Boeing 767-300 da Delta Air Lines faz Pouso de Emergência em N. York

Alguns jatos Boeing, operados por grandes companhias aéreas dos EUA, enfrentam problemas de segurança persistentes que preocupam os viajantes, provocando uma mudança em direção a usar os jatos da Airbus que é visto como sendo mais seguros. Parece que dificilmente se passa uma semana sem que aconteça um novo problema com um jato da ‘acordada’ Boeing. 

Boeing 767-300 da Delta Air Lines com problemas faz pouso de emergência em N. York

Fonte: Zero Hedge

O último desastre quase no ar ocorreu na manhã de sexta-feira em um Boeing 767-300 da Delta Air Lines, partindo do Aeroporto Internacional John F. Kennedy, na cidade de Nova York. Um escorregador de emergência separado do avião durante o vôo. 

O Breaking Aviation News & Videos  postou uma imagem do compartimento “deslizante de emergência do lado direito” da aeronave Boeing 767-300 do voo Delta 520, logo acima da asa. O compartimento está totalmente aberto e falta o slide, e um painel da fuselagem parece ter se separado parcialmente do avião. 

Delta Airlines 767-332ER faz retorno de emergência ao Aeroporto Internacional John F. Kennedy depois de perder seu escorregador de emergência do lado direito.

“Depois que a aeronave pousou com segurança e seguiu para um hangar, foi observado que o escorregador de emergência havia se separado da aeronave”, disse um porta-voz da Delta ao NPR News no final da tarde de sexta-feira. 

A FAA disse ao meio de comunicação que o voo 520 da Delta “retornou em segurança ao Aeroporto Internacional John F. Kennedy, em Nova York, por volta das 8h35, horário local, na sexta-feira, 26 de abril, depois que a tripulação relatou uma vibração”, observando: “A FAA investigará .”

Um passageiro do voo 520 da Delta disse que “um som muito alto vinha do avião, o que dificultava a audição de anúncios vindos da cabine”. 

O site de rastreamento de voos FlightAware mostra que o voo 520 da Delta retornou ao JFK após o incidente no ar.

Os intermináveis problemas na Boeing surgem como um ciclo de crises intermináveis na segurança de voo. No início deste ano, um plugue de porta de emergência se separou de um jato, um trem de pouso quebrou, ocorreram incêndios em turbinas, um painel da fuselagem se separou, vários pneus se soltaram em plena decolagem, vazamentos hidráulicos e mau funcionamento do assento do piloto. Esses incidentes provocaram uma crise de confiança pelos passageiros em utilizar os aviões da Boeing em favor de aeronaves da Airbus, que no mesmo período não apresentaram nenhuma falha. 

Nos mercados, as ações da Boeing caíram para o menor nível em 1,5 ano esta semana, com a Moody’s Ratings rebaixando a classificação de crédito da fabricante de aviões de Baa2 para Baa3 – apenas um degrau acima do status de ‘lixo’ – com ventos contrários crescentes que assolam sua unidade Commercial Airlines. 

A “ACORDADA” E “DEI’ Boeing é uma BAGUNÇA TOTAL!


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba nosso conteúdo

Junte-se a 4.330 outros assinantes

compartilhe

Últimas Publicações

Indicações Thoth