Divisão da Linha do Tempo, da Realidade, as Frequências e as Forças Ocultas da Vida (3)

O objetivo de longo prazo de introduzir constantemente “novos aplicativos divertidos” no mainstream é tornar as pessoas ainda mais zumbis, reativas, controladas, centradas no ego/intelecto e viciadas em tecnologia externa mais do que já estão… é um método eficiente de programação oculta de controle mental e comportamental, transformando as pessoas em robôs-zumbis por sua própria vontade (manipulados), preparando-as para aceitar (e se viciar) em mais “avanços” tecnológicos que influenciarão suas emoções, comportamentos, escolhas atitudes e ações à medida que se tornam cada vez mais semelhantes a máquinas: conformados bovinamente, programados, influenciáveis e previsíveis.

Divisão da Linha do Tempo-Realidade, Frequências e as Forças Ocultas da Vida (3)

Fonte: VeilofReality.comPor Bernhard Guenther (as sentenças entre colchetes [ ] são do tradutor)

Tópicos:

  • Criação da Realidade e a Vontade Divina
  • O que a incorporação realmente significa
  • Individualidade, Soberania e Ser
  • Forças Ocultas e Interferência Hiperdimensional
  • Sobrecarga de informações [inúteis] – ficar preso na toca do coelho
  • A armadilha de combater o mal
  • O futuro não está definido em pedra

Criação da Realidade e a Vontade Divina

O caminho para o despertar espiritual consiste em alinhar a “Sua” vontade com a “Vontade Divina” – a sua conexão com o espírito universal com a “Presença EU SOU” interior. Ao fazer isso, você receberá o que realmente deseja e precisa (a partir de um nível baseado na alma), que será entregue por meio das lições que você precisa aprender à medida que desenvolve diligentemente os dons/talentos que possui e que são exclusivos para você… a maioria dessas habilidades você pode não estar totalmente ciente (ainda). É também assim que funciona a verdadeira “criação da realidade” – em alinhamento com o propósito da sua alma.

No entanto, é vital observar que esse processo entrará em conflito com quaisquer desejos e objetivos que você tenha/tivesse, que decorrem da identificação do ego/personalidade e das “inserções” de programação social/cultural. Também requer curar/deixar de lado quaisquer mágoas, rancores, ressentimentos, aspectos sombrios, feridas e traumas do passado, que estão sendo desencadeados, revelados ainda mais agora nestes dias de atividade energética cada vez mais acelerada.

Em outras palavras, você precisa limpar seu “recipiente” para que as energias superiores possam se ancorar em você, reconectando-o com quem você realmente é (ativando seu projeto DNA original). Esse processo tem efeitos profundos no mundo exterior (que não está realmente “fora” ou separado de “você”) no que diz respeito a um processo de criação de realidade que se baseia em sua jornada de cura interna (e no aumento da frequência resultante do “estado de ser” corporificado). Isto é muito diferente do que está sendo promovido hoje em dia dentro da ideia distorcida da Nova Era de “criação da realidade” ou “lei da atração”, onde o foco é geralmente restrito a uma série de credos de pensamento positivo, afirmações diárias e técnicas de visualização.

Para ser claro, não há nada de errado com nada disso (concentrar-se em pensamentos positivos, fazer afirmações e envolver-se em visualizações). O problema é apenas se fizermos isso com força interior, resultando na supressão da sombra; muitas vezes, esse medo de pensamentos e emoções “negativas” (ou mesmo da “negatividade” que está ocorrendo no mundo ao nosso redor) é porque sentimos que, ao olhar para ele, evocaremos essa “escuridão” em nossas próprias vidas . A verdade é, na realidade, exatamente o oposto: tudo o que você suprime e/ou ignora dentro de você será, em algum momento, refletido de volta para você e se manifestará em sua vida, esperando para ser confrontado e curado.

Esta abordagem da Nova Era em relação à “criação da realidade” também pode resultar em magia negra, especialmente quando as pessoas chamam “seres” para ajudá-las (guias espirituais, mestres ascensos, alienígenas, etc.), criando assim um “pacto com o diabo” ( por assim dizer) e involuntariamente fazendo contratos/armadilhas de acordo com entidades negativas (se passando por positivas) que estão mais do que “felizes” em ajudá-los com seus objetivos de manifestação, apenas para você perceber mais tarde (ou não) que você está sendo sequestrado em um caminho STS (Service to Self). Esta situação surge com ainda mais frequência se você estiver tentando manifestar desejos e paixões que surgem da personalidade do ego condicionado.

“A capacidade de reter a Luz é diretamente proporcional à coragem de ver a escuridão. Optar por ver apenas um cria distorções e ilusões. Surpreende-me que algo tão simples e de bom senso possa ser tão difícil de discutir até mesmo com pessoas “espiritualizadas” que insistem em permanecer “positivas”. Na verdade, esta recusa baseia-se no medo não reconhecido de que a sua luz interior possa ser um pouco “dispersa” ao ver a escuridão e, portanto, não dar muito crédito à luz.

Acho que também há medo de que eles possam de alguma forma ficar “contaminados” ou que a escuridão possa “manifestar-se” de alguma forma em suas vidas. Mas o oposto é verdadeiro; é o medo, especialmente o não reconhecido, que tem muito mais chances de se manifestar do que a escuridão exposta à luz do dia e à investigação. Assim como devemos ser destemidos em relação à nossa própria sombra interior, também devemos ser destemidos em ver esta enorme sombra da humanidade. Ou não teremos o poder de transformar exatamente nada, dentro ou fora.” – Anis Springate

“Praticantes espirituais da Nova Era que afirmam incessantemente a luz enquanto ignoram a sua própria sombra são mais um exemplo de outro estilo de cair sob o feitiço do wetiko. É lindo visualizar e afirmar a luz, mas não como uma reação inconsciente ou de medo contra a escuridão. Muitos “trabalhadores da luz” metafísicos são na verdade caricaturas de praticantes espirituais genuínos, pois nas suas afirmações da luz estão involuntariamente evitando o relacionamento consciente com a escuridão dentro de si mesmos.

Pensando que não querem “alimentar a escuridão” colocando a sua atenção nela, ao afastarem-se e evitarem a sua própria escuridão, estão involuntariamente reforçando o próprio mal do qual estão a fugir. Desviar o olhar da própria escuridão, mantendo-a inconsciente, é o que o mal necessita para existir. Se reagirmos inconscientemente, em comparação com respondermos conscientemente, ao mal, fechando os olhos para ele – “não vendo nenhum mal” – estamos investindo a escuridão com poder sobre nós.” – Paul Levy, Dissipando Wetiko

Quanto mais você estiver alinhado com a Vontade Divina (e tiver incorporado sua conexão com o espírito/seu próprio Eu Superior), menos você terá qualquer necessidade de se envolver em qualquer forma de “técnica de manifestação”, porque você está “no fluxo” da criação divina e da sincronicidade positiva e todas as ocorrências – que estão alinhadas com o potencial de crescimento individual e único da alma – aumentarão exponencialmente.

Este é um estado de ser onde você não luta contra o mundo, ou se encontra em desacordo com ele (porque você percebe – em um nível corporificado – que o interior e o exterior não estão separados, e tudo o que há nesta vida são lições para a evolução da sua alma pessoal); você se desconecta de qualquer ação forçada e voluntária e, em vez disso, age a partir de um estado de ser ancorado, totalmente sintonizado com o momento presente, enquanto responde conscientemente ao que a vida traz para sua esfera de influência. Em vez de tomar decisões a partir de uma análise centrada no ego e intelecto, você se torna um instrumento/recipiente consciente para o espírito divino trabalhar através de você.

Isto também se baseia em um profundo “conhecimento” e confiança na vida e em você mesmo, conectado à sua orientação interior que está fundamentada em sua barriga, região pélvica. No entanto, é um longo caminho para alcançar esse nível de Ser totalmente desperto, e o caminho em si é diferente para cada um de nós; independentemente das circunstâncias individuais, esta jornada não é isenta de obstáculos e oposição, à medida que aprendemos (e reaprendemos) continuamente as nossas lições.

Somente em alinhamento e consonância integral com o Valor Total do Ser a Realidade pode ser manifestada com precisão por meio da “expressão pessoal”, pois então não há discrepância entre “expressão pessoal” ” e Universal, a “parte” perspectiva e o Todo indeterminado.

Pois, entendido desta forma, pode-se ver que resulta uma eficácia inimaginável quando a expressão da vontade “pessoal” de alguém não é diferente ou removida do Espírito da Vontade Divina, ou seja, a Vontade de revelar o Espírito como a Verdade e o caráter autêntico da vida de todos. O Ser ilimitado.

Isto significa que, em termos de “vontade pessoal”, resta apenas o Espírito da Função Docente. Não resta nenhuma vontade no repertório da “vontade pessoal”, exceto aquela que expressa perfeito alinhamento, integração e identidade com a Vontade Divina. Este é o destino de todos.

Ao contrário da opinião popular injustificada, tal alinhamento iniciado com a Vontade do Ser Espírito Absoluto não resulta em “trabalhar a vontade de alguém sem oposição”. Pelo contrário, a própria presença da Verdade Desperta na forma do adepto Espiritual sempre gerou oposição imediata; sempre “despertou” uma reação correspondente do sono autoprotetor do ego coletivo.

Este fato não desmente a eficácia do Ser Total daquela “vontade” que está tão alinhada com a Totalidade.

Significa simplesmente que tal oposição em si, tendo se tornado parte do padrão de manifestação, incorpora-se como ocasião da Demonstração de Ensino, bem como em qualquer forma expressa através do “confronto”. Iniciado o alinhamento da vontade com o Todo criativo não garante “circunstâncias pessoais tranquilas”; pelo contrário, observe a história de cada adepto, examine os acontecimentos que cercam os Mestres conhecidos na história.

Pelo contrário, garante que tais eventos possuirão o caráter de um autêntico ensinamento-demonstração, para todos os que têm Alma para ver. Garante que a Vontade do Todo seja sempre feita, independentemente da parcialidade e do preconceito pelo qual esse Todo possa ser percebido em qualquer caso.” – Michael Topper, Por que “você” não “cria sua própria realidade”

Todos que iniciam este caminho em direção ao despertar corporificado serão confrontados com forças opostas (ocultas) que estão tentando impedi-lo de “permanecer no curso” da sua libertação. Estas distrações podem vir através da sua própria mente – através de injeções de pensamento autodestrutivas e enfraquecedoras (que confundimos como nossas) – resultando assim em comportamento mecânico, reativo; ou podem vir através de outros, que agem como portais inconscientes cujas palavras/ações são projetadas para desviar você do seu caminho.

Mas esses episódios de interferência e obstáculos internos/externos também são testes de uma perspectiva mais elevada, postos em prática para lhe ensinar o discernimento, o valor da própria vontade e para conectá-lo com o seu espírito guerreiro. Muitas pessoas não ultrapassam esse primeiro limiar de resistência e desistem no início do processo, ou são tentadas a voltar à [confortável] frequência da Matrix através de ensinamentos de luz falsa e outras armadilhas e ilusões. Em relação ao arquétipo da jornada do Herói (Joseph Campbell), esta quebra refere-se à “recusa do chamado” (em oposição a “atender ao chamado”):

“Há sempre um teste espiritual antes de se poder atingir o próximo estágio de iluminação. Cada vez que você precisa progredir, você precisa passar por um exame. Quando as manifestações Divinas ocorrem, elas também têm que passar por grandes dificuldades e sofrimentos, como resultado de oposições de forças obscuras e antidivinas que dominam a Terra desde o princípio da criação. Esses poderes das trevas sempre se opõem às novas Luzes porque não querem desistir do seu domínio sobre a terra e às vezes a sua hostilidade até toma a forma de guerras na Terra, mas apesar de todas as obstruções a Vontade Divina finalmente consegue prevalecer. Palavras de “A Mãe” – Obras Coletadas de Sri Aurobindo

CONTINUA . . .


“Precisamos do seu apoio para continuar nosso trabalho baseado em pesquisa independente e investigativa sobre as ameaças do Estado [Deep State] Profundo, et caterva, que a humanidade enfrenta. Sua contribuição, nos ajuda a nos mantermos à tona. Considere apoiar o nosso trabalho. Disponibilizamos o mecanismo Pay Pal, nossa conta na Caixa Econômica Federal   AGENCIA: 1803 – CONTA: 000780744759-2, Operação 1288, pelo PIX-CPF 211.365.990-53 (Caixa)”


“A sabedoria (Sophia) clama lá fora; pelas ruas levanta a sua voz. Nas esquinas movimentadas ela brada; nas entradas das portas e nas cidades profere as suas palavras:  Até quando vocês, inexperientes, irão contentar-se com a sua inexperiência? Vocês, zombadores, até quando terão prazer na zombaria? E vocês, tolos, até quando desprezarão o conhecimento? Atentai para a minha repreensão; pois eis que vos derramarei abundantemente do meu espírito e vos farei saber as minhas palavras [o conhecimento]”. – Provérbios 1:20-23


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba nosso conteúdo

Junte-se a 4.328 outros assinantes

compartilhe

Últimas Publicações

Indicações Thoth