Entre ou
Cadastre-se

Compartilhe
Receba nosso conteúdo

A Farsa Pandêmica do Covid-19 serviu de Balão de Ensaio para a Nova Ordem Mundial

Mensagem do Arcebispo Carlo Maria Viganò aos médicos da Covid Ethics International (MD4CE International): Tenho o prazer de poder falar e compartilhar com vocês meus pensamentos sobre a atual crise global. Uma crise que podemos considerar iniciada com a emergência pandêmica, mas que sabemos que foi planeada durante décadas com propósitos muito específicos E por personalidades conhecidas. Deter-nos apenas na pandemia seria, de fato, um erro grave, porque não nos permitiria considerar os acontecimentos na sua plena coerência e interligação, impedindo-nos assim de os compreender e, sobretudo, de identificar as intenções criminosas por detrás deles.

A Farsa Pandêmica do Covid-19 serviu de balão de ensaio para a Nova Ordem Mundial

Fonte: LifeSiteNews

‘Não pode haver neutralidade, porque quando há um confronto entre dois exércitos, aqueles que optam por não lutar também estão fazendo uma escolha que afeta o resultado da batalha.’ – Arcebispo Carlo Maria Viganò

Caros e distintos amigos: Permitam-me antes de tudo agradecer ao Doutor Stephen Frost pelo convite que me fez para falar com vocês. Junto com o Doutor Frost, também agradeço a todos vocês: seu compromisso com a luta contra a propaganda psico pandêmica é louvável. 

Estou bem ciente das dificuldades que tiveram de enfrentar para se manter coerente com os seus princípios, e espero que os danos que sofreram possam ser adequadamente reparados por aqueles que os discriminaram, privando-os de trabalho e salários e rotulando-os, vocês como perigosos anti vacinas.

Tenho o prazer de poder falar e compartilhar com vocês meus pensamentos sobre a “atual crise global”.  Uma crise que podemos considerar iniciada [intencionalmente] com a emergência pandêmica, mas que sabemos que foi planeada durante décadas com propósitos muito específicos por [muitas] personalidades conhecidas. 

Deter-nos apenas na pandemia covid-19 seria, de fato, um erro grave, porque não nos permitiria considerar os acontecimentos na sua plena coerência e interligação, impedindo-nos assim de os compreender e, sobretudo, de identificar as intenções criminosas por detrás deles. Vocês também – cada um com sua própria experiência nos campos médico, científico, jurídico ou outros – concordará comigo que limitar-se à sua própria disciplina, que em alguns casos é extremamente específica, não explica totalmente a razão de certas escolhas que têm sido feitas por políticos de governos, organismos internacionais e agências de saúde pública. 

Por exemplo, encontrar material “semelhante ao grafeno” no sangue de pessoas que foram inoculadas com soros experimentais [apelidados de “vacina”] não faz sentido para um virologista, mas faz sentido para um especialista em nanomateriais e nanotecnologia que entende para que serve o grafeno. 

Também faz sentido para um especialista em patentes médicas, que imediatamente identifica o conteúdo da invenção e a relaciona com outras patentes semelhantes. Também faz sentido para um especialista em tecnologias de guerra que conhece os estudos sobre o homem aprimorado (um documento do Ministério da Defesa britânico o chama de “homem aumentado” em termos transumanísticos) e, portanto, é capaz de reconhecer nas nanoestruturas de grafeno a tecnologia que permite o aumento do desempenho de guerra do pessoal militar.

Mais uma vez: a avaliação dos eventos do ponto de vista médico deve levar em conta as implicações legais de certas escolhas, como a imposição de uso de máscaras ou, pior ainda, a “vacinação” em massa, feita em violação dos direitos fundamentais dos cidadãos. 

E estou certo de que no campo da governança da saúde também surgirão as manipulações dos códigos de classificação de doenças e terapias, que foram concebidos para tornar indetectáveis ??os efeitos nocivos das medidas tomadas contra o COVID-19, desde a colocação de pessoas em respiradores em regime de cuidados intensivos com os protocolos de espera vigilantes, para não falar das escandalosas violações de regulamentos por parte da Comissão Europeia que – como sabem – não tem delegação do Parlamento Europeu na área da Saúde, e que não é uma instituição pública mas sim um consórcio de empresas privadas.

Ainda nos últimos dias, na cúpula do G-20 em Bali, Klaus Schwab instruiu chefes de governo – quase todos oriundos do programa Young Global Leaders for Tomorrow do WEF-Fórum Econômico Mundial – sobre os próximos passos a serem dados para estabelecer um governo mundial. 

O presidente de uma organização privada muito poderosa com enormes meios econômicos e influência exerce um poder indevido sobre os políticos dos governos mundiais, obtendo sua obediência de líderes políticos que não têm mandato popular para submeter suas nações às ilusões de poder da elite: este fato é de gravidade sem precedentes. Klaus Schwab declarou:

“Na quarta revolução industrial, os vencedores levarão tudo, então, se você for um pioneiro do Fórum Econômico Mundial, você é o vencedor” (aqui). 

Estas declarações muito sérias têm duas implicações: a primeira é que “os vencedores levarão tudo” e serão “vencedores” – não está claro em que capacidade e com “permissão” de quem. A segunda é que aqueles que não se adaptarem a esta “quarta revolução industrial” serão expulsos e perderão – perderão tudo, inclusive a liberdade. 

Em suma, Klaus Schwab está ameaçando os chefes de governo das vinte nações mais industrializadas do mundo para realizar os pontos programáticos do “Great Reset” em suas nações. Isso vai muito além da pandemia: é um golpe de estado global, contra o qual é fundamental que os povos se levantem e que os órgãos ainda saudáveis ??dos Estados iniciem um processo jurídico internacional. A ameaça é iminente e grave, pois o WEF-Fórum Econômico Mundial é capaz de levar adiante seu projeto subversivo e os governantes das nações foram todos escravizados ou chantageados por essa máfia internacional.

Diante dessas declarações – e de outras não menos delirantes do que Yuval Noah Harari, assessor e consultor de Schwab [ambos judeus khazares] – entendemos como a farsa pandêmica serviu de balão de ensaio para impor controles, medidas coercitivas, cercear as liberdades individuais e aumentar o desemprego e a pobreza. Os próximos passos terão que ser dados por meio das crises [financeira, já em pleno curso com a quebra de bancos nos EUA], econômica, [alimentar] e energética, que são fundamentais para o estabelecimento de um governo sinárquico [totalitário] nas mãos da elite de psicopatas globalistas.

E aqui, queridos amigos, permitam-me que fale como bispo. Porque nesta série de acontecimentos que estamos a assistir e que continuaremos a assistir, o vosso empenho pode correr o risco de ser contrariado ou limitado pelo fato de não conseguir perceber a sua natureza essencialmente espiritual. 

Sei que dois séculos de pensamento iluminista, revoluções, [exacerbado] materialismo ateu e liberalismo anticlerical [e anti vida] nos acostumaram a pensar na Fé como um assunto pessoal, ou que não há uma Verdade objetiva à qual todos devemos nos conformar. Mas isso é fruto de uma doutrinação propedêutica, que aconteceu muito antes do que está acontecendo hoje, e seria tolo acreditar que a ideologia anticristã que dirigia as seitas secretas e os grupos maçônicos do século XVIII nada tinha a ver com a ideologia anticristã que hoje dirige pessoas como Klaus Schwab, George Soros e Bill Gates. 

Os princípios motrizes são os mesmos: rebelião contra Deus, ódio à Igreja e à humanidade, e fúria destrutiva dirigida contra a Criação e especialmente contra o homem [e a mulher] porque ele/ela são criados à imagem e semelhança de Deus.

Se você partir dessas evidências, entenderá que não é possível fingir que o que está acontecendo diante de nossos olhos é apenas o resultado da busca de lucro ou do desejo de poder. Certamente, a parte econômica não pode ser desconsiderada, considerando quantas pessoas já colaboraram com o WEF-Fórum Econômico Mundial. 

E, no entanto, para além do lucro, existem propósitos não declarados que decorrem de uma visão “teológica” – invertida, é verdade, mas ainda assim teológica – uma visão que vê dois lados opostos: o lado de Cristo e o lado do Anticristo.

Não pode haver neutralidade aqui, porque quando há um confronto entre dois exércitos, aqueles que optam por não lutar também estão fazendo uma escolha que afeta o resultado da batalha. Por outro lado, como é possível reconhecer em suas nobres e elevadas profissões a admirável ordem que o Criador colocou na natureza (desde as constelações das estrelas até as partículas do átomo) e depois negar que o homem também faça parte desta ordem, com seu senso moral, suas leis, sua cultura e suas descobertas? Como pode o homem, que é criatura de Deus, presumir não estar sujeito a leis eternas e perfeitas?

“Nossa batalha não é contra criaturas feitas de carne e osso, mas contra os Principados e Potestades, contra os príncipes deste mundo de trevas, contra os espíritos do mal que habitam nos lugares celestiais“. (Ef 6:12).

Por um lado, está a Cidade de Deus – sobre a qual escreve Santo Agostinho – e, por outro lado, está a cidade do diabo. Podemos dizer que nesta era a cidade do diabo é claramente identificável no globalismo neomalthusiano, na Nova Ordem Mundial, nas Nações Unidas, no WEF-Fórum Econômico Mundial, na União Européia, no Banco Mundial, no Fundo Monetário Internacional e em todas as chamadas “fundações filantrópicas” [dos oligarcas bilionários, como Gates, Soros, Rockefellers, Clinton, et caterva] que seguem uma ideologia de morte, doença, destruição e tirania. E também naquelas forças que se infiltraram em todas as instituições, que chamamos de Estado Profundo e a “igreja profunda”.

Por outro lado, devemos reconhecer que a Cidade de Deus é mais difícil de identificar. Até as autoridades religiosas parecem ter traído seu papel de guiar os fiéis, preferindo servir ao poder e a propagar as suas mentiras. As mesmas pessoas que deveriam estar protegendo e santificando as almas as estão espalhando e escandalizando, chamando os bons cristãos de fundamentalistas rígidos. Como vocês podem ver, o ataque é em várias frentes e, portanto, é uma ameaça mortal para a humanidade, atingindo tanto o corpo quanto a alma.

E, no entanto, precisamente numa época em que é difícil encontrar pontos de referência autoritários – tanto no âmbito religioso como no temporal – vemos um número cada vez maior de pessoas que estão compreendendo, abrindo os olhos e reconhecendo as mentes criminosas por trás da evolução dos eventos atuais. Agora está claro que tudo está interligado, sem ter que descartar aqueles que o dizem como “Teóricos da Conspiração”

A conspiração já está aí, em curso: não estamos inventando, estamos apenas denunciando, esperando que as pessoas acordem dessa narcose suicida e exijam que acabemos com o golpe global. 

As operações de engenharia social e manipulação mental das massas demonstraram, sem sombra de dúvida, que esse crime foi premeditado e como ele é consistente com uma visão “espiritual” do conflito que agora se desenrola: é preciso tomar partido e lutar, sem ceder na Verdade – que é um atributo de Deus – ela não pode ser cancelada pelo erro, e a Vida não pode ser derrotada pela morte: lembre-se que o Senhor, que disse de Si mesmo: “Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida”. já derrotou o mal e seus seguidores, e o que resta da batalha serve apenas para nos dar a oportunidade de fazer a escolha certa, de escolher fazer aquelas ações que nos colocam sob a bandeira de Cristo, do lado do Bem.

Espero que esta grande obra que estais a realizar dê logo os frutos esperados, pondo fim a um tempo de provação em que vemos como será o mundo se não nos voltarmos para os ensinamentos e exemplo do Cristo, se continuarmos a pensar que podemos coexistir com maldade, auto adoração, mentira, auto engrandecimento e auto indulgência

Afinal, a Cidade de Deus é o modelo de quem vive no amor de Deus, no auto controle, auto disciplina e no desprezo pelo mundo; a cidade do diabo é o modelo de quem vive no amor próprio, conformando-se com os prazeres do mundo e desprezando a Deus.

Agradeço e abençoo a todos. – Carlo Maria Viganò, Arcebispo


E os dez chifres que viste são dez reis, que ainda não receberam o reino, mas receberão poder como reis por uma hora, juntamente com a BESTA. Estes têm um mesmo intento, e entregarão o seu poder e autoridade à besta. Estes combaterão contra o Cordeiro, e o Cordeiro os vencerá, porque é o Senhor dos senhores e o Rei dos reis; Vencerão os que estão com Ele, Chamados, e Eleitos, e Fiéis. E disse-me: As águas que viste, onde se assenta a prostituta [ROMA], são povos, e multidões, e nações, e línguas“. – Apocalipse 17:12-15

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é nabucodonoor-estatua-daniel.png

A estátua do sonho de Nabucodonosor, um símbolo daquilo que a humanidade construiria na Terra. Os dias de insanidade da atualidade estão contados, muito em breve, a “Grande Prostituta”, a cidade de Roma será varrida da face da Terra, dando início a derrota completa dos servidores das trevas e o fim de seus planos nefastos para o controle do planeta. Em 2023 o Brasil terá um papel decisivo na Guerra entre a Luz e as trevas.


“Precisamos URGENTEMENTE do seu apoio para continuar nosso trabalho baseado em pesquisa independente e investigativa sobre as ameaças do Estado [Deep State] Profundo, et caterva, que a humanidade enfrenta. Sua contribuição, por menor que seja, nos ajuda a nos mantermos à tona. Considere apoiar o nosso trabalho. Disponibilizamos o mecanismo Pay Pal, nossa conta na Caixa Econômica Federal  AGENCIA: 1803 – CONTA: 000780744759-2, Operação 1288, pelo PIX-CPF 211.365.990-53 (Caixa)”. para remessas do exterior via IBAN código: BR23 0036 0305 0180 3780 7447 592P 1


Mais informações, leitura adicional:

Permitido reproduzir desde que mantida a formatação original e a conversão como fontes.

0 resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *