browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Por que centenas de CEOs renunciaram pouco antes do mundo enfrentar a pandemia do Covid-19?

Posted by on 21/04/2020

Nos meses anteriores à mais feroz crise do mercado de ações da história e à erupção da maior crise de saúde pública da pandemia global pelo Covid-19, de nossa geração, testemunhamos o maior êxodo de CEOs corporativos que já vimos. E, como você verá mais abaixo, os dirigentes das grandes empresas também venderam bilhões de dólares em ações de suas próprias companhias pouco antes da implosão do mercado de ações. E acontece que alguns membros do Congresso dos EUA TAMBÉM estiveram vendendo ações pouco antes do mercado enlouquecer e despencar em seus valores…

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

Por que centenas de CEOs renunciaram pouco antes de o mundo começar a ficar absolutamente insano pela pandemia do Covid-19

Fontes: http://endoftheamericandream.com/archives/why-did-hundreds-of-ceos-resign-just-before-the-world-started-going-absolutely-crazy

Na vida, o tempo pode ser tudo, e às vezes as pessoas simplesmente “têm sorte” [ou informação privilegiada]. Mas parece estranho que tantos na elite corporativa tenham tanta sorte ao mesmo tempo. Neste artigo, não estou afirmando conhecer as motivações de nenhum desses indivíduos, mas estou apontando alguns padrões que acredito que valem a pena ser investigados.

Uma publicação financeira está usando a frase  “o grande êxodo do CEOs”  para descrever o fenômeno de demissões em massa que estamos testemunhando. Tudo começou no ano passado, quando os executivos-chefes de grandes empresas começaram a renunciar aos seus cargos em quantidade, diferente de tudo que já vimos antes. O seguinte foi publicado pela NBC News  em novembro passado , muito antes da eclosão da pandemia do Covid-19 na China:

Os executivos-chefes estão saindo de suas empresas em número recorde este ano , com mais de 1.332 afastando-se no período de janeiro a final de outubro [2019], de acordo com novos dados divulgados na quarta-feira. Embora não seja incomum ver CEOs fugindo no meio de uma recessão, é digno de nota ver uma onda de saídas de executivos em meio a ganhos corporativos robustos e “recordes máximos” do mercado de ações de suas empresas. No mês passado, 172 CEOs deixaram o emprego, de acordo com a empresa de recrutamento Challenger, Gray & Christmas. É o número mensal mais alto já registrado , e o total acumulado no ano supera até a onda de saídas de executivos durante a crise financeira.

Até o final do ano, em dezembro de 2019, um recorde histórico de 1.480 CEOs  havia deixado seus cargos. Mas para a maioria das pessoas comuns parecia que os bons tempos ainda estavam rolando no final de 2019 e início de 2020. Os lucros das empresas estavam subindo e o mercado de ações estava batendo recorde após recorde.

Sim, havia muitos sinais de que a economia global estava realmente desacelerando, mas a maioria dos especialistas não previa uma recessão iminente e tão grave e profunda. Então, por que raios tantos executivos decidiram de repente que era hora de seguir em frente e abandonar seus ótimos empregos?

A seguir, estão relacionados algumas empresas e apenas alguns dos grandes CEOs que escolheram renunciar  em 2019 …

  • United Airlines – Oscar Munoz
  • Alfabet (Google) – Larry Page
  • Gap Inc – Art Peck
  • McDonald’s – Steve Easterbrook
  • Wells Fargo – Tim Sloan
  • Under Armour – Kevin Plank
  • PG&E – Gueixa Williams
  • Kraft Heinz – Bernardo Hees
  • HP – Dion Weisler
  • Bed, Bath & Beyond – Steven Temares
  • Warner Bros. – Kevin Tsujihara
  • Best Buy – Hubert Joly
  • New York Post – Jesse Angelo
  • Colgate-Palmolive – Ian Cook
  • MetLife – Steven Kandarian
  • eBay – Devin Wenig
  • Nike – Mark Parker

É claro que o êxodo em massa dos executivos-chefes não terminou por aí. De fato, um enorme número de 219 CEOs  deixou o cargo apenas no mês de janeiro de 2020, AINDA antes da eclosão da pandemia global pelo Covid-19.

A essa altura, estava começando a ficar claro que o coronavírus que estava paralisando a China poderia potencialmente se tornar uma grande pandemia global, e eu certamente posso entender por que muitos membros da elite corporativa escolheriam abandonar o navio naquele momento.

Alguns desses CEOs fizeram salários absolutamente absurdos por muitos anos, e é muito mais fácil pegar o dinheiro e correr do que ficar e dirigir uma grande corporação pela mais difícil crise global que já experimentaríamos. A seguir, são apresentados e as empresas e alguns dos CEOs conhecidos  que renunciaram até agora em 2020 …

  • Bob Iger, CEO da Disney;
  • Ginni Rometty, CEO da IBM;
  • Matt Levatich, CEO da Harley -Davidson;
  • John Legere, CEO da T-Mobile;
  • Jeff Weiner, CEO do LinkedIn; 
  • Ajay Banga, CEO da Mastercard; 
  • Keith Block, co-CEO da Salesforce;
  • Tidjane Thiam, CEO do Credit Suisse Bank;
  • Randy Freer, CEO do Hulu.

É importante dizer que não tenho uma visão especial das motivações pessoais de qualquer um desses indivíduos para saírem de suas empresas, e cada situação é diferente. Mas acho que é bastante estranho que tenhamos visto um êxodo corporativo sem precedentes e imediatamente num momento tão crítico da nossa história.

Enquanto isso, os principais executivos corporativos estavam despejando bilhões de dólares em VENDAS de ações de suas próprias empresas pouco antes do mercado estar completamente cheio de crateras e o preço das ações despencarem num abismo. O seguinte texto é do  Wall Street Journal …

Os principais executivos de empresas com ações negociadas nos EUA venderam um total de aproximadamente US$ 9,2 bilhões em ações de suas próprias empresas entre o início de fevereiro e o final da semana passada, mostra uma análise do Wall Street Journal. A venda “salvou os executivos” – incluindo muitos do setor financeiro – de perdas potenciais no valor de US$ 1,9 bilhão, de acordo com a análise, já que o índice S&P 500 caiu cerca de 30% do seu pico em 19 de fevereiro até o fechamento das negociações em 20 de março.

No mercado de ações, você só ganha dinheiro se sair a tempo [do cassino], e muitos membros da elite corporativa dos Estados Unidos parecem ter um timing impecável e “incrível”.

Talvez eles tenham tido muita sorte. Ou talvez eles estivessem lendo meus artigos e entendessem que o COVID-19 causaria o desligamento da economia global. De qualquer forma, as coisas funcionaram muito bem para aqueles que conseguiram despejar suas ações compradas peloa altos preços por alguns, bem antes que fosse tarde demais.

E acontece que alguns membros do Congresso TAMBÉM estiveram vendendo ações pouco antes do mercado enlouquecer e despencar em seus valores…

A senadora Dianne Feinstein, da Califórnia, e três de seus colegas do Senado relataram a venda de ações no valor de milhões de dólares nos dias que antecederam o surto de coronavírus que atingiu o mercado, segundo relatos. Os dados estão listados em um site do Senado dos EUA que contém divulgações financeiras de membros do Senado.

É claro que a maioria dos americanos comuns não teve tanta “sorte” e as perdas financeiras para o país como um todo foram absolutamente impressionantes. A boa notícia é que houve uma manifestação tremenda em Wall Street na terça-feira e isso proporcionará algum alívio temporário aos investidores.

Mas o número de casos confirmados de coronavírus continua a crescer a uma taxa exponencial em todo o mundo, já tendo infectado 2.444.072 pessoas, com total de 167.659 mortos [em 20/04], parecendo que essa crise global pela pandemia do coronavírus ainda está muito longe do seu fim.


“E foi-lhe concedido que desse espírito à imagem da besta, para que também a imagem da besta falasse, e fizesse que fossem mortos todos os que não adorassem a imagem da besta. E faz que a todos, pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e servos, lhes seja posto um sinal na sua mão direita, ou nas suas testas, Para que ninguém possa comprar ou vender, senão aquele que tiver o sinal, ou o nome da besta, ou o número do seu nome”. – Apocalipse 13:15-17

“E ouvireis de guerras e de rumores de guerras; olhai, não vos assusteis, porque é mister que isso tudo aconteça, mas ainda não é o fim.  Porquanto se levantará nação contra nação, e reino contra reino, e haverá fomes, e pestes, e terremotos, em vários lugares. Mas todas estas coisas são o princípio de dores”. – Mateus 24:6-8

 

 

 

One Response to Por que centenas de CEOs renunciaram pouco antes do mundo enfrentar a pandemia do Covid-19?

  1. Carlos

    Olá amigo. Sou leitor fiel do seu site.
    Primeiramente parabéns
    Enquanto a este relato, tu tem conhecimento sobre o Qnon?
    Dizem q tão prendendo os CEOs .. pq a maioria são pedofilos..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.