browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Quem controla o Complexo Militar Industrial (1) ?

Posted by on 02/12/2018

O relatório exclusivo a seguir é bastante extenso e exaustivo. Não há outras séries de divulgações sobre quem comanda os gigantescos conglomerados da indústria aeroespacial e de armamentos do  Complexo Militar Industrial na Internet tão reveladoras e explosivas como este que ora apresentamos. As informações classificadas e os dados privilegiados contidos neste relatório merecem ser baixados antes de desaparecerem para sempre da World Wide Web.

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

Quem possui e controla o Complexo Militar Industrial ?

Fonte: http://stateofthenation2012.com/?p=34801

The Millennium Report Exclusivo:

Há outra exposição, com fortes conexões com este relatório, dividida em três partes muito importantes que devem ser lidas em conjunto com este documento. Ela também revela muitas informações secretas sobre o The Highlands Forum”. Devemos começar do seguinte modo:


Quem possui e controla o Complexo Militar Industrial ?

O The Highlands Fórum finalmente EXPOSTO

Por Patriotas Anônimos

Não estamos apenas indignados com o fato de os nossos funcionários eleitos fecharem os olhos para o inimigo transnacional no nosso país e em todo o mundo, estamos revoltados com estes senhores da guerra (warlords), tanto militares como empresariais, que enviam os nossos filhos e filhas para morrerem em guerras lucrativas para suas empresas, para ter seu sangue derramado pelos lucros de suas próprias famílias. Como cidadãos do mundo, estamos cheios de raiva quando vemos homens, mulheres e crianças abatidos e deslocados para que os poucos no topo da pirâmide possam obter lucros com sangue e venda de armas e munições. 

Estamos cansados ​​de guerras ad nauseam, de nossos pais e avós que foram mortos no Vietnã, nossos vizinhos no falso atentado terrorista de 11 de setembro, pelos refugiados de guerra deslocados em todo o mundo, para não mencionar os milhões de crianças famintas ao redor do mundo que poderiam ao invés de usar o dinheiro que nós gastamos em agências como a DARPA (Defense Advanced Research Projects Agency e suas ferramentas de guerra para produzir água limpa, alimentos, remédios e dar educação. Essa raiva surgiu em nós até o ponto em que, por conta própria, tivemos que descobrir QUEM ESTÁ NO COMANDO. Ao contrário de muitos dos nossos políticos, sabemos que nomear nosso inimigo é o primeiro passo para identificá-los e desmascará-los.

Muitos leitores habituais deste site estarão bastante familiarizados com os suspeitos usuais: os Rothchilds, os Rockefellers e os grandes banqueiros que comandam o topo da pirâmide da riqueza humana. Também sabemos que eles trabalham em estreita colaboração com agências governamentais para planejar e implementar guerras militares, cibernéticas e crises econômicas contínuas.  Todos nós lemos sobre como o Clube Bilderberg, os Illuminati, judeus khazares, sociedades secretas e os Cavaleiros de Malta coordenam essas maquinações incluindo o Vaticano. Sabemos que o “sistema” da Reserva Federal dos EUA {FeD} é apenas uma empresa privada com o monopólio dos banqueiros em Wall Street de imprimir notas do Federal Reserve que manipulam e saqueiam a economia dos EUA e a economia global.

É o que não sabemos que nos interessa mais. Então decidimos literalmente seguir o dinheiro. Quem são os aproveitadores da guerra que saqueiam milhões de vidas, incontável riqueza e a democracia nos EUA e nos demais países do resto do planeta?

Neste artigo, os Patriotas Anônimos estão de volta. Armados com a internet e com uma habilidade apurada para interpretar a paisagem geopolítica, rastreamos esses criminosos da guerra global de volta às maquinações econômicas que os tornam cada vez mais ricos e poderosos com todas as invenções militares que eles se utilizam para nos controlar e lucrar alto. Estamos cansados ​​de nos tornarmos mais pobres, mais doentes e mais escravizados por esses seres da elite sub-humanos dominantes e vamos pedir-lhes que se armem com o conhecimento que adquirimos em nossa pesquisa.

Então, seja um patriota também. Envie este artigo para o máximo de pessoas que puder, o mais rápido que puder, para que a verdade seja preservada quando os TPTB {The powers That Be – Os poderes instituídos} pensar em derrubar este site.

Fundo breve

(Pedimos desculpas por nossos artigos serem tão longos, mas muito precisa ser dito. Você pode querer recortar e colar o artigo em um documento do Word para facilitar a navegação e a leitura.)

Para começar nossa jornada, por favor, revise esta lista dos quinze principais empreiteiros militares, ou Military Warlords {Militares Senhores da Guerra}.

  1. Lockheed Martin Corporation,
  2. The Boeing Company,
  3. Raytheon Company,
  4. General Dynamics Corporation,
  5. Northrop Grumman Corporation,
  6. Leidos Holdings, Inc.,
  7. Huntington Ingalls Industries,
  8. L-3 Communications Holdings Inc.,
  9. United Technologies Corporation,
  10. BAE Systems PLC,
  11. SAIC,
  12. McKesson Corporation,
  13. Bechtel Group Inc.,
  14. Veritas Capital Fund,
  15. Booz Allen Hamilton Holding Corporation.

As grandes corporações do Complexo Industrial Militar

Agora vamos olhar para os principais acionistas dos principais empreiteiros militares acima, que chamamos de Warlords {senhores da guerra corporativos ou Banksters}.

  • Vanguard Group,
  • State Street Corp,
  • Capital Research Global Investors,
  • Templeton Investment Counsel LLC,
  • Barclays Bank Plc,
  • BlackRock Investment Management (UK) Ltd.,
  • Schroder Investment Management,
  • Capital World Investors,
  • Bank of America Corporation,
  • JPMorgan Chase & Co.,
  • Bank of New York Mellon Corp,
  • Black Rock Advisors,
  • Black Rock Fund Advisors,
  • Old Republic International,
  • Wellington Management Company,
  • BlackRock Institutional Trust Company, N. A.,
  • Evercore Trust Company,
  • N. A., FMR, LLC, ,
  • Invesco Ltd.,
  • Franklin Resources,
  • Goldman Sachs Group Inc.,
  • T. Rowe Price Group, Inc.

O que vale a pena notar sobre essa lista é que você pode encontrar alguns nomes suspeitos de costume: Rothchilds, Rockefellers, BarclaysMorgans, Warburgs, Goldmans e o resto dos senhores da guerra Banksters por trás de alguns desses nomes. Esses americanos estão no negócio da guerra, todo tipo de guerra ou conflito que lhes permite vender seus produtos de guerra. Como qualquer empresa com fins lucrativos, eles têm produtos para vender e, para obter bons lucros, precisam de uma base de clientes robusta e vibrante. “Paz na Terra, boa vontade para com os homens” não é um mercado que comprará seus serviços e mercadorias para fomentar, manter e criar guerras.   

Para tornar as coisas ainda mais complexas, de modo que nunca possamos descobrir quem está no comando, cada uma dessas corporações possui ações importantes em todas as outras corporações. Eles estão entrelaçados como uma videira. Se olharmos mais de perto, descobriremos que cada uma dessas corporações conduz negócios internacionais e está investida em empreendimentos militares internacionais. Eles não são governados por nenhuma nação enquanto transcendem todas as nações {e os interesses das nações e seus povos}. 

Este tipo de guerra corporativa é transnacional. Está além de ser internacional ou global. Essas empresas trabalham fora do controle da America como nação. Eles trabalham contra os americanos com sua guerra econômica transnacional e ganham dinheiro de ambos os lados de qualquer guerra militar ou corporativa. Não importa quem ganhe ou perca, não importa quantos de nossos filhos morram em seus teatros de guerra, e não importa quem sejam os políticos, eles SEMPRE ganham muito dinheiro. E então eles investem esse dinheiro de volta no mesmo negócio porque o negócio da guerra é extremamente lucrativo.   

Essencialmente, eles são criminosos de guerra como os primeiros Rothschild, que sempre financiaram todos os lados em guerra e Henry Schroder, que financiou tanto Hitler quanto a Inglaterra. Este tipo de fomento da guerra pela atividade bancária é comum e a mais lucrativa ao longo da história. 

Henry Schroder era um banqueiro alemão que foi para a Inglaterra para ajudar a iniciar o sistema bancário central da Inglaterra. A {empresa de fornecimento de MERCENÁRIOSBlackwater {mudou de nome, para Academi}, a Templeton e muitas outras empresas listadas acima são inglesas e alemãs, todas ligadas ao Banco da Inglaterra de uma forma que ninguém pode explicar, porque o Parlamento inglês não tem permissão para questionar os negócios da rainha. Ninguém sabe quem é o dono do Banco da Inglaterra ou quem são os acionistas. Isso deve levantar algumas sobrancelhas e deixar os teóricos da conspiração em êxtase, e por boas razões. É justo dizer que a maior parte dos lucros das guerras que a América promove vai para a Inglaterra. 

A rainha da Inglaterra faz MUITO dinheiro com a guerra

Consequentemente, todas as conspirações infundadas sobre a Rainha da Inglaterra têm algum mérito depois de seguir o dinheiro de volta para os senhores da guerra que fundaram o sistema do Federal {Bco Central “privado”} Reserve dos EUA. Mas, ao contrário da maioria das teorias conspiratórias, os bancos regionais do Federal Reserve não são os culpados sozinho. Os verdadeiros culpados são os investidores originais nas corporações, listados acima, que servem os militares em todos os tipos de guerras – conflito físico, informação e economia. 

É o tecido entrelaçado dos investimentos das corporações de apoio à guerra sem fim que criaram um sistema que é inato e ligado à Inglaterra … e a Roma. Simplesmente através da associação das famílias reais do mundo que são membros dos Cavaleiros de Malta, você tem uma comunidade de inteligência econômica que é insider trading em um nível transnacional. O Grupo Bilderberg, o Clube de Roma, ou a DARPA (Defense Advanced Research Projects Agency) são associações de pessoas poderosas com investimentos profundos em questões militares que devem proteger seus interesses financeiros e repassar riqueza para os membros de suas famílias. É por isso que muitas das famílias mais ricas se casam entre si – para manter “tudo em e na família”.

As pessoas mais ricas e poderosas do mundo pertencem aos The Knights of Malta (Cavaleiros de Malta), the Equestrian Order of the Holy Sepulchre of Jerusalem (Ordem Equestre do Santo Sepulcro de Jerusalém), the Order of the Garter (Ordem da Jarreteira), the Teutonic Knights (Cavaleiros Teutônicos) e muitas outras ordens que prometem fidelidade ao Vaticano. Se quisermos ampliar a perspectiva, pode-se acrescentar que a Companhia de Jesus, os jesuítas, estão envolvidos em todos os níveis e têm trabalhado incansavelmente como os soldados do Papa para criar a rede de espionagem suprema.

O VATICANO faz muito dinheiro com GUERRAS

Todos os bancos começaram na Itália e estavam conectados ao Vaticano.  É justo dizer que as ideias do banco central da Itália foram reproduzidas nos sistemas bancários centrais utilizados em todo o mundo criado em meados do século XIX pelo clã Rothschild. Os bancos centrais vêm do Vaticano e, através das diferentes agências do Vaticano (Cavaleiros de Malta), a economia mundial é manipulada por insider trading de informações privilegiadas que estão sendo compartilhadas com o Vaticano através dos votos de lealdade que cada Cavaleiro de Malta faz.

O Vaticano lucra com a guerra porque recebe centenas de bilhões por ano por meio de serviços de colocação de refugiados e ajuda humanitária fornecida a áreas devastadas pelass guerra. Quanto mais guerra – mais rico o Vaticano se torna. É por isso que o Vaticano apóia a migração descontrolada de pessoas e o caos que resulta da guerra. Os Cavaleiros de Malta são uma das maiores instituições de “caridade” do mundo. A Igreja Católica tem milhares de organizações de caridade isentas de impostos que recebem dinheiro para ajudar em causas humanitárias. Ninguém sabe quanto dinheiro a Igreja Católica recebe a cada ano. O Banco do Vaticano foi pego muitas vezes lavando dinheiro em conluio com a máfia em grande escala. 

Assim como a quase incompreensível consanguinidade dos senhores da guerra, o duplo discurso do Vaticano é cheio de mentiras. O Vaticano diz uma coisa e faz o contrário. O próprio Vaticano não dá dinheiro para nenhuma instituição de caridade. A corporação mais antiga e mais rica do mundo não dá nada à caridade, mas é uma “fachada” para a maior corporação de caridade do planeta. 

O Vaticano também criou o Direito Canônico, que se transformou em Direito Comum, Lei do Almirantado e outras formas de lei. Os advogados da América ainda fazem um juramento ao Temple Bar na cidade de Londres. Esta é uma referência à sede dos Templários na cidade de Londres. Os Cavaleiros Templários eram uma ordem monástica criada em  1.118 que mais ou menos estabeleceram os primeiros bancos da Europa para Jerusalém durante as Cruzadas.  Mais uma vez, se olharmos para a história da banca ou da lei, todos os caminhos levam a Roma. Portanto, quando ouvirmos os teóricos se empolgarem com as conspirações desenfreadas no complexo industrial militar, talvez devêssemos escutar com um pouco mais de cuidado e fazer nossa própria pesquisa para descobrir que a versão simplificada é apoiada pela versão detalhada. Mas isso ainda deixa a questão em aberto sobre quem “comanda” o complexo industrial militar.

GUERRA é para sempre 

Esta questão é realmente muito simples de responder. Teóricos da conspiração (sim, somos nós, pessoal) dirão a você que a DARPA (Defense Advanced Research Projects Agency) dirige os motor das forças armadas dos EUA para criação e desenvolvimento de novas e melhores armas através do atendimento da “lista de desejos” para empresas privadas para competir pelo contrato para construir a tecnologia da morte desejada. Isso é verdade. 

A agência DARPA (Defense Advanced Research Projects Agency) é bem conhecida por financiar vários projetos iniciais e depois financiar ainda mais o vencedor do Complexo Militar Industrial da concorrência.  Geralmente, esses “vencedores” criam corporações que recebem contratos militares que pagam à corporação para fazer o “novo dispositivo de guerra” criado e os acionistas da empresa obtêm os lucros enquanto os militares se utilizam em suas guerras para provocar mais mortes. A Internet, Cisco Systems, Google e Facebook são todas invenções criadas pela agência DARPA (Defense Advanced Research Projects Agency) 

E dificilmente teremos que mencionar o “custo excedente” acrescido em todos os contratos militares originais. Esses contratos, pagos pelos contribuintes norte americanos, são da casa de centenas de bilhões de dólares anuais e a corporação é autorizada e encorajada a obter um grande lucro, de modo que os senhores da guerra (Warlords) corporativos entrelaçados obtenham sua fatia do bolo. Quando Rumsfeld auditou o orçamento de US$ 7 trilhões de dólares do Pentágono, 2,3% (meros US$ 163 bilhões) estava faltando. Isso é típico e ainda, e até hoje, não foi “encontrado”.

Ainda pior do que os lucros do Corporate Warlords é o fato de que todos os principais contratados militares fazem negócios nos mercados internacionais. Isso significa que todo contrato militar é, será ou poderá ser compartilhado com outras nações, incluindo os próprios “inimigos” para os quais o novo dispositivo de guerra será produzido.  Os senhores {Warlords} da guerra corporativos transnacionais estão vendendo os mesmos “segredos militares” para os nossos “inimigos”. Basta ler os sites de qualquer empreiteiro militar de alto nível onde eles orgulhosamente proclamam seus negócios internacionais de dispositivos militares. 

Essas gigantescas corporações transnacionais também estão usando sua influência para desestabilizar mercados, economias, países e moedas para criar novos negócios. Uma vez que a DARPA obtém a versão militarizada da nova invenção e/ou tecnologia, o código fonte geralmente é tornado público. Isso pode parecer loucura, mas sempre alimenta o inimigo com nossos novos designs de armas para que eles possam manter a aparência de uma “corrida armamentista”. 

Corporações transnacionais estão desmantelando os EUA através da manipulação política e militar da economia e os Senhores da Guerra Corporativos e os Banksters estão fazendo uma festa em meio ao aparente caos e confusão provocados pelas guerras criadas por eles mesmos. Esses senhores da guerra sabem muito bem que a CIA manipula a moeda como uma guerra contínua. O Fundo Monetário Internacional, o Banco Mundial, o Banco Internacional de Assentamentos {BIS} avançam as causas desses Senhores da Guerra Corporativos. Países desestabilizadores criam a necessidade de cada vez mais intervenção internacional. 

O complexo industrial militar criou a Guerra ao Terror e chama-lhe de uma “guerra longa e suave” porque ela nunca terminará. O pronunciamento da Guerra ao Terror foi a declaração da derrubada da Democracia Americana pela oligarquia dos senhores da guerra. Apenas algumas pessoas se beneficiam dessa guerra e freqüentemente os políticos que declaram que uma “Nova Ordem Mundial” é necessária ocupam posições em corporações que lucram com a guerra. Ex-presidentes e ex primeiros-ministros se tornam senhores da guerra corporativos e fazem sua própria fortuna pessoal. 

A Democracia norte americana esta condenada

Se as seguintes corporações continuarem a existir, a Democracia Americana cairá e se tornará o braço militar do triângulo de poder entre Nova York, a Cidade de Londres e a Cidade do Vaticano (Roma). Essas indicações aparentemente vagas serão elaboradas no restante deste artigo, mas, por enquanto, vamos revisar um esboço de quem são os donos e controlam o Complexo Industrial Militar:

“Porque somos combatidos em todo o mundo por uma conspiração monolítica e implacável que se baseia principalmente em meios secretos para expandir sua esfera de influência – em infiltração em vez de invasão, em subversão {e CORRUPÇÃO generalizada} em vez de eleições, em intimidação ao invés de livre arbítrio, em guerrilheiros {Mercenários} da noite em vez de exércitos durante o dia. Trata-se de um sistema que recrutou vastos recursos humanos e materiais para a construção de uma máquina altamente coesa e altamente eficiente, que combina operações militares, diplomáticas, de inteligência, econômicas, financeiras, científicas e políticas. Suas preparações são ocultadas, não são publicadas. Seus erros são enterrados não apontados. Seus dissidentes são silenciados, não elogiados. Nenhuma despesa é questionada, nenhum boato é impresso, nenhum segredo é revelado ”. –  John F. Kennedy, 27 de abril de 1961

John Kennedy descobriu logo depois que ele falou estas palavras que a “conspiração monolítica e implacável” também estava dentro de sua casa nos Estados Unidos. Foi certamente uma das causas que provocou o seu assassinato, pois naqueles dias poucos sabiam do comportamento traidor dos warlords e Banksters Corporativos.  Em nosso tempo, os senhores da guerra {Warlords} gananciosos se orgulham do que fazem e o governo os apóia com pleno conhecimento de que o transnacionalismo está destruindo a América.

 Bilhões desaparecem do orçamento do Pentágono

“Os administradores do orçamento do exército no ano passado fizeram quase US$ 7 trilhões em ajustes em seus registros financeiros em uma tentativa de fazê-lo fechar”, disse o inspetor  geral do Pentágono  em um relatório divulgado por Frida.  O Pentágono não pôde mostrar os recibos de US$ 2,3 trilhões dessas mudanças. –  As Finanças do Pentágono em desordem, John M. Donnelly, The Associated Press, 2001

Esse tipo de lixo indica a escala na qual os gigantescos conglomerados da indústria aeroespacial e de armamentos do Complexo Militar Industrial aparentemente não responde a ninguém. Ninguém verifica se as invenções, “os brinquedos” da DARPA são morais. Todas as invenções militares, mesmo se as publicarem como úteis, são armas. O que a agência DARPA (Defense Advanced Research Projects Agencylança de conhecimento do público é apenas a ponta do iceberg.

Mas há um grupo mais secreto ainda que direciona os militares em seus objetivos futuros. Um grupo, essencialmente um homem, esteve por trás da criação da direção da guerra militar e comercial por décadas. Ele fundou o Highland Group, que hospeda fóruns para a DARPA, o Departamento de Defesa (DoD), CIA, FBI, In-Q-Tel, DHS – Department of Homeland Security, SAIC e muitas outras agências e organizações governamentais. 

Todos os Fóruns do The Highlands Forum são privados, apenas para convidados seletos, não têm agenda escrita e basicamente são secretos e não aconteceram. Exceto pelo fato de que os Senhores (warlords) da Guerra Corporativos que são convidados ficam a par da direção da pesquisa para os militares dos EUA, que subsequentemente cria as aplicações dos grandes conglomerados dos Senhores da Guerra Corporativos. Nada está escrito para que ninguém seja considerado responsável. Os Fóruns do The Highlands Forum têm dirigido a pesquisa da agência DARPA (Defense Advanced Research Projects Agencye o desenvolvimento de pesquisa da área de pesquisa e desenvolvimento da CIA, a empresa In-Q-Tel.

O The Highlands Forum, Richard Patrick O’Neill e a Guerra interminável

Vamos dar uma olhada no The Highlands Forum. A descrição abaixo é retirada do website:

Descrição Geral do Programa do The Highlands Forum

“Informações sobre guerras, operações de informações, garantia de informações e informações de resiliência operacional são um instrumento de poder nacional, global e corporativo. Como tal, o controle sobre seu uso, sua proteção e sua manipulação são questões de segurança nacional e global. Este Programa de Pesquisa examina os aspectos ofensivos e defensivos estratégicos e táticos das Operações de Informação (OI) por atores estatais e não estatais para alcançar objetivos políticos, militares e econômicos através de OIs, incluindo operações de rede de computadores (CNO), ataque de rede de computadores (CNA). exploração de redes de computadores (CNE), defesa de redes de computadores (CND), operações psicológicas (PSYOPS), gestão de percepções, manipulação da mídia, da propaganda, influência estratégica e diplomacia pública, entre outros”.

Richard Patrick O’Neill, diretor do Highlands Group, descreve seu trabalho em seu site como: 

Um elemento central da atividade do Highlands Group tem sido o The Highlands Forum. Nos últimos 18 anos, quase cinquenta reuniões importantes e vinte sessões de aperfeiçoamento foram realizadas em todo o país. Cada sessão subsequente, de natureza pequena e interdisciplinar, trouxe pessoas notáveis ​​- dos ganhadores do Prêmio Nobel e vencedores do Pulitzer aos jovens pioneiros da tecnologia; de autores de ficção científica a CEOs corporativos; de cientistas a líderes militares – para vincular os inovadores do “núcleo e a borda”, sem um resultado em mente, explorando um tema e um conjunto de ideias, procurando novidade e emergência. Os procedimentos detalhados desses eventos são publicados no site do Secretário da Defesa Highlands Forum, juntamente com entrevistas, artigos originais e resenhas de livros”.Http://www.highlandsgroup.net/perspectives.php?ID=17 }

Uma das únicas descrições encontradas na internet sobre uma apresentação em um Fórum do The Highlands Forum é dada a seguir para mostrar a direção que o grupo está tomando para assegurar que a “guerra” continue contínua e universalmente. A Web e a Long, “Soft” War (longa guerra suave), de Irving Wladawsky-Berger, em http://blog.irvingwb.com/blog :

“Há algumas semanas, participei de uma reunião muito estimulante, no The Highlands ForumO Fórum é patrocinado pelo Gabinete do Secretário de Defesa dos EUA para explorar novas ideias e tendências emergentes que ajudarão a apoiar a política e a estratégia de alto nível do Departamento de Defesa (DoD), especialmente no que se refere às tecnologias de informação e inteligência. 

“O Highlands Forum foi organizado em 1994 pelo capitão aposentado da Marinha norte-americana, Dick O’Neill. É presidido pelo Principal Vice-Secretário Adjunto de Defesa para Redes e Integração da Informação. Cada reunião é centrada em um tópico específico. Cerca de 25 especialistas do governo, da indústria, da academia, das artes e das profissões são convidados a discutir suas idéias sobre o assunto – para fazer parte de uma espécie de conversa estratégica”.

“Embora nossas discussões tenham sido geralmente baseadas em tecnologia, você não pode refletir sobre como a TI, a Web e as tecnologias relacionadas poderiam afetar o DoD sem pensar muito sobre o ambiente global que o DoD ea sociedade em geral enfrentarão na próxima década e além. A principal tarefa do Departamento de Defesa é “impedir o conflito – mas a dissuasão deve fracassar, lutar e vencer as guerras do país”.

“Depois, há a Guerra ao Terror, que o DoD começou a chamar de Long War (Guerra Longa…. ou sem fim), termo que ouvi pela primeira vez no Fórum. A Guerra Longa talvez seja tanto sobre conquistar os corações e mentes de pessoas e nações, quanto de derrotar, ou pelo menos conter um inimigo que muitas vezes é difícil de encontrar. Embora seja absolutamente necessário o treinamento militar e de armas para vencer os conflitos clássicos e quentes, os aspectos brandos ou culturais do conflito são, no mínimo, tão importantes que, com o tempo, poderiam minar os princípios democráticos, os mercados livres e nosso padrão de vida”.

“É um fato que a Internet, iniciada pelo DoD para fins de defesa muito legítimos, se tornou a plataforma mundial de comunicação, informação e inovação. Talvez o DoD deva, mais uma vez, assumir um papel de liderança, desta vez no apoio a pesquisas e programas pilotos que acelerarão o desenvolvimento de algumas das aplicações mais complexas e críticas e tecnologias emergentes que estão impulsionando a evolução da Web para os diferentes requisitos do século 21″.

“Eu justificaria os investimentos como parte de nossos esforços para preparar e combater a Guerra Longa, bem como para ajudar nossas forças armadas a se tornarem organizações altamente qualificadas, colaborativas e baseadas em informações. Eu acho que a maior parte da Guerra Longa é fazer com que o maior número de pessoas e países ao redor do mundo seja parte e se beneficie de nossas economias cada vez mais interconectadas. Precisamos ajudá-los a ver um futuro potencialmente promissor para eles e suas famílias”.


“A mentira pode ser mantida apenas durante o tempo em que o estado possa proteger o povo das consequências políticas, econômicas e / ou militares da mentira. Assim, torna-se vitalmente importante que o Estado use todos os seus poderes para reprimir a dissensão, pois a verdade é o inimigo mortal da mentira e, assim, por extensão, a verdade se torna o maior inimigo do Estado”. Dr. Joseph M. Goebbels  – Ministry of Enlightenment,  Terceiro Reich Nazista da Alemanha


História da versão da CIA do DARPA – a empresa “In-Q-Tel”

A CIA tem um legado de operar na vanguarda da ciência e da tecnologia, com uma reputação de inovação ou tomada de riscos corajosa, muitas vezes trabalhando antes do setor privado e de outros setores do governo.

No final da década de 1990, o ritmo da inovação comercial havia superado a capacidade das agências governamentais de desenvolver e incorporar novas tecnologias. A indústria de tecnologia estava inovando muito rapidamente para ser ignorado. As tecnologias comerciais do mundo de startups abordaram muitos dos mesmos desafios de tecnologia da informação, biotecnologia, comunicações e energia enfrentados pela comunidade de inteligência.

Em 1998, a C.I.A. identificou a criação de novas tecnologias como uma prioridade estratégica e estabeleceu um plano arrojado e radical para criar um novo empreendimento que ajudaria a aumentar o acesso da agência à inovação tecnológica do setor privado. A empresa In-Q-Tel foi então constituída em fevereiro de 1999 por um grupo de cidadãos particulares a pedido do Diretor da Agência de Inteligência Central (CIA) e com o apoio do Congresso dos EUA. A In-Q-Tel foi encarregada de construir uma ponte entre o C.I.A. e um novo conjunto de inovadores de tecnologia.

A Science Applications International Corporation (SAIC) e a C.I.A. 

A Leidos, uma divisão conjunta da  Science Applications International Corporation (SAIC), é uma empresa de defesa americana com sede em Reston, Virgínia, que fornece serviços científicos, de engenharia, integração de sistemas e serviços técnicos. A Leidos trabalha extensivamente com o  Departamento de Defesa dos EUA – DoD (FY2012), o  Departamento de Segurança Interna (DHS) dos EUA, e a  Comunidade de Inteligência dos EUA, incluindo a  Agência Nacional de Segurança (NSA), bem como outras agências civis do governo dos EUA e empresas comerciais em mercados selecionados. Em 27 de setembro de 2013, a SAIC mudou seu nome para Leidos e  gerou  US$ 4 bilhões em serviços governamentais e  empresa de tecnologia da informação, que mantém o nome  Science Applications International Corporation .

Projetos SAIC

A  Agência de Inteligência da Defesa  (DIA) fez a transição de um Programa de Visualização Remota para a SAIC em 1991, que foi renomeado como Projeto Stargate. O Projeto Stargate era o codinome  de uma unidade do Exército dos EUA estabelecida em 1978 em  Fort Mead, Maryland, pela  Defense Intelligence Agency  e pela  SRI International  (uma empreiteira de defesa da Califórnia) para investigar o potencial de fenômenos psíquicos em aplicações militares e domésticas. Isso envolvia principalmente  a visão remota, a suposta capacidade de “ver” eventos, locais ou informações psiquicamente de uma grande distância.

Em março de 2001, a SAIC definiu o conceito do Projeto NSA  Trailblazer. O Trailblazer foi uma continuação do  programa ThinThread anterior, que a Agência de Segurança Nacional dos Estados Unidos (NSA) adotou durante os anos 90. O programa envolveu escutas telefônicas e análises sofisticadas dos dados resultantes, mas, de acordo com o artigo, o programa foi interrompido três semanas antes dos  ataques de 11 de setembro de 2001 devido às mudanças nas prioridades e à consolidação da autoridade de inteligência dos EUA.

A “mudança de prioridade” consistiu na decisão tomada pelo diretor do NSA General Michael V. Hayden de seguir um conceito chamado Trailblazer, apesar do fato de ThinThread ser um protótipo funcional que afirmava proteger a privacidade dos cidadãos americanos. A ThinThread foi dispensado e substituído pelo Projeto Trailblazer, que não tinha as proteções de privacidade. Um consórcio liderado pela  Science Applications International Corporation  recebeu um contrato de US$ 280 milhões para desenvolver o Trailblazer em 2002.

O Trailblazer era um programa da Agência de Segurança Nacional dos Estados Unidos (NSA, na sigla em inglês) que pretendia desenvolver uma capacidade de analisar dados transportados em redes de comunicação como a internet. O objetivo era rastrear entidades usando métodos de comunicação, como telefones celulares e e-mail. Em 2002, a NSA contratou a SAIC por US$ 280 milhões para produzir uma “plataforma de demonstração de tecnologia” para o projeto da agência, um sistema “Digital Network Intelligence” para analisar dados transportados em redes de computadores.

Em 1945, a  Agência de Objetivos da Inteligência Conjunta  foi estabelecida e recebeu responsabilidade direta pela Operação Paperclip. O programa recrutou ex-cientistas nazistas , alguns dos quais foram identificados e processados ​​como criminosos de guerra durante o Julgamento de Nuremberg. Vários projetos secretos do governo dos EUA surgiram de projetos dos cientistas nazistas da Operação Paperclip. Esses projetos incluíam o Projeto CHATTER  (estabelecido em 1947) e o  Projeto BLUEBIRD  (estabelecido em 1950), que foi renomeado  Projeto ARTICHOKE em 1951. Seu objetivo era estudar o controle mental, métodos de interrogatório,  modificação de comportamento e tópicos relacionados.

MITRE Corp.

A SAIC  e a Leidos (Soluções para Segurança Nacional, Saúde e Engenharia ) são empresas com fins lucrativos que trabalham principalmente para vários braços do governo dos EUA. A MITRE Corporation é uma empresa privada, sem fins lucrativos, que opera como Federally Funded Research and Development Company – FFRDC (companhia de pesquisa e desenvolvimento financiados pelo governo federal). Se você já voou em um jato ou usou GPS, você se beneficiou da tecnologia com raízes em uma empresa FFRDC. Mas, apesar do nome, os FFRDCs são muito mais que P & D. Essas organizações únicas servem como parceiros estratégicos de longo prazo para o governo dos EUA, fornecendo orientação objetiva em um ambiente livre de “conflitos de interesse”. Eles trabalham com seus parceiros governamentais – também chamados de patrocinadores – para auxiliar na engenharia e integração de sistemas, pesquisa e desenvolvimento, além de estudo e análise.

Para todos os efeitos, isso faz da MITRE uma organização pseudo-governamental. Isto é em grande parte porque o governo é seu único cliente. Na prática, isso significa que as reuniões e decisões que são fechadas para os contratados e consultores de outras empresas, muitas vezes têm pessoal da MITRE aconselhando os tomadores de decisão do governo.  

O Ciberespaço – um novo domínio operacional

Em 2011, o Departamento de Defesa dos EUA (DoD) nomeou o ciberespaço como um novo domínio operacional. O domínio do ciberespaço fornece recursos críticos que permitem que os militares dos EUA conduzam operações em todos os domínios (terra, mar, ar, espaço e ciberespaço). O U.S. Cyber Command e os Serviços Militares dos EUA estão trabalhando para integrar o domínio do ciberespaço com os outros domínios operacionais, a fim de conduzir o comando e o controle militar e alcançar os objetivos de segurança nacional. Para integrar efetivamente as operações do ciberespaço, o DoD exige conscientização situacional da Mission, Network, and Adversary (Missão, Rede e Adversário), com base na análise de dados operacionais, a fim de tomar decisões oportunas e eficazes.

Armas cibernéticas são as novas armas para o estado de guerra sem FIM

As forças armadas dos EUA vêm desenvolvendo há anos capacidades ofensivas, dando-lhe o poder não apenas para defender os EUA, mas para atacar seus inimigos. Usando os chamados ataques cibernéticos, suas forças agora têm a capacidade de destruir fisicamente o equipamento e a infra-estrutura de um adversário e, potencialmente, até matar. Alexander concluiu que essas armas cibernéticas são tão cruciais para a guerra do século 21 quanto as armas nucleares no século XX. E ele e seus guerreiros cibernéticos já lançaram seu primeiro ataque. 

A arma cibernética que veio a ser conhecida como Stuxnet foi criada e construída pela NSA em parceria com a CIA e a inteligência israelense em meados dos anos 2000. A primeira peça conhecida de malware projetada para destruir equipamentos físicos, o Stuxnet foi direcionado para a instalação nuclear do Irã em Natanz. Sub-repticiamente assumindo o controle de uma ligação de controle industrial conhecida como sistema Scada (Controle de Supervisão e Aquisição de Dados), o sofisticado worm foi capaz de danificar cerca de mil centrífugas usadas para enriquecer o material nuclear.

Mas o Stuxnet é apenas o começo. A agência de Alexander recrutou milhares de especialistas em computação, hackers e PhDs de engenharia para expandir as capacidades ofensivas dos EUA no mundo digital. O Pentágono pediu US$ 4,7 bilhões para “operações ciberespaciais”, mesmo que o orçamento da CIA e de outras agências de inteligência caia US$ 4,4 bilhões. Está despejando milhões em empreiteiras de defesa cibernética. E mais ataques podem ser planejados.

Em um trecho remoto de deserto no centro de Utah, a Agência de Segurança Nacional construiu um enorme armazém de dados de 1 milhão de pés quadrados. Custando mais de US$ 1,5 bilhão, a instalação altamente secreta foi projetada para abrigar trilhões de telefonemas interceptados, mensagens de e-mails, buscas na internet e outras comunicações interceptadas pela agência como parte de suas amplas operações de espionagem. A NSA também está concluindo o trabalho em outro data warehouse, este em San Antonio, Texas.


“O elemento essencial na arte negra do obscurantismo não é que ele queira obscurecer o entendimento individual, mas que ele queira obscurecer nossa imagem do mundo e obscurecer nossa ideia de existência.”Friedrich Nietzsche


Uma descrição dos psicopatas de um documento militar

O “Intelligence and Electronic Warfare Support to Psychological Operations” (PSYOPs – Apoio de Inteligência e Guerra Eletrônica a Operações Psicológicas) é baseado no Manual de Campo “Special Operations Forces Intelligence and Electronic Warfare Operations” (Operações de Inteligência das Forças Especiais e Operações de Guerra Eletrônica) Nº 34-36 publicado em 30 de setembro de 1991 pelo Departamento da Sede do Exército em Washington DC.

Missões

As missões PSYOP são produtos planejados e ações psicológicas em tempos de paz ou de guerra que são direcionadas para o público inimigo, amigável e neutro. O objetivo é influenciar atitudes e comportamentos para alcançar objetivos políticos e militares nacionais .

Operações PSYOP apóia variadas ações militares, políticas e diplomáticas em todo o contínuo operacional. Essas missões podem ser missões estratégicas, operacionais ou táticas. As missões estratégicas de PSYOP são conduzidas em nível nacional ou teatros de guerra para avançar objetivos psicológicos amplos e de longo prazo em apoio aos objetivos psicológicos nacionais (trata-se de pura manipulação e controle mental das massas).

As missões PSYOP operacionais são realizadas para alcançar objetivos de médio prazo em apoio às campanhas de teatro de guerra e às suas principais operações. Missões táticas de PSYOP são realizadas para alcançar objetivos imediatos ou de curto prazo em apoio a operações militares táticas.

Qualquer uma das categorias acima de PSYOP pode suportar mais de um nível do contínuo operacional. É por isso que as distinções entre as categorias de PSYOP são muitas vezes indistintas. As forças de operação especial (SOF), operando unilateralmente ou em cooperação com forças convencionais em todo o contínuo operacional, devem sempre considerar fatores e objetivos não militares.

Missões PSYOP:

-Desempenhar um papel essencial e integral para alcançar ou abordar esses objetivos não militares.

-Auxílio na realização de objetivos militares táticos, operacionais e estratégicos.

-Pode ser a única força militar empregada.

-Deve ser integrado a todas as operações para evitar mensagens contraditórias ou conflitantes.


“A manipulação consciente e inteligente dos hábitos e opiniões organizados das massas é um elemento importante numa sociedade “democrática”. Aqueles que manipulam esse mecanismo invisível da sociedade constituem um governo invisível que é o verdadeiro poder dominante de nosso país ”. – Edward Bernays – Propaganda


Alguns projetos In-Q-tel desclassificados:

Futuro gravado – Usando o que eles chamam de “Mecanismo de análise temporal”, o Recorded Future (RF) fornece ferramentas de previsão e análise para ajudar os analistas a prever eventos futuros, verificando fontes na Internet e extraindomedindo e visualizando as informações para mostrar redes e padrões no passado, presente e futuro. A partir de 2015, o mecanismo foi descrito como “ Tecnologias Visíveis do Web Intelligence Engine – monitoramento de mídia social.

Raciocínio Digital – Desde 2012, a empresa vendeu seu software Synthesys para bancos e fundos de hedge, incluindo UBS  e  Point72 Asset Management. As instituições financeiras usam o Synthesys para escanear e-mails internos de uma determinada empresa em busca de padrões desconhecidos entre funcionários, em termos de conteúdo específico de palavras, frequência e conexões interpessoais. O objetivo é prever a fraude antes que ela ocorra.

Palantir – Palantir Technologies, Inc. é uma empresa  americana privada de software  e serviços, especializada em  análise de dados. A empresa é conhecida por dois projetos de software em particular: Palantir Gotham é usado por analistas de contraterrorismo em escritórios da Comunidade de Inteligência e pelo Departamento de Defesa dos EUA, investigadores de fraudes no  Recovery Accountability and Transparency Board e analistas cibernéticos no  Information Warfare Monitor.

CallMiner – Software de análise de fala por telefone

MASINT –  Rastreamento remoto, vigilância e extração de ondas cerebrais, tipificando formas-pensamento, estados emocionais, estados mentais analíticos e outros

Mohomine  mohoClassifier – Organiza dados de massa

3VR – 3VR Inc. Desenvolve software que permite às organizações extrair dados de vídeo. A 3VR trabalha com os principais bancos, governos, autoridades e varejistas no momento.

Adaptx – Cria canetas digitais que aceleram a coleta de dados de campo.

Basis Technology – Sintetiza a conversa exterior e fornece software para análise de texto em mais de vinte idiomas. Eles trabalham principalmente no processamento de linguagem natural aplicado, derivando o significado das formas como as pessoas realmente usam a linguagem.

Cloudera – armazenamento de dados em grande escala. A Cloudera Enterprises  é uma das formas mais econômicas de as empresas executarem com segurança a análise e o armazenamento de dados em larga escala. 

FireEye – é uma das mais avançadas empresas de segurança cibernética e é especializada em proteger contra ataques de botnets e também trabalha para combater o malware que traz computadores para a rede. 

A Ember Corporation se concentra no desenvolvimento de sistemas de rede que simplificam produtos de baixo consumo de energia em rede sem fio. Eles estão focados em energia inteligente, monitoramento remoto e uso de controle remoto de sua tecnologia. 

Infinite Z – Simulação uma realidade virtual-holográfica através de um ambiente 3D interativo.

OpenSpan – Cria software que permite que as organizações vejam exatamente o que os funcionários estão fazendo em seus computadores: quais programas estão usando, que progresso estão fazendo, etc. 

Sétimo Sentido – Desenvolve produtos de monitoramento de saúde que interagem com a pele humana

Sonitus Medical – Criou um sistema auditivo que transmite o som imperceptivelmente pela boca. O sistema auditivo SoundBite reproduz o princípio da condução óssea para transmitir mensagens auditivas. Uma plataforma de comunicação e audição quase invisível na boca não é invasiva e se conecta diretamente ao ouvido interno, permitindo que o usuário ouça as mensagens transmitidas através do crânio. 

Spotter RF – Cria radares super poderosos em um dispositivo portátil que pode rastrear uma pessoa caminhando em qualquer lugar dentro de um espaço de 148 acres e é portátil. 

Visible Technologies – Extrai soluções de negócios de bate-papo de mídia social com software que permite aos usuários extrair valor de negócios das comunidades sociais e também fornecer insights de clientes para marcas on-line. 

Walleye – cria dispositivos portáteis que podem ver dentro e por meio de objetos sólidos

Aplicativos DARPA

O programa de Mídias Sociais em Comunicação Estratégica  (SMISC) é uma tentativa de melhorar a detecção e a realização de campanhas de propaganda nas redes sociais. O SMISC tem dois objetivos. Primeiro, o programa precisa ajudar os militares a entender melhor o que está acontecendo nas mídias sociais em tempo real – particularmente nas áreas onde as tropas estão instaladas. Em segundo lugar, a Darpa quer que o SMISC ajude os militares a jogar o próprio jogo de propaganda de mídia social.

O Pentágono está construindo uma ferramenta para identificar campanhas de propaganda de mídia social que produzam contra-rotação através da inteligência artificial de computadores.  

Reconhecimento facial interativo em tempo real – Os programas de reconhecimento facial da BBC ajudam a prever o sucesso ou o fracasso da programação da televisão. No passado, a BBC usou sua tecnologia de reconhecimento facial, construída pela startup interna CrowdEmotion, para rastrear 4.500 rostos enquanto as pessoas assistiam a trailers para ver que tipos de emoções os comerciais produziam. Eles também analisaram como centenas de participantes do estudo reagem a programas como o Top Gear e o Sherlock.  

A empresa CrowdSight usa software de reconhecimento facial em tempo real. Eles anunciam em seu site: “Entenda e Preveja seu Público! Entregue melhores experiências conhecendo seu comportamento emocional e engajamento em tempo real. O kit de desenvolvimento de software CrowdSight (SDK) é um software de análise de rosto Crowd flexível e fácil de integrar que permite reunir informações anônimas em tempo real sobre seu público enquanto elas se comportam espontaneamente em diferentes ambientes da vida. Entenda as reações emocionais de seu público-alvo e o envolvimento com seus produtos, conteúdo e campanhas e reconheça informações demográficas importantes, como idade, sexo e etnia, em tempo real. O CrowdSight funciona offline e nas plataformas de desktop e móveis mais populares (Windows, Mac, Linux, iOS, Android). ”

Visual Evoked Potential (VEP) – Um VEP é um potencial elétrico registrado depois que um sujeito é apresentado a um tipo de estímulo visual. Existem vários tipos de VEPs. Os potenciais evocados visualmente de estado estacionário (SSVEPs) usam potenciais gerados pela excitação da retina, usando estímulos visuais modulados em certas freqüências. Os estímulos do SSVEP são geralmente formados por padrões alternados de xadrez e às vezes simplesmente usam imagens piscantes. O SSVEP provou ser bem sucedido em muitos sistemas BCI. Isto é devido a vários fatores, o sinal induzido é mensurável em uma população tão grande quanto o VEP transiente e o movimento de piscada e os artefatos eletrocardiográficos não afetam as freqüências monitoradas.

Telepatia Sintética e Comunicação Silenciosa – Em uma iniciativa do Exército de US$ 6,3 milhões para inventar dispositivos para comunicação telepática, Gerwin Schalk, subscrito com uma doação de US$ 2,2 milhões, descobriu que é possível usar sinais ECoG (Eletrocorticografia) para discriminar as vogais e consoantes incorporadas na fala e na imaginação de palavras. Os resultados lançam luz sobre os mecanismos distintos associados à produção de vogais e consoantes, e podem fornecer a base para a comunicação baseada no cérebro usando a fala imaginada.  Pesquisas sobre telepatia sintética usando sub-vocalização  estão ocorrendo na Universidade da Califórnia, em Irvine, sob o comando do cientista Mike D’Zmura.

A primeira dessas comunicações ocorreu nos anos 60 usando o EEG para criar código Morse usando ondas alfa do cérebro. O uso do EEG para comunicar a fala imaginada é menos preciso do que o método invasivo de colocar um eletrodo entre o crânio e o cérebro. Em 27 de fevereiro de 2013, o grupo de  Miguel Nicolelis da Duke University  e do IINN-ELS conectou com sucesso os cérebros de dois ratos com interfaces eletrônicas que permitiram que eles compartilhassem informações diretamente, na primeira interface direta de cérebro a cérebro. Em 3 de setembro de 2014, os cientistas relataram que a comunicação direta entre os cérebros humanos era possível através de longas distâncias através da transmissão de sinais de EEG pela Internet.

Simulação do Mundo Senciente – O DoD está desenvolvendo um planeta paralelo com a Terra, com bilhões de “nós” individuais para refletir cada homem, mulher e criança deste lado da linha divisória entre realidade e Realidade Artificial.  Chamado de Simulação do Mundo Sensível (SWS), ele será um “espelho sintético do mundo real com calibração contínua automatizada com relação às informações atuais do mundo real”, de acordo com um documento conceitual do projeto.

“A SWS fornece um ambiente para testar operações psicológicas (PSYOP)”, diz o documento, para que os líderes militares possam “desenvolver e testar múltiplos cursos de ação para antecipar e moldar comportamentos de adversários, neutros e parceiros”. A SWS também replica instituições financeiras, utilitários, meios de comunicação e lojas de esquina. Ao aplicar as teorias da economia e da psicologia humana, seus desenvolvedores acreditam que podem prever como indivíduos e as massas responderão a vários fatores de estresse.

Programa Insight – A DARPA concedeu um contrato de US$ 14 milhões à SAIC para o programa DARPA Insight , destinado a ajudar os especialistas em inteligência dos Estados Unidos a detectar redes de ameaças, guerra irregular e operações terroristas, combinando informações de inteligência de sensores de imagem, crowdsource e outras redes sociais. ou sensores baseados em texto, bem como de outras fontes para análise posterior. O programa busca preencher as lacunas nos sistemas atuais de inteligência, vigilância e reconhecimento (ISR) dos EUA, que se concentram na incapacidade de explorar e cruzar várias fontes de inteligência diferentes automaticamente.

O programa DARPA Insight busca desenvolver o raciocínio humano / máquina integrado em equipamentos de inteligência para abranger o conhecimento e o raciocínio do operador ao lidar rapidamente com dados complexos de diversos sensores. Os especialistas da SAIC se concentrarão nessas áreas na construção do sistema de análise ISR de próxima geração do Insight.

Os especialistas da SAIC construirão ferramentas de análise de correlação, modelagem, predição e análise de ameaças baseadas em modelos que combinam informações de inteligência em várias fontes diferentes automaticamente para melhorar a eficiência de sensores de inteligência múltipla. A empresa também desenvolverá um ambiente unificado de gerenciamento e processamento de dados que integra novos sensores de inteligência e algoritmos de software.

Campos EM e símbolos ocultos – DARPA é programas reveladores, que existem há anos, para desenvolver métodos e técnicas para a entrada de pensamentos e idéias na mente. Eles revelam como uma vez que uma mente foi programada com os padrões de memória, palavras e símbolos ocultos subliminares podem acionar a programação sem a necessidade do dispositivo original.


A Matrix (o SISTEMA de CONTROLE): “A Matrix é um sistema de controle, NEO. Esse sistema é o nosso inimigo. Mas quando você está dentro dele, olha em volta, e o que você vê? Empresários, professores, advogados, políticos, carpinteiros, sacerdotes, homens e mulheres… As mesmas mentes das pessoas que estamos tentando despertar. Mas até que nós consigamos despertá-los, essas pessoas ainda serão parte desse sistema de controle e isso as transformam em nossos inimigos. Você precisa entender, a maioria dessas pessoas não está preparada para ser desconectada da Matrix de Controle. E muitos deles estão tão habituados, tão profunda e desesperadamente dependentes do sistema, que eles vão lutar contra você para proteger o próprio sistema de controle que aprisiona suas mentes …”


Saiba mais, leitura adicional:

Permitida a reprodução desde que mantida a formatação original e mencione as fontes.

thoth(172x226)www.thoth3126.com.br

 

4 Responses to Quem controla o Complexo Militar Industrial (1) ?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.