browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Dra. Naomi Wolf e ‘Relatório Confidencial’ Vacinas Covid da Pfizer: “Desculpem anunciar um Genocídio”

Posted by on 23/06/2022

Estou em silêncio há algumas semanas. Me perdoem. A verdade é que: fiquei quase sem palavras – ou o equivalente literário disso – porque recentemente tive a tarefa nada invejável de tentar anunciar ao mundo que, de fato, um genocídio – ou o que chamei, desajeitada mas urgentemente, uma “morte de bebês” – está em andamento.

Dra. Naomi Wolf e ‘Relatório Confidencial’ Vacinas Covid da Pfizer: “Desculpem anunciar um Genocídio”

Fonte: Global Research

O WarRoom/DailyClout Pfizer Documents Research Volunteers, um grupo de 3.000 médicos altamente credenciados, RNs, bioestatísticos, investigadores de fraudes médicas, clínicos de laboratório e cientistas de pesquisa, têm produzido relatório após relatório, como vocês devem saber [ou deveriam], para dizer ao mundo o que esta descrito nos 55.000 documentos internos da Pfizer sobre a vacina mRNA Covid-19 que a FDA pediu a um tribunal para manter em sigilo por … pasmem … 75 anos.

Por ordem judicial, esses documentos foram divulgados à força. E nossos especialistas estão servindo à humanidade lendo esses documentos e explicando-os em termos leigos. Você pode encontrar todos os relatórios dos voluntários no DailyClout.io.

As mentiras da Pfizer sobre as vacinas mRNA reveladas são impressionantes. Até o presente, os voluntários do WarRoom/DailyClout confirmaram:

. . . que a Pfizer (e, portanto, o FDA) sabia em dezembro de 2020 que as vacinas de mRNA não funcionavam – que “diminuíriam em eficácia” com o passar do tempo e apresentavam “falha da vacina”. Um efeito colateral de se vacinar, como eles sabiam um mês após o lançamento em massa de 2020, foi a “Covid”.

A Pfizer sabia em maio de 2021 que 35 corações de menores de idade haviam sido danificados uma semana após receberem a injeção de mRNA – mas o FDA lançou a injeção nos EUA para adolescentes um mês depois de qualquer maneira, e os pais não receberam um comunicado de imprensa do governo dos EUA sobre danos cardíacos até Agosto de 2021, após a vacinação de milhares de adolescentes. [Veja isso ]

A Pfizer (e, portanto, o FDA; muitos dos documentos dizem “FDA: CONFIDENCIAL” no limite inferior) sabia que, ao contrário do que os porta-vozes altamente pagos e os médicos e “especialistas” comprados estavam assegurando às pessoas, que a vacina mRNA, a proteína spike e as nanopartículas lipídicas não ficariam no local da injeção no músculo deltóide, mas sim, dentro de 48 horas, entrariam na corrente sanguínea, de lá para se alojar no fígado, baço, glândulas supra-renais, linfonodos e, se for mulher, nos ovários. [Veja isso ]

A Pfizer (e, portanto, o FDA) sabia que a vacina Moderna para jovens tinha 100 mcg de mRNA, nanopartículas lipídicas e proteína spike, que era mais de três vezes os 30 mcg da dose adulta da Pfizer ; os documentos internos da empresa mostram uma taxa mais alta de eventos adversos com a dose de 100 mcg, então eles pararam de experimentar essa quantidade internamente devido à sua “reatogenicidade” – palavras da Pfizer – mas ninguém disse nada a todos os milhões de americanos que receberam a primeira e segunda dose de 100 mcg de Moderna, e os reforços.

A Pfizer distorceu os participantes do estudo de modo que quase três quartos eram do sexo feminino – um gênero menos propenso a danos cardíacos. A Pfizer perdeu” os registros do que aconteceu com centenas de seus sujeitos de teste.

Nos ensaios internos, houve mais de 42.000 eventos adversos e mais de 1.200 pessoas morreram.  Quatro das pessoas que faleceram morreram no MESMO dia em que foram injetadas.

Os eventos adversos registrados nos documentos internos da Pfizer são completamente diferentes daqueles relatados no site do CDC ou anunciados por médicos e organizações médicas e hospitais corrompidos. Estes efeitos colaterais incluem vastas colunas de dores nas articulações, dores musculares (mialgia), massas de efeitos neurológicos incluem MS, paralisia de Guillain Barre e Bell, encefalia, todas as iterações possíveis de coagulação do sangue, trombocitopenia em escala, derrames, hemorragias e muitos tipos de rupturas de membranas de todo o corpo humano.

Os efeitos colaterais sobre os quais a Pfizer e o FDA sabiam, mas você não foi informado, incluem problemas de bolhas, erupções cutâneas, herpes zoster e condições herpéticas (na verdade, uma série de condições de bolhas que prenunciam estranhamente os sintomas da varíola dos macacos).

Os documentos internos mostram que a Pfizer (e, portanto, a FDA) sabia que vergões vermelhos ou urticárias eram uma reação comum ao PEG, um alérgeno derivado do petróleo existente nos ingredientes da vacina – um que você certamente não deveria ingerir. De fato, o PEG é um alérgeno tão grave que muitas pessoas podem entrar em choque anafilático se forem expostas a ele. Mas as pessoas com alergia ao PEG não foram avisadas das vacinas ou mesmo cuidadosamente observadas por seus médicos, EpiPen na mão. Eles foram deixados para o seu choque anafilático.

A Pfizer sabia que a “exposição” à vacina era definida – em suas próprias palavras – como contato sexual (especialmente no momento da concepção), contato com a pele, inalação ou lactação.  [Veja  isto ]. Os ‘verificadores de fatos’ podem negar isso o quanto quiserem. Os PRÓPRIOS documentos da Pfizer falam por si.

Claro, as pessoas que tentaram levantar qualquer uma dessas questões foram desplataformadas, repreendidas pelo presidente marionete senil e pedófilo, chamadas de insanas e severamente punidas.

Atletas, estudantes universitários e adolescentes estão desmoronando em campos de futebol e pilotos e tripulações de aviões estão morrendo. Os médicos torcem as mãos e expressam mistificação. Mas o arquivamento da BioNTech na SEC mostra um fato sobre o qual o CDC e a AMA não dizem uma palavra: desmaiar tão violentamente que você pode se machucar é um dos efeitos colaterais tão importantes o suficiente para a BioNTech destacar para a SEC.

Mas não para destacar para você e/ou

para mim.

Consegui processar tudo isso e continuar simplesmente relatando. Mas nas últimas semanas o horror me dominou. Porque agora, os Voluntários, sob a excelente liderança da Gerente de Programa Amy Kelly, confirmaram que há um genocídio em andamento, intencionalmente ou não. E a jornalista israelense Etana Hecht acrescentou sua própria análise soberba.

Parece que de fato pode haver um genocídio “por acaso”. A própria reprodução humana é alvo, intencionalmente ou não, das vacinas de mRNA. E se você sabe que a reprodução é prejudicada, e bebês e fetos são prejudicados, e você sabe que isso está em escala, o que todos na Pfizer e na FDA que leram esses documentos sabiam – e se você não parar com as injeções – então tudo isso não acaba se tornando um verdadeiro genocídio?

Os voluntários do WarRoom/DailyClout confirmaram que as nanopartículas lipídicas, os minúsculos invólucros gordurosos que contêm o mRNA, atravessam a membrana amniótica. Isso significa que eles entram no ambiente fetal, é claro. (Eles também atravessam a barreira hematoencefálica, o que pode ajudar a explicar os derrames de vacinação pós-mRNA e os problemas cognitivos que estamos vendo). 

Os trabalhadores Voluntários se aprofundaram nos relatórios dos documentos da Pfizer sobre gravidez e descobriram que a garantia de que a vacina é “segura e eficaz” para mulheres grávidas foi baseada em um estudo com 44 ratos franceses, seguidos por 42 dias (os cientistas do estudo são acionistas ou funcionários da BioNTech). [Veja isso ]

Os voluntários descobriram que, embora as mulheres grávidas fossem excluídas dos estudos internos e, portanto, dos EUA, com base na qual todas as mulheres grávidas foram asseguradas que a vacina era “segura e eficaz”, cerca de 270 mulheres engravidaram durante o estudo. Mais de 230 delas tiveram seus registros “perdidos” de alguma forma para a história. Mas das 36 mulheres grávidas cujos resultados foram acompanhados – 28 perderam seus bebês.

Os voluntários descobriram que um bebê morreu após ser amamentado por uma mãe lactante vacinada, e descobriu-se que tinha um fígado inflamado. Muitos bebês amamentados por mães vacinadas mostraram agitação, desconforto gastrointestinal e falha no crescimento (desenvolvimento) e ficaram inconsoláveis.

Estou ouvindo relatos anedóticos desses sintomas em bebês amamentados por mães vacinadas, agora, de todo o país. Os documentos da Pfizer também mostram que algumas mães vacinadas suprimiram a lactação ou não produziram leite algum. Os médicos, é claro, ficam perplexos com tudo isso. Apenas Perplexos.

O banco de dados do NIH tem um estudo de pré-impressão que mostra que há quantidades insignificantes de PEG no leite materno de mulheres vacinadas. [Veja isso ]

Mas o que é uma quantidade insignificante de um produto de petróleo no leite materno, quando você é um pequeno recém-nascido sem imunidade, recém-chegado ao mundo? A própria pré-impressão do NIH relatou níveis mais altos de desconforto GI e insônia nos bebês estudados, e uma mãe apresentou níveis elevados de PEG no leite materno, e as letras miúdas concluem que são necessários mais estudos:

“Estudos maiores são necessários para aumentar nossa compreensão da transferência de PEG para o leite humano e os efeitos potenciais após a ingestão pelo bebê. Embora o consenso de especialistas afirme que há risco potencial mínimo ou inexistente para o bebê da vacinação materna com COVID-19( 20 , 21 ), os sintomas menores relatados (alterações do sono e sintomas gastrointestinais) podem ser investigados em estudos futuros para determinar se eles estão relacionados com a vacinação”.

Como nenhum bebê morreu no breve período de tempo do pequeno estudo, ele concluiu que os bebês em amamentação não sofreram efeitos nocivos reais das mães vacinadas. Mas o estudo não acompanhou esses pobres bebês, com sua reconhecida insônia e seu desconforto gastrointestinal confirmado, para ver se eles realmente “prosperaram” – ganharam peso e se desenvolveram normalmente.

Em tal ciência defeituosa, foi garantido às mulheres que as vacinas mRNA eram “seguras e eficazes” para elas e seus bebês que amamentavam. Mas – quatro das mulheres lactantes vacinadas nos documentos da Pfizer relataram leite materno com coloração “azul-esverdeado”. Eu não estou inventando isso. E o bebê de amamentação que morreu, com o fígado inflamado — o caso foi enterrado; não ganhou as manchetes.

Coincidentemente – ou não – o MESMA FDA que fez vista grossa para grandes danos aos seres humanos e à subcategoria de mães e bebês, nos documentos da Pfizer, declarou que a Abbot, grande produtora de fórmulas infantis nos EUA, teve que fechar sua fábrica. [Veja isso ]

Coincidentemente, com pouca fórmula para amamentar bebes disponível e com algumas ou muitas (não sabemos) mães vacinadas com leite materno comprometido, Bill Gates, Jeff Bezos, Richard Branson e Mark Zuckerberg investiram em uma startup chamada “BioMilq” – que produz leite materno cultivado em laboratório a partir de células mamárias. [Veja isto ]. Os relatórios desta startup incluem essa linguagem tipo Frankenstein como se isso fosse normal :

“A equipe BIOMILQ cria seu produto a partir de células retiradas de tecido mamário humano e leite, doadas por mulheres da comunidade local, que recebem um cartão-presente da Target em troca.” [Veja isso ]

Como se tudo isso não fosse horrível o suficiente, Hecht desenhou estudos de três países – Canadá, Escócia e agora Israel – para mostrar que bebês estão morrendo desproporcionalmente, durante e após 2021, em países altamente vacinados, e que recém-nascidos estão morrendo desproporcionalmente se têm mães vacinadas versus mães não vacinadas.

Na Escócia altamente vacinada, quase o dobro do número de bebês morreu em 2021 em relação aos números da linha de base. 

Em Ontário, Canadá, 86 bebês morreram em 2021, contra uma linha de base de quatro ou cinco; esta foi uma morte de bebês tão grave que um bravo parlamentar trouxe a questão ao Parlamento.  [Veja  isto ]. Em Israel, no Hospital RamBam em Haifa, houve 34% mais abortos espontâneos e natimortos em mulheres vacinadas do que em mulheres não vacinadas.

Hecht também observa que a desregulação menstrual em mulheres vacinadas é totalmente confirmada agora por muitos estudos, com uma média de um dia extra de sangramento por mês (um efeito colateral sobre o qual avisei em março de 2021, que por sua vez me chamou de nomes por um comentarista da CNN e permanentemente desplataformado do Twitter).

Você não precisa saber mais do que biologia do oitavo ano para saber que um ciclo menstrual desregulado, para não mencionar o acúmulo de proteínas nos ovários, para não mencionar a travessia das membranas do corpo, incluindo o saco amniótico, por minúsculas gorduras duras as nanopartículas lipídicas, para não mencionar o PEG no leite materno, afetarão a fertilidade, a saúde fetal, o parto e o bem-estar ou sofrimento gastrointestinal dos bebês e, portanto, sua capacidade ou falha de crescimento.

E agora, os bebês estão morrendo. Agora dimensione os dados do Canadá, Escócia e Israel para todas as nações vacinadas do mundo. O que fazemos com tudo isso?

Sabendo como sei agora, que a Pfizer e a FDA sabiam que os bebês estavam morrendo e o leite das mães descolorindo apenas olhando para seus próprios registros internos; sabendo como eu sei que eles não alertaram ninguém e muito menos pararam o que estavam fazendo, e que até hoje a Pfizer, a FDA e outras entidades demoníacas de “saúde pública” estão pressionando para vacinar com mRNA cada vez mais mulheres grávidas; agora que eles estão prestes a forçar isso em mulheres na África e em outros países de baixa renda que não estão buscando as vacinas mRNA, segundo o CEO da Pfizer Bourla na semana passada no WEF, e sabendo que a Pfizer está pressionando e pode até receber autorização para injetar bebês a crianças de cinco anos nos EUA – devo concluir que estamos olhando para um abismo de mal não visto desde 1945.

Então eu não sei vocês, mas eu devo trocar de marcha com esse tipo de conhecimento indescritível para outro tipo de discurso. Não estou dizendo que isso seja exatamente como encontrar evidências dos experimentos do monstro nazista Dr. Mengele; mas estou dizendo, com esses achados, que agora a comparação pode não ser tão excessiva.

Esses “cientistas” anti-humanos da Pfizer, falando no WEF; esses anti-humanos no FDA; saber o que eles sabem; estão visando o corpo feminino milagroso, com sua capacidade de conceber, gestar, dar à luz e nutrir a vida, num ataque sem precedentes à reprodução humana. 

Eles estão visando a capacidade do corpo feminino de sustentar um ser humano recém-nascido com nada além de si mesmo. Eles estão visando a membrana amniótica, os ovários que liberam o óvulo, eles estão visando a linfa e o sangue que ajudam a sustentar a formação do leite materno, eles estão visando o feto no útero, indefeso.

Eles estão visando o próprio ambiente do feto humano, um dos espaços mais sagrados da Terra, se não o mais sagrado. E eles sabem disso.

Não sei quanto a vocês, e não estou fazendo proselitismo, mas como vocês devem saber se me lerem aqui, nestes dias apocalípticos, recorro à oração. Comecei a dizer em público, uma vez que tive que enfrentar o fato da morte dos bebês, que este é um tempo bíblico; e quero dizer bíblico do Antigo Testamento.

É um momento como o da construção da Torre de Babel – de enorme arrogância contra os planos divinos. Homens [psicopatas] como Bill Gates adulteram e procuram superar as melhores obras de Deus em laboratório após laboratório, e os Tech Bros “interrompem” a competição humana por seus bens e serviços indesejados, visando processos humanos e arruinando os corpos feitos à imagem de Deus.

Estes são tempos como aquele quando as dez pragas atacaram os egípcios em Êxodo 11:4-6:

“4  Então Moisés disse: “Assim diz o Senhor: ‘Por volta da meia-noite, irei por todo o Egito.  Todos os primogênitos no Egito morrerão, desde o filho primogênito de Faraó, que se assenta no trono, até o filho primogênito da escrava, que trabalha no seu moinho, e todos os primogênitos do gado.  Haverá grande pranto em todo o Egito — pior do que jamais houve ou jamais haverá. 7″

Esta foi a pior praga de todas, a matança dos primogênitos. É um tempo de ha-Satan — Satanás — “indo e voltando na terra, e […] andando para cima e para baixo nela”, como Jó 2 o descreve. É uma época de demônios perambulando em espaços humanos, embora pareçam humanos o suficiente, presunçosos, arrogantes, frios, cruéis em seus ternos italianos em painéis no Fórum Econômico Mundial.

Ha-Satan – e seus exércitos: arruinando a concepção, o leite, a menstruação, o toque, o embalar da criança pela mãe, arruinando a alimentação da criança; arruinando os próprios bebês.

Eu leio muito os Profetas hoje em dia – porque como não poderia? Estou procurando o que a escritora Annie Lamott chamou de “Instruções Operacionais”. O que você faz quando a própria humanidade é ameaçada? Quando há batalhões profissionais e departamentos burocráticos de pessoas que agem com anátema em relação à raça humana?

Certamente deve haver uma pista. Então eu reli a história de Noé, e o Livro de Ester, muito nos dias de hoje; Reli Jeremias. Já estivemos aqui antes. Vergonhosamente, muitas vezes, quando se trata disso.

A história é sempre a mesma, pelo menos na Bíblia hebraica (no Novo Testamento, é claro, Deus pula para o fim e inverte a trama).

Pelo menos na Bíblia hebraica, Deus está sempre tentando chamar nossa atenção, sempre, ao que parece, simplesmente nos pedindo para caminhar ao lado dele; simplesmente nos pedindo para guardar seus mandamentos não muito desafiadores; não, de fato, pedindo muito.

Jeremias 1:13:

 A palavra do Senhor veio a mim novamente: “O que você vê?” “Vejo uma panela que está fervendo”, respondi. “Está se inclinando em nossa direção do [Hemisfério] norte.” 14  O Senhor me disse: “Do [Hemisfério] norte se derramará calamidade sobre todos os habitantes da Terra.  15  Estou prestes a convocar todos os povos dos reinos do [Hemisfério] norte”, declara o Senhor.

“Os seus reis virão e porão os seus tronos
à entrada das portas de Jerusalém;
eles virão contra todos os seus muros circundantes
e contra todas as cidades de Judá.
16  Pronunciarei meus juízos sobre o meu povo
por causa de sua maldade ao me abandonar,
ao queimar incenso a outros deuses
e ao adorar o que suas mãos fizeram”.

Na Bíblia hebraica, de qualquer forma, a matemática é simples. Voltamos, ouvimos e somos salvos; ou continuamos negligentemente, adorando o que nossas próprias mãos fizeram, vadias para outros deuses – para “a ciência”, para as mentiras da mídia pre$$titute$; ao narcisismo da convenção, hoje em dia, pode-se dizer – e assim estamos perdidos.

Quase nos perdemos, vez após vez.

Desta vez poderia realmente ser a última vez; esses monstros nos laboratórios, nos painéis transnacionais, são muito habilidosos; e tão poderosos; e seu trabalho sombrio é tão extenso.

Se Deus está lá – de novo – depois de todas as vezes que testamos sua paciência – e quem sabe de fato? – vamos estender a mão para ele em troca, vamos nos segurar no último momento deste abismo e simplesmente encontrar uma maneira de caminhar ao lado dele?

Ou será que desta vez, ao perder os bebês, e continuar descuidadamente mesmo assim, estaremos realmente perdidos?

Nota aos leitores: Por favor, clique nos botões de compartilhamento acima ou abaixo. Siga-nos no Instagram, Twitter e Facebook. Sinta-se à vontade para republicar e compartilhar amplamente os artigos da Global Research.

Indefinido

Os corpos dos outros: os novos autoritários, Covid-19 e a guerra contra o humano – Editora: ‎ All Seasons Pr (31 de maio de 2022) ISBN-10: ‎ 1737478560 – ISBN-13: ‎ 978-1737478560

Avaliações

“Naomi Wolf é uma das pessoas mais corajosas e de pensamento mais claro que conheço. A razão pela qual você ouve as forças da repressão tão desesperadamente tentando demiti-la é porque ela está certa.” – Tucker Carlson

“A resposta à pandemia é a maior crise do nosso tempo. Vai fazer as guerras parecerem pequenas.  Existem muito poucos livros explorando a pandemia, suas origens e as ramificações da resposta. ‘The Bodies of Others’ da Dra. Naomi Wolf enfoca a questão extremamente importante da autonomia corporal, que você decide o que acontece com seu corpo. A maior perda para a nossa liberdade é quando nossos líderes tomam decisões sobre os corpos dos outros. Compre este livro importante para entender as consequências.” – Dr. Peter McCullough, cardiologista, defensor do tratamento precoce COVID-19, presidente da Cardio Renal Society of America

“O livro da Drª Naomi Wolf se destaca em um mundo de pensamento de grupo. É uma compilação impecável e instigante das consequências preocupantes e angustiantes da pandemia do COVID-19, incluindo a censura e a supressão de alternativas à narrativa convencional”. – Dr. Paul Alexander , ex-assessor de síntese de evidências de pandemia de COVID da OMS


O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é thoth-3126-1.png

“Precisamos URGENTEMENTE do seu apoio para continuar nosso trabalho baseado em pesquisa independente e investigativa sobre as ameaças do Estado [Deep State] Profundo, et caterva, que a humanidade enfrenta. Sua contribuição, por menor que seja, nos ajuda a nos mantermos à tona. Considere apoiar o nosso trabalho. Disponibilizamos o mecanismo Pay Pal, nossa conta na Caixa Econômica Federal   AGENCIA: 1803 – CONTA: 000780744759-2, Operação 1288, pelo PIX-CPF 211.365.990-53 (Caixa)” para remessas do exterior via IBAN código: BR23 0036 0305 0180 3780 7447 592P 1


Mais informação adicional:

Permitida a reprodução, desde que mantido no formato original e mencione as fontes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.