Urais da Rússia. Cientistas da Universidade Federal do Ural coletaram 53 amostras de meteoro em todo o buraco no mesmo dia.

Em junho de 2013, cientistas russos relataram mais investigações por imagens magnéticas abaixo da localização do buraco no gelo no Lago Chebarkul. Eles identificaram um fragmento muito maior de meteorito enterrado em sedimentos no fundo do lago.

Região que sofreu com o impacto da explosão do meteoro de Chelyabinsk, nos Montes Urais, na Rússia.

Após uma operação que durou várias semanas, em 15 de outubro de 2013, um grande fragmento do meteorito foi retirado do fundo do lago Chebarkul. Tinha uma massa total de 1.442 libras (654 kg) e até hoje continua sendo o maior fragmento encontrado do meteorito de Chelyabinsk.



Os satélites da NASA também conseguiram rastrear a pluma de meteoros na atmosfera da Terra. Como o vídeo abaixo descreve, eles rastrearam e estudaram a pluma de meteorito durante meses. Conclusão: Em 15 de fevereiro de 2013, um pequeno asteróide criou um meteoro brilhante sobre a Rússia, que explodiu sobre a cidade de Chelyabinsk.

Destruição causada pela onda de choque da explosão do meteoro sobre Chelyabinsk que feriu cerca de 1500 pessoas.

A agência de notícias russa RIA Novosti informou que oficiais haviam detectado uma explosão na troposfera a uma altitude de aproximadamente 10 000 m. Contudo, a Academia de Ciências da Rússia estima que a explosão tenha ocorrido entre 30 e 50 km de altitude. De acordo com estimativas preliminares da agência espacial Russa  Roskosmos, o objeto deslocava-se ao longo de uma trajetória baixa com uma velocidade de aproximadamente 30 km/s  (equivalente a 108 000 km/h). 

Dados coletados por pelo menos cinco estações de infrassom indicam que o evento teve uma duração total de 32,5 s. O primeiro registro do evento por uma estação de infrassom ocorreu no Alasca, a 6 500 km de Cheliabinsk. Porém, o asteroide não havia sido detectado antes de adentrar a atmosfera. A composição exata do asteroide ainda é desconhecida.


Mais informações, leitura adicional:

Permitida a reprodução desde que mantida a formatação original e mencione as fontes.

www.thoth3126.com.br

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.