browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Um novo padrão-ouro: será de forma ordeira ou virá pelo caos ?

Posted by on 10/01/2020

Um padrão-ouro é um sistema monetário no qual a unidade  econômica de conta padrão é baseada em uma quantidade fixa de  ouro que garante o valor de toda a moeda em circulação. O padrão-ouro como lastro das moedas dos países foi amplamente utilizado no século XIX até o início do século XX. A maioria das nações abandonou o padrão ouro como base [garantidor] de seus sistemas monetários em algum momento do século XX, embora muitos ainda possuam  reservas  substanciais de ouro, com a Rússia e a China aumentando suas reservas consideravelmente nos últimos anos.

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

Um novo padrão-ouro: será de forma ordeira ou virá pelo caos ?

Fonte:  https://dailyreckoning.com/a-new-gold-standard-orderly-or-chaotic/

Sentenças entre [ ] são observações de autoria do tradutor.

Durante o século passado, os sistemas monetários mudam a cada 30 a 40 anos, em média. Antes de 1914, o sistema monetário global era baseado no padrão-ouro clássico. Então, em 1945, um novo sistema monetário surgiu em Bretton Woods. Eu estava em Bretton Woods no verão passado para comemorar seu 75º aniversário.

[A Reunião em Bretton Woods: Preparando-se para reconstruir o sistema econômico internacional enquanto a Segunda Guerra Mundial ainda ocorria, 730 delegados de todas as 44 nações aliadas se reuniram no Mount Washington Hotel, em Bretton Woods, New Hampshire , Estados Unidos, para a Conferência Monetária e Financeira das Nações Unidas, também conhecida como a Conferência de Bretton Woods]. 

Sob esse novo sistema, o dólar dos EUA se tornou a moeda de reserva global, vinculada ao ouro a US$ 35 por onça. Em 1971, o presidente Richard Nixon encerrou a conversibilidade direta do dólar em ouro. Pela primeira vez, o sistema monetário [as moedas] não tinha mais a garantia do ouro. Hoje, o sistema monetário existente tem quase 50 anos, então o mundo está atrasado para uma mudança. O ouro deve mais uma vez desempenhar um papel de liderança.

Escrevo e falo publicamente há anos sobre as perspectivas da implantação de um novo padrão-ouro. Minha análise é direta. Os números monetários internacionais têm uma escolha. Eles podem reintroduzir o ouro [como garantia] no sistema monetário de maneira estrita ou frouxa (como um “preço de referência” na tomada de decisões sobre política monetária).

Isso pode ser feito como resultado de uma nova conferência monetária, à la Bretton Woods. Poderia ser organizado por algum poder de convocação, provavelmente os EUA trabalhando com a China. Ou eles podem ignorar o problema, deixar uma crise da dívida se materializar (que ocorrerá nas taxas de juros e nos mercados de câmbio) e assistir ao ouro subir para US$ 14.000 por onça ou mais, não porque eles quisessem, mas porque o sistema está fora do ar. ao controle. [1 onça equivale a 28.3495 gramas]

Eu também disse que uma nova conferência antes da dissolução dos mercados é mais desejável, mas o último curso (o caos) é mais provável que aconteça. Uma conferência monetária seria muito preferível. Por que não evitar o descarrilhamento do trem, em vez de consertar seus destroços? Mas o problema provavelmente será ignorado até que seja tarde demais. De qualquer maneira, o preço do ouro dispara.

A mesma força que fez do dólar a moeda de reserva mundial agora está trabalhando para destroná-lo [junto com a especulação desenfreada nos principais mercados financeiros do planeta, que se tornou um imenso cassino]. Foi em Bretton Woods que o dólar foi oficialmente designado a principal moeda de reserva do mundo – uma posição que ainda hoje ocupa.

Sob o sistema de Bretton Woods, todas as principais moedas estavam atreladas ao dólar a uma taxa de câmbio fixa. O próprio dólar estava atrelado ao ouro à taxa de US$ 35 por onça. Indiretamente, as outras moedas tinham um valor fixo de ouro por causa de sua vinculação ao dólar.

Outras moedas poderiam se desvalorizar em relação ao dólar e, portanto, ao ouro, se recebessem permissão do Fundo Monetário Internacional (FMI). No entanto, o dólar não podia se desvalorizar, pelo menos em teoria. Esta era a pedra angular de todo o sistema – destinado a ser permanentemente ancorado ao ouro. De 1950 a 1970, o sistema de Bretton Woods funcionou bastante bem. Os parceiros comerciais dos EUA que ganhavam dólares poderiam descontar esses dólares no Tesouro dos EUA e ser pagos em ouro à taxa fixa.

Em 1950, os EUA tinham cerca de 20.000 toneladas de ouro depositados em suas reservas. Em 1970, esse valor havia sido reduzido para menos da metade, cerca de 9.000 toneladas. O declínio de 11.000 toneladas foi para pagar parceiros comerciais dos EUA, principalmente Alemanha, França e Itália, que ganharam dólares e os trocaram por ouro.

A libra esterlina, a moeda do Reino Unido ocupava anteriormente o papel de moeda de reserva dominante desde 1816, após o fim das Guerras Napoleônicas e a adoção oficial do padrão ouro pelo Reino Unido. Muitos observadores assumem que a conferência de Bretton Woods de 1944 foi o momento em que o dólar americano substituiu a libra esterlina como a principal moeda de reserva do mundo.

Aproximadamente 15 anos atrás (em torno de 1994) – durante a administração Bill Clinton [acho que Robert Rubin, o senhor Alan Greenspan e Lawrence Summers participaram] – entre 1,3 e 1,5 milhões de barras de tungstênio pesando 400 onças-oz foram supostamente produzidas por uma empresa muito hightech, uma refinaria sofisticada dos EUA [foram refinadas mais de 16 milhares de toneladas métricas]. Posteriormente 640 mil destas barras de tungstênio receberam seus chapeamento de ouro e foram enviadas à FORT KNOX como se fossem ouro puro e permanecem lá até hoje como “as reservas [FALSAS] de ouro dos EUA”. FONTE.

De fato, essa substituição da libra esterlina pelo dólar como principal moeda de reserva do mundo foi um processo que levou 30 anos, de 1914 a 1944. De fato, o período de 1919 a 1939 foi realmente aquele em que o mundo tinha duas principais moedas de reserva – dólares e libras esterlinas – operando lado a lado [ambas garantidas pelo ouro].

Finalmente, em 1939, a Inglaterra suspendeu os embarques de ouro para combater a Segunda Guerra Mundial que se iniciava e o papel da libra esterlina como reserva confiável de valor diminuiu bastante. A conferência de Bretton Woods de 1944 foi apenas o reconhecimento de um processo de domínio da reserva do dólar iniciado em 1914.

A importância do processo pelo qual o dólar substituiu a libra esterlina em um período de 30 anos tem enormes implicações para todos hoje. A derrapagem no papel do dólar como principal moeda de reserva global não é necessariamente algo que aconteceria da noite para o dia, mas é mais provável que seja um processo lento e constante e no final caótico.

Sinais disso já são BEM visíveis. Em 2000, os ativos em dólar representavam cerca de 70% das reservas globais. Hoje, o número comparável é de cerca de 62%, uma diminuição rápida de 8% em apenas 19 anos. Se essa tendência de queda continuar, é possível ver facilmente o dólar cair abaixo de 50% como reserva global em um futuro não muito distante [bem menos do que os 19 anos iniciais].

É igualmente óbvio que um grande país credor dos dólares dos EUA está surgindo para desafiar os EUA hoje, assim como os EUA surgiram para desafiar o Reino Unido em 1914. Esse poder é a China. Os EUA tiveram grandes entradas de ouro entre 1914 e 1944. A China tem experimentado entradas maciças de ouro nos últimos anos.

As reservas de ouro no Banco Popular da China (PBOC) aumentaram para 1948,31 toneladas no quarto trimestre de 2019. Para comparação, possuía 1.658 toneladas em junho de 2015. Mas a China adquiriu milhares de toneladas métricas desde então sem relatar essas aquisições ao FMI ou ao World Gold Council. Com base nos dados disponíveis sobre importações e na produção das minas de ouro chinesas, o governo chinês e as participações privadas de posse de ouro provavelmente são muito mais altas. É difícil identificar porque a China opera através de canais secretos e não informa oficialmente suas reservas de ouro, exceto em intervalos raros.

A aquisição de ouro da China não é o resultado de um padrão ouro formal, mas está acontecendo por meio de aquisições furtivas no mercado. Eles estão usando inteligência e ativos militares, operações secretas e manipulação de mercado. Mas o resultado é o mesmo. O ouro está fluindo para a China nos últimos anos, assim como o ouro fluiu para os EUA antes de Bretton Woods.

A China não está sozinha em seus esforços para alcançar o status de credor e adquirir cada vez mais ouro. A Rússia também aumentou consideravelmente suas reservas de ouro nos últimos anos ao mesmo tempo que reduziu drasticamente suas reservas em dólares dos EUA e o país tem pouca dívida externa. O movimento para acumular ouro na Rússia não é segredo e, como disse o conselheiro de Putin, Sergey Glazyev, [que é político e economista russo, consultor do presidente da Federação Russa de integração econômica regional, membro do Conselho Financeiro Nacional do Banco da Rússia e, desde 2008, membro pleno da Academia Russa de Ciências] ao Russian Insider, “o rublo hoje é a moeda mais lastreada em ouro do mundo”.

ASSISTA VÍDEO SOBRE AS BARRAS DE OURO FALSAS PRODUZIDAS COM TUNGSTÊNIO:

O IRÃ também importou grandes quantidades de ouro, principalmente através da Turquia e Dubai, embora ninguém saiba a quantidade exata, porque as importações iranianas de ouro são um segredo de estado. Outros países, incluindo Brasil, Índia e África do Sul, membros do BRICS, juntaram-se à Rússia e à China no desejo de se libertar do domínio do dólar americano.

A libra esterlina enfrentou um único rival em 1914, o dólar americano. Hoje, o dólar enfrenta uma série de poderosos rivais. O declínio do dólar como moeda de reserva começou em 2000 com o advento do euro da união europeia e acelerou em 2010 com o início de uma nova guerra cambial.

O colapso do dólar como moeda de reserva já começou e a necessidade de uma nova ordem monetária global precisará emergir. A questão é se será um processo ordenado resultante de uma nova conferência monetária ou se será através do caos da quebra do sistema atual. Infelizmente, provavelmente será caótico. Não conte com as “elites” para agir a tempo de evitar uma crise monetária sem precedentes [justamente porque o CAOS é a agenda oculta das elites para criar uma última crise econômico-financeira para propor uma solução que lhes dará o controle definitivo do planeta].

Saudações, Jim Rickards, para The Daily


– Os norte americanos estão no seu momento mais vulnerável;
– Eles estão vulneráveis porque são preguiçosos mentalmente;
– Eles são preguiçosos mentalmente porque são ingênuos;
– Eles são ingênuos, porque eles são ignorantes; 
– Eles são ignorantes porque são desinformados deliberadamente; 
– Eles são desinformados deliberadamente porque acreditam em seu governo e mídia nacional !!! 
– ASSIM COMO TODOS OS DEMAIS POVOS DA TERRA …

Muito mais informações, leitura adicional:

Permitida a reprodução desde que mantida a formatação original e mencione as fontes.

thoth(172x226)www.thoth3126.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.