browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Primeira Ministra da Dinamarca sofre processo por lockdowns e sacrifício de animais

Posted by on 04/02/2021

Um grande processo esta sendo movido contra a PM da Dinamarca por restrições ilegais impostas do COVID-19 e por matar quase 17 milhões de visons. De acordo com a ação popular, as autoridades não recomendaram uma grande paralisação do pais por causa da pandemia covid-19, como alegou a PM Mette Frederiksen. Foi ela e Barbara Bertelsen, chefe de departamento da primeira-ministra, que enviariam e-mails de alarme com artigos anexados da mídia aos chefes de departamento de governo, criando pânico desnecessário no pais.

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

Processo movido contra a PM da Dinamarca por restrições  COVID-19 e sacrifício de 17 milhões de visons

Fonte:  Great Game Índia

PM dinamarquesa acusada de matar ilegalmente 17 milhões de visons

A primeira-ministra dinamarquesa, Mette Frederiksen, também esta sendo acusada por seus cidadãos e assessores por restrições estritas do COVID-19, que levaram à morte de milhões de visons relacionados à mutação do coronavírus.

A medida estrita de bloqueios tirânicos que foi implementada também foi muito inconstitucional e agora ela está sob varredura por tais medidas tirânicas tomadas pelo seu governo.

Resposta consultiva à Lei Epidêmica

As duras medidas do Ato de Epidemia para matar todos os visons na Dinamarca sem autorização das autoridades para bloqueios e também as restrições inconstitucionais por causa do covid levaram o primeiro-ministro dinamarquês a sofrer graves litígios legais.

A pedido do Ministério da Saúde e Idosos, o consultor do Joint Council of Freedom Movement submeteu uma resposta ao Ato de Epidemia declarando que a população dinamarquesa foi enganada e desencaminhada pelo Ministro da Saúde.

Ao mesmo tempo, o Ministério da Saúde removeu a palavra “Coerção” do novo projeto de lei e convocou uma resposta de consulta com a ajuda da Lei de Empoderamento de março de 2020, e implementou uma segunda lei contendo todas as disposições “necessárias” sobre coerção; ou seja, BEK 36, que entrou em vigor em 15 de janeiro deste ano.

A Consultoria concluiu que esta era uma expressão de infidelidade sem limites. Na sua opinião, esta nova lei é contrária à Constituição do pais, à CEDH e a várias outras convenções.

A assessoria reiterou ainda que tais ações criaram um fosso intransponível na população entre aqueles que desejam viver em um estado regido por respeito à lei e a Constituição e àqueles que, por diferentes causas, principalmente desconhecidas, desejam sair do caminho da democracia e dos direitos humanos e governar tiranicamente.

Proposta dos cidadãos contra a PM da Dinamarca

A proposta de cidadãos dinamarqueses de levar a primeira-ministra a uma Suprema Corte por assassinato ilegal de visons chegou ao parlamento. A primeira-ministra Mette Frederiksen não tinha autoridade legal para exigir que todos os visons na Dinamarca fossem mortos. Uma proposta dos cidadãos de colocar a primeira-ministra perante a Suprema Corte na quinta-feira alcançou os 50 mil apoiadores exigidos por lei.

O governo decidiu em novembro que todos os visons na Dinamarca deveriam ser mortos. Isso supostamente foi feito para evitar que um [pseudo] coronavírus mutante, que teria se espalhado dos visons para os humanos, inibisse o efeito de uma vacina.

A nefasta decisão de matar todos os visons, cerca de 17 milhões de animais, foi anunciada por Mette Frederiksen em uma entrevista coletiva. Posteriormente, descobriu-se que ela não teria autoridade legal para exigir que todos os visons na Dinamarca fossem mortos.

Continuar Enganando a Dinamarca criando pânico

De acordo com o processo, a primeira-ministra dinamarquesa Mette Frederiksen mentiu para a população e o Parlamento ao declarar que as autoridades haviam recomendado o bloqueio pela covid-19, o que enganou a todos.

As autoridades não recomendaram uma grande paralisação, como ela afirmou. Foi ela e Barbara Bertelsen, chefe de departamento do primeiro-ministro, que enviariam e-mails de alarme com artigos anexados da mídia aos chefes de departamento, criando o pânico.

Mette Frederiksen foi anterior e repetidamente dizendo que era o ‘grupo conselho de autoridades que recomendaram o fechamento da Dinamarca em 11 de março de 2020 que foi enganosa de acordo com a ação judicial.

Grande processo legal contra a PM dinamarquês

Uma ação judicial (leia abaixo) contra a primeira-ministra pela Organization for Information about Corona (OOC) foi movida no tribunal da cidade em Copenhague.

Mink carcasses are disposed of at a farm due to novel coronavirus mutation in Farre

As carcaças de milhões de visons são descartadas em uma fazenda em Farre, no sul da Jutlândia, Dinamarca, em 21 de outubro de 2020. RITZAU SCANPIX / METTE MOERK / REUTERS

Um caso constitucional combinado foi apresentado em 29 de janeiro de 2021, onde o imunologista alemão Professor Dr. Sucharit Bhakdi e o Dr Søren Ventegodt apresentou um relatório sobre pandemia de coronavírus que afirma que não existe uma pandemia de coronavírus em tudo desde que os resultados do teste de PCR estão incorretos pois são FALHOS.

Foi apenas recentemente que a OMS mudou seus critérios de teste de PCR para encobrir falsos positivos  e alertou os especialistas para não confiarem apenas nos resultados de um teste de PCR para detectar o coronavírus.

Ação legal mundial

No ano passado, um tribunal de recurso português decidiu que os  testes de PCR não são confiáveis ​​e que é ilegal  colocar as pessoas em quarentena apenas com base num teste de PCR.  Como  o  GreatGameIndia relatou anteriormente, os testes de coronavírus padrão geraram um grande número de casos positivos diariamente. Esses testes são feitos com base em  protocolos defeituosos da OMS,  que também incluem casos de falsos positivos.

Este fato sobre os  falsos positivos dos testes de PCR  foi observado pela primeira vez em público pelo Dr. Beda M. Stadler, um biólogo suíço, professor emérito e ex-diretor do Instituto de Imunologia da Universidade de Berna. Anteriormente, o  protocolo de teste da OMS foi até questionado pela autoridade nacional de saúde da Finlândia . A OMS pediu aos países que testassem o  maior número possível de pacientes  para o coronavírus.

 apenas uma semana, um  tribunal alemão em uma decisão histórica declarou que os bloqueios de COVID-19  impostos pelo governo são inconstitucionais. O bloqueio de primavera da Turíngia foi uma “decisão política catastroficamente errada com consequências dramáticas para quase todas as áreas da vida das pessoas”, disseram os juízes do tribunal, justificando sua decisão.

Anteriormente, um juiz federal americano julgou as  restrições ao coronavírus na Pensilvânia como inconstitucionais . Até mesmo os especialistas em saúde belgas exigiram uma investigação da OMS por “criar” uma pandemia inexistente na prática.

No passado, em 2010, a  OMS foi pega fingindo uma pandemia  e foi forçada a admitir que sua metodologia de medir a viralidade ou a propagação de uma doença, em vez de sua gravidade, estava incorreta.


Questione tudo, nunca aceite nada como verdade sem a sua própria análise, chegue às suas próprias conclusões.


“Parece duvidoso se, de fato, a política de “Botas no rosto” pode continuar indefinidamente.  Minha própria convicção é que a oligarquia governante encontrará maneiras menos árduas e perdulárias de governar e de satisfazer sua ânsia de poder, e essas formas serão semelhantes às que descrevi em Admirável Mundo Novo[uma verdadeira profecia publicada em 1932]Na próxima geração, acredito que os governantes do mundo descobrirão que o condicionamento INFANTIL e a narco-hipnose são mais eficientes, como instrumentos de governo, do que e prisões e campos de concentração, e que o desejo de poder pode ser completamente satisfeito sugerindo às pessoas que amem sua servidão ao invés de açoita-los e chutando-os até à obediência. ”  Carta de Aldous Huxley  EM 1949 para George Orwell autor do livro “1984”

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.