browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Ex-agente assassino da CIA alega ter visto naves alienígenas e corpos de aliens no Nível S-4 da ÁREA 51

Posted by on 13/10/2020

O que se segue é uma série de dois artigos originalmente publicados em 16 de julho e 19 de julho de 2009, no site  Examiner.com sobre as revelações de um suposto Seal [*] da Marinha dos EUA que ficava alojado nas instalações subterrâneas conhecidas como Nível S-4 na ÁREA 51 [Nellis Air Force Base Complex, em Nevada], local que ele descreveu como um museu com espaçonaves extraterrestres e corpos de alienígenas. O ex-seal afirmava que o serviço de guarda no S-4 era usado como meio de “alojar” os agentes assassinos recrutados pela CIA usados ​​para “silenciar permanentemente” os críticos do governo e / ou remover ameaças à “segurança nacional”.

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

Ex-agente assassino da CIA alega ter visto naves alienígenas e corpos de aliens no Nível S-4 da ÁREA 51

Fontes:  Exopolitics.org  –  UFO Hypotheses

O seal insider e denunciante, Derek Hennessy, usou o pseudônimo “Connor O’Ryan” em um conjunto de entrevistas com o tenente-coronel Wendelle Stevens em 1991 que foi gravado em vídeo. Hennessy / O’Ryan forneceram vários documentos que apoiam e corroboram o seu testemunho. Isso foi especialmente importante, pois o ex seal e assassino da CIA afirmava que os dados de seu tempo de serviço na Marinha dos EUA foram eliminados dos registros oficiais de maneira semelhante ao que havia acontecido anteriormente com Bob Lazar em 1989 e com inúmeros outros insiders que vieram à publico contar suas histórias, como Corey Goode, insider do Programa Espacial Secreto.


{(*) SEALNavy SEAL – Membro de uma unidade militar de forças especiais da Marinha dos EUA – USNAVY que  é treinado para guerra não  convencional; “SEAL é um acrônimo para Sea, Air, and Land (Mar, Ar e Terra)”  As equipes United States Navy Sea, Air, and Land (SEAL) Teams da Marinha dos Estados Unidos, comumente conhecidas como Navy SEALs, são a principal força de operações especiais da Marinha dos EUA e um componente do Comando de Guerra Especial da Marinha. Entre as principais funções dos SEALs estão a condução de operações militares marítimas de pequena unidade que se originam e retornam a um rio, oceano, pântano, delta ou litoral. Os SEALs são treinados para operar em todos os ambientes (mar, ar e terra) para os quais são nomeados. Força Delta do Exército e sua contraparte da Marinha, SEAL Team Six, são as principais Unidades de Missão Especial Nível 1 das forças armadas dos EUA, encarregadas de realizar as missões mais complexas, classificadas e perigosas dirigidas pela Autoridade de Comando Nacional.}


O coronel Stevens passou uma década verificando a história de Hennessy / O’Ryan e os documentos de apoio antes de se sentir confiante o suficiente sobre sua autenticidade para se apresentar em 2001 para discutir sua investigação em duas conferências de OVNIs na Austrália e nos Estados Unidos (Congresso Internacional de OVNIs). Ele diz que, antes da conferência na Austrália, recebeu um telefonema avisando-o para não exagerar na divulgação das suas informações, mas isso apenas o convenceu de que Hennessy / O’Ryan estava dizendo a verdade.

O lançamento subsequente das entrevistas em vídeo em 2009 (quase duas décadas depois), que foram editadas por Rick Keefe da UFO Hypotheses, proporcionou ao público em geral a oportunidade de ouvir a história de Hennessy / O’Ryan em suas próprias palavras. Descrevi alguns dos conteúdos da minha série original de duas partes.

Comecei a ajudar na investigação de Steven sobre Hennesy / O’Ryan depois de assistir às entrevistas em vídeo, pesquisar alguns dos documentos de apoio e entrevistar participantes como Jim Dilettoso, que deu refúgio a Hennessy / O’Ryan em sua propriedade onde as entrevistas aconteceram. Em minha última conversa com o coronel Stevens, ele disse que Hennessy / O’Ryan havia ressurgido, mas não tinha mais lembranças de sua vida anterior como agente da CIA.

Infelizmente, em 7 de setembro de 2010, o coronel Stevens faleceu em sua casa em Tucson, Arizona, efetivamente encerrando a investigação de Hennessy / O’Ryan. Agora, depois de uma década, parece que o momento da morte do Coronel Steven é suspeito, dado o renovado interesse público em sua investigação de agentes assassinos treinados da CIA recrutados em unidades militares de elite, como os Navy Seals.

Seymour Hersch deu a notícia de um grupo de agentes assassinos da CIA ligados ao ex-vice-presidente Richard Cheney, conforme discuti em meu primeiro artigo. A informação de Stevens de que esses “Black Seals” controlados pela CIA estavam descansando entre atribuições em instalações altamente classificadas que abrigavam artefatos relacionados a OVNIs, e que Cheney havia sido avistado lá, assumiu um novo significado especial devido às revelações de Hersh.

As seis horas de entrevistas em vídeo de Hennessy / O’Ryan fornecem detalhes extensos da vida nas instalações subterrâneas do Nível do S-4 na ÁREA-51, o que está escondido lá, como os agentes são recrutados pela CIA  para se tornarem seus assassinos, que ficavam alojados no Nível do S-4, e de dignitários visitantes como o vice presidente Cheney e o ex-diretor da NSA, Almirante Bobby Ray Inman. Os vídeos estão disponíveis em três partes ( Vol 1 , Vol 2 , Vol 3 )

Estou republicando ambos os artigos da série hoje, pois eles adicionam informações consideráveis ​​sobre os esforços históricos de engenharia reversa realizados nos EUA para o desenvolvimento de tecnologia extraterrestre e sua utilização em vários programas espaciais secretos que foram criados, conforme descrito na minha série de livros Programas Espaciais Secretos . Com o fim do site Examiner.com em 2016, os dois artigos são difíceis de encontrar, mesmo usando a máquina Wayback. Eles aparecem em sua forma original com pequenas edições gramaticais e atualizações quando apropriado [entre colchetes].


Testemunho com documentos do assassino da CIA recrutado dos Navy SEALS fica online

Em 13 de julho [2009], o New York Times publicou uma matéria sobre a CIA comandando um esquadrão de agentes assassinos recrutados das forças especiais militares dos EUA [especialmente Seals da Marinha] contra terroristas estrangeiros sem a aprovação e conhecimento do Congresso por ordem do ex-vice-presidente Dick Cheney. A matéria do Times confirma as afirmações de Seymour Hersh em março de 2009 de que um esquadrão de assassinato foi criado e reportava-se diretamente a Cheney por meio de pessoal das forças especiais. 

O projeto secreto da CIA foi encerrado pelo diretor da CIA, Leon Panetta, quando soube dele em 23 de junho. Detalhes do projeto foram passados ​​no dia seguinte ao Congresso dos Estados Unidos e causaram furor com os relatórios. Posteriormente, foi divulgada uma declaração de sete membros do Comitê de Inteligência da Câmara sobre o engano do Congresso pela CIA. 

O programa secreto da CIA supostamente começou em 2001, logo após os ataques do 11 de setembro às torres gêmeas em N. York. O desenrolar das revelações de esquadrões da morte da CIA usando militares das forças especiais militares dos EUA coincide com a divulgação online do testemunho em vídeo de um ex-SEAL da Marinha dos EUA que disse ter sido recrutado para executar 18 missões de assassinato para a CIA.

Se for verdade, o depoimento do agente Seal revela que assassinatos encobertos são anteriores aos ataques de 11/09 e também visavam cidadãos americanos. Curiosamente, os assassinatos estavam relacionados a projetos secretos em que Dick Cheney estava supostamente envolvido quando era Secretário de Defesa de George HW Bush de 1989 a 1993.

Connor O’Ryan era um pseudônimo usado por Derek Hennessy, que afirma em depoimento em vídeo gravado em 1991, que ele executou missões secretas para a CIA na década de 1980, assassinando inimigos dos EUA. Depois de ingressar na Marinha dos Estados Unidos no início dos anos 1980, O’Ryan / Hennessy afirma que se juntou à elite dos Seals e foi eventualmente recrutado para realizar as missões secretas de assassinato para a CIA.

Ele disse que os alvos dos ataques de assassinato incluíam até mesmo cidadãos americanos. Ele descreveu sua 18ª e última missão como sendo um sargento dos Boinas Verdes do Exército dos EUA na Embaixada do pais em Budapeste, na Hungria.

As extraordinárias alegações de O’Ryan / Hennessy foram investigadas durante um período de dez anos por um tenente-coronel aposentado da Força Aérea dos Estados Unidos, Wendelle Stevens. Durante sua investigação, Stevens foi capaz de confirmar a identidade militar de Hennessy e que ele foi designado para realizar missões secretas para a CIA. Preocupado com o fato de O’Ryan / Hennessy ter participado de uma operação de inteligência para desacreditá-lo, Stevens não divulgou os resultados iniciais de sua investigação até 2001.

O depoimento em vídeo de O’Ryan / Hennessy está incluído em um conjunto de entrevistas conduzidas com Stevens divulgadas na Internet em 2009. Nas entrevistas, Steven discutiu documentos que ele tinha em sua posse verificando as missões secretas de Hennessy da CIA.

Um documento foi escrito em papel timbrado da CIA (veja imagem acima) com instruções para O / Ryan / Hennessy em sua última missão. Steven leu o conteúdo do documento da seguinte maneira:

Você deve se reportar à Embaixada Americana em Budapeste, Hungria. Você será recebido por SA Greywolf. Como uma unidade, você procederá à rescisão de um ex SA David T. Johnson.

De acordo com Stevens, o documento foi última ordem final de O’Ryan / Hennessy um mês antes de ele deixar sua última missão em uma instalação secreta em Nevada.

Outro documento é a declaração de salário W-2 de O’Ryan / Hennessy, que mostrou que ele estava ganhando US$ 74.000 da CIA. Embora fosse apenas um sargento, ele ganhava o equivalente ao salário de um coronel na época. Steven’s conseguiu confirmar que o número de série e a palavra-código do W-2 estavam ativos por meio de uma fonte anônima do FBI.

No vídeo, Stevens se refere erroneamente à declaração de salário como um W-4, mas uma cópia do W-2 é mostrada claramente [veja abaixo].

Combinados com o depoimento em vídeo gravado de O’Ryan / Hennessy, os documentos, se genuínos, seriam evidências fumegantes de que um esquadrão de assassinato da CIA usando militares dos EUA era anterior a 2001 e até mesmo tinha como alvo cidadãos americanos.

Até o momento, nenhum dos documentos foi divulgado ao público. Apenas imagens de vídeo estão disponíveis. A autenticação independente de documentos ainda precisa ser realizada.

A confirmação do W-2 por um contato anônimo do FBI de Stevens é um suporte poderoso para a legitimidade da história de O’Brian / Hennessy. Há boas razões, entretanto, para duvidar da legitimidade do documento de ordem de sucesso da CIA. É difícil aceitar que a CIA fosse tão explícita ao dar ordens fixas para eliminar um oficial militar não-comissionado em serviço.

Diretiva de Assassinato MJ-12 [MAJESTIC-12] – Fonte:  Documentos Majestic

Pode-se razoavelmente argumentar que tais pedidos, se colocados no papel, seriam feitos de uma maneira mais enigmática sem o logotipo da CIA. Isso seria consistente com uma Diretiva de Assassinato que o ex-Diretor da CIA Allen Dulles supostamente redigiu em 1961 e foi posteriormente autorizado por um grupo responsável por operações secretas chamado Majestic-12.

A suposta Diretiva de Assassinato de Dulles usava a frase enigmática “deve ser molhado” como uma palavra-código para assassinatos destinados a proteger as operações do [Grupo] Majestic-12Se de fato houve um programa de assassinato da CIA anterior a 2001, ele pode se originar do projeto de Diretiva de Assassinato de Dulles de 1961. A diretiva foi supostamente recebida pelo chefe da contra-espionagem da CIA, James Jesus Angleton, em 1961, e posteriormente ligada ao assassinato do presidente Kennedy.

Se O’Ryan / Hennessy eliminou um Boina Verde em exercício na embaixada dos EUA em Budapeste em 1991, como ele afirma, então a autoridade para tal assassinato pode derivar do projeto de Diretiva de Assassinato de Dulles de 1961.

Se a carta de ordem de O’Ryan / Hennessy da CIA é uma farsa, isso levanta uma questão igualmente desconcertante. Por que Wendelle Stevens, um pesquisador de longa data do fenômeno OVNI, seria alvo de uma elaborada operação de inteligência para desacreditá-lo com uma história inventada sobre assassinos da CIA usando pessoal de elite das forças especiais militares em 1991? O’Ryan / Hennessy passou um longo período se escondendo com Stevens e associados enquanto supostamente fugia.

Durante este tempo, uma série de eventos ocorreu que persuadiu aqueles que abrigavam O’Ryan / Hennessy de que ele estava sendo genuinamente monitorado e ameaçado para retornar voluntariamente ao seu programa na CIA.  Eventualmente, O’Ryan / Hennessy desapareceu e não se ouviu falar dele por aproximadamente uma década, quando ele reapareceu com uma nova identidade, e sem memórias de suas atividades secretas com a CIA.

A SAGA JASON BOURNE, produção de Hollywood, parece ter base na “realidade” ….

Se o testemunho de O’Ryan / Hennessy estiver parcialmente correto, como a confirmação de Stevens de seu documento W-2 sugere, isso confirmaria a existência de uma equipe de assassinato dirigida pela CIA antes de 2001. Seu depoimento revela que até mesmo cidadãos americanos foram eliminados devido às agendas de operações secretas altamente confidenciais executadas pela CIA. O próprio O’Ryan / Hennessy aparentemente se tornou um alvo quando compartilhou suas informações com Stevens e isso pode estar relacionado ao seu desaparecimento.

Nos últimos nove meses de seu serviço militar durante suas missões finais de assassinato, Hennessy foi designado para uma instalação secreta em Nevada chamada Nível S-4 para cumprir o dever de sentinela para um projeto secreto altamente classificado. Foi lá que ele testemunhou Dick Cheney chegar um dia para uma inspeção de um projeto, mantendo o sigilo de, que estava relacionado com suas missões anteriores de assassinato para a CIA.

Michael E. Salla, Ph.D. – Continua …


A Matrix (o SISTEMA de CONTROLE MENTAL):   “A Matrix é um sistema de controle, NEO. Esse sistema é o nosso inimigo. Mas quando você está dentro dele, olha em volta, e o que você vê? Empresários, professores, advogados, políticos, carpinteiros, sacerdotes, homens e mulheres… As mesmas mentes das pessoas que estamos tentando salvar. 

“Mas até que nós consigamos salvá-los, essas pessoas ainda serão parte desse sistema de controle e isso os transformam em nossos inimigos. Você precisa entender, a maioria dessas pessoas não está preparada para ser desconectada da Matrix de Controle Mental. E muitos deles estão tão habituados, tão desesperadamente dependentes do sistema, que eles vão lutar contra você  para proteger o próprio sistema de controle que aprisiona suas mentes …”


Saiba mais, leitura adicional:

Permitida a reprodução desde que mantida a formatação original e a citação das fontes.

www.thoth3126.com.br

One Response to Ex-agente assassino da CIA alega ter visto naves alienígenas e corpos de aliens no Nível S-4 da ÁREA 51

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.