Entre ou
Cadastre-se

Compartilhe
Receba nosso conteúdo

Festa de Natal durante Lockdown abala governo britânico

Hipocrisia da classe política no mais alto grau. Festa de Natal durante tirânico Lockdown abala governo britânico

Se há um tema subjacente a todo o desastre da pandemia fake Covid, desde o seu início, esse tema tem sido a hipocrisia. “Regras para ti, não para mim” tem sido o lema não escrito de políticos em todo o planeta, enquanto participam e se entregam a atividades das quais o plebeu, o camponês é proibido [isto é a tirania, o totalitarismo de psicopatas doentes]. Políticos e seus amigos da Elite participam de grandes eventos sem máscaras enquanto exigem que seus subordinados usem as focinheiras, mantenham o distanciamento social confinados em casa e nem mesmo conversem entre si.

A realização de uma suposta festa de Natal ocorrida no ano passado, quando o Reino Unido estava sob um tirânico confinamento total, se tornou o mais novo escândalo a abalar o governo do primeiro-ministro do país, o conservador Boris Johnson.

Fonte: BBCLondresHumans Are Free

Fontes ouvidas por vários veículos de comunicação, incluindo a BBC, alegam que a confraternização ocorreu no endereço do primeiro ministro na Downing Street, 10 — a casa e o escritório do premiê, em dezembro do ano passado. Johnson não estava presente na suposta festa e, nos últimos dias, vem reiterando que nenhum evento ocorreu.

Na ocasião, as regras do coronavírus na Inglaterra estipulavam que reuniões não eram permitidas. Por causa das medidas então em vigor, milhões de pessoas não puderam se encontrar e celebrar as festas com família e amigos durante as festividades de fim de ano.

Mas, recentemente, um vídeo obtido pela emissora britânica ITV, que mostra assessores de Johnson rindo e brincando sobre o assunto, reforçou para muitos a certeza de que a festa de fato aconteceu. Nas imagens gravadas enquanto a equipe ensaiava para uma coletiva em dezembro do ano passado, Allegra Stratton, então secretária de imprensa de Johnson, é questionada por colegas que fingem ser jornalistas.

Um deles lhe pergunta sobre rumores de uma suposta festa ocorrida na “sexta-feira à noite” em Downing Street. Em tom brincalhão, ela responde: “Fui para casa” e então faz uma pausa.

Outro colega então a questiona se o primeiro-ministro “toleraria” uma festa de Natal, ao que Stratton rebate: “Qual é a resposta?” Um terceiro membro da equipe intervém e diz que “não foi uma festa, foi queijos e vinhos”, ela ri e pergunta “Queijos e vinhos, certo?”, acrescentando: “Essa festa fictícia foi um encontro de negócios e não houve distanciamento social.”

Em meio às mais recentes revelações, Stratton pediu demissão de seu cargo como conselheira do governo britânico nesta quarta-feira (8/12). Do lado de fora de sua casa, Stratton disse, em lágrimas, que se tornou uma distração na luta contra a covid-19 por causa de seus comentários no vídeo.

Ela disse que o povo britânico fez imensos sacrifícios e se desculpou por declarações que “pareciam fazer pouco caso das regras”. “Vou lamentar esses comentários pelo resto de meus dias e oferecer minhas profundas desculpas a todos vocês por elas”, disse.

Falando no Parlamento britânico, Johnson se desculpou pelo vídeo e ordenou uma investigação, embora tenha reafirmado que foi “repetidamente assegurado de que não houve festa e nenhuma regra foi quebrada”. Ele se desculpou “sem reservas” pela ofensa causada pela gravação, alegando estar “furioso”.

Johnson acrescentou que se ficar provado que as regras foram quebradas, haverá ação disciplinar para todos os envolvidos. Mas o líder da oposição, o trabalhista Keir Starmer, acusou o premiê britânico de considerar as pessoas como “tolas” e disse que ele deveria apenas admitir o que aconteceu.

Pessoas em todo o país “seguiram as regras, mesmo quando isso significava ser separado de suas famílias”, disse ele.

Starmer acrescentou: “Elas tinham o direito de esperar que o governo estivesse fazendo o mesmo. Mentir e rir dessas mentiras é vergonhoso”.

“O primeiro-ministro agora precisa confessar e se desculpar. Não pode ser uma regra para os conservadores e outra para todos os demais”.

O líder trabalhista questionou ainda a “autoridade moral” de Johnson para liderar o país durante a pandemia, comparando suas ações com as da Rainha. “Sua Majestade, a Rainha, sentou-se sozinha para marcar o falecimento do homem com quem estava casada por 73 anos. Liderança, sacrifício — é isso que dá aos líderes a autoridade moral para liderar”, disse o líder trabalhista.

O primeiro-ministro acha que tem autoridade moral para liderar e pedir ao povo britânico que cumpra as regras?”

Parlamentares fizeram fila para criticar Johnson na sessão desta quarta-feira, quando tradicionalmente o primeiro-ministro responde a perguntas no Parlamento. Um deles chegou a perguntar como Johnson conseguia “dormir à noite”.

Em resposta a parlamentar trabalhista Rosena Allin Khan, que também trabalha como médica em um hospital de Londres, o premiê disse que assumiu “total responsabilidade por tudo o que o governo fez”.

A festa

Reportagens veiculadas na imprensa britânica começaram a ser publicadas na semana passada alegando que a festa aconteceu em 18 de dezembro de 2020 em Downing Street. Posteriormente, uma fonte disse à BBC que “várias dezenas” de pessoas compareceram ao evento.

Ali, segundo a fonte, os convidados, alguns dos quais fantasiados, participaram de um quiz, comeram e beberam. A festa teria passado da meia-noite. A Polícia Metropolitana disse estar analisando a filmagem, relacionada a “supostas violações” dos regulamentos do coronavírus.

“É nossa política não investigar rotineiramente violações retrospectivas dos regulamentos da covid-19; no entanto, a filmagem fará parte de nossas considerações”, informou a corporação por meio de um comunicado.

O escândalo não só abala o governo — existe o temor de que a população deixe de seguir as regras para combater a propagação do coronavírus, algumas das quais voltaram a ser impostas, como o uso de máscaras em ambientes fechados, devido ao surgimento da variante ômicron, inicialmente detectada na África do Sul.

Microfone ‘quente’ pega políticos zombando sobre Festa de Natal enquanto Cancelavam o Natal para todos os britânicos

O TheFreeThoughtProject vem detalhando essa hipocrisia nos últimos dois anos e é nada menos que irritante. Políticos e seus amigos de elite participam de grandes eventos sem ‘focinheiras’, distanciamento social de qualquer tipo enquanto exigem que seus subordinados e a população, os ‘camponeses’ em geral usem máscara, distância social e nem mesmo conversem entre si.

Embora muitos provavelmente tenham especulado que a elite está rindo à valer pelas nossas costas enquanto desrespeita abertamente suas próprias regras tirânicas, as evidências em vídeo disso eram escassas – até agora.

No vídeo abaixo, a agora ex-secretária de imprensa do Reino Unido, Allegra Stratton, estava praticando responder a perguntas sobre uma festa “ilegal” realizada com funcionários públicos em uma entrevista coletiva simulada.

A então porta-voz oficial de Boris Johnson negou repetidamente que uma festa aconteceu, no entanto, uma fonte confirmou à BBC que uma festa aconteceu lá em 18 de dezembro, com “várias dezenas” de pessoas presentes – em violação direta de suas próprias regras.

Além do mais, Stratton aparentemente confirma isso no vídeo abaixo quando ela foi questionada por Ed Oldfield, um conselheiro especial do primeiro-ministro, sobre “relatos” de que houve uma festa de Natal em Downing Street na sexta-feira anterior, para a qual Stratton fazendo piada perguntou aos funcionários : “Qual é a resposta?”

“Essa festa fictícia foi um encontro de negócios e não teve distanciamento social” , brincou.

Leia também: Lista de políticos hipócritas que foram pegos quebrando suas próprias regras draconianas do COVID-19 .

Assista: Vídeo mostra hordas de ‘elites’ sem máscara na arrecadação de fundos de Pelosi, enquanto ela quer nos prender .

Obviamente, é ótimo ter pessoas dando uma festa. Chama-se liberdade e é altamente recomendável. No entanto, quando os políticos forçam os plebeus a ficarem em casa e se recusam a permitir que eles visitem suas famílias durante o feriado – enquanto fazem exatamente o oposto nos bastidores – isso é tão irritante quanto hipócrita e nojento.

https://www.bbc.com/news/av-embeds/uk-politics-59572149/vpid/p0b8npkx

Somando-se à natureza irritante do vídeo acima, está a resposta do líder do Commons, Jacob Rees-Mogg, brincando sobre a suposta festa que “nunca aconteceu” em outra festa esta semana.

O vídeo foi postado no blog político Guido Fawkes e mostra Rees-Mogg, mais uma vez brincando sobre a festa para eles, que os ‘camponeses’ não podem ter.

“Vejo que estamos todos aqui obedecendo aos regulamentos, não é?”

Ele continuou:

“Quer dizer, essa festa não vai ser investigada pela polícia daqui a um ano. Vocês estão todos muito cuidadosamente distanciados socialmente … nós mudamos, tenho o prazer de dizer a vocês, do sistema métrico de volta ao sistema Imperial: eu noto que vocês estão a pelo menos cinco centímetros de distância um do outro, o que é, pelo que entendi, o que “os regulamentos” exigem.

Julgamentos como os de Nuremberg precisam acontecer o mais rápido possível , e aqueles que são culpados de abuso de poder ou de crimes contra a humanidade devem ser punidos em toda a extensão da lei.]

Quantas pessoas morreram sozinhas porque seus amigos e parentes foram proibidos de vê-los – por causa desses mesmos políticos hipócritas. A boa notícia é que vídeos como esses farão com que as pessoas percebam que os bloqueios são mero teatro e que finalmente começarão a desobedecer aos seus governos de políticos tiranos.

Na verdade, o parlamentar conservador Charles Walker já reagiu aos vídeos, observando:

“A festa no nº 10 significa que quaisquer bloqueios futuros serão consultivos, independentemente do que a lei diga.”


“Precisamos URGENTEMENTE do seu apoio para continuar nosso trabalho baseado em pesquisa independente e investigativa sobre as ameaças do Estado [Deep State] Profundo, et caterva, que a humanidade enfrenta. Sua contribuição, por menor que seja, nos ajuda a nos mantermos à tona. Considere apoiar o nosso trabalho. Disponibilizamos o mecanismo Pay Pal, nossa conta na Caixa Econômica Federal  AGENCIA: 1803 – CONTA: 000780744759-2, Operação 1288, pelo PIX-CPF 211.365.990-53 (Caixa)”. para remessas do exterior via IBAN código: BR23 0036 0305 0180 3780 7447 592P 1


Parece duvidoso se, de fato, a política de “Botas no rosto” pode continuar indefinidamente. Minha própria convicção é que a oligarquia governante encontrará maneiras menos árduas e perdulárias de governar e de satisfazer sua ânsia de poder, e essas formas serão semelhantes às que descrevi em Admirável Mundo Novo [uma verdadeira profecia publicada em 1932]. Na próxima geração, acredito que os governantes do mundo descobrirão que o condicionamento INFANTIL e a narco-hipnose são mais eficientes, como instrumentos de governo, do que prisões e campos de concentração, e que o desejo de poder pode ser completamente satisfeito “SUGERINDO” às pessoas para que “AMEM A SUA SERVIDÃO” ao invés de açoita-los e chuta-los até obter sua obediência“. – Carta de Aldous Huxley  EM 1949 para George Orwell autor do livro “1984”


Saiba mais, leitura adicional:

Permitida a reprodução, desde que mantido no formato original e mencione as fontes.

0 resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *