browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Risco de uma 3ª Guerra Mundial”: 5 fatos nas últimas 48 hs elevam probabilidades

Posted by on 19/07/2019

Uma guerra entre os Estados Unidos e o Irã se tornou inevitável? Isso é o que alguns jornalistas na grande mídia parecem estar antecipando mas esperemos que isso não seja verdade, porque tal guerra significaria morte e destruição imensas. Se o regime iraniano achasse que sua sobrevivência estivesse em jogo, eles lançariam um ataque com todo o seu arsenal contra os Estados Unidos e o seu manipulador, Israel, e lançariam o grupo Hezbollah para cometer terríveis atos de terror em todo o mundo ocidental.

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

À beira de uma 3ª Guerra Mundial: aqui estão 5 grandes desenvolvimentos nas últimas 48 horas

 Isso incluiria atos de terror dentro dos Estados Unidos, e a maioria dos americanos não faz ideia do quanto seria aterrorizante ter terroristas do Hezbollah atingindo alvos fáceis em todo o país.E para ganhar rapidamente uma guerra contra o Irã, os EUA provavelmente teriam que usar armas nucleares, e essa é uma linha que não queremos atravessar. Isso não seria nada parecido com as nossas guerras no Afeganistão e no Iraque, mas muito poucas pessoas parecem entender isso.

E nas últimas 48 horas, tal conflito ficou muito mais próximo. Aqui estão 5 dos desenvolvimentos mais importantes: 

1) De acordo com o presidente Trump, a Marinha dos EUA abateu um drone iraniano sobre o Estreito de Hormuz. O seguinte vem da NBC News …

O presidente Donald Trump disse na quinta-feira que um navio da Marinha dos EUA “destruiu” um drone iraniano sobre o Estreito de Hormuz – o mais recente de uma série de incidentes tensos entre Washington e Teerã. Trump disse a repórteres na Casa Branca na quinta-feira que o USS Boxer – um navio de assalto anfíbio da Marinha dos EUA – “tomou medidas defensivas” contra o drone iraniano que “se aproximou a uma distância de apenas 1.000 jardas”.

O drone estava “ameaçando a segurança do navio e da tripulação do navio” e “foi imediatamente destruído”, disse ele.

2) Os iranianos negaram que o drone fosse deles. Então, ou os iranianos estão mentindo (o que é uma possibilidade muito real), ou “alguém” (um 3} interessado no conflito) pode estar tentando iniciar uma guerra entre nossas duas nações. Quando questionado sobre o drone, o ministro das Relações Exteriores do Irã, Mohammad Javad Zarif, pareceu indicar que o drone que foi abatido não pertencia a eles 

“Não temos informações sobre a perda de um drone hoje”, disse Zarif a repórteres nas Nações Unidas, antes de uma reunião com o secretário-geral Antonio Guterres.

3) Mas os iranianos admitiram ter apreendido um petroleiro panamenho, com base nos Emirados Arabes Unidos. Segundo o Irã, o petroleiro foi apreendido porque estava ilegalmente contrabandeando petróleo iraniano “para clientes estrangeiros” …

O petroleiro foi capturado pelas forças da Guarda Revolucionária em 14 de julho após ser interceptado ao sul da ilha Larak, no estratégico Estreito de Hormuz, em meio a alegações de que o navio estava contrabandeando combustível de contrabandistas iranianos para clientes estrangeiros. Ainda não está claro para qual país ou companhia o petroleiro pertence, mas um petroleiro baseado nos Emirados Árabes Unidos desapareceu no início desta semana.

USS Boxer (LHD-4) é um navio de assalto anfíbio classe Wasp da Marinha dos Estados Unidos que teria derrubado um drone do Irã.

4) O Departamento de Estado dos EUA condenou o Irã por apreender o navio-tanque, e as autoridades dos EUA estão exigindo que ele o libere imediatamente

Em um comunicado, o porta-voz do Departamento de Estado disse que os EUA “condenam veementemente o contínuo assédio às embarcações pela Guarda Revolucionária Islâmica e a interferência na passagem segura dentro e ao redor do Estreito de Hormuz”. “O Irã deve cessar essa atividade ilícita e libertar a tripulação e o navio supostamente apreendidos imediatamente.  Continuaremos a trabalhar em estreita colaboração com nossos aliados e parceiros para garantir que as táticas de extorsão e atividades malignas do regime iraniano não interrompam ainda mais a segurança marítima e o comércio global ”, disse o porta-voz.

5) Foi anunciado que os EUA estão enviando mais 500 soldados para a Base Aérea Prince Sultan, na Arábia Saudita. Na medida que as tensões com o Irã continuam a subir, o número de tropas que estão sendo enviadas para esta base provavelmente aumentará dramaticamente. O seguinte vem da CNN 

Quinhentos soldados devem ir para a Base Aérea Prince Sultan, localizada em uma área deserta a leste da capital saudita de Riad, de acordo com duas autoridades de defesa dos EUA. Um pequeno número de tropas e pessoal de apoio já está no local, com os preparativos iniciais para uma bateria de defesa antimísseis Patriot, bem como melhorias na pista e no aeródromo, disseram os oficiais. Os EUA querem manter as tropas lá por algum tempo, porque as avaliações de segurança mostraram que os mísseis iranianos teriam dificuldade em atingir a área remota.

Eu não sei quem está fazendo essas “avaliações de segurança”, porque a verdade é que os mísseis iranianos podem chegar facilmente a atingir essa base. Por um tempo, parecia que as coisas tinham esfriado um pouco no Oriente Médio e Golfo Pérsico, e muitos esperavam que a ameaça de um conflito iminente tivesse sido evitada.

Infelizmente, as coisas agora estão mais tensas do que nunca, e um único erro poderia desencadear uma cadeia de eventos que ninguém conseguiria mais parar (literalmente liberando às forças do inferno).

Na quinta-feira, o ministro das Relações Exteriores do Irã fez a seguinte declaração muito sinistra 

“Vivemos em um ambiente muito perigoso”, disse o ministro das Relações Exteriores iraniano, Javad Zarif, na quinta-feira nas Nações Unidas, antes que as notícias sobre o drone fossem divulgadas. “Os Estados Unidos se impuseram e ao resto do mundo provavelmente colocando todos à beira de um abismo”.


Uma nova Guerra dos EUA no Oriente Médio é inevitável?

Neste novo século, líderes de ambos os partidos (Democratas e Republicanos) mergulharam os EUA em pelo menos cinco guerras no Oriente Médio e Próximo … Nenhuma dessas guerras produziu uma vitória ou sucesso para nós. Mas, juntos, eles produziram um desastre estratégico e de direitos humanos multitrilionário.

Em outubro de 1950, quando as forças dos EUA estavam se recuperando do ataque das hordas de tropas chinesas que intervieram maciçamente na Guerra da Coréia, uma brigada turca de 5.000 homens chegou para deter um ataque de seis divisões chinesas. Disse o comandante supremo Gen. Douglas MacArthur:

“Os turcos são os heróis dos heróis. Não há impossibilidade (de ação) para a Brigada Turca”.

O presidente Harry Truman concedeu à brigada uma citação de unidade presidencial pelo feito dos turcos. Em 1951, a Turquia encerrou uma neutralidade que datava do final da Primeira Guerra Mundial e ingressou na OTAN. Nas sete décadas desde então, não houve crise mais grave nas relações entre os EUA e a Turquia do que a que eclodiu esta semana.

A Turquia acaba de receber os primeiros componentes de um sistema de defesa antimísseis e aéreo russo, o eficaz sistema S-400, apesar das advertências dos EUA de que isso exigiria o cancelamento da compra pela Turquia de 100 jatos F-35 Joint Strike Fighters.

“O caça F-35 não pode coexistir com uma plataforma de coleta de inteligência russa que será usada para aprender sobre suas capacidades avançadas”, disse a Casa Branca.

As primeiras partes de um sistema de defesa anti aérea de mísseis russo S-400 são descarregadas de um avião russo no aeroporto de Murted, conhecido como Base Aérea Akinci, perto de Ancara, na Turquia, em 12 de julho de 2019. (Crédito da foto: REUTERS)

A venda dos F-35 foi cancelada. Os pilotos e instrutores turcos que estavam treinando nos EUA estão sendo mandados para casa. Contratos com empresas turcas que produzem peças para o F-35 estão sendo encerrados. Sob a lei dos EUA, o governo também é obrigado a impor sanções à Turquia por comprar armas russas.

Quarta-feira, o Pentágono advertiu a Turquia contra a ação militar em uma área da Síria, onde as tropas dos EUA estão implantadas. Os turcos parecem estar concentrados em uma incursão contra as forças curdas sírias apoiadas pelos EUA que Ancara considera como aliados terroristas do movimento PKK curdo dentro da Turquia.

Como a América e a Turquia evitam uma colisão que poderia destruir a OTAN, onde os turcos são o segundo maior exército da aliança, não é fácil de ver uma solução. Os falcões dos EUA já estão pedindo a expulsão da Turquia da OTAN. E a expulsão de forças dos EUA e armas nucleares da base aérea de Incirlik na Turquia em retaliação que não está fora de questão.

O Presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan soa desafiador: “Começamos a receber nossas baterias antiaéreas de misseis S-400 da Rússia … Se Deus quiser, eles serão instalados em seus locais até abril de 2020.… Os S-400 são o sistema de defesa mais forte contra aqueles que querem atacar nosso país (uma menção indireta para ISRAEL).  Agora o nosso objetivo é a produção conjunta do sistema S-400 com a Rússia. Nós assim o faremos.”

Embora seja potencialmente o mais crucial dos recentes desenvolvimentos no Oriente Médio, a situação dos EUA e da Turquia não é a única na explosiva região do Oriente Médio e Golfo Pérsico. Os Emirados Árabes Unidos estão retirando suas forças do Iêmen enquanto o Congresso busca restringir o apoio dos EUA às forças sauditas que combatem os rebeldes houthis e sancionar a Arábia Saudita pelo assassinato do colunista Jamal Khashoggi, do Washington Post.

Se os Emirados Árabes Unidos saírem, e os EUA cortarem sua ajuda militar, os sauditas não podem prevalecer em uma guerra que não conseguiram vencer com a ajuda norte americana depois de quatro anos de luta. E se os Houthis vencerem, os sauditas e os árabes sunitas perderão e o Irã vencerá.

Nesta semana, para fortalecer a presença dos EUA em qualquer confronto com o Irã, o presidente Donald Trump está enviando mais 500 tropas adicionais para uma base na Arábia Saudita. Embora os EUA e o Irã tenham evitado, até agora, um confronto militar ou naval que poderia desencadear uma grande guerra incendiando toda a região do Golfo Pérsico e Oriente Médio, as sanções impostas por “pressão máxima” que Trump impôs estão sufocando a economia iraniana até a morte. Como isso terminará, em uma resolução negociada e não numa guerra generalizada na região continua difícil de ser visto.

Em Doha, no Catar, os EUA estão negociando com o Taleban as condições para a retirada das 14 mil tropas americanas que ainda estão no Afeganistão. E com os talibãs controlando mais a zona rural do país afegão que desde que foram expulsos do poder em 2001, e realizando atentados suicidas regulares em cidades e vilas afegãs, é difícil ver como esse regime de Cabul e seu exército prevalecem em uma guerra civil quando as forças americanas saírem, quando eles não puderam controlar a região enquanto nossos soldados lá estavam.

Neste novo século, “líderes” de ambos os partidos mergulharam nosso país em pelo menos cinco guerras no Oriente Médio e Próximo.

  • Em 2001, após expulsar o Taleban e expulsar a Al Qaeda, decidimos usar nosso poder e nossas ideias para construir um novo Afeganistão democrático. 
  • Em 2003, invadimos e ocupamos o Iraque para criar um bastião pró-ocidental no coração do Oriente Médio.
  • Em 2011, Barack Obama ordenou que aviões dos EUA atacassem as forças do coronel Gaddafi na Líbia. Nós o derrubamos. Obama então apoiou os rebeldes sírios para derrubar o ditador Bashar Assad. 
  • Em 2015, as forças dos EUA apoiaram uma guerra saudita para reverter a vitória dos rebeldes houthi na guerra civil do Iêmen.

Nenhuma dessas guerras produziu uma vitória ou obteve sucesso para nós a não ser na venda de um grande volume de armas e munições, gerando uma montanha de dinheiro para as grandes empresas do Complexo Industrial Militar.

Mas, juntos, os políticos, as forças armadas e os grandes conglomerados do Complexo Industrial Militar, todos produziram um desastre estratégico e de direitos humanos multitrilionário. Enquanto isso, a China avançou muito ao ver seu grande rival, a última superpotência do mundo, debatendo-se inutilmente nas guerras eternas do Oriente Médio, sempre defendendo os interesses de Israel.

“Grandes nações não lutam guerras sem fim”, disse Trump. Sim, elas lutam. Como os ingleses, franceses, alemães, japoneses e russos, e muito antes os romanos, mostraram no século passado, é assim que eles deixam de ser grandes nações.


{ Excerto do post: NWO-Nova Ordem Mundial: A missão anglo-saxônica – 2

Bill Ryan: Tudo bem. Então o que você está dizendo, é que há um plano a longo prazo que vem sendo decidido há algum tempo para definir a situação, para configurar o tabuleiro de xadrez, o tabuleiro de xadrez global, de modo que vai ser uma guerra contra a China . Isto é o que você está dizendo.

W: Sim, em poucas palavras. Você pode ter isso. É toda uma série de eventos, e muitos deles já se concretizaram. E outra vez eu só posso enfatizar que o tempo que resta parece ser crítico.

Bill Ryan: O que aconteceu, e que ainda está para acontecer, e qual é o plano eventual para o que querem que aconteça, se tudo que eles esperam e planejam venha a ocorrer?

A destruição da Mesquita do Domo da Rocha, em Jerusalém, em algum tipo de atentado, em um dos locais mais sagrados para o mundo árabe e muçulmano poderia ser um estopim para um conflito armado generalizado no Oriente Médio.

W: Bem, o plano é para que o fusível a ser usado (que inicie o processo para UM ÚLTIMO CONFLITO GLOBAL) seja o Oriente Médio mais uma vez, de uma maneira que faria os conflitos anteriores que aconteceram na região parecerem brincadeira. Essa nova situação de confronto vai envolver o uso de armas nucleares/atômicas (n.t. De ambos os lados, pois ISRAEL tem um arsenal com cerca de 220 ogivas atômicas, desenvolvidas na usina Nuclear de Dimona) e, novamente, é para criar uma atmosfera de caos e medo extremo, não só no Ocidente, mas em todo o mundo, em todo o planeta e para colocar em prática aquilo que eu mencionei como (a implantação de) um governo ocidental unificado e mundial totalitário  (n.t. A NWO,  Nova Ordem Mundial-New World Order), e para fazer isso a CHINA precisa ser retirada de cena, politica, econômica e socialmente, para que isso possa acontecer, segundo os planos de quem deseja essa  NWO-Nova Ordem Mundial.

Bill Ryan: Então pelo que estamos vendo aqui, eles estão matando dois pássaros com uma só pedrada. Eles estão usando isso como uma justificativa para criar o que muitos na internet tem chamado o  Governo Mundial Único (NWO – A Nova Ordem Mundial), exceto que não está incluindo a China. Você está falando sobre as nações ocidentais em aliança num bloqueio contra esta nova ameaça.

W: É especificamente as nações ocidentais, mas acho que também temos de incluir o Japão nisto também.

Bill Ryan: E o que dizer sobre a Rússia? Onde é que a Rússia entra nessa conspiração?

W: Eu acredito que a Rússia é um jogador também, mas eu não tenho provas. Por alguma razão ou outra a Rússia realmente não aparece por aqui, e é apenas uma suposição minha, é que o governo russo no momento está de mãos dadas com os agentes de controle que estão operando aqui no Ocidente.

Bill Ryan: Hum. Então você está dizendo isso porque nesta “reunião que você assistiu”, a Rússia não foi mencionada como um fator importante.

W: Não, nenhum fator. A única maneira que foi mencionada é que a ideia é criar uma situação de caos em todo o planeta. Isso mais tarde significaria o uso posterior de armas biológicas, a escassez generalizada de alimentos, o que afetará os países mais vulneráveis em todo o mundo, seguido por fome e doenças. A única menção que a Rússia entra aqui é uma estranha que não consigo explicar e talvez alguém possa. Eu realmente não posso colocar minha cabeça em torno deste fato. Mas dentro desta reunião, foi mencionado: “para fazer com que os militares chineses façam um ataque à região Leste da Rússia” (n.t. Onde estão as principais reservas de gás e petróleo e que é a principal fonte de receita da nação russa pelo seu grande volume de exportação desses itens).  Agora, não posso qualificar isso e por que isso foi mencionado na reunião – eu simplesmente não sei. FIM DE CITAÇÃO. }


A Matrix (o SISTEMA de CONTROLE MENTAL): “A Matrix é um sistema de controle, NEO. Esse sistema é o nosso inimigo. Mas quando você está dentro dele, olha em volta, e o que você vê? Empresários, professores, advogados, políticos, carpinteiros, sacerdotes, homens e mulheres… As mesmas mentes das pessoas que estamos tentando despertar. Mas até que nós consigamos despertá-los, essas pessoas ainda serão parte desse sistema de controle e isso as transformam em nossos inimigos. Você precisa entender, a maioria dessas pessoas não está preparada para ser desconectada da Matrix de Controle MENTAL. E muitos deles estão tão habituados, tão profunda e desesperadamente dependentes do sistema, que eles vão lutar contra você para proteger o próprio sistema de controle que aprisiona suas mentes …”


Sobre os Judeus Khazares, saiba mais acessando os links:


Mais informações sobre NWO, Illuminati, leitura adicional:

Permitida a reprodução desde que mantida a formatação original e mencione as fontes.

www.thoth3126.com.br

 

 

2 Responses to Risco de uma 3ª Guerra Mundial”: 5 fatos nas últimas 48 hs elevam probabilidades

  1. Gerty R.Matter

    Estão brincando de Deus…. se for desencadeada a terceira guerra mundial não sobrará pedra sobre pedra … pois os dois lados estão armados até os dentes.

  2. Gerty Matter

    Uma vez li em algum lugar que somos todos anjos caídos com uma segunda chance aqui na Terra…. se isso for verdade …. pelo jeito a maioria não quer saber dessa segunda chance… querem mais é que todos se danem….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.