browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Quanto tempo levará para os EUA (e o resto do ocidente) entrarem em colapso?

Posted by on 05/01/2020

Há uma infinidade de suposições falsas por aí sobre como é o colapso de uma nação ou de um “império”. Os americanos modernos nunca experimentaram esse tipo de evento, apenas crises e acidentes periféricos. Graças a Hollywood, muitos do público estão sob a ilusão de que um colapso é um assunto da noite para o dia. Eles acham que isso é impossível em suas vidas e, se acontecesse, aconteceria como acontece nos filmes – eles simplesmente acordavam uma manhã e encontrariam o mundo pegando fogo. Historicamente falando, não é bem assim que funciona. O colapso de um império é um processo, não um evento.

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

Quanto tempo levará para os EUA (e o resto do ocidente) entrarem em colapso?

Fonte:  http://www.alt-market.com/index.php/articles/4049-how-long-will-it-take-for-the-us-to-collapse

Isso não quer dizer que não haja momentos de choque e pavor; certamente que eles existem. Como testemunhamos durante a Grande Depressão de 1929, ou com o crash imobiliário em 2008, o sistema só pode ser sustentado artificialmente por tanto tempo antes de a bolha finalmente estourar. Em casos anteriores de intervenção do banco central [FeD], a janela para manipulação é de cerca de dez anos entre os eventos, mais ou menos alguns anos. 

Para uma pessoa comum, uma década pode parecer muito tempo. Para as elites bancárias por trás da degradação de nossa sociedade e economia, uma década é um piscar de olhos [nota Thoth: o planejamento da situação atual de uma última crise financeira internacional e generalizada, com a mudança total do sistema, vem sendo planejada desde a metade do século XVIII. com o surgimento das instituições financeiras da Família Rothschild na Europa]

Enquanto isso, os sinais de perigo são abundantes, à medida que os analistas conscientes da situação tentam alertar a população sobre a deterioração subjacente do sistema e para onde ele inevitavelmente levará. Economistas como Ludwig Von Mises previram o colapso do marco alemão e previram a Grande Depressão; quase ninguém ouviu até que fosse tarde demais. Vários economistas alternativos previram a crise de crédito e o colapso dos derivativos de 2008; e quase ninguém ouviu até que fosse tarde demais. As pessoas se recusavam a ouvir porque seu viés de normalidade assumia o controle de sua [in]capacidade de raciocinar e aceitar os fatos diante deles.

Existem vários fatores que causam cegueira em massa para a realidade econômica e social. Em primeiro lugar, as elites do establishment criam deliberadamente a ilusão de prosperidade, manipulando e colocando os dados econômicos de cabeça para baixo. Em quase todos os casos de crise econômica ou desastre geopolítico, o público é condicionado a acreditar que está no meio de um “boom” financeiro ou de uma era de “paz”. Eles são encorajados a ignorar sinais de alerta fundamentais em favor da fé tola e míope no sistema. Aquelas pessoas que tentam quebrar a apatia e expor a verdade são chamadas de “teóricos da conspiração” e “pessimistas”.

Na mente dos alegres lemingues, um “colapso” é algo muito óbvio; eles acham que saberiam quando o vissem. É como tentar ensinar uma pessoa cega sobre as cores; não é impossível, mas é muito difícil fazer com que todas essa massa de zumbis entendam que o que elas percebem não é a realidade. Há um mundo vasto escondido deles e eles não têm noção de como observá-lo.

Eventos de colisão são como estágios no processo de colapso; eles criam momentos de clareza para os cegos. No entanto, eles também são projetados para beneficiar o establishment da elite, que ganha sempre, independente da situação. Há uma razão pela qual as elites dedicam tanta energia para ocultar os dados reais sobre o estado da economia, e não é porque eles estão tentando impedir que o sistema vacile manipulando a pura ignorância pública. Em vez disso, um evento de colisão é uma ferramenta, um meio para atingir um fim. Como alertou o congressista Charles Lindbergh Sr. após o pânico de 1929:

De acordo com o Federal Reserve Act, o pânico é criado cientificamente; o pânico atual é o primeiro criado cientificamente, resolvido à medida que descobrimos um problema matemático …”

Os banqueiros centrais e seus colegas manipulam dados econômicos e promovem a falsa noção de um boom antes de quase todos os grandes acidentes, porque querem emboscar a população de zumbis e por a mão nas suas riquezas.  Eles querem criar pânico, e depois usá-lo a seu favor, à medida que reconstroem e transformam o sistema em algo irreconhecível há apenas algumas décadas. Cada colapso consecutivo contribui para o colapso de todo o sistema, até que, eventualmente, a sociedade que tivemos uma vez será apenas uma memória distante.

Esse processo pode levar décadas e os EUA [e todos os demais países sob influência do DOLAR] estão sujeitos a isso há algum tempo. Mais uma vez em 2019, vimos a mentira de um “boom econômico” sendo perpetuado no mainstream das “presstitutes”. Parte do público estava ficando muito consciente do perigo e precisava ser subjugado. Mais especificamente, os conservadores estavam ficando muito conscientes. O triste é que a propaganda do boom é hoje mais proeminente entre os conservadores, que tentam desesperadamente ignorar os fundamentos na tentativa de defender o governo Trump.

As mesmas pessoas que estavam apontando a bolha econômica sob o fantoche Obama agora negam sua existência sob o outsider Trump. O próprio Trump argumentou que os mercados eram uma fraude econômica perigosa criada pelo Federal Reserve [FeD] durante sua campanha; no entanto, uma vez que ele ocupou o cargo, ele fracassou e começou a receber todo o crédito pela bolha. O que é incompreensível para mim é que muitas pessoas, mesmo no movimento da liberdade, ainda optam por descartar esse comportamento em favor de adorar Trump como algum tipo de herói montado em um cavalo branco.

Isso apenas reforça minha teoria de que o sistema está prestes a ruir estrondosa e completamente em outro “grande acidente” de engenharia provocado e que o colapso em andamento nos EUA está prestes a acelerar. Cada caso de calamidade econômica na história moderna foi precedido por otimismo delirante e ganância extrema de todos.  Quando as pessoas tradicionalmente mais vigilantes contra a crise repentinamente capitulam e reivindicam a vitória, é nesse momento que a realidade mais atinge todos. É quando os que controlam e manipulam todo o sistema desencadeiam mais uma demolição controlada.

Para determinar quanto tempo um império durará, é preciso levar em consideração a agenda das elites que controlam as suas instituições. Enquanto estiverem em posições-chave de poder dentro do sistema e enquanto puderem injetar seus próprios políticos fantoches como Obama et caterva, eles terão a capacidade de influenciar o colapso na linha do tempo desse sistema.

Eles podem prolongar e evitar a crise? Sim, por algum tempo. No entanto, uma vez acionada a máquina do “fim do mundo”, o melhor que podem fazer é desacelerar o Titanic para afundar mais lentamente; eles não podem mudar seu caminho em direção ao iceberg. E, francamente, neste ponto, por que eles o fariam, já esta tudo planejado? Ouvi dizer que as elites vão “manter os pratos girando” na economia e que não querem perder o “ganso de ouro” na economia dos EUA. Isso revela uma ingenuidade entre os céticos da verdadeira agenda novamente oculta.

Em primeiro lugar, as elites têm um fantoche político altamente útil na forma de Donald Trump; ele é útil na medida em que inspira forte divisão nacional e é um autoproclamado campeão conservador e nacionalista. Se as elites não desencadearem um acidente com Trump, isso daria ao público a impressão de que ideais conservadores e soberania nacional funcionam. É o contrário do que eles querem. Por que os globalistas que desejam o fim dos estados-nação e a criação de uma “utopia” socialista centralizada estilo NWO-Nova Ordem Mundial procuram fazer com que conservadores e nacionalistas pareçam bons? Bem, eles não fariam.

A única preocupação dos bancos, corretoras, seguradoras, commodities, fundos de hedge, etc…etc… no cassino financeiro que é Wall Street e a City de Londres é que eles não se responsabilizem, pois seu colapso da ordem do mundo antigo atinge o público geral, a massa de zumbis controlados mentalmente com conseqüências cada vez mais dolorosas. Essas consequências já estão se tornando visíveis.

O próximo grande colapso começou sob a forma de fundamentos em queda, e muitos conservadores estão colocando a cabeça na areia por uma questão egoísta de provar que a esquerda política está errada. Quedas no setor manufatureiro dos EUA, queda dos fretes dos EUA, no volume de exportações e importações globais, fechamentos em massa de lojas no varejo dos EUA, queda na produção agrícola de alimentos, bem como elevações de todos os tempos na dívida do consumidor, dívida corporativa e dívida nacional estão sendo ignoradas e racionalizadas como nada mais do que “soluços” de outra maneira numa economia em [pseud]expansão. As compras no mercado de recompra do Fed, que mal acompanham a demanda das empresas famintas de liquidez, também não estão sendo levadas a sério.

Conservadores e analistas terão que esquecer o apoio a Trump, um procurador dos interesses Rothschild , e começar a reconhecer e enfrentar a dura realidade mais uma vez. A única questão agora é: as elites permitirão que o colapso se espalhe ainda mais na rua principal e atinja os mercados antes ou depois das eleições de 2020?

Como observado acima, para prever o momento de um colapso em uma nação ou império, é preciso examinar as agendas “ocultas” das elites que dominam suas instituições. Podemos ganhar algum senso de tempo com as admissões públicas de organizações globalistas [criadas por marionetes dos Rothschilds] como o FMI, Bco Mundial, BIS e a ONU. Cada um anunciou o ano de 2030 como uma data-alvo para a finalização da globalização, uma sociedade sem dinheiro e objetivos de sustentabilidade. Isso significa que as elites têm cerca de dez anos para criar uma crise e depois “resolvê-la” com o globalismo, liberalismo e mais um monte de ismos sem sentido…

Dez anos é uma janela estreita, e se as elites pretenderem que os conservadores assumam a culpa pelo próximo e último acidente, eles terão que iniciá-lo em breve. Eles podem não ter escolha de qualquer maneira, já que a cadeia de dominós já foi acionada pelo Fed em 2018 com suas políticas de restrição de liquidez.

Também podemos avaliar o momento de um colapso até certo ponto, entendendo as táticas comuns que os controladores do establishment usam para ocultar o que estão fazendo. Geralmente, quando um colapso está prestes a acelerar, as elites usam os eventos de crise como cobertura para distrair o público e produzir bodes expiatórios. No meu artigo ‘Os globalistas precisam apenas de mais um evento importante para concluir a sabotagem da economia’ , descrevi três distrações em potencial que poderiam ser usadas no curto prazo e, se algum desses eventos ocorrer, as pessoas devem observar o colapso se mover Mais Rápido. 

Dois desses eventos agora parecem iminentes: o primeiro sendo uma guerra com o IRÃ e o segundo sendo um Brexit ‘Sem Acordo’.

Finalmente, podemos levar em conta a necessidade globalista de um bode expiatório, e parece que os conservadores e nacionalistas são seus alvos de culpa. Isso deixa menos de um ano para um evento de crise se Trump pretender deixar a Casa Branca em 2020, ou menos de quatro anos se ele pretender permanecer no segundo mandato. Tenha em mente que MUITO pode acontecer em um único ano, e um segundo mandato de Trump certamente ainda não está garantido.

Mas por que criar um colapso em primeiro lugar? Os eventos de colisão permitem que o establishment consolide o controle sobre ativos duros [ativos COM VALOR REAL; como OURO, DIAMANTES], já que a pobreza força a população [e os países] a vender o que tem de valor para sobreviver. Essa pobreza também cria medo, raiva e ódio, o que torna o público maleável e mais fácil ainda de ser controlado. 

Cada nova crise abre portas para mudanças políticas e sociais, mudanças que terminam em menos liberdade e mais centralização, controle e manipulação. O colapso é uma sucessão de acidentes que levam ao apagamento completo da sociedade original. Não é um evento do Mad Max, é um câncer oculto e insidioso que toma conta do corpo nacional e o deforma de uma forma miserável. O colapso está completo quando a nação se desintegra ou fica tão danificada por tanto tempo que ninguém consegue se lembrar de como ela foi. [Nota Thoth: Essa desintegração também é muito eficaz na dissolução dos bons costumes, da ética e da moral, com a permissividade, licenciosidade e corrupção generalizada da sociedade, e nos dias atuais, com os movimentos Transgênero, Transhumanismo e LGBTQ+. Tudo no mundo natural é criado pela união de duas polaridades primárias: Masculino (positivo) e Feminino (negativo). NÃO EXISTEM OUTROS GÊNEROS na Criação Universal, mesmo que incontáveis zumbis tentem criá-los]

O que estamos testemunhando hoje é o começo de um “novo e definitivo acidente” e as fases finais de um colapso de nosso modo de vida. A narrativa do boom econômico entre os conservadores é uma farsa projetada para nos levar à complacência. A bolha sobre a qual advertimos sob o governo Obama foi lançada sob o governo Trump. Nada mudou nos dez anos desde o acidente de 2008, exceto que a motivação para manter o acidente oculto está desaparecendo rapidamente.

Falhas são inevitáveis, mas o colapso só é possível quando o público permanece despreparado e continua inconsciente de que é manipulado como gado indo para o abate. Nossa civilização e seus valores estão sendo atacados, mas só podem ser destruídos se permanecermos apáticos à ameaça e recusarmos nos preparar para sua defesa. Devemos adotar uma filosofia de descentralização. Precisamos de economias localizadas e auto-suficientes, bem como um retorno à produção localizada. 

Além disso, temos que nos preparar para a eventualidade de uma luta FEROZ [dentro dos EUA, tipo um “guerra civil”]. O destino da economia [e da sociedade] americana já foi selado, mas as pessoas que a estão destruindo ainda podem ser detidas antes que usem o colapso para forçar a sociedade a subserviência completa e total. Temos que oferecer segurança, temos que oferecer alternativas à implantação da “Nova Ordem Mundial” e temos que remover permanentemente a ameaça dos liberais, globalistas e de todos os marionetes que trabalham para a elite.

Não se engane, estamos vivendo no meio de um momento épico; o resultado do colapso que vai acontecer depende de nós e de nossas reações. Esta não é a tarefa da próxima geração, é uma tarefa para a nossa geração. Não temos mais duas décadas para levar o perigo a sério. As placas não estão mais girando, elas já caíram, somente os cegos não perceberam.


“E ouvireis de guerras e de rumores de guerras; olhai, não vos assusteis, porque é mister que isso tudo aconteça, mas ainda não é o fim.  Porquanto se levantará nação contra nação, e reino contra reino, e haverá fomes, e pestes, e terremotos, em vários lugares. Mas todas estas coisas são o princípio de dores. Então vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-vos ão; e sereis odiados de todas as nações por causa do meu nome. Nesse tempo muitos serão escandalizados, e trair-se-ão uns aos outros, e uns aos outros se odiarão. E surgirão muitos falsos profetas, e enganarão a muitos. E, por se multiplicar a iniquidade, o amor de muitos esfriará. Mas aquele que perseverar até ao fim, esse será salvo”Mateus 24:6-13


Mais informações, leitura adicional:

Permitida a reprodução desde que mantida a formatação original e mencione as fontes.

www.thoth3126.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.