browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Surgem suspeitas de que aeronave da Ucrânia foi abatida. Irã recusa ceder Caixa Preta para análise

Posted by on 08/01/2020

Mais detalhes suspeitos surgiram nas últimas horas, sobre a queda do Boeing 737-800 da Ukraine International Airlines, próximo ao aeroporto de Teerã, na medida em que os investigadores examinam com atenção as circunstâncias que levaram a aeronave a cair [aparentemente explodindo] do céu minutos após sua decolagem.  A Bloomberg relata que investigações estrangeiras sobre o que aconteceu serão, sem dúvida, dificultadas pelo regime iraniano, particularmente em meio a crescentes tensões com Washington.  Enquanto isso, surgiram mais evidências de que o jato foi vítima e foi abatido por uma falha no sistema de defesa antimísseis do Irã.

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

Irã se recusa a entregar dados da caixa preta de avião da Ukraine International Airlines. Surgem especulação de que aeronave foi acidentalmente abatida

Fonte: https://www.zerohedge.com/geopolitical/iran-refuses-hand-over-crash-data-stoking-speculation-plane-was-accidentally-shot-down

Com a multiplicação das teorias sobre a queda do avião, a embaixada ucraniana em Teerã alterou uma declaração anterior em seu site, na qual descartava o terrorismo. Em vez disso, não ofereceu comentários sobre as possíveis causas do acidente que matou 176 pessoas de sete nacionalidades. O acidente em Teerã lembrou a queda de um jato da Malaysia Airlines [voo MH-17] em 2014 por um míssil terra-ar enquanto sobrevoava o leste da Ucrânia, na região de Donbass, que acabou sendo atribuída aos rebeldes apoiados pela Rússia.

A Organização de Mitigação e Gerenciamento de Desastres do Irã disse que avaliações iniciais indicam que a causa é um problema técnico. O avião caiu às 6h18 dessa quarta-feira em Sabashahr, perto da capital iraniana.

Sob protocolos estabelecidos, o Irã lideraria qualquer investigação porque o acidente ocorreu em seu solo. O primeiro-ministro da Ucrânia, Oleksiy Honcharuk, disse que seu governo informou o Irã de que seus especialistas deveriam participar, embora os primeiros relatórios sugiram que Teerã esteja se movendo para impedir Kiev de ver a verdade completa.

O encobrimento de “algo” é tão óbvio que é quase embaraçoso.

O Irã se recusará a entregar dados da caixa preta do Boeing 737 que caiu sobre Teerã na noite passada à Boeing, alimentando especulações de que a aeronave foi abatida por um míssil iraniano. Vídeo de destroços do acidente, que mostra corpos despedaçados e detritos espalhados por uma ampla área agrícola, veio à tona nas mídias sociais, com parentes das vítimas no local dos destroços lamentando suas perdas.

Conforme relatamos durante essa madrugada , o Boeing 737 800, que é muito diferente do 737 MAX e tem um excelente histórico de segurança, caiu sobre Teerã apenas alguns minutos após a decolagem, matando todas as 176 pessoas a bordo.

A Ukraine International Airlines afirmou em comunicado que o avião que caiu estava em excelentes condições, acrescentando que era “um dos melhores aviões” da frota da UIA e que havia sofrido manutenção necessária apenas dois dias antes do acidente, informa a RT .

O Boeing 737-800, entregue à UIA em 2016, estava “em excelente estado” antes de seu último vôo de Teerã para Kiev, disse Evgeny Dykhne, presidente da empresa, a jornalistas em Kiev, também descrevendo a aeronave como “uma das melhores.” O vôo, com destino à capital ucraniana de Kiev, caiu do céu apenas alguns minutos depois de partir do Aeroporto Internacional Imam Khomeini, de acordo com a agência de notícias estatal IRNA.

“Ouvi uma explosão maciça e todas as casas começaram a tremer. Havia fogo por toda parte”, disse Din Mohammad Qassemi, iraniano que mora perto do local do acidente, à AP. “No começo, pensei que os americanos atingiram aqui com mísseis e entramos no porão procurando abrigo”, acrescentou Qassemi. “Depois de um tempo, saí e vi um avião caido por lá. Partes de corpos estavam espalhadas por toda parte”.

O acidente aconteceu logo após o avião deixar o aeroporto de Teerã na quarta-feira de manhã

Da noite para o dia, o boato apontou direto para erros mecânicos, que fizeram com que as ações da Boeing, já pressionadas pela queda dos dois  737 MAX, caíssem mais ainda, num momento que a empresa enfrenta vários problemas devido aos dois acidentes com quase 400 mortos com sua aeronave 737 Max 8.

O diretor de vôo da UIA, Ihor Sosnovsky, até descartou o erro do piloto como uma causa potencial do acidente, explicando que o voo infeliz foi pilotado por uma “tripulação reforçada”, incluindo o capitão Volodymyr Yaponenko, o instrutor de piloto Oleksiy Naumkin e o primeiro oficial Serhiy Khomenko.

Tudo isso faz com que a suspeita decisão do Irã de não permitir a análise dos dados da caixa preta seja mais suspeito ainda. E surge a inevitável pergunta: O avião foi acidentalmente atingido por um míssil iraniano? O momento certo parece suspeito, dado que o avião caiu sobre o Irã durante o mesmo período em que o país disparava uma salva de mísseis balísticos contra as bases norte americanas no Iraque.

Em nossa opinião, se o avião caísse sobre o Irã no momento em que o país estava lançando mísseis, bem, isso certamente seria uma coincidência, não é? Como afirmou um analista, “não havia como, em absoluto” o acidente ser causado por dificuldades mecânicas, oferecendo uma explicação que parece bastante convincente.

Todos os 176 passageiros e tripulantes a bordo do avião morreram no acidente, disseram autoridades. (AP)

Então, como um negociante explora isso? A jogada mais óbvia seria dar uma olhada nas ações da Boeing. Se for confirmado que o fabricante e a companhia aérea não são os culpados pelo acidente, imaginamos que as ações da Boeing se recuperem.

A maioria dos passageiros a bordo fazia vôos de conexão pelo aeroporto Boryspil de Kiev, o principal centro de conexões da UIA. Entre os mortos estavam cidadãos do Irã, Canadá, Alemanha, Reino Unido, Suécia e Afeganistão.  O presidente ucraniano Volodymyr Zelensky instruiu o governo a iniciar uma investigação e a “considerar todas as versões possíveis [do acidente]”.

A Boeing lançou uma investigação sobre o acidente, enquanto o Irã lançou uma investigação criminal – ou o que pode ser descrito com mais precisão como uma caçada a um bode expiatório. Em outras notícias, uma lista completa de passageiros foi divulgada pela companhia aérea ucraniana.

One Response to Surgem suspeitas de que aeronave da Ucrânia foi abatida. Irã recusa ceder Caixa Preta para análise

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.