browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Voluntário do Brasil da vacina COVID-19 da AstraZeneca morre, testes continuam

Posted by on 22/10/2020

No que parece ser a pior notícia sobre qualquer um dos principais candidatos à vacina COVID-19, um jovem paciente [28 anos] inscrito nos testes para a vacina candidata COVID-19 do laboratório AstraZeneca (que está trabalhando com Oxford University patrocinado pela Fundação Bill & Melinda Gates) morreuA autoridade sanitária brasileira Anvisa anunciou quarta-feira que um dos voluntários que participava do estudo havia morrido. A notícia levou os ADRs da empresa ao menor nível desde abril, de acordo com a Reuters. Em meados de setembro outros dois participantes de testes tiveram reações a vacina também  sendo testada pelo AstraZeneca. Nos EUA a FAA suspendeu a realização da Fase dois dos testes da vacina da AstraZeneca.

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

Um Voluntário do Brasil da vacina COVID-19 AstraZeneca morre, testes continuam

Fonte:  Reuters

“Em 17 de setembro anúncio de segundo participante dos testes com reação adversa à vacina teve que ser feito pela farmacêutica AstraZeneca, que desenvolve vacina contra o coronavírus em parceria com a Universidade de Oxford e patrocinado pela Fundação Bill & Melinda Gates. Segundo Mark Slifka, especialista em vacinas da Universidade de Oregon de Saúde e Ciência, citado pelo The New York Times“se existem dois casos, então começa a parecer uma tendência perigosa. Caso um terceiro caso de uma [rara] doença neurológica se manifeste no grupo de voluntários vacinados, essa vacina pode ser ENCERRADA”. [bem o TERCEIRO CASO agora envolve a “morte” de um voluntário dos testes …]  FONTE


SÃO PAULO / FRANKFURT (Reuters) – A agência sanitária Anvisa, autoridade brasileira em saúde pública disse nesta quarta-feira que um voluntário em teste clínico para desenvolvimento da vacina COVID-19, desenvolvida pelo laboratório  AstraZeneca AZN.L e pela Universidade de Oxford morreu, mas acrescentou que o ensaio vai continuar.

A Universidade de Oxford confirmou o plano de continuar os testes de produção da vacina Covid-19, dizendo em um comunicado que após uma avaliação cuidadosa “não houve preocupações sobre a segurança do ensaio clínico”A AstraZeneca não quis comentar imediatamente a ocorrência .

Uma fonte familiarizada com o assunto disse à Reuters que o ensaio teria sido suspenso se o voluntário que morreu tivesse recebido a vacina COVID-19, sugerindo que a pessoa fazia parte do grupo de controle que recebeu uma vacina contra meningite.

A Universidade Federal de São Paulo, que está ajudando a coordenar os estudos clínicos de fase 3 no Brasil, disse que um comitê de revisão independente também recomendou a continuação do estudo. A Universidade de Oxford confirmou anteriormente que o voluntário para os testes da vacina era brasileiro, mas não deu mais detalhes pessoais.

“Tudo está ocorrendo conforme o esperado, sem nenhum registro de complicações graves relacionadas à vacina envolvendo nenhum dos voluntários participantes”, afirmou a universidade brasileira em nota. Até agora, 8.000 dos 10.000 voluntários planejados para o ensaio foram recrutados e receberam a primeira dose em seis cidades do Brasil, e muitos já receberam a segunda injeção, disse um porta-voz da universidade.

A CNN Brasil informou que o voluntário era um homem de 28 anos que morava no Rio de Janeiro e morreu por complicações do COVID-19. A Anvisa não deu maiores detalhes, citando o sigilo médico dos envolvidos nos ensaios.  As ações da AstraZeneca caíram 1,8%.

O governo federal do Brasil tem planos de comprar a vacina do Reino Unido e produzi-la no centro de pesquisa biomédica FioCruz no Rio de Janeiro, enquanto uma vacina concorrente da chinesa Sinovac Biotech Ltd SVA.O está sendo testada pelo centro de pesquisas do estado de São Paulo Instituto Butantan. O presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, disse na quarta-feira que o governo federal não vai comprar a vacina chinesa Sinovac.

O Brasil tem o segundo surto mais letal do coronavírus, depois dos Estados Unidos, com mais de 154.000 mortos.  Possui o terceiro maior número de casos, com mais de 5,2 milhões de infectados, depois dos Estados Unidos e da Índia.

Reportagem de Eduardo Simões em São Paulo e Ludwig Burger em Frankfurt; reportagem adicional de Ricardo Brito e Anthony Boadle em Brasília e Alistair Smout em Londres; escrito por Jake Spring; edição por Jonathan Oatis e Rosalba O’Brien


“E ouvireis de guerras e de rumores de guerras; olhai, não vos assusteis, porque é mister que isso tudo aconteça, mas ainda não é o fim.  Porquanto se levantará nação contra nação, e reino contra reino, e haverá FOMES, PESTES e TERREMOTOS, em vários lugares. Mas todas estas coisas são [APENAS] o princípio de dores. – Mateus 24:6-8

“E faz que a todos, pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e servos, lhes seja posto um sinal na sua mão direita, ou nas suas testas, Para que ninguém possa comprar ou vender, senão aquele que tiver o sinal, ou o nome da besta, ou o número do seu nome. Aqui há sabedoria. Aquele que tem entendimento, calcule o número da BESTA; porque é o número de um homem, e o seu número é seiscentos e sessenta e seis[666]“.  –  Apocalipse 13:16-18


Mais informações, leitura adicional:

Permite reproduzir desde que mantida a formatação original e a conversão como fontes.

phi-cosmoswww.thoth3126.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.