Começa o 54º Fórum Econômico Mundial-WEF em Davos – “Conheça seu lado Negro”

Os especialistas avaliam quanto valor Davos realmente oferece à comunidade global. Representantes de governos e organizações internacionais, bilionários oligarcas, empresários, especialistas, acadêmicos frios, ONGs e órgãos de imprensa [Pre$$titute$] estão mais uma vez chegando à estância de inverno de Davos, na Suíça. Sob o lema “Reconstruindo a Confiança”, a 54.ª reunião anual WEF terá início no dia 15 de janeiro, com o objetivo de discutir “os princípios básicos da confiança” – transparência, coerência e responsabilidade [valores que o fórum defende mas não pratica].

Começa o 54º Fórum Econômico Mundial-WEF em Davos – “Conheça seu lado Negro”

Fontes: Aljazeera.comZero Hedge

Mas as consequências contínuas da tirania da pandemia da COVID-19 [segundo o CEO do WEF, Klaus Schwab, uma excelente oportunidade para implantar suas agendas], bem como de novos conflitos em todo o mundo, podem dificultar a reconstrução da confiança nas instituições. E hoje em dia, a relevância do próprio WEF está frequentemente em debate.

O número de participantes de alto nível no encontro anual diminuiu consideravelmente nos últimos anos, com o desaparecimento de nomes importantes como a participação do presidente dos EUA, [‘Dementia’ Joe] Biden. Em 2023, o chanceler alemão Olaf Scholz foi o único líder de um país do [Hospício ‘Acordado’ do] G-7 que compareceu.

“Os líderes políticos não perdem o interesse em fóruns como o do WEF em Davos, mas tomam decisões estratégicas sobre se seria benéfico participar na reunião todos os anos”, disse Peter Willetts, professor emérito de política global na City, Universidade de Londres.

“Espera-se que Volodymyr Zelenskyy busque apoio à causa [perdida da] Ucrânia, o que provavelmente significará que os russos enviarão uma delegação política de baixo nível [não enviaram ninguém, assim como a China].”

Willetts acrescentou que os EUA deverão enviar uma delegação composta pelo Secretário de Estado Antony Blinken, o Conselheiro de Segurança Nacional Jake Sullivan e o Enviado Presidencial Especial para o Clima John Kerry – o principal negociador do senil Presidente [‘Dementia’ Joe] Biden sobre as alterações climáticas.

O ministro das Relações Exteriores do Irã, Hossein Amirabdollahian, o presidente israelense, Isaac Herzog, e o primeiro-ministro do Catar, Sheikh Mohammed bin Abdulrahman Al Thani, também deverão comparecer.

Criando comunidades

Apesar de não oferecer soluções firmes para os problemas globais que não sejam de interesse das elites, bilionários e oligarcas, Davos ainda pode ser visto como uma oportunidade para mitigar os fatores que levam ao conflito global, dizem os especialistas.

“A agenda do WEF para abordar questões é guiada por… ‘governança multi-stakeholder’ [das “partes interessadas”], o que significa que os problemas do mundo são melhor enfrentados pelas diversas partes interessadas que são impactadas por eles”, Jack Copley, professor assistente de economia política internacional na Universidade de Durham , disse à Al Jazeera.

A base da atividade do WEF é, portanto, proporcionar uma arena de ligação e discussão entre alguns dos mais importantes decisores do mundo.

“O WEF tem sido certamente uma força importante na promoção de ideias de parcerias público-privadas e de colaboração multilateral em resposta aos desafios globais”, disse Jan Aart Scholte, professor de transformações globais e desafios de governação na Universidade de Leiden, à Al Jazeera.

O verdadeiro valor do evento reside neste foco no networking e na acumulação de conhecimento, que ajudou a facilitar, embora talvez não nos padrões que muitas vezes o WEF apregoa e afirma.

“Como todos os fóruns políticos, o [Fórum] Econômico Mundial-WEF declara os seus objetivos em termos gerais excessivamente otimistas”, observou Willetts. “Dito isto, tem sido um fórum útil para alguns líderes globais terem… discussões informais e individuais fora das reuniões formais”.

“O que também tem sido útil é a diversidade das pessoas que participam – desde líderes políticos nacionais e funcionários da ONU até líderes empresariais e funcionários de grandes organizações não governamentais.”

Na agenda de Davos para 2024

De acordo com o Relatório de Riscos Globais do WEF para 2024, a desinformação e a manipulação da informação representam a maior ameaça para o mundo nos próximos dois anos. Em segundo e terceiro lugar: eventos climáticos extremos e a polarização política da sociedade. Um dos principais fatores que contribuem para a desinformação é a inteligência artificial (IA), que pode produzir desinformação convincente à velocidade da luz.

Até agora, as soluções globais para este desafio têm sido escassas. A União Europeia tem um acordo provisório sobre a regulamentação da IA, mas não existe regulamentação global.

“É obviamente crucial avaliar e abordar as consequências da IA”, observou Scholte. “No entanto, ainda não se sabe se o WEF tem algo distinto para contribuir – e quão bem ele se comunica e coopera com outras iniciativas nesta área”. Scholte sente que o WEF deste ano pode estar errando o alvo ao não colocar questões criativas na sua agenda.

“Poderíamos ter colocado as questões de uma forma mais desafiadora: por exemplo, em termos de construção da paz em vez de alcançar a segurança; debater o conceito de crescimento em vez de considerar a sua conveniência como garantida; olhando além da política climática para debates mais amplos sobre a viabilidade ecológica da ordem mundial prevalecente.”

O enfraquecimento da economia global, a inflação e a potencial recessão serão grandes preocupações em 2024 e estão ligadas a questões mais amplas.

“Existem ameaças à produção e ao comércio globais decorrentes da guerra – desde as consequências econômicas da invasão da Ucrânia pela Rússia até às ramificações regionais da destruição de Gaza por Israel. Há uma batalha contínua contra as pressões inflacionárias… nos últimos anos. Os bancos centrais têm procurado utilizar o aperto da política monetária para conter a inflação sem causar… dores econômicas que produzam agitação política”, observou Copley.

Ele explicou ainda que o abrandamento do crescimento e a estagnação econômica na China e no mundo como um todo também terão o seu impacto, tal como os crescentes desastres climáticos que perturbam a atividade econômica.

Perdendo o alvo

Alguns críticos nunca acreditaram que o WEF esteja a tornar o mundo um lugar melhor – mesmo que goste de reivindicar isso para si. “O WEF e outros esforços multilaterais apresentam déficits democráticos quando as pessoas que afetam não têm oportunidades adequadas para participar e controlar os seus processos”, disse Scholte.

É um clube exclusivo apenas para convidados [da elite], e a participação significativa é limitada principalmente aos governos, grandes empresas, oligarcas bilionários e atores da sociedade civil mais poderosos do mundo. Além disso, quando as pessoas excluídas discordam ou se sentem prejudicadas pelas atividades [agendas] do WEF, geralmente carecem de canais adequados para serem ouvidas e procurarem reparação.”

Este status quo, e a ideia de que uma “elite global” toma decisões e as impõem ao homem comum, tem sido alimento para vários observadores críticos das reais intenções do WEF.

“Algumas das críticas dirigidas ao WEF foram bastante fantásticas, tais como as alegações de que o WEF faz parte de uma conspiração global que dirige os assuntos mundiais”, disse Copley. “Essas conspirações parecem ter ganhado força após a pandemia da COVID-19.”

Ao longo do 54º fórum do WEF esta semana, certamente haverá discussão em torno de sua relevância e legado.

“O sucesso do WEF na sua interação atual depende de como se interpretam os seus objetivos”, observou Copley. “Certamente sempre conseguiu reunir uma série de elites empresariais e políticas de diferentes partes do mundo para discutir temas prementes em ambientes caros e luxuosos, e produziu uma variedade de relatórios e iniciativas público privadas. Algumas destas iniciativas tiveram efeitos concretos em questões do mundo real, como a sua campanha de vacinação”, concluiu Copley.

“Mas o impacto real do WEF fica aquém dos seus elevados pronunciamentos.”

O Lado Negro de Davos: Serviços de Acompanhantes “Completamente Reservados”

A 54ª reunião anual do Fórum Econômico Mundial começa hoje [15] na pequena cidade turística alpina de Davos. A reunião apenas para convidados reúne cerca de 2.800 [pseudo] líderes de 120 países para discutir os temas mais prementes do mundo, como as alterações climáticas, a inteligência artificial e as pandemias de vírus. 

Depois que líderes mundiais, políticos, oligarcas bilionários, líderes empresariais, acadêmicos frios como Yuval N. Harari, ONGs e líderes religiosos debatendo problemas globais e tentam encontrar “soluções”; Para questões que assolam o mundo, e paralelamente há uma cena noturna que é muito sombria, como explicamos anteriormente: 

O que está no cardápio deste ano? Bem, matéria do The New York Post descreveu:

“Caviar, cogumelos mágicos, sobremesas folheadas a ouro, selfies de primeira linha, Prostitutas de US$ 2.500 por noite e jantares secretos.” 

Em uma reportagem separada, o jornal francês “20 minutos” lança ainda mais luz sobre o assunto deste ano. festa de prostitutas’ em Davos:

Mas quem quiser reservar um[a] acompanhante através da plataforma correspondente “Titt4Tat” na região de Davos, ou mesmo no leste da Suíça, ficarão desapontados. 

Todos os provedores de serviços locais de “acompanhantes” estão lotados durante a semana do WEF,” confirma o proprietário B. Konrad. A explicação: as pessoas ficam isoladas em Davos, os seus parceiros ficam principalmente em casa. Além disso, o álcool, cogumelos e as festas contribuem para a alta procura por seu serviço, segundo o cofundador.

“Além disso, há muitos clientes em Davos que não são sensíveis a preços e que valorizam a privacidade do nosso aplicativo quanto mais,” explica Conrado. Em geral, trata-se menos de sexo e mais da chamada “experiência de namorada”, ou seja, a pretensão de um relacionamento íntimo para pessoas solitárias.

“Dependendo do cliente, uma reserva leva entre quatro e doze horas,” disse a trabalhadora do sexo Mia May, acrescentando que o custo de seu serviço é de cerca de 2.000 francos (US$ 2.340).

Além das noites silenciosas e sombrias de Davos, o WEF está tentando reconstruir a confiança, se algum dias eles a tiveram do público em geral. Isto ocorre depois de movimentos populistas terem varrido o mundo ocidental, perseguindo e acusando as elites políticas e corporativas tirânicos que geriram mal a crise da Covid e promoveram políticas sociais e econômicas falhadas que provocaram indignação entre a maioria da população planetária. Um sintoma deste fracasso são os dados eleitorais pífios do senil Presidente [‘Dementia’ Joe] Biden. 

“Enfrentamos um mundo fraturado e divisões sociais crescentes, levando à incerteza e ao pessimismo generalizados. Temos de reconstruir a confiança no nosso futuro, indo além da gestão de crises, olhando para as causas profundas dos problemas atuais e construindo juntos um futuro mais promissor», afirmou. Klaus Schwab, judeu khazar e fundador do WEF, escreveu em comunicado. 

Duvidamos que o WEF esteja perto de reconstruir alguma confiança, uma vez que a maioria está a agarrar-se a estas elites sinalizadoras de virtude, em sua imensa maioria psicopatas hipócritas, que chegam em seus jatos privados e em carreatas de limusines bebedoras de gasolina para discutir as “alterações climáticas” e os sacrifícios que nós, “os camponeses” devemos aceitar. 


“Precisamos do seu apoio para continuar nosso trabalho baseado em pesquisa independente e investigativa sobre as ameaças do Estado [Deep State] Profundo, et caterva, que a humanidade enfrenta. Sua contribuição, nos ajuda a nos mantermos à tona. Considere apoiar o nosso trabalho. Disponibilizamos o mecanismo Pay Pal, nossa conta na Caixa Econômica Federal   AGENCIA: 1803 – CONTA: 000780744759-2, Operação 1288, pelo PIX-CPF 211.365.990-53 (Caixa)”


“A sabedoria (Sophia) clama lá fora; pelas ruas levanta a sua voz. Nas esquinas movimentadas ela brada; nas entradas das portas e nas cidades profere as suas palavras:  Até quando vocês, inexperientes, irão contentar-se com a sua inexperiência? Vocês, zombadores, até quando terão prazer na zombaria? E vocês, tolos, até quando desprezarão o conhecimento? Atentai para a minha repreensão; pois eis que vos derramarei abundantemente do meu espírito e vos farei saber as minhas palavras [o conhecimento]”. – Provérbios 1:20-23


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba nosso conteúdo

Junte-se a 4.327 outros assinantes

compartilhe

Últimas Publicações

Indicações Thoth