browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

General da USAF alega que os EUA já desenvolveu capacidade de Teletransporte

Posted by on 16/12/2019

DIVULGAÇÃO – O General [e Engº aerospacial] aposentado da USAF, Steven L. Kwast, disse que os EUA desenvolveu  “fantástica”  tecnologia que pode teletransportar um ser humano para qualquer lugar do planetaRecentemente aposentado, o tenente-general da Força Aérea dos EUA, Steven L. Kwast, deu uma palestra no mês passado que parece sinalizar ainda mais que o próximo grande campo de batalha será o espaço sideral. Embora a liderança  militar agitar os sabres espaciais não seja novidade, a palestra de Kwast incluiu comentários que sugerem fortemente a possibilidade de que os militares dos Estados Unidos e seus parceiros da indústria do Complexo Industrial Militar já tenham desenvolvido tecnologias de próxima geração que têm o potencial de mudar drasticamente o campo aeroespacial e a civilização humana, para sempre.  

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

General [e Engº Espacial] recentemente aposentado da USAF faz declarações sobre tecnologia espacial avançada de Teletransporte

É uma mera postura pessoal ou poderíamos realmente estar à beira de tornar a ficção científica uma realidade, pois as declarações foram feitas por quem ficou 33 anos dentro do sistema e deve ter aprendido “algo” sobre o que esta falando?

De acordo com sua biografia oficial da USAF , o tenente-general Kwast se formou na Academia da Força Aérea dos Estados Unidos com um diploma em engenharia astronáutica e também possui um mestrado em política pública pela Kennedy School of Government de Harvard. Kwast atuou anteriormente como comandante do 47º Grupo de Operações da Base Aérea de Laughlin e da 4ª ala de caças da Base Aérea de Seymour Johnson. Kwast possui mais de 3.300 horas de voo nos jatos F-15E, T-6, T-37 e T-38 e mais de 650 horas de voos em combate.  

O tenente-general Kwast serviu mais recentemente como comandante do Comando de Educação e Treinamento Aéreo (AETC) da Joint Base San Antonio (JBSA), mas se aposentou em agosto. Segundo alguns relatos, Kwast foi prematuramente dispensado de suas funções na JBSA e foi incluído na lista negra para promoção depois de se manifestar sobre questões secretas relacionadas ao espaço, apesar de uma ordem de mordaça existentes em toda a USAF. Kwast se recusou a comentar os relatórios e se aposentou em 1º de setembro de 2019 e parece que agora se sente livre para comentar aquilo que ele sabe.

Apesar da controvérsia em torno da remoção de seu cargo na AETC, alguns analistas de defesa e os apoiadores do General Kwast nas Forças Armadas estavam sugerindo, antes de sua aposentadoria, que ele deveria ser nomeado comandante da [nova SPACE FORCE] Força Espacial do Pentágono. Kwast fez várias publicações nos últimos anos pressionando as forças armadas dos EUA a assumirem um papel mais efetivo no espaço, a fim de garantir o domínio econômico e militar americano e o que ele vê como a proliferação contínua dos “valores americanos”. 

Kwast proferiu uma palestra no Hillsdale College, em Washington, DC, em 20 de novembro de 2019, intitulada “A Necessidade Urgente de uma Força Espacial dos EUA”. O amplo discurso de Kwast descreveu o poder das novas tecnologias para revolucionar a humanidade, referenciando a vantagem competitiva da descoberta do fogo oferecido aos humanos primitivos e o valor estratégico que as armas nucleares ofereciam às superpotências do século XX. No que diz respeito às tecnologias revolucionárias atuais, Kwast diz que “o poder do espaço mudará para sempre o poder mundial” e que cabe às forças armadas dos Estados Unidos alavancar esse poder: 

“Como historiador, refletindo sobre o fato de que, ao longo da história da humanidade … a tecnologia sempre mudou o poder mundial. Mas a história de rejeitar o novo e manter e se apegar aos paradigmas do passado é o motivo pelo qual nenhuma civilização jamais durou para sempre, e os valores são superados por outros valores quando outra civilização descobre uma maneira de encontrar uma vantagem competitiva. A natureza do poder, você o possui e seus valores governam ou você não o possui e deve se submeter a outro poder. Acontece novamente na história e está se desenrolando agora”.

Como tem sido comum nos últimos tempos , o Tenente General Kwast cita os crescentes avanços militares e tecnológicos chineses como a razão pela qual os Estados Unidos devem investir pesadamente em novas tecnologias espaciais. “Podemos dizer que hoje somos dominantes no espaço, mas as linhas de tendência são o que você deve observar e elas passarão por nós nos próximos anos se não fizermos algo. 

Eles vencerão esta corrida e depois colocarão obstáculos no espaço ”, argumenta Kwast,“ porque uma vez que você conquista um terreno alto, esse terreno estratégico, é uma vantagem sobre qualquer um que tentar chegar a esse terreno alto”. Kwast afirma que a China já está construindo uma “Marinha Espacial” completa com os equivalentes espaciais de “porta aviões [naves mãe] navios de guerra e destróieres” que são “capazes de manobrar, combater e se comunicar com seu domínio [controle central], e nós [os Estados Unidos] não estamos”. 

O Programa [Espacial Secreto] Solar Warden mantém uma frota de várias naves espaciais. É constituída por oito enormes naves-mãe em forma de charuto e cerca de quatro dúzias de “navios exploradores” menores. Centenas de “Marines Espaciais” estão em serviço a bordo destas naves e cada nave-mãe tem uma tripulação adicional de aproximadamente 300 cientistas e técnicos a bordo. A Frota Espacial é operada pelo NNSOC (United States Naval Network and Space Operations Command). FONTE –  O hacker escocês Gary McKinnon descobriu a existência de uma Frota Secreta Espacial Fora do Planeta da Marinha dos EUA, enquanto hackeava computadores do Pentágono e até mesmo relação de “oficiais não terrestres” membros desta frota espacial.

O discurso centra-se na tese de que os Estados Unidos precisam de uma Força Espacial para combater os avanços chineses e vencer a competição pela economia e área militar do futuro e, como uma extensão, que define os valores do futuro: 

“O espaço é a marinha da economia do século XXI, uma economia em rede que dominará qualquer economia linear terrestre nos quatro motores de crescimento e dominância que mudam a potência mundial: transporte, informação, energia e manufatura. […] Quem quer que esteja nesse novo mercado define os valores para esse mercado. E poderíamos ter o mercado com os valores de nossa Constituição […] ou poderemos ter os valores que vemos manifestos na China comunista”.

Como relatamos anteriormente, houve indícios de novas tecnologias radicais em desenvolvimento pelos militares e, assim como no discurso de Kwast, os avanços chineses foram citados como a razão pela qual essas tecnologias são necessárias. A China vem expandindo rapidamente sua presença no espaço nos últimos anos, colocando um módulo de aterrissagem no lado [proibido para os humanos] mais distante da lua no final de 2018, no que alguns dizem ser um esforço para explorar recursos naturais com os quais desenvolver um centro de fabricação lunar permanente. 

A China também vem desenvolvendo aeronaves do tipo “nave mãe” a partir das quais lança rápida e imprevisivelmente aviões [caças] espaciais e outras cargas úteis no espaço. O país também lançou vários satélites espiões nos últimos anos, os quais alguns analistas afirmam serem usados numa guerra anti-satélite . Além de tudo isso, eles têm investido pesadamente em um programa espacial tradicional que inclui muitas facetas de tecnologias espaciais tripuladas e não tripuladas que rivalizam e, de certa forma, excedem a dos EUA. 

Preparando o cenário para a guerra [Star Wars] do século XXI

Kwast argumenta que os cientistas, engenheiros, historiadores e estrategistas de hoje têm pressionado o Congresso dos EUA a financiar com mais força e rapidez a criação de uma Força [SPACE FORCE] Espacial e suas tecnologias associadas e necessárias, mas ainda há alguma contrariedade e confusão sobre o motivo pelo qual elas são atualmente necessárias. Em última análise, Kwast defende que os Estados Unidos devem poder trazer poder cinético, poder não cinético e poder informacional ao campo de batalha mais barato e mais rápido que seus adversários, a fim de garantir vantagem estratégica no espaço.

Por volta da marca dos 12 minutos no discurso, Kwast fez uma afirmação um tanto surpreendente e bizarra de que os EUA atualmente possuem tecnologias revolucionárias que poderiam tornar obsoletas as atuais capacidades aeroespaciais:

“A tecnologia está nas bancadas de engenharia hoje. Mas a maioria dos americanos e do Congresso não teve tempo de realmente analisar profundamente o que está acontecendo aqui. Mas tive o benefício de 33 anos estudando e tornando-me amigo deles, dos cientistas. Essa tecnologia pode ser criada hoje com uma tecnologia que não esta em desenvolvimento, para levar qualquer ser humano, de qualquer lugar do planeta Terra para qualquer outro lugar em menos de uma hora “.

O comentário de Kwast é apenas um dos vários comentários curiosos feitos pela liderança militar recentemente e eles parecem alegar que poderíamos estar à beira de um grande salto na tecnologia de transporte. Também não sabemos exatamente de onde ela [é mesmo???]  vem, tudo isso, já que não é necessariamente o leme direto de alguém que dirigia o portfólio de treinamento da Força Aérea, embora tenha sobreposições. 

Se as tecnologias aeroespaciais revolucionárias alegadas por Kwast foram ou não realmente desenvolvidas, uma coisa é certa, a palestra de Kwast, seus recentes artigos de opinião e seus apoiadores deixam claro que existem muitas pessoas na comunidade militar e científica dos EUA que acham que há uma grande necessidade de aumentar o investimento em tecnologias espaciais americanas e a presença das forças armadas dos EUA no espaço. Essa visão certamente está se enraizando no Departamento de Defesa.

Tudo isso está preparando o terreno para uma nova corrida espacial que beneficiará [?] a humanidade promovendo o desenvolvimento científico e tecnológico ou está introduzindo as condições para a primeira grande guerra espacial? Só o tempo dirá, mas, segundo Kwast, as tecnologias necessárias para vencer essa guerra já podem ser mais um fato científico do que uma mera ficção.

Entre em contato com o editor: Tyler@


“Somos confrontados em todo o mundo por uma Conspiração Monolítica e Implacável que se baseia principalmente em meios secretos para expandir sua esfera de influência – em infiltração em vez de invasão, em subversão em vez de eleições, em intimidação em vez de livre escolha, em guerrilhas pela noite em vez de luta com exércitos à luz do dia. Seus preparativos  são ocultos, secretos, não são publicados. Seus erros estão enterrados, não são noticiados. Seus dissidentes são silenciados, ninguém ora por eles. Nenhuma despesa é questionada, nenhum rumor é impresso, nenhum segredo é revelado. Ela induz à Guerra Fria, em suma, com uma disciplina de tempo de guerra, nenhuma democracia jamais esperaria ou desejaria ter que enfrentar tal situação.” –  John F. Kennedy, uma semana antes de ser assassinado …


Saiba mais, leitura adicional:

Permitida a reprodução, desde que mantido no formato original e mencione as fontes.

www.thoth3126.com.br

One Response to General da USAF alega que os EUA já desenvolveu capacidade de Teletransporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.