Entre ou
Cadastre-se

Compartilhe
Receba nosso conteúdo

Estudo sobre ‘Mortes por COVID’ descobriu que 74% foram ‘Causadas pelas Vacinas’

Uma revisão do The Lancet de 325 autópsias descobriu que 74% das mortes foram causadas pela vacina – mas o estudo foi removido em 24 horas. O artigo, uma pré-impressão que aguardava revisão por pares, foi escrito pelo renomado cardiologista Dr. Peter McCullough, pelo epidemiologista da Yale UniversityDr. Harvey Risch e seus colegas da Wellness Company, e foi publicado online na quarta-feira no site de pré-impressão da prestigiosa revista médica The Lancet. O Estudo foi removido da internet em menos de 24 horas.

Estudo sobre autópsias de mortes por COVID descobriu que 74% dos óbitos foram causadas pelas vacinas – Estudo é removido da internet em menos de 24 horas.

Fonte: dailysceptic.org – Por Will Jones

No entanto, menos de 24 horas depois, o estudo foi removido e uma nota apareceu afirmando: “Esta pré-impressão foi removida pela Preprints with The Lancet porque as conclusões do estudo não são suportadas pela metodologia do estudo [!!]”. 

Embora o estudo não tenha passado por nenhuma parte do processo de revisão por pares, a nota implica que ele caiu em “critérios de triagem”, mas por QUEM?

O resumo original do estudo pode ser encontrado no Internet Archive . Lê-se (com ênfase minha):

Antecedentes: O rápido desenvolvimento e a implantação generalizada de vacinas mRNA COVID-19, combinados com um grande número de relatórios de eventos adversos, levaram a preocupações sobre possíveis mecanismos de lesão, incluindo nanopartículas lipídicas sistêmicas (LNP) e distribuição de mRNA, dano tecidual associado à proteína spike , trombogenicidade, disfunção do sistema imunológico e carcinogenicidade. O objetivo desta revisão sistemática é investigar possíveis relações causais entre a administração da vacina COVID-19 e a morte por meio de autópsias e análises post-mortem. 

Métodos: Pesquisamos todos os relatórios de autópsia e necropsia publicados relacionados à vacinação contra COVID-19 até 18 de maio de 2023. Identificamos inicialmente 678 estudos e, após a triagem de nossos critérios de inclusão, incluímos 44 artigos que continham 325 casos de autópsia e um caso de necropsia. Três médicos revisaram independentemente todas as mortes e determinaram se a vacinação contra COVID-19 foi a causa direta ou contribuiu significativamente para a morte.

Resultados: O sistema de órgãos mais implicado na morte associada à vacina COVID-19 foi o sistema cardiovascular (53%), seguido pelo sistema hematológico (17%), sistema respiratório (8%) e sistemas de múltiplos órgãos (7%). Três ou mais sistemas de órgãos foram afetados em 21 casos. O tempo médio desde a vacinação até a morte foi de 14,3 dias. A maioria das mortes ocorreu dentro de uma semana após a última administração da vacina. Um total de 240 mortes (73,9%) foram julgadas independentemente como diretamente devidas ou significativamente contribuídas pela vacinação contra a COVID-19.

Interpretação: A consistência observada entre os casos nesta revisão com eventos adversos conhecidos da vacina COVID-19, seus mecanismos e excesso de mortes relacionadas, juntamente com a confirmação da autópsia e a adjudicação da morte liderada pelo médico, sugere que há uma alta probabilidade de um vínculo causal entre vacinas COVID- 19 e morte na maioria dos casos. Mais investigações urgentes são necessárias para esclarecer nossos achados.

O estudo completo não parece ter sido salvo no Internet Archive, mas pode ser lido aqui.

Em 25 de fevereiro de 2009, durante uma reunião [Council of Eugenics] da OMS, o judeu khazar Henry Kissinger declarou: “Uma vez que o rebanho (os bovinamente zumbis) aceita as vacinas obrigatórias, o jogo termina. Eles aceitarão qualquer coisa – doação forçada de sangue ou órgãos – para um bem maior, NÓS PODEMOS MODIFICAR GENETICAMENTE E ESTERILIZAR CRIANÇAS, para um bem maior – Controle as mentes das ovelhas e você controla o rebanho. Os fabricantes de vacinas devem ganhar bilhões. E muitos de vocês nesta sala são investidores. É uma grande vitória para todos. Nós reduzimos o rebanho e o rebanho nos paga pelos serviços de extermínio“.

Sem mais detalhes dos Preprints with The Lancet que removeu o artigo, é difícil saber que substância realmente tem a alegação de que as conclusões não são apoiadas pela metodologia. Vários autores do artigo são especialistas, cientistas do topo de suas áreas, então é difícil imaginar que a metodologia de sua revisão fosse realmente tão ruim que justificasse a remoção na triagem inicial, em vez de estar sujeita a uma avaliação crítica completa pelos seus pares. 

Em vez disso, cheira a censura bruta de uma publicação avessa à seguir a linha oficial da narrativa covid do establishment. Lembre-se de que o CDC ainda não reconheceu uma única morte causada pelas vacinas de mRNA Covid. A evidência da autópsia demonstrando o contrário claramente não é o que o establishment [os psicopatas] de saúde pública dos EUA quer ouvir.

A Dra. Clare Craig, patologista e co-presidente do grupo consultivo pandêmico HART, diz que, em sua opinião, a abordagem adotada no estudo é sólida. Ela disse ao Daily Skeptic :

O sistema VAERS [de notificação de eventos adversos de vacinas] é projetado para alertar sobre danos potenciais, sem ser necessariamente a melhor maneira de medir a extensão desses danos. A quantificação do impacto das mortes pode ser feita observando as taxas gerais de mortalidade em um país.

No entanto, isso é imperfeito, pois seria esperado um déficit de mortes após um período de excesso de mortes, tornando duvidosa a precisão de qualquer linha de base. Uma abordagem alternativa de auditar essas mortes por meio de autópsia é boa.

Pode haver um viés [no estudo] em relatar as autópsias de mortes onde havia evidência de causalidade e a probabilidade de causalidade pode ser exagerada por esse viés. Por exemplo, 19 das 325 mortes foram causadas por trombocitopenia e trombose imune induzida por vacina (VITT), mas esses relatórios podem estar sub-representados devido à disposição dos reguladores de reconhecer tais mortes.

No entanto, é importante que sejam feitas tentativas para quantificar o risco de danos e a censura dessas tentativas, em vez de uma crítica científica aberta, não ajuda a tranquilizar as pessoas.

O Dr. Harvey Risch, um dos autores do estudo, disse ao Daily Skeptic que considera isso “pura censura dirigida pelo governo, mesmo após a liminar Missouri v. Biden”

“Enquanto isso, meus colegas estão estudando o que chamam de ‘Long Vax‘, que é o dano causado pela vacina à longo prazo. Mas é claro que esse é um resultado raro, raro, raro, exceto que eles parecem não ter nenhum problema em encontrar esses indivíduos para se inscrever em seu estudo”, acrescentou.


“O indivíduo é deficiente mentalmente [os zumbis], por ficar cara a cara, com uma conspiração tão monstruosa, que nem acredita que ela exista. A mente americana [humana] simplesmente não se deu conta do mal que foi introduzido em seu meio. . . Ela rejeita até mesmo a suposição de que as [algumas] criaturas humanas possam adotar uma filosofia, que deve, em última instância, destruir tudo o que é bom, verdadeiro e decente”.  – Diretor do FBI J. Edgar Hoover, em 1956.

A estátua do sonho de Nabucodonosor, um símbolo daquilo que a humanidade construiria na Terra. Os dias de insanidade da atualidade estão contados, muito em breve, a “Grande Prostituta”, a cidade de Roma será varrida da face da Terra PELO IMPACTO DE UM METEORO/ASTEROIDE, dando início a derrota completa dos servidores das trevas e o fim de seus planos nefastos para o controle do planeta.


“Precisamos URGENTEMENTE do seu apoio para continuar nosso trabalho baseado em pesquisa independente e investigativa sobre as ameaças do Estado [Deep State] Profundo, et caterva, que a humanidade enfrenta. Sua contribuição, por menor que seja, nos ajuda a nos mantermos à tona. Considere apoiar o nosso trabalho. Disponibilizamos o mecanismo Pay Pal, nossa conta na Caixa Econômica Federal  AGENCIA: 1803 – CONTA: 000780744759-2, Operação 1288, pelo PIX-CPF 211.365.990-53 (Caixa)”. para remessas do exterior via IBAN código: BR23 0036 0305 0180 3780 7447 592P 1


Saiba mais, leitura adicional:

Permitida a reprodução, desde que mantido no formato original e mencione as fontes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *