browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Paralisação do governo dos EUA, uma armadilha de Trump aos democratas e ao DEEP STATE?

Posted by on 19/01/2019

O Presidente Trump enganou os Democratas e o Estado Profundo armando uma armadilha que permitirá uma redução radical da burocracia do governo federal? Em apenas mais cinco dias do já “mais longo fechamento do governo na história” (25 dias e contando a partir de hoje), um limiar até então obscuro será alcançado, permitindo demissões permanentes de burocratas com licença de 30 dias ou mais. O Presidente Trump tem provado sistematicamente que ele é um “disruptor” que muda a estrutura de pensamento sobre as principais questões, recusando-se a aceitar os “dados” – as suposições de como as coisas sempre foram feitas e, portanto, sempre devem ser feitas do mesmo modo.

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

Paralisação do governo dos EUA (Shutdown), uma armadilha de Trump para os democratas e membros do DEEP STATE?

Fonte:  https://www.americanthinker.com/

Não acredita em mim que os burocratas federais podem ser demitidos? Bem, na burocracia, uma demissão é chamada de RIF – a Reduction in Force – e, claro, vem com uma enorme quantidade de proteções do serviço civil. Mas, se as diretrizes forem seguidas, os burocratas podem ser despedidos – como se não houvesse mais emprego. Tudo é explicado por Michael Roberts  aqui  (atualizado após o início do desligamento parcial):

Uma RIF – a Reduction in Force, é uma eliminação ponderada e sistemática das posições dentro do governo. Para todos os efeitos práticos, um RIF do governo é a mesma coisa que uma dispensa, demissão.

As organizações governamentais devem se ater a critérios predeterminados ao classificar o que acontece com cada funcionário. Eles devem comunicar aos funcionários como e por que as decisões são tomadas. …

Ao decidir quem é demitido e quem fica empregado, as agências federais devem levar quatro fatores em consideração:

1. Admissão no emprego;

2. status de veterano;

3. Serviço civil e militar federal total;

4. Desempenho.

As agências não podem usar procedimentos RIF para dispensar funcionários mal-intencionados. 

Atualização: Veja também: O OMB (Office of Management and Budget) emite orientações sobre as dispensas da Redução de Pessoal devido ao Shutdown parcial do governo.

Muitos procedimentos devem ser seguidos, e o mérito (“desempenho”) é a última consideração, mas com base nos critérios acima, os funcionários já dispensados ​​podem ser demitidos (“RIFed”) após terem sido dispensados ​​por 30 dias seguidos ou 22 dias úteis:

Quando as agências dispensam funcionários por mais de 30 dias corridos ou 22 dias de trabalho descontínuos, elas devem usar os procedimentos do RIF.

Um funcionário pode ser demitido ou movido para uma posição disponível [.]

Este parece ser o que foi referido neste  ensaio notável  escrito por um “funcionário sênior não identificado  do governo Trump” publicado no Daily Caller, que garante a autenticidade do autor e explica que ele está protegendo-se de consequências adversas na carreira se o seu nome se tornar conhecido. Eu recomendo fortemente ler a coisa toda para melhor compreensão do que esta acontecendo.

O suposto oficial sênior argumenta que a devoção ao “processo burocrático” do sistema consome a maior parte do tempo dos burocratas em empregos federais e também é usada pelos inimigos das iniciativas do presidente Trump para impedir o andamento e execução das ordens legítimas emitidas por seus altos funcionários, do governo Trump:

Em um dia normal, cerca de 15% dos funcionários ao meu redor são funcionários federais patriotas excepcionais que servem ao nosso país. Eu gostaria de poder dar salários competitivos a eles e a mais ninguém. Mas 80% dos funcionários federais não sentem pressão para produzir resultados. Se eles não sentem vontade de fazer o que lhes é ordenado, eles simplesmente não fazem nada.

Por que eles podem agir assim? Porque o governo não pode demiti-los. Eles evitam chamar a atenção, planejam seu fim de semana, programam suas férias, o seu segundo emprego, a sua próxima posição – alguns fazem isso na mesma posição ocupada por mais de uma década.

Eles não fazem nada que garanta alguma punição e nada de valor externo. Esse é o seu dia de trabalho: recados para dar, mandar recados – administrar, refinar, seguir e colaborar no processo. “O processo burocrático” é seu maior aliado é o que esses funcionários públicos federais dizem a si mesmos. Mesmo altos funcionários devem obter a aprovação de todos os postos de seu departamento, outras agências e unidades de trabalho para efetuar tarefas administrativas básicas.

Então o oficial sênior observa o que eu acabei de chamar de “armadilha” sendo criada por Trump:

A maioria dos meus colegas de carreira trabalha ativamente contra a agenda do presidente Trump. Isso significa que eu geralmente gasto cerca de 15% do meu tempo na agenda do presidente e 85% do meu tempo tentando impedir a sabotagem, e não temos poder para nos livrar deles. Até o seu desligamento.

Aqueles funcionários que perdem tempo e impedem a implementação das iniciativas do presidente agora não estão presentes porque não são categorizados como “essenciais”.

Devido à falta de aprovação do orçamento e do “Shutdown”, muitas agências federais agora estão operando de forma mais eficiente de cima para baixo com apenas uma fração de sua força usual de trabalho, com apenas pessoal essencial selecionado servindo em tarefas de segurança nacional. …

O presidente Trump pode acabar com esse abuso. Altos funcionários podem ser repriorizados durante um desligamento, um “Shutdown”prolongado, concentrar-se em resultados mais valiosos e eliminar os sabotadores das iniciativas do governo. Não queremos que a maioria dos funcionários retorne, porque estamos trabalhando melhor sem eles.

Tenha em mente que os sabotadores não podem ser identificados individualmente e serem RIFados, mas eles podem ser incluídos nas demissões se eles atenderem aos critérios acima em termos de antiguidade e serviço, e eles devem ser notificados com 60 dias de antecedência. Mas uma vez que eles se vão, eles não estão mais livres para obstruir usando o “processo burocrático” como seu aliado, porque eles foram demitidos, perderam o emprego.

Você pode esperar ações judiciais em todos os pontos imagináveis, e eu suspeito que a definição de “folga” será uma questão controversa.

Se este era o plano o tempo todo do governo Trump, uma depuração em massa de funcionários federais que trabalham contra os interesses do próprio governo que os emprega, isso explicaria por que o presidente Trump incitou Chuck e Nancy em sua reunião televisionada com eles no final do ano passado, gabando-se de que ele iria reivindicar o crédito pela paralisação do governo. Como eles (os democratas Chuck e Nancy) poderiam resistir a um desligamento prolongado quando se tornava tão fácil culpá-lo, a Trump?

O Presidente Trump tem provado sistematicamente que ele é um “disruptor” que muda a estrutura de pensamento sobre as principais questões, recusando-se a aceitar os “dados” – as suposições de como as coisas sempre  foram feitas e, portanto, sempre devem ser feitas do mesmo modo.

Então, quem é o “oficial sênior” que levanta esta questão? Eu não sei, mas acho que Stephen Miller é o tipo de pensador ousado que pode se voluntariar para telegrafar a estratégia apenas cinco dias antes do prazo final. Dê algo a Chuck e Nancy para pensar e provavelmente rejeitar como impensável. Então eles não podem reclamar que eles não foram avisados ​​uma vez que a armadilha esteja agindo.

Esse RIF – a Reduction in Force – (demissões) em massa seria a versão Trump de Ronald Reagan que  demitiu os controladores de tráfego aéreo  quando eles entraram em greve ilegal em 1981. Isso foi completamente inesperado pelos seus inimigos, foi veementemente criticado, mas muito bem-sucedido.

Monica Showalter acrescenta: Empregos de todos os lugares tem um gráfico útil em que as agências têm mais RIFs na mira. Surpresa, surpresa: é onde os burocratas que mais precisam de demissões se empoleiram. Atualização: Dados a partir de 2013, mas as proporções de funcionários “não essenciais” em licença provavelmente são semelhantes.  

Entre outros benefícios, ensinou aos líderes da então URSS que Ronald Reagan era um homem cujas ameaças não podiam ser descartadas como mera retórica. Se você acha que Xi Jinping, Kim Jong-un, Angela Merkel e quaisquer outros líderes estrangeiros não tirariam a mesma conclusão de um massivo RIF – a Reduction in Force –, então você está enganando a si mesmo. Minha teoria pode estar completamente errada, mas rezo para que não esteja. 


Muito mais informações, leitura adicional:

Permitida a reprodução desde que mantida a formatação original e mencione as fontes.

www.thoth3126.com.br

 

 

One Response to Paralisação do governo dos EUA, uma armadilha de Trump aos democratas e ao DEEP STATE?

  1. Gerty R.Matter

    Muito inteligente da parte do governo Trump… só espero que essa estratégia seja usada para o bem dos Estados Unidos e não para levá-lo a bancarrota.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.