Entre ou
Cadastre-se

Compartilhe
Receba nosso conteúdo

‘Financiamento’ de George Soros às Pre$$tituta$ da Mídia Tradicional que defendem a sua Agenda

Um novo estudo prova mais uma vez que a chamada “Mídia dominante” é um instrumento dedicado de propaganda de esquerda liberal controlado por um dos esquerdistas mais ricos do mundo, o psicopata senil de 92 anos, o judeu khazar da Hungria, George Soros. Por que o psicopata senil Soros quer destruir o tecido social do Ocidente em primeiro lugar é um assunto para outro dia, mas isso ele claramente esta fazendo, o que o torna um dos maiores odiadores da história do planeta.

‘Financiamento’ de George Soros às Pre$$tituta$ da Mídia Tradicional

Fonte: Natural News

“Jornalistas [Pre$$tituta$] da CNN, NBC, CBS, Bloomberg, NPR e Washington Post” estão “entre os líderes da indústria vinculados ao [comprados como prostitutas pelo] dinheiro de Soros”, informou a Fox News  na terça-feira, citando um novo relatório do Media Research Center (MRC).

O conservador MRC publica o site Newsbusters, destacando o viés liberal das pre$$tituta$ da grande mídia, assim como o CNSNews.com.

Os analistas da MRC Business Joseph Vazquez e Daniel Schneider expuseram os detalhes dessa aliança profana, observando: “Os mais de US$ 32 bilhões que o bilionário esquerdista George Soros despejou em suas organizações para divulgar sua agenda radical de ‘sociedade aberta’ e suas agendas sobre aborto, economia marxista, anti-americanismo, o desfinanciamento da polícia, o extremismo ambiental e o fanatismo LGBTQ+ em todo o mundo pagaram os seus dividendos.

“Na verdade, seu financiamento o ajudou a estabelecer laços com algumas das maiores personalidades da mídia nos Estados Unidos e no exterior, que ajudam a doutrinar milhões de zumbis ignorantes com suas opiniões no dia-a-dia”. 

“A MRC Business encontrou pelo menos 54 pre$$tituta$ figuras proeminentes da mídia … que estão ligadas a Soros por meio de suas conexões com organizações que ele financia”, continuaram Vazquez e Schneider. “Isso inclui personalidades como o âncora do ‘NBC Nightly News’, Lester Holt, e a editora executiva do The Washington Post, Sally Buzbee.”

Por que Soros quer destruir o tecido social do Ocidente em primeiro lugar é um assunto para outro dia, a ser analisado por psiquiatras, mas ele claramente o faz, o que o torna um dos maiores odiadores da história do planeta.

Conforme relatado por Explain América :

A MRC Business, ligada ao centro conservador, divulgou o relatório final de sua série de três partes, examinando o nível e a extensão da influência política de Soros nos círculos da mídia internacional. O estudo observou que, no passado, Soros forneceu pelo menos US$ 131 milhões em financiamento entre 2016 e 2020 para influenciar 253 grupos de mídia.

“Essa rede de laços com a mídia permite que Soros tenha uma influência considerável sobre as histórias que a mídia cobre, como eles cobrem essas histórias e quais histórias eles não cobrem”,  continuaram Vazquez e Schneider . Dos 54 nomes identificados, o cofundador da Bloomberg News, Matthew Winkler, e Christiane Amanpour, da CNN, estavam entre eles.

“Os outros incluem repórteres, âncoras, colunistas, editores, executivos de notícias e jornalistas ligados a organizações como ABC, CBS, NPR, Bloomberg News, Reuters, The New York Times e uma série de veículos adicionais”, escreveram os dois.

Fox News acrescentou  : “Muitas das figuras da mídia estão ligadas a Soros por meio do Comitê para a Proteção dos Jornalistas (CPJ), que recebeu 2,7 milhões de grupos apoiados por Soros. Winkler Holt, Buzbee e Amanpour estão entre os membros do conselho do CPJ.”

Além da influência descomunal da mídia, também sabemos que Soros tem seus ganchos no regime de Biden. Sua  equipe de transição estava repleta de ex-funcionários e agentes da Open Society Foundations, uma rede de organizações de influência liberal que servem de fachada para o oligarca globalista Soros.

Além do controle e a manipulação de Soros sobre a mídia, ele também distribuiu centenas de milhões para financiar as campanhas de promotores distritais de justiça de extrema-esquerda nas principais cidades dos EUA em todo o país, que então implementam políticas brandas contra o crime que são responsáveis ??por aumentos dramáticos na taxas de crimes e assassinatos, o que significa que Soros literalmente tem sangue nas mãos. 

As políticas adotadas por esses promotores incluem livrar culpados da fiança em dinheiro, deixar algumas pessoas condenadas por certos delitos fora da prisão e reduzir as penas de prisão para outros crimes, alguns deles violentos.

“Tive uma conversa com o governador do Texas sobre ele [Soros], com Greg Abbott, onde ele estava me explicando o que George Soros faz, e é assustador que ele doe dinheiro para um esquerdista muito progressista – seja um promotor público ou qualquer político, e depois financia alguém que está ainda mais à esquerda do que eles para ir contra eles”, disse recentemente o podcaster Joe Rogan, conforme relatado pela Fox News . “Ele apenas segue em frente, então ele está jogando um jogo global e gosta de fazê-lo.” [o mesmo MO-Modus Operandi esta sendo utilizado no Brasil, nos últimos eventos, desde o ano passado]

Nem todos os pesos pesados ??da mídia ligados ao dinheiro de Soros estão na frente da câmera. O presidente do NBCUniversal News Group, Cesar Conde, que dirige a NBC News, MSNBC e CNBC, também está vinculado ao dinheiro de Soros por meio do Aspen Institute, que concedeu ao chefe da NBC sua bolsa Henry Crown. Os grupos de Soros doaram mais de US$ 1,1 milhão ao Aspen Institute entre 2016 e 2020, segundo o estudo.

Jornalistas e executivos do setor de notícias com funções no The Marshall Project e ProPublica também estão ligados aos bolsos profundos de Soros, já que ambos os grupos receberam mais de US$ 1,2 milhão do bilionário de extrema esquerda de 2016 a 2020.

A National Public Radio e o PolitiFact também são pelo menos parcialmente financiados por grupos apoiados por Soros, de acordo com o estudo.

Além de influenciar a grande mídia, Soros também tem financiado as campanhas de promotores distritais de extrema-esquerda nas principais cidades que implementam reformas da justiça criminal que, segundo os críticos, estão piorando o crime. Eles incluem livrar-se da fiança em dinheiro, deixar algumas pessoas fora da prisão que foram condenadas por certos delitos e reduzir as penas de prisão para outros crimes, alguns deles violentos.

Nesse ponto, o principal podcaster Joe Rogan e um ex-agente da CIA que ele tinha como convidado  criticaram Soros durante um episódio de “Joe Rogan Experience” na semana passada por seu apoio à extrema esquerda em cidades como Los Angeles, Chicago, Nova York, Austin e outros lugares.

Rogan estava conversando com o ex-oficial de operações secretas da CIA e atual CEO do Portman Square Group, Mike Baker, os quais criticaram Soros. Ambos concordaram que Soros está trabalhando para “destruir” as cidades americanas por algum motivo.

As fontes incluem: FoxNews.comExplainAmerica.comNaturalNews.com


Os tentáculos de George Soros no Brasil

A Fundação Open Society, comandada pelo bilionário George Soros, distribuiu cerca de US$ 32 milhões a organizações brasileiras entre 2016 e 2019. O valor equivale a aproximadamente R$ 117 milhões, considerando o câmbio médio de cada ano. A conclusão é de um levantamento exclusivo da Gazeta do Povo, com base em dados da própria fundação. Os números detalhados de 2020 ainda não estão disponíveis.

Ao todo, 118 organizações receberam recursos da Open Society para atuar no Brasil entre 2016 e 2019. A grande maioria é de entidades com sede no país, mas também houve repasses para que organizações estrangeiras realizassem projetos no Brasil.

O montante da Open Society aplicado no Brasil muito provavelmente é ainda maior, já que algumas das entidades internacionais financiadas pela Open Society atuam em diversos países ao mesmo tempo. Além disso, a organização distribui recursos diretamente a pesquisadores individuais. Esse montante não foi incluído no cálculo feito pela reportagem.

A Open Society, criada em 1984, defende a liberação das drogas, a legalização do aborto e a libertação de presos que eles chamam de “não violentos”. A organização também se orgulha de financiar projetos que “promovam os direitos em áreas” como o reconhecimento legal da “fluidez de gênero”.

Maiores favorecidos incluem entidade pró-legalização das drogas:

No período de 2016 a 2019, a organização brasileira que mais recebeu recursos da Open Society foi a Associação Direitos Humanos em Rede, com US$ 2,3 milhões. A entidade, que hoje assumiu o nome de Conecta Direitos Humanos, se identifica como um grupo de ativistas em prol dos direitos humanos. Uma das prioridades da Conectas é a defesa de criminosos encarcerados. A entidade se opõe ao “encarceramento em massa” e apoia medidas que reduzam o número de prisioneiros no Brasil.

A segunda organização que mais recebeu recursos da Open Society é o Instituto Sou da Paz (US$ 1,8 milhão), que promove, dentre outras causas, a defesa do desarmamento da população. Em seguida, aparece Instituto Igarapé (US$ 1, 5 milhão). A entidade comandada pela cientista política Ilana Szabó atua na defesa da descriminalização das drogas.

Outros nomes da lista da Open Society chamam atenção. A Fundação Fernando Henrique Cardoso obteve US$ 315 mil, distribuídos em três anos diferentes.

Já o Instituto Anis foi beneficiado com US$ 245 mil. O rosto mais conhecido da organização é de Débora Diniz, professora da Universidade de Brasília e uma das mais conhecidas defensoras da legalização do aborto no Brasil.

A Associação dos Juízes Federais obteve, em 2019, uma doação de US$ 10 mil. A Quebrando o Tabu, que tem 12 milhões de seguidores no Facebook, recebeu US$ 228 mil.

A lista da Open Society também inclui a Fundação Getúlio Vargas (FGV), o Instituto Alana, o Laboratório de Análise da Violência da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (LAV-UERJ) e a Fiotec, um braço da Fundação Oswaldo Cruz.

Em princípio, não há nada de ilegal no trabalho da Fundação Open Society. Mas o volume significativo de recursos injetados em projetos alinhados com as causas de esquerda – e que nem sempre ganha publicidade – pode desequilibrar o “debate público”.

Além disso, a rede financiada pela Open Society é pouco conhecida do público. Os dados sobre as doações ficam em uma parte pouco acessível do site da organização, e não é possível fazer uma separação por país.

Muitas vezes, os beneficiados também não fazem questão de exibir a ligação. A Fundação Fernando Henrique Cardoso, por exemplo, não divulga quem são os seus financiadores. O Viva Rio, tampouco. A Quebrando o Tabu também não. A Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji) menciona a Open Society em sua prestação de contas, mas os dados estão defasados: o relatório mais recente é o do biênio 2016-2017.

A Fundação Open Society atua em 120 países, e distribuiu mais de 3 mil doações no ano de 2019. O orçamento total da fundação para 2020 foi de US$ 1,2 bilhão. Desses, US$ 55 milhões foram destinados à América Latina. George Soros tem uma fortuna US$ 8,6 bilhões, segundo a revista Forbes.

O que dizem as entidades apoiadas pela fundação de George Soros

A Conectas afirmou à Gazeta do Povo que sempre prezou pela transparência, e que todas as suas finanças são auditadas por uma firma independente. “A Open Society Foundations figura na lista de nossos doadores desde 2008 e, assim como as demais entidades, apoia a Conectas pelo alinhamento com nossas causas e por acreditar na capacidade da organização de influenciar de forma positiva nos principais desafios à efetivação dos direitos humanos”, afirmou a organização, em nota.

O Instituto Igarapé afirmou que a Open Society é um dentre “dezenas de apoiadores de diversos países”. Ainda de acordo com o instituto, os doadores não interferem na gestão da organização: “Não há interferência da fundação ou de qualquer outro financiador em nossos projetos. Agimos conforme o nosso mandato, com base em evidências científicas e princípios democráticos”, disse, também por meio de nota.

O Instituto Sou da Paz informou que os recursos da Open Society no período foram usados para “apoio institucional” e projetos específicos, como o Indicador Nacional de Esclarecimento de Homicídios. A organização assegura ter “total independência” de seus financiadores, e diz não necessitar exclusivamente de nenhum deles para manter o seu trabalho.

A Fundação Getúlio Vargas afirma que a doação de 2018 bancou o projeto “Discrimination vs. Data Control in Brazilian Smart Cities” (que pode ser traduzido como “Discriminação versus Controle de Dados nas Cidades Inteligentes Brasileiras”). A FGV diz que a Open Society não fez qualquer exigência quanto ao teor do conteúdo produzido, e garante ter total independência.

A reportagem da Gazeta do Povo também procurou a Open Society, a Fiocruz, a Ajufe, o Viva Rio, a Fundação FHC, o Alana, o Quebrando o Tabu, o ANIS, o LAV-UERJ e a youtuber Jout Jout, mas não obteve retorno.

O diretor executivo da Open Society na América Latina e Caribe, Pedro Abramovay, foi escolhido como um dos integrantes do grupo de transição da equipe do presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT). O nome de Abramovay foi um dos anunciados pelo vice-presidente eleito Geraldo Alckmin (PSB) como participante da equipe nesta quarta-feira (16).

Criada em 1984 pelo bilionário George Soros, a Open Society Foundations é conhecida por defender temas da agenda liberal progressista, como a liberação das drogas e do aborto. A organização também afirma que financia projetos que “promovam os direitos em áreas como o reconhecimento legal da “fluidez de gênero” . . .


E os dez chifres que viste são dez reis, que ainda não receberam o reino, mas receberão poder como reis por uma hora, juntamente com a BESTA. Estes têm um mesmo intento, e entregarão o seu poder e autoridade à besta. Estes combaterão contra o Cordeiro, e o Cordeiro os vencerá, porque é o Senhor dos senhores e o Rei dos reis; Vencerão os que estão com Ele, Chamados, e Eleitos, e Fiéis. E disse-me: As águas que viste, onde se assenta a prostituta [ROMA], são povos, e multidões, e nações, e línguas“. – Apocalipse 17:12-15

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é nabucodonoor-estatua-daniel.png

A estátua do sonho de Nabucodonosor, um símbolo daquilo que a humanidade construiria na Terra. Os dias de insanidade da atualidade estão contados, muito em breve, a “Grande Prostituta“, a cidade de Roma será varrida da face da Terra, dando início a derrota completa dos servidores das trevas e o fim de seus planos nefastos para o controle do planeta. Em 2023 o Brasil terá um papel decisivo na guerra entre a Luz e as trevas.


“Precisamos URGENTEMENTE do seu apoio para continuar nosso trabalho baseado em pesquisa independente e investigativa sobre as ameaças do Estado [Deep State] Profundo, et caterva, que a humanidade enfrenta. Sua contribuição, por menor que seja, nos ajuda a nos mantermos à tona. Considere apoiar o nosso trabalho. Disponibilizamos o mecanismo Pay Pal, nossa conta na Caixa Econômica Federal  AGENCIA: 1803 – CONTA: 000780744759-2, Operação 1288, pelo PIX-CPF 211.365.990-53 (Caixa)”. para remessas do exterior via IBAN código: BR23 0036 0305 0180 3780 7447 592P 1

Saiba mais, leitura adicional:

Permitida a reprodução, desde que mantido no formato original e mencione as fontes.

0 resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *