browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Quarentena na Índia é uma questão de vida ou morte para 450 milhões de trabalhadores informais

Posted by on 25/03/2020

O setor informal da economia da Índia compõe cerca de 90% da força de trabalho do país e cerca de metade de seu PIB, mas não possui segurança de renda e apenas acesso limitado a serviços de saúde.  Enquanto o primeiro-ministro Modi tenta conter a propagação do surto, decretando bloqueio em metade do país, muitos desses trabalhadores enfrentam semanas sem pagamento, moradia, remédios, atendimento médico e comida. A cidade capital da Índia  entrou em bloqueio completo na medida que o segundo país mais populoso do mundo aperta sua luta para interromper a propagação do mortal coronavírus entre seus cerca de 1,33 bilhão de habitantes.

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

Coronavírus: os bloqueios da Índia são uma questão de vida ou morte para seus 450 milhões de trabalhadores informais

Fonte:  SCMP

Cinco minutos após o final do anúncio “Janata Curfew”, ou “toque de recolher das pessoas”, feito pelo Primeiro Ministro Narendra Modi, o motorista de auto-piquete de Nova Délhi, Pappu Yadav, saiu em busca de alguns passageiros para transporte e ganhar mais algumas rúpias. 

Ele só teve a noite – na segunda de manhã, em Nova Délhi, e a cidade capital da Índia entrou em bloqueio completo na medida que o segundo país mais populoso do mundo aperta sua luta para interromper a propagação do mortal  coronavírus entre seus cerca de 1,33 bilhão de habitantes.

O piloto da Autorickshaw, Pappu Yadav, trabalhou 18 horas no sábado, antes que os bloqueios da Índia entrassem em vigor. Foto: Adnan Bhat

Yadav geralmente ganha cerca de US$ 10 por dia, mas já havia visto uma queda repentina da sua renda nas últimas semanas, pois muitos indianos começaram a praticar o distanciamento social e a trabalhar em casa. Ele agora enfrenta a perspectiva de ficar pelo menos uma semana sem ganhar dinheiro.

“Eu envio dinheiro para minha esposa e filhos em casa toda semana. Na semana passada, enviei menos do que o habitual. Nesta semana, pedi a eles que emprestassem de um de nossos vizinhos. Não tenho certeza de como executar as coisas além disso”, disse Yadav.

O homem de 35 anos divide uma pequena sala com outros três trabalhadores migrantes nos arredores de Nova Délhi, enquanto sua família vive em sua aldeia natal em Bihar – a cerca de 1.000 quilômetros a leste.

Como o número de casos Covid-19 na Índia aumentou para 492, incluindo 10 mortes, o governo Modi anunciou bloqueios e restrições de transporte em mais de 80 estados e distritos até 31 de março, com alguns governos estaduais emitindo restrições semelhantes. As autoridades alertaram que aqueles que violarem essas restrições podem enfrentar até seis meses de prisão.

Porém, estimados 450 milhões de outros trabalhadores informais como Yadav na Índia estão enfrentando um dilema que sublinha como a desigualdade social ameaça minar os esforços de contenção de vírus em todo o mundo. O setor informal representa cerca de 90% da força de trabalho total da Índia e contribui com cerca de metade de seu PIB, mas não possui segurança de renda ou seguro de saúde e apenas acesso limitado a cuidados de saúde.

De trabalhadores migrantes a vendedores ambulantes e trabalhadores contratados, milhares de pessoas que trabalham no setor informal não têm a opção de trabalhar em casa ou tirar uma folga para praticar o distanciamento social. No sábado, Nova Délhi e Mumbai viram estações ferroviárias e pontos de ônibus superlotados, pois as pessoas que foram demitidas ou que simplesmente não conseguiram encontrar trabalho foram forçadas a retornar às suas aldeias nativas, colocando-as em risco de infecção.

Autoridades indianas disseram na terça-feira que o coronavírus estava se espalhando das grandes cidades para as pequenas cidades do país, com alguns apontando que as áreas rurais da Índia estão mal equipadas para lidar com o surto.

Aqueles que decidiram permanecer na esperança de continuar a ganhar a vida agora não têm para onde se virar. No sábado, Ajmal Khan, um trabalhador da construção civil de Uttar Pradesh, foi convidado a não trabalhar no dia seguinte. O homem de 54 anos, que morava em um canteiro de obras na cidade de Noida, também recebeu ordem para desocupar o local.

“Um amigo da minha aldeia que está hospedado em Noida me deu espaço por enquanto. Mas não posso morar aqui por muito tempo. Já existem cinco pessoas morando aqui e não tenho dinheiro para gastar”, disse ele por telefone.

Jyoti, uma empregada doméstica em Delhi, ganha cerca de US $ 100 por mês. Ela mora em um apartamento alugado de dois quartos com outra família em uma favela na periferia de um elegante subúrbio de South Delhi. “Entendemos o que o governo está fazendo é para nosso próprio benefício. Eu não quero ficar doente” – ela disse.“Mas o governo deveria ter feito alguns arranjos antes de fazer tal anúncio. Ou pelo menos nos dar tempo para nos prepararmos”.

Embora suas condições de vida reduzidas signifiquem que o afastamento social é quase impossível para Jyoti e sua família praticarem mesmo que ela não vá trabalhar, a favela – que abriga mais de 500 famílias – nem sequer tem água potável disponível para que as pessoas lavem as suas mãos regularmente .

Jayati Ghosh, professor de desenvolvimento e economia internacional da Universidade Jawaharlal Nehru, em Nova Délhi, acredita que o bloqueio repentino poderia ver o início de uma grave crise econômica se o governo não tomar as medidas necessárias a tempo.

“Os efeitos já começaram a aparecer nas pessoas que trabalham no setor desorganizado. Milhares perderam sua fonte de receitas”, disse ela. “Estamos diante de pessoas que têm uma existência pessoal, sem economia e sem capacidade de reverter as coisas por um mês ou dois. As pessoas podem morrer de fome antes de pegar o vírus”.

Alguns governos estaduais anunciaram medidas para amenizar os medos do público. O estado de Kerala, no sul do país, anunciou US$ 2,7 bilhões em ajuda, enquanto em Uttar Pradesh fornecerá transferências em dinheiro de 1.000 rúpias (US$ 13,50) por mês para mais de 3,5 milhões de diaristas e trabalhadores da construção civil.

O ministro-chefe de Nova Délhi, Arvind Kejriwal, também anunciou medidas para aliviar o estresse financeiro dos pobres, incluindo até 5.000 rúpias de pensão a serem pagas a 850.000 beneficiários até 7 de abril e rações maiores para quem tem direito a subsídios alimentares. No entanto, alguns especialistas acham que essas medidas podem não ser suficientes.

O estado e o governo central terão que trabalhar juntos nisso, disse Purnima Menon, pesquisador sênior do Instituto Internacional de Pesquisa de Política Alimentar em Nova Délhi.

“Essas são medidas de proteção social. Mas o governo precisa pensar de uma perspectiva de curto, médio e longo prazo”, disse Menon, que também está preocupado com a implementação de tais esquemas e seu impacto no terreno.

“Uma coisa é o governo anunciar esses esquemas. Já sabemos na Índia que existem desafios significativos de governança, mesmo com a implementação de esquemas sociais básicos. E nestes tempos difíceis, esses desafios serão ampliados ainda mais.”

Reportagem adicional da Bloomberg 

Estamos vendo o uso do surto global do coronavírus COVID-19 [fabricado em laboratório]  sendo usado em todo o mundo para colapsar mercados e criar instabilidade financeira maciça. George Soros entrou em colapso de todo o sistema financeiro britânico sozinho, com certeza ficou quieto ultimamente, eu me pergunto o que ele tem feito nisso tudo. Aqui na América, acredito que a mídia MSM Pre$$titute e os democratas que eles amam tanto estão trabalhando incansavelmente o tempo todo para armar o COVID-19 para impedir a releição de Trump em novembro. Há anos que estamos avisando que esse dia chegará, já chegou? Fique ligado pois os próximos dias serão eletrizantes.


Você quer mesmo saber como esse coronavírus “surgiu na China” e se espalhou pelo mundo em pouco tempo? Ao pesquisar os arquivos de registros de patentes nos EUA on-line, foi descoberto o registro de uma patente de Coronavírus concedida para o C.D.C. –  Centers for Disease Control and Prevention [se trata do principal instituto nacional de saúde pública dos EUA. O C.D.C. é uma agência federal dos EUA sob o United States Department of Health & Human Services (HHS)] que tem sua sede em Atlanta, Geórgia. Assim emerge um fato indiscutível, o de que o “DONO” DESSE VÍRUS MORTAL E SEU CRIADOR é o PRÓPRIO C.D.C. (Centro de Controle e Prevenção de Doenças)

O coronavírus do surto atual não teve origem na China, mas FOI IMPLANTADO neste país asiático com a clara intenção de causar o maior dano possível aos chineses. A consequência natural, quando  [se já não descobriu] a China perceber que a eclosão do surto pode ter sido um ataque de BIOWEAPON ao seu território e contra seu povo, qual será o tipo de resposta a ser dada pela China aos [ir]responsáveis pela contaminação. Começamos a ano de 2020 com muitos que operam nas sombras desejando aumentar o caos no planeta.

PATENTE de criação de um CORONAVÍRUS fornecida ao CDC (Centers for Disease Control and Prevention)  US7220852B1 – SOBRE A CRIAÇÃO DE CORONAVÍRUS [SARS] ….

Na patente acima, do registro de um CORONAVÍRUS [uma BIOWEAPON], você encontrará 72 páginas de conteúdo para poder julgar esse letal “surto repentino e desconhecido de coronavírus” na ChinaLeia a patente nesse link primeiro, faça o download e compartilhe este artigo amplamente antes que os AGENTES do DEEP STATE a excluam. Mantenha-se sábio, com discernimento e saudável!


“E ouvireis de guerras e de rumores de guerras; olhai, não vos assusteis, porque é mister que isso tudo aconteça, mas ainda não é o fim.  Porquanto se levantará nação contra nação, e reino contra reino, e haverá FOMES, PESTES e TERREMOTOS, em vários lugares. Mas todas estas coisas são [APENAS] o princípio de dores. 

Então vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-vos ão; e sereis odiados de todas as nações por causa do meu nome. Nesse tempo muitos serão escandalizados, e trair-se-ão uns aos outros, e uns aos outros se odiarãoE surgirão muitos FALSOS PROFETAS, e enganarão a muitos. E, por se multiplicar a iniquidade, o amor de muitos esfriará. Mas aquele que perseverar até ao fim, esse será salvo”.  Mateus 24:6-13

One Response to Quarentena na Índia é uma questão de vida ou morte para 450 milhões de trabalhadores informais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.