Entre ou
Cadastre-se

Compartilhe
Receba nosso conteúdo

A Trama se Complica: o papel da CIA, DoD, e Fundação Rockefeller na previsão de 70% de despovoamento para 2025 da Deagel e a Covid-19

Despovoamento, Covid-19, Laboratórios e a Ucrânia: Num mundo insano onde a realidade muitas vezes parece mais estranha do que a ficção, as maquinações por trás dos acontecimentos globais podem ser um enigma envolto em mistério. Uma dessas intrigas gira em torno da Deagel.com, uma entidade online obscura conhecida pelos seus dados exaustivos sobre capacidades militares e previsões surpreendentes de despovoamento de 70% do mundo ocidental para 2025.

A Trama se Complica: desvelando o papel da CIA e Fundação Rockefeller na previsão de despovoamento de 70% do mundo ocidental para 2025 da Deagel e a pandemia Covid-19

Fonte: The Exposé News

Podemos revelar que descobertas recentes parecem ligar a Deagel diretamente a intervenientes importantes no cenário mundial: a Agência Central de Inteligência (CIA), o Departamento de Defesa dos EUA (DoD)/O Pentágono e a Fundação Rockefeller.

E os dados atuais do mundo real sobre o excesso de mortes no Ocidente sugerem fortemente que a previsão de despovoamento de Deagel não é apenas uma estimativa, mas, na verdade, uma meta planejada que está em vias de ser atingida graças aos efeitos mortais das vacinas mRNA contra a Covid-19.

O homem por trás de Deagel

Podemos confirmar que o Dr. Edwin A. Deagle Jr., que faleceu em 16 de fevereiro de 2021, é a figura de proa confirmada que as autoridades gostariam que você acreditasse que está exclusivamente por trás do site Deagel.com.

Durante a sua vida, o Dr. Edwin serviu como Assistente do Secretário de Defesa e Vice-Secretário de Defesa. Ele também foi Diretor de Relações Internacionais da Fundação Rockefeller, uma influente ( e nefasta) “organização filantrópica” global.

Extrato do livro ‘O Futuro do Mercado Internacional de Petróleo’ publicado pelo ‘Grupo dos Trinta’

Enquanto ainda em 1993, o Dr. Deagle foi nomeado pelo presidente Bill Clinton para ser Subsecretário da Força AéreaMas a intriga se aprofunda.

Documentos desclassificados , divulgados por meio de solicitações da Lei de Liberdade de Informação, revelam a comunicação de Deagle com o então Diretor de Inteligência Central dos Estados Unidos, Stansfield Turner, sugerindo um relacionamento com a CIA.

Um documento, datado de 1977, refere-se de forma intrigante a um evento descrito como “o mais significativo no campo da inteligência desde 1947”.

A carta completa ao então Diretor da CIA, Stansfield Turner, do Dr. Edwin A. Deagle Jr., Diretor Adjunto de Relações Internacionais da Fundação Rockefeller

A CIA divulgou 23 artigos FOIA relativos ao Dr. Deagle, à Fundação Rockefeller, ao DoD dos EUA e ao antigo diretor da CIA.

Tudo isto sugere fortemente que a Deagel.com não é apenas o trabalho de um homem, mas é de fato o trabalho de um Complexo Industrial Militar dos EUA que consiste na CIA, no Departamento de Defesa dos EUA e na obscura Fundação Rockefeller. Tornando as suas previsões de despovoamento apocalíptico de 70% nos países ocidentais ainda muito mais preocupantes.

Previsões e eventos atuais de Deagel:

As previsões apocalípticas de despovoamento de Deagel para 2025 prevêem declínios populacionais significativos em vários países, provocando desconforto dado o atual excesso de dados de mortes registrados em todo o mundo.

A [infame] previsão de 2025 do Deagel.com foi removida de seu site em algum momento de 2020. No entanto, graças ao Wayback Machine/Internet Archive , podemos visualizar as previsões originais antes descobertas por pensadores críticos. A Deagel previu em 2020 que o Reino Unido veria a sua população diminuir em 77,1% até 2025.

  • Deagel previu em 2020 que os Estados Unidos veriam a sua população diminuir em 68,5% até 2025.
  • Deagel previu em 2020 que a Alemanha veria a sua população diminuir em 65,1% até 2025.
  • Deagel previu em 2020 que a Austrália veria sua população diminuir em 34,6% até 2025.

Ao mesmo tempo que prevê um enorme declínio entre muitos outros países ocidentais. Uma lista completa das previsões originais de despovoamento apocalíptico da Deagel pode ser vista aqui.

Lamentavelmente, o desenrolar dos acontecimentos sugere fortemente que as sinistras estimativas de despovoamento de Deagel podem não ser meramente especulativas e foram feitas com o conhecimento de agendas ocultas. Os dados do mundo real parecem alinhar-se de forma desconcertante com estes números, impulsionados principalmente pelas consequências graves e mortais da vacinação em massa contra a Covid-19.

Mas a distribuição e aplicação imposta de forma generalizada destas vacinas experimentais, permitidas ao abrigo da autorização de utilização de emergência, não teria sido possível sem o pano de fundo da pandemia de Covid-19.

Assim, o fato de o Departamento de Defesa dos EUA (DoD) ter emitido um contrato de “Pesquisa COVID-19” na Ucrânia, três meses antes do reconhecimento oficial da liberação do vírus Covid-19 em Wuhan, na China, levanta algumas questões seriamente perturbadoras.

Especialmente quando consideramos que o Departamento de Defesa dos EUA é agora conhecido por estar intrinsecamente ligado ao site Deagel.com, juntamente com a CIA e a Fundação Rockefeller.

O Fator DoD dos EUA:

O mundo começou a ouvir falar de um novo coronavírus no início de janeiro de 2020, com relatos de uma alegada nova doença semelhante à pneumonia que se espalhou por Wuhan, na China.

No entanto, o mundo só soube da existência da Covid-19 em Fevereiro de 2020, porque somente no dia 11 desse mês é que a Organização Mundial de Saúde nomeou oficialmente a doença do novo coronavírus; como COVID-19, três meses APÓS o contrato do DoD na Ucrânia MENCIONAR o vírus COVID-19.

Então, sendo esta a verdade oficial, por que os dados do governo dos Estados Unidos mostram que o Departamento de Defesa dos EUA (DoD) concedeu um contrato em 12 de novembro de 2019 à Labyrinth Global Health INC. antes do alegado surgimento do novo coronavírus e três meses antes de o próprio vírus ser oficialmente apelidado de Covid-19?

O Governo dos Estados Unidos tem um site chamado ‘USA Spending‘, uma fonte oficial de dados abertos de informações sobre gastos federais. De acordo com o site, em 12 de abril de 2021, o governo dos EUA gastou alucinantes US$ 3,63 trilhões “em resposta ao COVID-19”. Mas essa não é a única informação sobre a Covid que pode ser encontrada no site.

Escondidos na ‘Pesquisa de Prêmios’ estão detalhes de um contrato concedido pelo Departamento de Defesa a uma empresa chamada ‘Black & Veatch Special Projects Corp‘, que é supostamente “uma empresa global de engenharia, compras, consultoria e construção especializada em desenvolvimento de infraestrutura”. .

O contrato foi adjudicado em 20 de setembro de 2012 e é descrito como “Serviços Profissionais, Científicos e Técnicos”.

O ‘Histórico de prêmios’ do contrato contém uma guia para ‘Sub-prêmios’ detalhando os destinatários, data da ação, valor e uma breve descrição de 115 transações de sub-prêmios. A maioria dos sub-prêmios são extremamente mundanos para coisas como “equipamento de laboratório para Kiev” ou “móveis de escritório para Kiev”.

Mas há um subprêmio no documento acima que se destaca entre os demais, e foi concedido ao Labyrinth Global Health INC por “Documentação de Manuscritos de PME e Pesquisa COVID-19”.

Um prêmio para a investigação da Covid-19 não é exatamente chocante quando o mundo está alegadamente nas garras de uma pandemia de Covid-19, mas considerando o fato de o subcontrato ter sido atribuído em 12 de Novembro de 2019, pelo menos um mês antes do alegado surgimento do novo coronavírus, e três meses antes do vírus ser oficialmente apelidado de Covid-19, o prêmio para a investigação sobre o Covid-19 deveria ser um choque para todos.

Mas o choque não termina aí, porque o local onde o contrato para a investigação da Covid-19 foi instruído foi a Ucrânia, o mesmo país que o Complexo Industrial Militar dos EUA está atualmente utilizando para travar uma guerra por procuração contra a Rússia.

O Fator Rockefeller:

Embora as ligações do Dr. Deagle à Fundação Rockefeller, à CIA e ao Departamento de Defesa forneçam uma história de fundo emocionante e muito esclarecedora sobre a “origem” do vírus Covid-19, o papel da Fundação Rockefeller acrescenta mais uma camada de complexidade.

Uma entidade poderosa desde 1913, a sua alegada missão de “promover o bem-estar da humanidade em todo o mundo” moldou as políticas globais de saúde e levou a uma influência significativa na criação da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Mas essa influência gerou polêmica.

O envolvimento histórico da Fundação Rockefeller com o controle populacional e os programas eugênicos continua a ser um capítulo controverso no seu nefasto legado. O seu apoio a estas iniciativas durante o início do século XX apresenta um retrato desconcertante do papel da Fundação na manipulação da demografia humana.

A eugenia, um campo agora amplamente desacreditado e rejeitado como pseudociência, visava melhorar a composição genética da raça humana através da reprodução seletiva. O apoio monetário e ideológico da Fundação Rockefeller a estes programas indica um envolvimento eticamente questionável na orientação da evolução humana e da composição do tecido social.

As iniciativas de controle populacional, enquadradas como esforços para gerir o crescimento populacional global para o desenvolvimento sustentável e a conservação de recursos, também tiveram a assinatura da Fundação Rockefeller. Os críticos argumentam que tais atividades refletiam um exagero, sugerindo uma autoridade auto assumida para controlar a demografia das populações globais.

Embora a Fundação Rockefeller tenha rejeitado publicamente tais medidas e pareça ter redirecionado o seu foco para áreas universalmente aceitas da saúde pública, da educação e das artes, o eco das suas ações passadas permanece.

Em 25 de fevereiro de 2009, durante uma reunião [Council of Eugenics] da OMS, o judeu khazar Henry Kissinger declarou: “Uma vez que o rebanho (os bovinamente zumbis) aceita as vacinas obrigatórias, o jogo termina. Eles aceitarão qualquer coisa – doação forçada de sangue ou órgãos – para um bem maior, NÓS PODEMOS MODIFICAR GENETICAMENTE E ESTERILIZAR CRIANÇAS, para um bem maior – Controle as mentes das ovelhas e você controla o rebanho. Os fabricantes de vacinas devem ganhar bilhões. E muitos de vocês nesta sala são investidores. É uma grande vitória para todos. Nós reduzimos o rebanho e o rebanho nos paga pelos serviços de extermínio“.

Os envolvimentos anteriores da Fundação Rockefeller oferecem lições valiosas sobre as consequências potenciais da influência desenfreada e uma visão comovente da influência considerável da organização sobre os assuntos humanos globais. Apesar da mudança de foco e abordagem nos últimos anos, os efeitos dos esforços passados ​​sublinham a cautela que devemos ter quando as entidades filantrópicas exercem influência numa escala global e especialmente na área de saúde pública.

RELACIONADO: Colapso do Ocidente com Redução de 70% da População nos EUA/Europa: Sinistra Previsão da Deagel para 2025

As previsões de despovoamento de Deagel são um alvo

As revelações que ligam o site Deagel.com ao Dr. Edwin A. Deagle Jr., à CIA, ao DoD e à Fundação Rockefeller pintam uma narrativa convincente, embora desconcertante. Estas ligações de alto perfil sugerem um nível de influência na formulação e implantação de agendas ocultas que levanta questões sobre as motivações por detrás das previsões populacionais apocalípticas de despovoamento de 70% dos países ocidentais da Deagel.

Especialmente quando consideramos o fato de que os dados do mundo real estão atualmente alinhados com as previsões de Deagel para 2025. Relatórios oficiais de vários governos em todo o mundo fizeram soar o alarme ao documentar um número sem precedentes de mortes em excesso desde a administração generalizada de injeções mRNA [pseudo vacinas] de Covid-19.

Os números oficiais fornecidos à EuroMOMO pelo Governo do Reino Unido e 26 outros governos de condados em toda a Europa revelam que a maior parte do continente sofreu 375.253 mortes em excesso em 2021 e 404.6000 mortes em excesso em 2022. Isso equivale a 779.853 mortes em excesso nos dois anos. Os números não incluem a Ucrânia, pelo que não podem ser atribuídos à guerra em curso.

A Austrália sofreu 11.068 mortes em excesso em 2021 e, em seguida, um número chocante de 22.730 mortes em excesso na semana 38 de 2022. Isso contrasta fortemente com 2020, quando apenas 1.306 mortes em excesso foram registradas no auge da pandemia de Covid e antes do lançamento das injeções mRNA Covid-a9. Isto significa que a Austrália sofreu um aumento chocante de 1.640% no excesso de mortes em apenas 39 semanas ao longo de 2022, em comparação com 53 semanas ao longo de 2020.

A Nova Zelândia sofreu 2.169 mortes em excesso em 2021 e, em seguida, um número chocante de 5.286 mortes em excesso na semana 49 de 2022. Estes são números chocantes para a pequena ilha com uma população estimada de 5 milhões de pessoas.

Especialmente quando comparado com 2020, quando não foram sofridas mortes em excesso e foram registradas menos 160 mortes do que o esperado no auge da pandemia de Covid e antes da implementação das injeções mRNA de Covid. Isto significa que a Nova Zelândia sofreu um aumento chocante de 3.404% no excesso de mortes em 49 semanas ao longo de 2022, em comparação com 53 semanas ao longo de 2020.

No Canadá, a situação é igualmente preocupante. O país sofreu 35.318 mortes em excesso em 2021 e depois 25.333 mortes em excesso na semana 34 de 2022. Isto compara-se com 31.042 mortes em excesso em 2020 na semana 53. No entanto, ao olhar para os números até à semana 34, tanto em 2020 como em 2021, torna-se claro que 2022 foi de longe o pior ano em termos de excesso de mortes.

Na semana 34 de 2020, o Canadá registrou 17.888 mortes em excesso. Na semana 34 de 2021, o Canadá registrou 18.498 mortes em excesso. Mas na semana 34 de 2022, o Canadá tinha registado 25.333 mortes em excesso, representando um aumento de 42% em relação às mortes em excesso registadas em 2020, antes da implementação das injeções mRNA contra a Covid-19.

Este aumento dramático no excesso de mortes levanta sérias questões sobre a segurança das vacinas mRNA contra a Covid-19 e se estas podem ter contribuído para o aumento do excesso de mortes.

Os EUA sofreram 674.954 mortes em excesso em 2021, e depois 434.520 mortes em excesso na semana 49 de 2022. Isto equivale a mais de 1,1 milhões de mortes em excesso em quase dois anos.

Os EUA sofreram um número surpreendente de 674.954 mortes em excesso em 2021, um ano em que o país foi coagido a avançar para ser injetado várias vezes durante a distribuição em massa das vacinas contra a Covid-19. Estes números representam um aumento significativo de mortes em comparação com anos anteriores e fizeram soar o alarme tanto entre o público como entre os profissionais de saúde.

A situação não melhorou em 2022, com 434.520 mortes em excesso registadas até à semana 49, elevando o número total de mortes em excesso para mais de 1,1 milhões em quase dois anos. Este é um número surpreendente e levantou questões sobre a eficácia da vacina e a resposta do governo à alegada pandemia.

A narrativa oficial apresentada por governos e organizações de saúde tem sido a de que as mortes em 2020 aumentaram devido ao surto da alegada pandemia de Covid-19, tendo a resposta a esta afetado negativamente milhões de pessoas em todo o mundo.

No entanto, à medida que a pandemia progrediu e uma vacina foi desenvolvida e distribuída, a narrativa mudou para se concentrar na segurança e eficácia da injecção da Covid-19 como meio de conter a propagação do vírus e reduzir o número de mortes.

Esta narrativa foi reforçada através de diversas campanhas de propaganda, imposição de vacinação a setores inteiros, declarações públicas e declarações oficiais, com a mensagem de que a vacina era “segura e eficaz” e seria “a chave para acabar com a pandemia”.

No entanto, os números e relatórios oficiais divulgados pelos governos dos EUA, Canadá, Austrália, Nova Zelândia, Reino Unido e grande parte da Europa mostraram que aconteceu o oposto, com milhões de mortes em excesso a serem registadas desde a implementação em massa das Injeções mRNA de Covid-19. Isto levou a muitas questões sobre a segurança da vacina, os fatos da narrativa oficial e a integridade dos governos e órgãos de saúde pública em todo o mundo.

Os números foram fornecidos à Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) e à EuroMOMO pelas organizações governamentais de cada país. Os dados dos EUA foram fornecidos pelos Centros de Controle de Doenças-CDC. Os dados do Reino Unido foram fornecidos pelo Office for National Statistics. E os dados da Austrália foram fornecidos pelo Australian Bureau of Statistics.

Portanto, essas não são estimativas independentes. São números oficiais autorizados pelos governos.

E mostram que os países dos “Cinco Olhos” [EUA, Canadá, Austrália, Inglaterra e Nova Zelândia) e 26 outros países da Europa sofreram 1,99 milhões de mortes em excesso até à semana 34/49 de 2022, na sequência da Autorização de Utilização Emergencial das injeções mRNA contra a Covid-19.

Estes números lançam uma sombra assustadora sobre a narrativa em torno da pandemia e levantam preocupações sobre o verdadeiro impacto dos esforços de vacinação. Especialmente quando combinado com taxas de mortalidade por 100.000 habitantes.

As taxas de mortalidade por 100 mil são mais baixas entre os não vacinados

Os números oficiais publicados pelo Governo do Reino Unido sugerem que as vacinas contra a Covid-19 podem ter sido o maior fator que contribuiu para os milhões de mortes em excesso observadas nos “Cinco Olhos” e na maior parte da Europa.

Os números podem ser encontrados em um relatório intitulado ‘ Mortes by Vaccination Status, England, 1 January 2021 to 31 May 2022 ’, e pode ser acessado no site do ONS aqui , e baixado aqui .

A Tabela 2 do relatório contém as taxas de mortalidade mensais padronizadas por idade, por estado de vacinação, por faixa etária, para mortes por 100.000 pessoas-ano na Inglaterra até maio de 2022.

Pegamos os números fornecidos pelo ONS de janeiro a maio de 2022 e produzimos os gráficos a seguir que revelam as terríveis consequências da campanha de vacinação em massa da Covid-19.

O gráfico a seguir mostra as taxas de mortalidade mensais padronizadas por idade por estado de vacinação entre pessoas de 40 a 49 anos para mortes não relacionadas à Covid-19 na Inglaterra entre janeiro e maio de 2022 :

Em todos os meses desde o início de 2022, as pessoas de 40 a 49 anos parcialmente vacinadas e duplamente vacinadas tiveram maior probabilidade de morrer do que as pessoas não vacinadas de 40 a 49 anos.

O pior mês para as taxas de mortalidade entre os vacinados parcial e duplamente vacinados em comparação com os não vacinados foi Fevereiro. Este mês, pessoas de 40 a 49 anos parcialmente vacinadas tiveram 264% mais probabilidade de morrer do que pessoas não vacinadas de 40 a 49 anos.

Embora as pessoas de 40 a 49 anos duplamente vacinadas tenham 61% mais probabilidade de morrer do que as pessoas de 40 a 49 anos não vacinadas.

Em maio de 2022, cinco meses após a campanha de reforço em massa, as pessoas de 40 a 49 anos vacinadas triplamente tinham 40% mais probabilidade de morrer do que as pessoas de 40 a 49 anos não vacinadas, com uma taxa de mortalidade de 81,8 por 100 mil entre as pessoas triplamente vacinadas. e uma taxa de mortalidade de 58,4 entre os não vacinados.

É a mesma velha história em todas as faixas etárias, como você pode ver nos dois gráficos a seguir:

Uma análise completa dos números por todas as faixas etárias pode ser vista aqui .

Operações secretas?

À medida que nos aventuramos mais profundamente neste enigma em desenvolvimento, confrontamo-nos com um trio de entidades poderosas – a CIA, o DoD e a Fundação Rockefeller – cujas ações passadas e influência presente lançam uma longa sombra sobre a nossa narrativa global.

Quando estas entidades emergem de trás do véu do Deagel.com, o que inicialmente poderia ter sido descartado como conjecturas selvagens agora exige uma consideração sóbria. A evidência que sugere que o DoD, intimamente ligado ao Deagel.com, pode ter tido uma participação antecipada na investigação [criação em laboratório] da COVID-19 meses antes do reconhecimento oficial do vírus é, no mínimo, curiosa.

Este momento estranho, aliado ao amplo alcance do DoD em questões de segurança global, leva-nos a questionar as implicações mais amplas e o papel que podem ter desempenhado na criação intencional e no desenrolar da pandemia.

A Fundação Rockefeller, outra força significativa por trás do Deagel.com, tem um histórico de envolvimento em programas de controle populacional. Embora estes esforços sejam alegadamente relegados ao passado, as suas implicações continuam a ressoar, especialmente quando combinadas com as perturbadoras previsões populacionais de Deagel para 2025.

Da mesma forma, a CIA, conhecida pelas suas operações secretas e por funcionar muitas vezes como um poder em si mesma, constitui uma peça poderosa e enigmática deste intricado puzzle. O seu envolvimento com a Deagel e as suas ligações partilhadas com o Dr. Edwin A. Deagle Jr. e, por extensão, com o DoD e a Fundação Rockefeller, acrescentam outra camada de intriga a esta narrativa.

Estas provas e ligações justificam um escrutínio vigilante dos intervenientes que operam nos bastidores dos assuntos globais. À medida que dissecamos a intrincada rede de relações entre estas entidades e as suas associações com as terríveis previsões de despovoamento de Deagel, somos lembrados da influência potencial que elas exercem sobre o nosso futuro compartilhado.

Na nossa busca para compreender a verdade, as linhas entre acontecimentos factuais, operações secretas e especulações tornam-se cada vez mais críticas, embora complicadas. Mas é nesta mesma complexidade que a urgência da nossa vigilância e compreensão é sublinhada. Pois na balança está a nossa capacidade de navegar no futuro, informados, conscientes, com discernimento e com os olhos bem abertos.


“Parece duvidoso se, de fato, a política de “Botas no rosto” pode continuar indefinidamente.  Minha própria convicção é que a oligarquia governante encontrará maneiras menos árduas e perdulárias de governar e de satisfazer sua ânsia de poder, e essas formas serão semelhantes às que descrevi em Admirável Mundo Novo [uma verdadeira profecia publicada em 1932].  Na próxima geração, acredito que os governantes do mundo descobrirão que o condicionamento INFANTIL e a narco-hipnose são mais eficientes, como instrumentos de governo, do que prisões e campos de concentração, e que o desejo de poder pode ser completamente satisfeito sugerindo às pessoas que amem sua servidão ao invés de açoita-los e chuta-los até obter sua obediência. ” – Carta de Aldous Huxley  EM 1949 para George Orwell autor do livro “1984”


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *