Genocídio em Gaza: Ataque com 40 mortos na Escola da ONU que Israel afirma ser usada pelo Hamas

Há vários relatos de outro ataque aéreo das FDI em massa emergindo da Faixa de Gaza nessa quinta-feira. As Forças de Defesa de Israel (FDI) bombardearam uma escola perto da cidade de Deir al-Balah, no centro de Gaza, deixando pelo menos 40 mortos e 74 feridos. O Ministério da Saúde de Gaza disse que entre os mortos estão 14 crianças e 9 mulheres.

Fonte: Zero Hedge

A Agência das Nações Unidas de Assistência e Obras para os Refugiados da Palestina no Oriente Próximo (UNRWA) afirma que aqueles que estavam abrigados no Al-Nusseirat Boys Preparatory não receberam nenhum aviso prévio de que a greve estava chegando. Mas as IDF responderam que foi um “ataque preciso a um complexo do Hamas” dentro da escola e que dezenas de militantes do Hamas estavam a usar o complexo. 

“Os terroristas dirigiram o terror desde a área da escola enquanto a exploravam e a usavam como abrigo”, escreveu a IDF no Telegram. “Vários terroristas que planejavam realizar ataques e promover atividades terroristas contra as tropas das FDI no período imediato foram eliminados no ataque.”

A agência da ONU contesta esta narrativa, com o comissário-geral da UNRWA, Philippe Lazzarini, a dizer que  “a escola abrigava 6.000 pessoas deslocadas quando foi atingida”. O Ministério da Saúde de Gaza disse que entre os mortos estão 14 crianças e 9 mulheres .

“Atacar, atingir ou utilizar edifícios da ONU para fins militares é um flagrante desrespeito ao direito humanitário internacional”, ele  acrescentou. Explicou também que durante o conflito muitos outros abrigos da UNRWA foram atingidos e estimou que mais de 450 civis deslocados internamente foram mortos no total.

Os líderes israelenses há muito acusam os combatentes do Hamas de se esconderem entre civis ou de usarem áreas residenciais para lançar ataques com mísseis ou armazenar armas. Muitas vezes, os comandantes militares das FDI revidam contra os referidos militantes, mesmo sabendo que isso poderia resultar em vítimas civis em massa.

Nesta nova carnificina de vítimas em massa, em sua maioria mulheres e crianças, Israel não parece estar negando que o seu ataque aéreo matou muitos civis. E ofereceu isto como defesa de suas ações :

As Forças de Defesa de Israel (IDF) acusaram o Hamas de se infiltrar na escola da UNRWA e alegaram que os combatentes que invadiram o sul de Israel em 7 de outubro, matando cerca de 1.200 pessoas e fazendo outros cerca de 250 reféns, estavam abrigados no local. Antes do ataque, foram tomadas uma série de medidas para reduzir o risco de ferir civis não envolvidos durante o ataque, incluindo a realização de vigilância aérea e informações adicionais de inteligência”, acrescentaram.

Outro dia horrível em #Gaza. Outra escola da @UNRWA transformada em abrigo foi atacada. Desta vez em Nuseirat, nas Áreas Médias, atingidas durante a noite pelas Forças Israelitas sem aviso prévio aos deslocados ou à @UNRWA.

Isto resultará, sem dúvida, em mais pressão das potências europeias para que Israel interrompa as suas operações militares em Gaza, num momento em que há relatos de que um acordo de cessar-fogo ainda está avançando nas conversações de trégua mediadas pelo Qatar e pelo Egito.

Uma fonte egípcia foi citada na Al Jazeera dizendo na quinta-feira: “Os líderes do Hamas nos informaram que estão estudando a proposta de trégua de forma séria e positiva”. No entanto, este relato de um impulso “positivo” tem sido um tema de discussão repetido durante vários meses, mas não resultou na concretização de uma nova trégua ou de um acordo de reféns.

“Algumas das imagens que vêm de Gaza são horríveis” Israel bombardeou uma escola da ONU onde pessoas deslocadas estavam abrigadas”.

Abaixo estão alguns dos últimos desenvolvimentos via Al Jazeera :

  • Num comunicado, os Estados Unidos e 16 países aliados afirmam que “apoiam totalmente” o  cessar-fogo e o acordo de libertação dos cativos  delineado pelo presidente dos EUA, Joe Biden, em 31 de maio.
  • O Ministério da Saúde de Gaza afirma que 68 palestinos foram mortos e 235 feridos nas últimas 24 horas.
  • Pelo menos 40 pessoas  foram mortas  e dezenas ficaram feridas num ataque israelita a uma escola que abrigava pessoas deslocadas e casas no campo de refugiados de Nuseirat, no centro de Gaza. Os militares israelitas confirmaram que os seus caças tinham como alvo uma escola da UNRWA na área.
  • A Espanha  afirma  que se juntará ao caso apresentado pela África do Sul no Tribunal Internacional de Justiça, que acusa Israel de violar as suas obrigações ao abrigo da Convenção do Genocídio na sua guerra contra Gaza.
  • Pelo menos 36.654 pessoas foram mortas e 83.309 feridas na guerra de Israel em Gaza desde 7 de Outubro. O número de mortos em Israel devido aos ataques do Hamas é de 1.139, com dezenas de pessoas ainda mantidas em cativeiro em Gaza.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba nosso conteúdo

Junte-se a 4.326 outros assinantes

compartilhe

Últimas Publicações

Indicações Thoth