browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Tribunal da Alemanha julga e decide que imposição de Bloqueios COVID-19 são Inconstitucionais

Posted by on 27/01/2021

Tribunal da Alemanha julga caso de cidadão acusado de violação e decide que a imposição do governo de Bloqueios COVID-19 são Inconstitucionais: Um tribunal alemão em uma decisão histórica declarou que os bloqueios de COVID-19 impostos pelo governo são inconstitucionais. O bloqueio de primavera da Turíngia foi uma “decisão política catastroficamente errada com consequências dramáticas para quase todas as áreas da vida das pessoas”, disse o tribunal, justificando sua decisão.

Tradução, edição e imagensThoth3126@protonmail.ch

Um tribunal alemão em uma decisão histórica declarou que os bloqueios de COVID-19 impostos pelo governo da Alemanha são inconstitucionais e ilegais.

Fonte: GreatGameÍndia.com

“O bloqueio de primavera da Turíngia foi uma “decisão política catastroficamente errada com consequências dramáticas para quase todas as áreas da vida das pessoas”, disse o tribunal, justificando sua decisão.

Um tribunal distrital alemão declarou que o bloqueio draconiano imposto pelo governo do estado central da Turíngia na primavera passada é inconstitucional, pois absolveu uma pessoa acusada de violá-lo.

O caso em julgamento pela corte alemã era sobre um homem acusado de violar as rígidas regras de bloqueio alemão ao comemorar um aniversário com seus amigos. O tribunal distrital da cidade de Weimar não apenas absolveu o réu, mas também declarou que as próprias autoridades violaram a lei básica da Alemanha.

O bloqueio de primavera da Turíngia foi uma “decisão política catastroficamente errada com consequências dramáticas para quase todas as áreas da vida das pessoas”, disse o tribunal, justificando sua decisão.

Foi esse regulamento que um homem local violou ao hospedar uma festa com a presença de seus sete amigos. No entanto, o juiz disse que o próprio governo regional violou a “dignidade humana inviolável garantida” garantida pelo Artigo 1 da lei básica alemã em primeiro lugar ao impor tais restrições draconianas.

De acordo com o tribunal, o governo não tinha fundamento legal suficiente para impor as restrições, uma vez que não havia “situação epidêmica de importância nacional” naquela época e o sistema de saúde não corria risco de colapso, já que o Instituto Robert Koch relatou que o Covid-19 o número de reprodução caiu abaixo de 1.

O juiz também determinou que o governo regional não tinha o direito de introduzir tais medidas de longo alcance, uma vez que cabia aos legisladores fazê-lo e não ao executivo.

O bloqueio imposto na Turíngia representou “as restrições mais abrangentes e de longo alcance aos direitos fundamentais na história da República Federal da Alemanha”, disse o tribunal ao chamar as medidas de um ataque “desproporcional às fundações de nossa sociedade”.

A sentença afirma de forma factual na decisão judicial da Alemanha que diz :

Em nenhum momento ocorreu um perigo concreto de sobrecarga do sistema de saúde na Alemanha por uma “onda” de pacientes com COVID-19 . Como pode ser visto no Registro de Terapia Intensiva DIVI, que foi criado em 17 de março de 2020, pelo menos 40% dos leitos de terapia intensiva na Alemanha ficaram vagos em março e abril. Dentro do estado da Turíngia, 378 leitos de terapia intensiva foram informados como ocupados em 3 de abril de 2020, apenas 36 dos quais ocupados por pacientes COVID-19. Isso foi comparado a 417 leitos desocupados.

Em 16 de abril de 2020, dois dias antes da promulgação do decreto, 501 leitos de terapia intensiva foram informados como ocupados, sendo apenas 56 deles com pacientes COVID-19. Isso contrastou com 528 leitos desocupados … O número máximo de pacientes COVID-19 relatados na Turíngia na primavera foi de 63 em 28 de abril, e o número de pacientes COVID-19, portanto, em nenhum momento houve uma faixa onde uma sobrecarga de cuidados de saúde sistemática poderia ter sido temido .

Esta avaliação dos reais perigos representados pelo COVID-19 na primavera de 2020 é confirmada por uma análise de dados de faturamento de 421 hospitais pela Quality Medicine Initiative, que concluiu que o número de casos de SARI (infecção respiratória aguda grave) tratados como pacientes internados na Alemanha no primeiro semestre de 2020, totalizando 187.174 casos, foi realmente menor do que no primeiro semestre de 2019 (com 221.841 casos registrados), embora incluísse os casos de SARI relacionados com COVID.  O número de casos de terapia intensiva e o uso de ventilação mecânica também foi menor no primeiro semestre de 2020 do que em 2019 , de acordo com esta análise.

As estatísticas de mortalidade pintam um quadro semelhante. De acordo com uma análise especial do Federal Statistical Office, 484.429 pessoas morreram na Alemanha no primeiro semestre de 2020, em comparação com 479.415 no primeiro semestre de 2019, 501.391 em 2018, 488.147 em 2017 e 461.055 em 2016. Assim, em ambos 2017 e 2018, houve mais mortes na primeira metade do ano do que em 2020 [apesar da “grave” pandemia Covid-19].

As projeções assustadoras que influenciaram significativamente a decisão do governo de bloqueio na primavera também foram baseadas em “equívocos sobre a letalidade do vírus” (conhecida como taxa de mortalidade por infecção = IFR) e sobre a existência ou falta de imunidade básica ao vírus na população.

Segundo um metaestudo do cientista, médico e estatístico John P. A. Ioannidis, um dos cientistas mais citados do mundo, publicado em outubro 2020 no boletim da OMS, a letalidade média do Covid-19 é de 0,27%, corrigida para 0,23%, que não é superior a nenhuma das epidemias moderadas de influenza [GRIPE comum]. (FONTE)

Anteriormente, um juiz federal americano julgou as restrições ao coronavírus na Pensilvânia como inconstitucionais .

As restrições à pandemia do governador da Pensilvânia, Tom Wolf, que exigiam que as pessoas ficassem em casa, impuseram limites de pessoas presentes às reuniões e ordenou o fechamento de empresas “não sustentáveis”, são inconstitucionais, decidiu o juiz distrital dos EUA William Stickman IV.

No ano passado, conforme relatado pelo GreatGameIndia , um tribunal de apelações português  decidiu que os testes de PCR não são confiáveis ​​e que é ilegal colocar as pessoas em quarentena apenas com base em um teste de PCR .

E apenas recentemente, a Organização Mundial da Saúde (OMS) mudou seus critérios de teste de PCR para encobrir falsos positivos e alertou os especialistas para não confiarem apenas nos resultados de um teste de PCR para detectar o coronavírus.


Questione tudo, nunca aceite nada como verdade sem a sua própria análise, chegue às suas próprias conclusões.


“Parece duvidoso se, de fato, a política de “Botas no rosto” pode continuar indefinidamente.  Minha própria convicção é que a oligarquia governante encontrará maneiras menos árduas e perdulárias de governar e de satisfazer sua ânsia de poder, e essas formas serão semelhantes às que descrevi em Admirável Mundo Novo [uma verdadeira profecia publicada em 1932]Na próxima geração, acredito que os governantes do mundo descobrirão que o condicionamento INFANTIL e a narco-hipnose são mais eficientes, como instrumentos de governo, do que e prisões e campos de concentração, e que o desejo de poder pode ser completamente satisfeito sugerindo às pessoas que amem sua servidão ao invés de açoita-los e chutando-os até à obediência. ”  Carta de Aldous Huxley  EM 1949 para George Orwell autor do livro “1984”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.