browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Oceano recua muito (“Maré Seca”!!) novamente no litoral de Sta Catarina e São Paulo

Posted by on 24/08/2017

Barcos da orla de Itajaí ficaram sobre a areia com “maré” baixa (Foto: Luiz Souza/NSC TV)

Oceano recua de novo no litoral do Brasil. Orla do Litoral de SC registra “maré seca de novo”. Há casos de aumento da faixa de areia em toda a costa, de Norte a Sul do litoral catarinense. A região litorânea de Santa Catarina já registra maré seca nesta quinta-feira (24). Com isso, em orlas de diversas cidades, a faixa de areia se estendeu e barcos que antes ficavam na água estão agora em área seca. O fenômeno deve seguir até sábado (26), conforme a Epagri/Ciram. A Defesa Civil afirma que não há registros de estragos. Em Santos o mar e a areia também recuaram acentuadamente, deixando à vista antiga embarcação.

Edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

Oceano recua de novo no litoral do Brasil. Litoral de SC registra “maré seca de novo”.

Por G1 SC – 

“Estamos sob “influência da maré de sizígia”, que ocorre quando os efeitos lunares e solares atuam em conjunto, e reforçam uns aos outros, produzindo as maiores marés altas e as menores marés baixas, tanto em lua nova, que segue até 29 de agosto, quando em lua cheia”, explica a técnica em meteorologia Bianca Souza (veja abaixo horários dos picos das marés).

Itajaí registra maré baixa nesta quinta-feira (24) (Foto: Luiz Souza/NSC TV)

Na região da Lagoa Saco da Fazenda, em Itajaí, normalmente não é possível ver a areia no local, conforme a NSC TV. Com a seca, barcos precisaram ser amarrados em estacas.

Litoral Norte

Em Navegantes também houve registro de maré seca. Conforme a prefeitura, por volta das 22h de quarta-feira (23), próximo ao ferry boat, estava formada uma extensa faixa de areia, fenômeno não comum na região. O Balneário Piçarras também apresentou recuo d’água, segundo os bombeiros voluntários.

Sul

O Balneário Rincão também teve maré baixa. A plataforma pesqueira informou à NSC TV que o mar recuou ao menos cerca de 30 metros.

MARÉ SECA em Santos faz o mar recuar dezenas de metros e expõe, pela primeira vez, destroços de uma antiga embarcação.

Com o RECUO do OCEANO e de mais de UM METRO de areia, destroços de navio foram encontrados na Praia do Embaré, em Santos, SP (Foto: José Claudio Pimentel/G1)

Na manhã de terça-feira (22), a maré baixa e a erosão da AREIA da Praia do Embaré provocaram o aparecimento de pedaços de madeira e metal que se assemelham a um casco de navio. Segundo a prefeitura, os destroços têm pouco mais de 50 metros de comprimento e 12 metros de largura, aproximadamente.

“A princípio, não tem como ter uma identificação precisa. Verificamos, entretanto, que a estrutura é de madeira, mas possui partes em ferro, o que já nos possibilita dizer que foi construída há mais de 100 anos”, explica o arqueólogo Manoel Gonzales, que lidera uma equipe de seis profissionais.

Prefeitura estima que 1,5 metro de altura por dezenas de metros de largura de areia tenha sido retirada da área (Foto: José Claudio Pimentel/G1)

Descoberta

Funcionários da limpeza urbana se depararam com a estrutura parcialmente enterrada na areia durante a limpeza das praias, no início da manhã. Equipes da prefeitura foram deslocadas ao local e constaram aquilo que parecia ser parte de um casco de uma embarcação de madeira. A área foi isolada, por segurança.

“Esse navio estava enterrado ali há muito tempo e, com o rebaixamento da areia, acabou ‘aflorando’. Pela mureta do canal, por onde passa parte da estrutura desse barco, dá para ver que mais de 1,5 metro de areia foi rebaixada nessa área” (para onde foi a areia e a água?), explicou a subprefeita da região da orla, Fabiana Ramos Garcia Pires.

Recuo do mar assustou moradores de Caraguatatuba (Foto: Reprodução/TV Vanguarda)


 “Haverá muitas mudanças dramáticas no clima do planeta, muitas mudanças nas condições meteorológicas  na medida em que o TEMPO DA GRANDE COLHEITA se aproxima RAPIDAMENTE ao longo dos próximos anos. 

contagem-regressiva-azul

Você vai ver a velocidade do vento em tempestades ultrapassando 300 milhas (480 quilômetros) por hora, às vezes.

Deverão acontecer fortes tsunamis e devastação generalizada NAS REGIÕES COSTEIRAS, e emissão de energia solar (CME-Ejeção de Massa Coronal do Sol)  que fará  importante fusão e derretimento das calotas de gelo nos polos, e subseqüente aumento drástico no nível do mar, deixando muitas áreas metropolitanas submersas em todo o planeta“. Saiba mais AQUI 


Saiba mais, leitura adicional:

Permitida a reprodução desde que mantida na formatação original e mencione as fontes.

phi-golden-ratiowww.thoth3126.com.br

5 Responses to Oceano recua muito (“Maré Seca”!!) novamente no litoral de Sta Catarina e São Paulo

  1. Renato Bulhoes

    Tenho uma casinha no 3º distrito de Paraty, RJ. Nos meses de maio e agosto sempre acontecem essas marés, Alguns anos mais extremos, outros menos. Meu avô, que viveu até seus 102, contou-me que antigamente as variações eram ainda mais exageradas que hoje em dia, o mar chegava a avançar pela vila adentro dezenas de metros acima da linha da maré mais comum, por entre as casas. Não há motivo para alarme nem tem nada a ver com aquecimento global.

  2. Timm

    Desinformação !!!
    As pessoas sim, devem se afastar das praias, e estarem preparadas para evacuar. Isso não é maré, é movimento da terra. Ja mentiram como ciclone, agora ak uma mentira dizendo que é normal. Nao é ! Afastem-se das praias !!!

  3. Ney

    Semana passada creditaram a maré baixa aos ventos fortes no oceano…Agora estão dizendo que é por causa da lua em combinação com o sol…Qual será a próxima causa?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.