browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Evidências de que Covid-19 pode ter “escapado” do laboratório Wuhan Institute Of  Virology

Posted by on 05/04/2020

Não há provas de que o coronavírus escapou acidentalmente de um laboratório, mas não podemos aceitar as negações do governo chinês apenas pelo valor nominal apresentados pelo governo comunista do PCC. É compreensível que muitos sejam cautelosos com a noção de que a origem do coronavírus pode ser descoberto por um documentarista  que costumava viver na China. Matthew Tye, que cria vídeos no YouTube, e afirma que identificou a fonte do coronavírus – e grande parte das informações que ele apresenta, obtidas a partir de registros públicos publicados na Internet, de onde ele fez seus check-outs.

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

A trilha do Covid-19 leva ao Wuhan Institute Of  Virology, laboratório de nível de segurança biológica BSL-4, o de mais alto risco possível de infectologia

Fonte:  https://www.nationalreview.com/2020/04/coronavirus-china-trail-leading-back-to-wuhan-labs/

Por JIM GERAGHTY , correspondente político sênior da National Review . 

Assim sendo o seu quebra cabeças começa com a peça O Instituto Wuhan de Virologia na China publicou uma vaga de emprego em 18 de novembro de 2019, “pedindo aos cientistas que pesquisem a relação entre o coronavírus e os morcegos”. A tradução do anúncio laboratório de Wuhan do Google é :

“Tomando os morcegos como objeto de pesquisa, responderei ao mecanismo molecular que pode coexistir com o coronavírus associado ao Ebola e à SARS por um longo tempo sem doença e sua relação com o voo e a longevidade. 

O Instituto Wuhan de Virologia na China publicou uma vaga de emprego em 18 de novembro de 2019, “pedindo aos cientistas que pesquisem a relação entre o coronavírus e os morcegos”

Virologia, imunologia, biologia celular e múltiplas ômicas são usadas para comparar as diferenças entre humanos e outros mamíferos”. (“Omics” é um termo para um subcampo na biologia, como genômica ou glicômica.)

Em 24 de dezembro de 2019, o Wuhan Institute Of  Virology publicou um segundo anúncio de emprego . A tradução dessa publicação inclui a declaração:

“pesquisas de longo prazo sobre a biologia patogênica de morcegos portadores de vírus importantes confirmaram a origem nos morcegos das principais novas doenças infecciosas humanas e animais, como SARS e SADS, e um grande número de novos morcegos. e novos vírus de roedores foram descobertos e identificados”.

Tye sustenta que essa publicação significava: “descobrimos um vírus novo e terrível e gostaríamos de recrutar pessoas para lidar com ele”. Ele também afirma que “as notícias não foram divulgadas sobre o coronavírus até séculos depois disso”. 

Os médicos de Wuhan sabiam que estavam lidando com um conjunto de casos de pneumonia no decorrer de dezembro , mas é preciso dizer que um número muito limitado de pessoas sabia sobre essa cepa específica de coronavírus e sua gravidade no momento da publicação do trabalho. 

Em 31 de dezembro, cerca de três semanas depois que os médicos notaram os casos, o governo chinês notificou a Organização Mundial de Saúde e os primeiros relatos da mídia sobre uma “pneumonia misteriosa” acontecendo na região de Wuhan apareceram fora da China.

A Scientific American verifica grande parte das informações que Tye menciona sobre Shi Zhengli, a virologista chinesa apelidada de “Mulher Morcego” por seu trabalho com essa espécie.

“Shi – uma virologista que é freqüentemente chamada de “mulher morcego” por seus colegas da China por causa de suas expedições de caça a vírus em cavernas de morcegos nos últimos 16 anos – saiu da conferência em que participava em Xangai e pegou o próximo trem de volta para Wuhan. “Eu me perguntei se [a autoridade municipal de saúde] entendeu errado”, diz ela. “Eu nunca esperava que esse tipo de coisa acontecesse em Wuhan, no centro da China.” Seus estudos mostraram que as áreas subtropicais do sul de Guangdong, Guangxi e Yunnan têm o maior risco de os coronavírus saltarem para humanos de vetores animais – particularmente morcegos, um reservatório conhecido por muitos vírus. Se os coronavírus foram os culpados, ela se lembra de ter pensado: “eles poderiam ter vindo do nosso laboratório?”

Médicos em trajes de proteção atendem a um paciente dentro de uma ala isolada do Hospital da Cruz Vermelha de Wuhan, o epicentro do novo surto de coronavírus, na província de Hubei, China, em 16 de fevereiro de 2020. (China Daily via Reuters)

. . . Em 7 de janeiro, a equipe do Wuhan Institute Of  Virology determinou que o novo vírus realmente havia causado a doença sofrida pelos pacientes – uma conclusão baseada em resultados de análises de reação em cadeia da polimerase, sequenciamento completo do genoma, testes de anticorpos de amostras de sangue e a capacidade do vírus de infectar células pulmonares humanas em uma placa de Petri. A sequência genômica do vírus – agora chamada oficialmente SARS-CoV-2 por estar relacionada ao patógeno da SARS – era 96% idêntica à de um coronavírus que os pesquisadores identificaram em morcegos-ferradura em Yunnan, relatado em umartigopublicado na última quarta-feira do mês na revista Nature. “É claro que os morcegos, mais uma vez, são o reservatório natural”, diz Daszak, que não participou do estudo.

Alguns cientistas não estão convencidos de que o vírus tenha pulado diretamente de morcegos para seres humanos, mas existem alguns problemas com a teoria de que outro animal seria o transmissor intermediário de COVID-19 de morcegos para humanos:

Análises do  genoma SARS -CoV-2 indicam um único evento de transbordamento, o que significa que o vírus saltou apenas uma vez de um animal para uma pessoa, o que torna provável que o vírus já circulasse entre as pessoas antes de dezembro. A menos que mais informações sobre os animais no mercado de Wuhan sejam divulgadas, a cadeia de transmissão pode nunca ser esclarecida. Existem, no entanto, inúmeras possibilidades. Um caçador de morcegos ou um traficante de animais selvagens pode ter trazido o vírus ao mercado. Por acaso, os pangolins carregam um coronavírus, que eles poderiam ter adquirido de morcegos anos atrás, e que estaem uma parte crucial de seu genoma, praticamente idêntico ao  SARS -CoV-2. Mas ninguém ainda encontrou evidências de que os pangolins estavam no mercado de Wuhan, ou mesmo que os vendedores traficavam pangolins.

Em 4 de fevereiro – uma semana antes da Organização Mundial da Saúde decidir nomear oficialmente esse vírus “COVID-19” – a revista  Cell Research publicou um aviso escrito por cientistas do Wuhan Institute Of  Virology sobre o vírus, concluindo: “nossas descobertas revelam que remdesivir e cloroquina são altamente eficazes no controle da infecção 2019-nCoV in vitro. Como esses compostos foram usados ​​em pacientes humanos com histórico de segurança e mostraram-se eficazes contra várias doenças, sugerimos que eles sejam avaliados em pacientes humanos que sofrem da nova doença do coronavírus”. Um dos cientistas autores desse aviso foi a “mulher morcego”, Shi Zhengli.

Em seu vídeo no YouTube, Tye concentra sua atenção em uma pesquisadora do Instituto de Virologia Wuhan de nome Huang Yanling:

“A maioria das pessoas acredita que ela é a paciente zero, e a maioria acredita que ela está morta”.

Houve discussões suficientes online na China de rumores sobre Huang Yanling para estimular uma negação oficial feita pelo governo [PCC chinês]. Em 16 de fevereiro, o Wuhan Institute Of  Virology negou que o paciente zero fosse um de seus funcionários e a nomeou de maneira interessante:

“Recentemente, houve informações falsas sobre Huang Yanling, uma graduada em nosso instituto, alegando que ela era paciente zero da infecção pelo novo coronavírus “. 

As publicações da imprensa citam o instituto Wuhan dizendo :

“Huang era uma estudante de graduação no instituto até 2015, quando deixou a província e não havia retornado desde então. Huang estava de boa saúde e não havia sido diagnosticada com a doença, acrescentou”. Nenhum de seus trabalhos de pesquisa publicamente disponíveis é datado após 2015.

A página da web do Laboratório de Microbiologia Diagnóstica do Instituto Wuhan ainda tem “Huang Yanling” listada como uma estudante de graduação em 2012, e sua foto e biografia parecem ter sido removidas recentemente – assim como as de outros dois estudantes de 2013 , Wang Mengyue e Wei Cuihua. O nome dela ainda tem um hiperlink, mas a página vinculada está em branco . As páginas de Wang Mengyue e Wei Cuihua também estão em branco.

A página da web do Laboratório de Microbiologia Diagnóstica do Instituto Wuhan ainda tem “Huang Yanling” listada como estudante de graduação em 2012, e sua foto e biografia parecem ter sido removidas recentemente

(Vale a pena citar que o South China Morning Post – um jornal geralmente considerado pró-Pequim – informou em 13 de março que “de acordo com os dados do “governo” [leia-se PCC] vistos pelo Post, um adolescente de 55 anos da província de Hubei poderia ter sido a primeira pessoa a contratar o Covid-19 em 17 de novembro”.)

Em 17 de fevereiro, Zhen Shuji, correspondente de Hong Kong do serviço de rádio público francês Radio France Internationale, relatou :

“Quando um repórter do Beijing News of Mainland pediu informações ao Instituto Wuhan de Virologia sobre os rumores sobre o paciente zero, o instituto primeiro negou que houvesse m pesquisador Huang Yanling como membro de sua equipe, mas depois de saber que o nome da pessoa já estava sendo citado na Internet, reconheceu que a pessoa havia trabalhado na empresa, mas agora deixou o escritório e não foi mais identificado seu paradeiro”.

Tye diz: “todos na internet chinesa estão procurando por [Huang Yanling], mas a maioria acredita que seu corpo foi rapidamente cremado e as pessoas que trabalham no crematório talvez tenham sido infectadas porque não receberam nenhuma informação sobre o vírus”. (Os Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA afirmam que o manuseio do corpo de alguém que morreu de coronavírus é seguro – incluindo embalsamamento e cremação – desde que sejam utilizados os protocolos de segurança padrão para entrega de um falecido. Os protocolos de segurança foram suficientemente usados ​​na China antes que o escopo do surto fosse conhecido.)

Como Tye observa, uma aparição pública de Huang Yanling dissiparia muitos dos rumores públicos, e é o tipo de coisa que o governo [PCC] chinês organizaria rapidamente em circunstâncias normais – presumindo que Huang Yanling ainda estivesse viva. Vários funcionários do Instituto de Virologia Wuhan emitiram declarações públicas de que Huang estava em boa saúde e que ninguém no instituto foi infectado com COVID-19. De qualquer forma, o mistério em torno de Huang Yanling pode ser discutível, mas aponta para o laboratório claramente estar encobrindo algo sobre ela.

EXCLUSIVO:

A China Global Television Network, emissora de televisão estatal, iluminou outro boato ao tentar dissipá-lo em um relatório de 23 de fevereiro intitulado “Os rumores param com os sábios”:

“Em 17 de fevereiro, uma usuária do Weibo que se dizia Chen Quanjiao, pesquisadora do Instituto Wuhan de Virologia, informou ao público que o diretor do instituto Wuhan era responsável por vazar o novo coronavírus. O posto de Weibo jogou uma bomba no ciberespaço e o público ficou chocado. Logo, a própria Chen saiu e declarou que nunca havia divulgado nenhuma informação de relatório e expressou grande indignação por tal fraude de identidade no Weibo. Foi confirmado que essa conta específica do Weibo foi encerrada várias vezes devido à disseminação de informações errôneas sobre o COVID-19”.

O relatório da Radio France Internationale em 17 de fevereiro também mencionou a próxima parte importante do vídeo do YouTube do Tye. “Xiaobo Tao, um estudioso da Universidade de Tecnologia do Sul da China, publicou recentemente um relatório de que pesquisadores do Laboratório de Vírus de Wuhan foram salpicados com sangue de morcego e urina e depois colocados em quarentena por 14 dias”. O HK01, outro site de notícias de Hong Kong,  relatou a mesma alegação .

O nome deste médico está escrito em inglês como “Xiaobo Tao” e “Botao Xiao”. De 2011 a 2013, Botao Xiao foi pesquisador de pós – doutorado na Harvard Medical School e no Boston Children’s Hospital , e sua biografia ainda está no site da Universidade de Tecnologia do Sul da China.

Em algum momento de fevereiro, o Botao Xiao publicou um artigo de pesquisa no ResearchGate.net, “ As origens possíveis do coronavírus 2019-nCoV“. Ele está listado como um autor, juntamente com Lei Xiao do Tian You Hospital, que é afiliado à Universidade de Ciência e Tecnologia de Wuhan . O artigo TAMBÉM foi removido pouco tempo depois de publicado, mas as imagens arquivadas de suas páginas podem ser encontradas aqui e aqui .

A primeira conclusão do artigo de Botao Xiao é que os morcegos suspeitos de portar o vírus são extremamente improváveis ​​de serem encontrados naturalmente na cidade e, apesar das histórias de “sopa de morcegos”, eles concluem que os morcegos não eram vendidos no mercado e portanto eram improváveis de serem deliberadamente ingeridos por seres humanos.

“Os morcegos que carregavam o CoV ZC45 foram encontrados originalmente na província de Yunnan ou Zhejiang, ambos a mais de 900 quilômetros do mercado de frutos do mar em Wuhan. Morcegos normalmente são encontrados em cavernas e árvores. Mas o mercado de frutos do mar fica em um distrito densamente povoado de Wuhan, uma área metropolitana de ~ 15 milhões de pessoas. A probabilidade era muito baixa para os morcegos voarem para o mercado. Segundo relatos municipais e testemunhos de 31 moradores e 28 visitantes, o morcego nunca foi uma fonte de alimento na cidade e nenhum morcego era comercializado no mercado”.

Os Centros dos EUA para Controle e Prevenção de Doenças e a Organização Mundial de Saúde não puderam confirmar se os morcegos estavam presentes no mercado de Wuhan. O artigo de Botao Xiao teoriza que o coronavírus se originou de morcegos sendo usados ​​para pesquisa em um dos dois laboratórios de pesquisa em Wuhan.

“Examinamos a área em torno do mercado de frutos do mar de Wuhan e identificamos dois laboratórios que realizam pesquisas sobre coronavírus de morcego. A cerca de 280 metros do mercado, havia o Centro Wuhan de Controle e Prevenção de Doenças. O WHCDC hospedou animais em laboratórios para fins de pesquisa, um dos quais especializado em coleta e identificação de patógenos.  Em um de seus estudos, 155 morcegos, incluindo Rhinolophus affinisforam capturados na província de Hubei e outros 450 morcegos foram capturados na província de Zhejiang. O especialista em coleta foi anotado nas Contribuições dos autores (JHT). Além disso, ele foi transmitido para coletar vírus em jornais e sites de todo o país em 2017 e 2019. Ele descreveu que foi atacado por morcegos e pelo sangue de um morcego na pele. Ele conhecia o perigo extremo da infecção e ficou em quarentena por 14 dias. Em outro acidente, ele se colocou em quarentena novamente porque morcegos fizeram xixi nele”.

“A cirurgia foi realizada nos animais enjaulados e as amostras de tecido foram coletadas para extração e sequenciamento de DNA e RNA. As amostras de tecido e os resíduos contaminados foram fonte de patógenos. Eles estavam a apenas 280 metros do mercado de frutos do mar. O WHCDC também fica adjacente ao Union Hospital (Figura 1, abaixo), onde o primeiro grupo de médicos foi infectado durante esta epidemia. É plausível que o vírus tenha vazado e alguns deles tenham contaminado os pacientes iniciais nessa epidemia, embora sejam necessárias provas sólidas em estudos futuros”.

“O segundo laboratório estava a aproximadamente 12 quilômetros do mercado de Wuhan e pertencia ao Wuhan Institute Of  Virology, da Academia Chinesa de Ciências”. . .

Em resumo, alguém estava envolvido com a evolução do coronavírus 2019-nCoV. Além das origens da recombinação natural e do hospedeiro intermediário, o coronavírus assassino provavelmente se originou de um laboratório biológico em Wuhan. Pode ser necessário reforçar o nível de segurança em laboratórios de risco biológico de alto risco como o Wuhan Institute Of  Virology de nível BSL-4, o mais alto risco. Podem ser adotados regulamentos para realocar esses laboratórios longe do centro da cidade e de outros locais densamente povoados.

No entanto, Xiao disse ao Wall Street Journal que retirou seu trabalho . “A especulação sobre as possíveis origens do post foi baseada em artigos e mídias publicados, e não foi apoiada por provas diretas”, disse ele em um breve email em 26 de fevereiro.

O pesquisador de morcegos ao qual o relatório de Xiao se refere é o virologista Tian Junhua, que trabalha no Centro de Controle de Doenças de Wuhan. Em 2004, a Organização Mundial da Saúde determinou que um surto do vírus da SARS havia sido causado por dois vazamentos separados no Instituto Chinês de Virologia em Pequim. O governo chinês disse que os vazamentos foram resultado de “negligência” e as autoridades responsáveis ​​do local do vazamento foram punidas.

Em 2017, o Shanghai Media Group, de propriedade estatal chinesa, fez um documentário de sete minutos sobre Tian Junhua, intitulado “Juventude em estado selvagem: defensor invisível”. Cinegrafistas seguiram Tian Junhua enquanto ele viajava profundamente em cavernas para coletar morcegos. “Entre todas as criaturas conhecidas, os morcegos são ricos em vários vírus”, diz ele em chinês. “Você pode encontrar a maioria dos vírus responsáveis ​​por doenças humanas, como vírus da raiva, SARS e Ebola. Consequentemente, as cavernas frequentadas por morcegos se tornaram nossos principais campos de batalha”. Ele enfatiza: “os morcegos geralmente vivem em cavernas que os humanos dificilmente conseguem alcançar. Somente nesses locais podemos encontrar as amostras vetoriais de “vírus mais ideais”.

Uma de suas últimas declarações no vídeo é: “Nos últimos dez anos, visitamos todos os cantos da província de Hubei. Exploramos dezenas de cavernas não desenvolvidas e estudamos mais de 300 tipos de vetores de vírus. Mas espero que essas amostras de vírus sejam preservadas apenas para pesquisas científicas e nunca sejam usadas na vida real. Porque os seres humanos precisam não apenas das vacinas, mas também da proteção contra a natureza”.

A descrição do auto-isolamento de Tian Junhua veio de um relatório de maio de 2017 da Agência de Notícias Xinhua, repetido pelo site de notícias chinês JQKNews.com :

O ambiente para coletar amostras de morcegos é extremamente ruim. Há um fedor na caverna dos morcegos. Os morcegos carregam um grande número de vírus em seus corpos. Se não tiverem cuidado, correm risco de infecção. Mas Tian Junhua não tem medo de ir para a montanha com sua esposa para pegar o “Batman” [morcegos].

Tian Junhua resumiu a experiência de que mais morcegos podem ser pegos usando o canhão do céu e puxando a rede. Mas, no processo de operação, Tian Junhua esqueceu de tomar medidas de proteção. A urina do morcego pingava nele como gotas de chuva do topo. Se ele estava infectado, ele não conseguiu encontrar nenhum medicamento. Isso foi descrito no relatório.

As asas dos morcegos carregam garras afiadas. Quando os grandes morcegos são pegos por ferramentas de morcego, eles podem facilmente pulverizar sangue. Várias vezes o sangue de morcego foi borrifado diretamente na pele de Tian, mas ele não vacilou. Depois de voltar para casa, Tian Junhua tomou a iniciativa de ficar isolado por meio mês. Enquanto o período de incubação de 14 dias não ocorrer, ele terá sorte em escapar, disse o relatório.

A urina e o sangue dos morcegos podem transmitir vírus. Qual é a probabilidade de que urina ou sangue de morcego cheguem a um pesquisador no Centro de Controle e Prevenção de Doenças de Wuhan ou no Wuhan Institute Of  Virology? Como alternativa, quais são as chances de que algum tipo de resíduo médico ou outro material dos morcegos não tenha sido descartado adequadamente e esse tenha sido o vetor de transmissão inicial para um ser humano na atual pandemia?

Os virologistas têm sido veementemente céticos em relação à teoria de que o COVID-19 foi projetado ou deliberadamente construído em laboratório biológico de alta segurança ; o diretor do National Institutes of Health escreveu  que pesquisas genômicas recentes “desmascaram tais alegações, fornecendo evidências científicas de que esse novo coronavírus surgiu naturalmente na natureza”

E nenhuma das opções acima é prova definitiva de que o COVID-19 se originou de um morcego no Centro de Controle e Prevenção de Doenças de Wuhan ou no Wuhan Institute Of  Virology. A prova definitiva exigiria acesso muito mais amplo a informações sobre o que aconteceu nessas instalações no período anterior à epidemia na cidade.

Mas é uma coincidência notável que o Wuhan Institute Of  Virology estava pesquisando coronavírus associados ao Ebola e à SARS em morcegos antes do surto de pandemia, e que no mês em que os médicos de Wuhan estavam tratando os primeiros pacientes do COVID-19, o instituto anunciou num aviso de contratação de que “um grande número de novos vírus de morcego e roedor foi descoberto e identificado”. E o fato de que o governo chinês ter passado seis semanas insistindo que o COVID-19 não poderia ser espalhado de pessoa para pessoa significa que suas negações sobre os laboratórios de Wuhan não podem ser aceitas sem uma verificação independente.

Estamos vendo o uso do surto global do coronavírus COVID-19 [fabricado em laboratório]  sendo usado em todo o mundo para colapsar mercados e criar instabilidade financeira maciça. George Soros entrou em colapso de todo o sistema financeiro britânico sozinho, com certeza ficou quieto ultimamente, eu me pergunto o que ele tem feito nisso tudo. 

Aqui na América, acredito que a mídia MSM Pre$$titute e os democratas que eles amam tanto estão trabalhando incansavelmente o tempo todo para armar o COVID-19 para impedir a releição de Trump em novembro. Há anos que estamos avisando que esse dia chegará, já chegou? Fique ligado pois os próximos dias serão eletrizantes.


Você quer mesmo saber como esse coronavírus “surgiu na China” e se espalhou pelo mundo em pouco tempo? Ao pesquisar os arquivos de registros de patentes nos EUA on-line, foi descoberto o registro de uma patente de Coronavírus concedida para o C.D.C. –  Centers for Disease Control and Prevention [se trata do principal instituto nacional de saúde pública dos EUA. O C.D.C. é uma agência federal dos EUA sob o United States Department of Health & Human Services (HHS)] que tem sua sede em Atlanta, Geórgia. Assim emerge um fato indiscutível, o de que o “DONO” DESSE VÍRUS MORTAL E SEU CRIADOR é o PRÓPRIO C.D.C. (Centro de Controle e Prevenção de Doenças)

O coronavírus do surto atual não teve origem na China, mas FOI IMPLANTADO neste país asiático com a clara intenção de causar o maior dano possível aos chineses. A consequência natural, quando  [se já não descobriu] a China perceber que a eclosão do surto pode ter sido um ataque de BIOWEAPON ao seu território e contra seu povo, qual será o tipo de resposta a ser dada pela China aos [ir]responsáveis pela contaminação. Começamos a ano de 2020 com muitos que operam nas sombras desejando aumentar o caos no planeta.

PATENTE de criação de um CORONAVÍRUS fornecida ao CDC (Centers for Disease Control and Prevention)  US7220852B1 – SOBRE A CRIAÇÃO DE CORONAVÍRUS [SARS] ….

Na patente acima, do registro de um CORONAVÍRUS [uma BIOWEAPON], você encontrará 72 páginas de conteúdo para poder julgar esse letal “surto repentino e desconhecido de coronavírus” na ChinaLeia a patente nesse link primeiro, faça o download e compartilhe este artigo amplamente antes que os AGENTES do DEEP STATE a excluam. Mantenha-se sábio, com discernimento e saudável!


“E ouvireis de guerras e de rumores de guerras; olhai, não vos assusteis, porque é mister que isso tudo aconteça, mas ainda não é o fim.  Porquanto se levantará nação contra nação, e reino contra reino, e haverá FOMES, PESTES e TERREMOTOS, em vários lugares. Mas todas estas coisas são [APENAS] o princípio de dores. 

Então vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-vos ão; e sereis odiados de todas as nações por causa do meu nome. Nesse tempo muitos serão escandalizados, e trair-se-ão uns aos outros, e uns aos outros se odiarãoE surgirão muitos FALSOS PROFETAS, e enganarão a muitos. E, por se multiplicar a iniquidade, o amor de muitos esfriará. Mas aquele que perseverar até ao fim, esse será salvo”.  Mateus 24:6-13

 

 

2 Responses to Evidências de que Covid-19 pode ter “escapado” do laboratório Wuhan Institute Of  Virology

  1. Everton

    Vocês poderiam investigar, basta pesquisar sobre o “Bundestag 17/12051” . Que se trata de um documento Real do parlamento Alemão fazendo treinamento contra o Corona (Modi-Sars) na época em 2012 com esse nome.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.