A Guerra da Mídia Pre$$titute$ contra os caminhoneiros canadenses: a Liberdade é o inimigo público número um?

A difamação do comboio de protesto dos caminhoneiros canadenses  exemplifica como a liberdade de pensamento é hoje a maior vilã da pandemia de Covid-19. Um cartunista do Washington Post retratou o comboio de caminhoneiros como o “fascismo” encarnado , enquanto outra coluna do Washington Post ridicularizou o “tóxico ‘Comboio da Liberdade’”. Qualquer um que resista a qualquer comando imposto pelo governo e “autoridades de saúde” é aparentemente agora um inimigo público em todos os países do planeta.

A Guerra da Mídia Pre$$titute$ contra os caminhoneiros canadenses: a Liberdade é o inimigo público número um?

por James Bovard – Fonte: JimBovard.com

O protesto dos caminhoneiros foi estimulado pelo amplo mandato de vacina contra Covid do governo canadense.  Muitos caminhoneiros acreditam que os riscos da vacina superam os benefícios e, mais importante, que eles têm o direito de controlar seus próprios corpos. O primeiro-ministro canadense, Justin Trudeau, declarou na segunda-feira: “Não há lugar em nosso país para ameaças, violência ou ódio ”. Exceto pelo ódio que Trudeau desperta ao denunciar os oponentes do mandato da vacina como “racistas” e “misóginos ”. E exceto pelas “ameaças” e “violência” usadas por agentes do governo para obrigar a submissão a qualquer decreto de pandemia emitido por Trudeau ou outros políticos.

Desde o início dessa pandemia, muitas pessoas que se gabavam de sua confiança em “ciência e dados” também acreditavam que o poder absoluto os manteria seguros. De acordo com seu scorecard, qualquer um que se opusesse às ordens do seu governo era o equivalente a um herege que deveria ser condenado, se não banido de todos os lugares, exceto do cemitério. Ao norte da fronteira, Quebec simboliza essa intolerância com seu novo decreto que proíbe indivíduos não vacinados de fazer compras no Costco ou Walmart.

Os mesmos críticos que se apegam a qualquer comportamento desagradável de alguns caminhoneiros canadenses rebeldes (a MSNBC os denunciou como um “culto”) ‘para condenar a liberdade também estão felizes em exonerar qualquer político americano que destruiu inutilmente nossas liberdades durante a pandemia com decretos bizarros. 

Em dezembro de 2020, o prefeito de Los Angeles, Eric Garcetti, proibiu todas as “viagens desnecessárias, incluindo, sem limitação, viagens a pé, bicicleta, scooter, motocicleta, automóvel ou transporte público”. O prefeito (que foi pego violando os mandatos de máscara da Califórnia no jogo do campeonato da NFC) não ofereceu nenhuma evidência para justificar a colocação de quatro milhões de moradores em prisão domiciliar. 

O governador da Virginia Ralph Northam decretou que todos os virginianos devem ficar dentro de casa da meia-noite às 5 da manhã, com poucas exceções. O juiz federal William Stickman IV condenou as restrições da Pensilvânia: “Amplos bloqueios em toda a população são uma inversão tão dramática do conceito de liberdade em uma sociedade livre que é quase presumivelmente inconstitucional”.

Impedir que os políticos obliterem a liberdade é agora a pior forma de tirania. Na véspera de Ação de Graças de 2020, a Suprema Corte derrubou o decreto do governador Andrew Cuomo que limitava as reuniões religiosas em Nova York a dez ou menos pessoas, permitindo muito mais margem de manobra para as igrejas e empresas operarem. O Tribunal declarou que as regras de Cuomo eram “muito mais restritivas do que quaisquer regulamentos relacionados ao Covid que foram apresentados anteriormente ao Tribunal … e muito mais severos do que se demonstrou ser necessário para impedir a propagação do vírus”. 

Um funcionário da União das Liberdades Civis Americanas lamentou que “a liberdade de culto… não inclui uma licença para prejudicar os outros ou pôr em perigo a saúde pública.” O professor de direito de Harvard Lawrence Tribe e o professor de Cornell, Michael Dorf, alertaram que a Suprema Corte estava se tornando “um lugar como Gilead – o país teocrático e misógino no distópico ‘The Handmaid’s Tale’ de Margaret Atwood”.

Muitos progressistas falam como se a América enfrentasse uma escolha entre liberdade imprudente e paternalismo – isto é, submissão a uma elite pseudo benevolente. Mas, independentemente da presunção sem limites de Fauci, as autoridades oniscientes ainda não vieram em socorro. As agências governamentais cometeram erros catastróficos desde o início da pandemia.

Os Centros de Controle de Doenças frustraram a resposta inicial da América enviando kits de teste defeituosos e contaminados para agências de saúde que não conseguiram detectar o vírus que se espalhava rapidamente. Os governadores entraram em pânico e fecharam as escolas, resultando em grandes perdas no aprendizado e aumentando a diferença de desempenho entre alunos ricos e de baixa renda. 

A grande maioria das pequenas empresas foi fechada e milhares faliram em um esforço inútil para impedir que um vírus transmitido pelo ar continuasse a se espalhar. Colocar dezenas de milhões de pessoas em prisão domiciliar levou a fatalidades recordes por overdose de drogas e um maremoto de depressão e ansiedade. O regime de passaporte de vacina contra covid da cidade de Nova York não conseguiu impedir que a Big Apple se tornasse o ponto mais quente do país para a variante omicron.

O velho, senil marionete, o presidente Joe Biden retratou as vacinas como uma bala mágica e prometeu falsamente que as pessoas que fossem injetadas não pegariam Covid. O CDC parou de contar casos “avançados” de Covid entre os totalmente vacinados, abrindo caminho para o ressurgimento do vírus que já infectou mais de 70 milhões de americanos. Ou talvez mais de 200 milhões de americanos desde que o CDC afirmou anteriormente que apenas um em cada quatro casos é diagnosticado e relatado. 

Qualquer que seja o caso, a Food and Drug Administration está tentando adiar a divulgação completa do pedido da Pfizer para a aprovação da vacina Covid por 75 anos. Depois que Biden emitiu um mandato que obrigou os hospitais a demitir enfermeiras saudáveis ????não vacinadas, o CDC disse que estava tudo bem para hospitais contarem com enfermeiros positivos para Covid para tratar pacientes – um dos maiores absurdos da pandemia.

A liberdade não é uma panacéia para todos os desafios da vida. Mas é muito superior à bovina submissão sem limites a candidatos à ditadores que sabem muito menos do que afirmam. Políticos como Trudeau e Biden, que alimentam a fúria em massa contra qualquer grupo que não se ajoelhe ao funcionalismo, estão semeando sementes de ódio que proliferarão muito depois que a pandemia terminar . A longo prazo, as pessoas têm mais a temer dos seus políticos do que dos vírus.


“Precisamos URGENTEMENTE do seu apoio para continuar nosso trabalho baseado em pesquisa independente e investigativa sobre as ameaças do Estado [Deep State] Profundo, et caterva, que a humanidade enfrenta. Sua contribuição, por menor que seja, nos ajuda a nos mantermos à tona. Considere apoiar o nosso trabalho. Disponibilizamos o mecanismo Pay Pal, nossa conta na Caixa Econômica Federal   AGENCIA: 1803 – CONTA: 000780744759-2, Operação 1288, pelo PIX-CPF 211.365.990-53 (Caixa)”. para remessas do exterior via IBAN código: BR23 0036 0305 0180 3780 7447 592P 1


Mais informação adicional:

Permitida a reprodução, desde que mantido no formato original e mencione as fontes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba nosso conteúdo

Junte-se a 4.327 outros assinantes

compartilhe

Últimas Publicações

Indicações Thoth