browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Três principais oficiais da Inteligência russos visitam os Estados Unidos

Posted by on 11/02/2018

Nada igual a isso jamais aconteceu antes, mesmo no melhor dos tempos. Os líderes das três principais agências de inteligência russas visitaram os EUA simultaneamente. Este foi um evento extraordinário e sem precedentes, especialmente num momento em que essa relação se deteriorou muito. Talvez nunca possamos saber o que as autoridades falaram, mas o próprio fato de ter havido a reunião fala por si mesmo. Realmente é impossível subestimar sua importância. 

Tradução, edição e imagensThoth3126@protonmail.ch

Inédito e surpreendente: Três principais oficiais da Inteligência russos visitam os Estados Unidos

Fonte: https://www.strategic-culture.org/

Sergei Naryshkin, o chefe de inteligência estrangeira, Alexander Bortnikov, que dirige o Serviço de Segurança Federal e o tenente-general (duas estrelas) Igor Korobov, chefe da inteligência militar da Rússia, visitaram Washington no final de janeiro. Nem muito foi vazado para a mídia, mas foi relatado que se encontraram com o diretor da CIA, Mike Pompeo. Não  houve segredo sobre a  visita  ou tentativas de silenciamento.

 O embaixador russo para os EUA, Anatoly Antonov,  mencionou o evento na televisão. Ele afirmou que a visita foi um sucesso e que, apesar da aparente extrema tensão entre os dois países, suas agências de inteligência continuaram a cooperar. Como ele disse: “A política é política, o trabalho é trabalho. Existem proclamações políticas, e há um trabalho real”.

Pelo menos um dos visitantes russos é afetado pelas restrições de sanções. Obviamente, o presidente Donald Trump permitiu sua visita, pois ele é o único que está autorizado a cancelar temporariamente  essas restrições. Sem dúvida, houve uma discussão sobre a ameaça terrorista representada pelo Serviço Federal de Segurança, mas essa equipe foi liderada pelo Sr. Naryshkin. 

As negociações sobre os esforços conjuntos para combater o terrorismo internacional poderiam ter sido realizadas em qualquer lugar. Tais contatos entre as agências de inteligência não exigem que os altos funcionários dirijam as delegações. Assim, é preciso e necessariamente concluir que as negociações abordaram uma agenda muito mais ampla – deve haver algo realmente significativo para discutir, com uma agenda não limitada a apenas uma ou duas questões.

Houve um contexto particular para este evento. É importante notar que Kurt Volker, o Representante Especial dos EUA para a Ucrânia, e Vladislav Surkov, o principal assessor do presidente russo, também se  encontraram  no final de janeiro em Dubai. O oficial americano é conhecido por seus períodos na CIA. Muitos observadores acharam bastante surpreendente que o presidente Trump não tenha dito nada crítico sobre a Rússia em suas  declarações  no Fórum Econômico Mundial de Davos em 26 de janeiro.

Durante sua estadia na Suíça, o presidente dos EUA  estava muito ocupado  para conhecer o presidente ucraniano Poroshenko, mas  conseguiu Encontrar tempo  para conversas  com o seu “amigo” Presidente ruandês Paul Kagame! O esperado efeito da “Kremlin List” não foi mais que um passo administrativo sem sentido.

Houve  relatos de  que Washington tem procurado maneiras de melhorar os seus laços com a Rússia. Os principais líderes militares dos dois países se conheceram em setembro passado para discutir a Síria. Mais eventos são  planejados  para o futuro. Os dois chefes do escritório estrangeiro regularmente realizam reuniões privadas. E 05 de fevereiro foi uma data importante – ambas as partes informaram que  tinham  cumprido as suas  obrigações  no âmbito do Tratado Novo Start.

Este é o momento em que a maré está começando a virar, na medida que o Presidente Trump está vendo algum sucesso de seus esforços para minar a confiança do público na investigação Russiagate. O presidente está em franca ofensiva. Donald Trump deu permissão para lançar um  memorando (FISA), que alega que houve um abuso de poder pelo FBI e pelo Departamento de Justiça na investigação sobre a alegada tentativa da Rússia nas eleições presidenciais dos EUA. 

O documento abre uma luz sobre o papel do “estado (DEEP STATE) profundo” na América e sua influência (Controle) na mídia. Ele fornece uma pista sobre quem levantou o hullabaloo sobre o “Russiagate” e por que, e mostra que o “estado (DEEP STATE) profundo” esta pronto para ir a qualquer extensão para estragar o relacionamento dos EUA com a Rússia e atolar o governo de Donald Trump.

Com o crescimento da economia dos EUA, o presidente Trump sentiu-se forte o suficiente para aprovar a visita. Isso mostra, melhor que qualquer outro exemplo, que a Rússia é muito importante para não se conversar mais. Os dois poderes mundiais precisam estar envolvidos em diálogo e as questões são muito vitais para ignorar ou varrer sob o tapete. O presidente Trump nunca evitou alegar que ele quer reparar esse relacionamento. Em suas próprias palavras“Putin é muito importante”. 

É um segredo aberto que a química pessoal entre os líderes pode desempenhar um papel muito importante no início do processo de reconciliação. Com o memorando (FISA) lançado e o “Russiagate” indo a lugar nenhum, o presidente pode ter mais apoiantes no Congresso após as eleições de meio período de 2018. A política dos EUA sobre a Rússia pode ser uma das coisas a mudar.

As chances são escassas da Rússia e os Estados Unidos tornam-se parceiros próximos. Isso torna o engajamento, a “desconfirmação” e a interação em certas áreas ainda mais importantes. Os contatos entre os chefes de inteligência indicam que as partes são sérias em trazer mudanças positivas. Talvez nunca possamos saber o que as autoridades falaram, mas o próprio fato de ter havido a reunião fala por si mesmo. Realmente é impossível subestimar sua importância. Parece que pode haver uma luz no final do túnel.


Matrix (o SISTEMA de CONTROLE)

“A Matrix é um sistema de controle, NEO. Esse sistema é o nosso inimigo. Mas quando você está dentro dele, olha em volta, e o que você vê? Empresários, professores, advogados, políticos, carpinteiros, sacerdotes, homens e mulheres… As mesmas mentes das pessoas que estamos tentando despertar. 

Mas até que nós consigamos despertá-los, essas pessoas ainda serão parte desse sistema de controle e isso as transformam em nossos inimigos. Você precisa entender, a maioria dessas pessoas não está preparada para ser desconectada da Matrix de Controle. E muitos deles estão tão habituados, tão profunda e desesperadamente dependentes do sistema, que eles vão lutar contra você  para proteger o próprio sistema de controle que aprisiona suas mentes …” 


Mais informações, leitura adicional:

Permitida a reprodução desde que mantida a formatação original e mencione as fontes.

thoth(172x226)www.thoth3126.com.br

12 Responses to Três principais oficiais da Inteligência russos visitam os Estados Unidos

  1. Silvio J. B. Maia

    Com certeza união inominada das forças do lado capitalista, contra o desvirtuamento do comunismo de antes, dando lugar a uma nova união.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *