browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Imagem do Telescópio James Webb captura Nave Mãe Gigante estacionada na órbita de Júpiter ?

Posted by on 17/07/2022

Em 12 de julho, a NASA realizou uma transmissão internacional ao vivo divulgando as primeiras imagens oficiais do novo Telescópio Espacial James Webb mostrando exoplanetas distantes, galáxias, nebulosas e um vislumbre profundo do nosso universo em imagens espetaculares.  No dia seguinte, a NASA divulgou furtivamente uma imagem de Júpiter tirada pelo Telescópio Webb, que mostrou um campo escuro perceptível logo acima da atmosfera do gigante gasoso. 

Imagem de Júpiter do novo Telescópio James Webb captura Nave Mãe Gigante estacionada?

Fonte: Exopolitics.Org

Era uma sombra, como a NASA parecia afirmar, ou algo totalmente diferente – parte de uma frota espacial extraterrestre recém-chegada secretamente e posicionada estacionada em órbita de Júpiter?

De acordo com a página da NASA anunciando o lançamento das primeiras imagens do Telescópio Webb:

Esses alvos listados abaixo representam a primeira onda de imagens científicas coloridas e espectros que o observatório reuniu e o início oficial das operações científicas gerais do [telescópio] Webb. Eles foram selecionados por um comitê internacional de representantes da NASA, ESA, CSA e do Space Telescope Science Institute. Essas primeiras imagens do maior e mais poderoso telescópio espacial do mundo demonstram o James Webb em sua potência máxima, pronto para iniciar sua missão de revelar o universo infravermelho.

A transmissão ao vivo da NASA começou com uma imagem de “campo profundo” mostrando uma porção do universo “cheia de galáxias”, que, de acordo com Jane Rigby, cientista de operações da Webb, tinha “uma nitidez e clareza que nunca tivemos antes”.

Em seguida, uma imagem de um exoplaneta gigante gasoso (WASP 96b) transitando em sua estrela, que fica a cerca de 1.120 anos-luz da Terra. O Telescópio Webb fornece uma análise espectroscópica muito mais detalhada do sol de fundo e, posteriormente, deduzindo a atmosfera do exoplaneta do que era possível com seu antecessor, o Telescópio Espacial Hubble. De acordo com um comunicado de imprensa da NASA , uma análise do trânsito do exoplaneta mostra sinais reveladores de água em sua atmosfera.

Muitos cientistas afirmaram que a clareza e a nitidez adicionais fornecidas ás imagens feitas pelo Telescópio Webb possibilitam a detecção futura de bioassinaturas e até tecnoassinaturas de exoplanetas distantes. No futuro, o Telescópio Webb examinará exoplanetas na região habitável de seu sistema solar para determinar se existe vida extraterrestre.

A terceira imagem divulgada pelo Telescópio Webb mostrou uma nebulosa planetária (também conhecida como Nebulosa do Anel do Sul) a aproximadamente 2.500 anos-luz de distância. A quarta imagem mostrou um agrupamento de cinco galáxias chamado Quinteto de Stephan, a mais próxima das quais está a cerca de 40 milhões de anos-luz de distância.

A quinta e última imagem mostrou a Nebulosa Carina que está em processo de criação de novas estrelas, que novamente fica numa região distante, a aproximadamente 8.500 anos-luz de distância.

A NASA decidiu não divulgar imagens de Júpiter durante a transmissão ao vivo, o que exporia as imagens mais detalhadas do maior planeta do nosso sistema solar obtidas até hoje. Isso foi decepcionante, pois várias fontes afirmaram que Júpiter experimentou recentemente algo extremamente raro – está cercado por frotas de espaçonaves gigantes recém-chegadas pertencentes a raças extraterrestres [filiadas à Confederação Galáctica] de ‘Semeadores’!

No entanto, no dia seguinte, em 13 de julho, a NASA divulgou furtivamente uma imagem tirada de Júpiter pelo novo Telescópio James Webb. A imagem mostrava Júpiter junto com várias de suas luas, Europa, Métis e Tebe. Também mostrou um anel fraco ao redor de Júpiter.

O que imediatamente chamou atenção foi uma grande área escura à esquerda do planeta logo acima da atmosfera de Júpiter perto da lua Europa. A legenda na imagem da NASA dizia: “a sombra de Europa também é visível, logo à esquerda da Mancha Vermelha Gigante”. No entanto, a área escura não estava nem perto da mancha vermelha. O que seria isso?

Perguntei a Elena Danaan e Jean Charles Moyen, dois contatados com diferentes grupos de raças de extraterrestres, se alguma de suas fontes poderia explicar a área escura. Danaan respondeu primeiro que Oona, representante da Confederação Intergaláctica, tinha uma mensagem para compartilhar. 

Ela divulgou publicamente a mensagem de Oona em uma transmissão ao vivo em 13 de julho no YouTube . Aqui está a mensagem completa do que Oona teve a dizer sobre a misteriosa área escura, juntamente com informações sobre frotas espaciais recém-chegadas que estacionaram nas proximidades de Júpiter.

Saudações a quem vai ler esta comunicação que estou transmitindo agora. Aqui o primeiro emissário alteano Oona falando em nome da Confederação Intergaláctica, Conselho dos Vinte e Quatro.

Existem cento e trinta e oito naves mãe da Aliança Nataru em seu sistema estelar chamado Sol, com suas frotas de espaçonaves. Este número representa vários milhares de espaçonaves.

Quinhentas e cinquenta espaçonaves da Confederação Intergaláctica entraram em seu sistema estelar e estão estacionadas na órbita de seu planeta chamado Júpiter, e quatro estão neste momento na órbita de seu planeta Terra.

Em artigos anteriores ( aqui e aqui ), discuti as naves-mãe recém-chegadas da Confederação Intergaláctica, também conhecidas como Raça de Semeadores ou Guardiões. Minha fonte mais confiável é um insider denunciante e atual militar do Exército dos EUA, JP, que diz que foi enviado em uma missão secreta à lua de Júpiter, Ganimedes, onde o Comando Espacial dos EUA montou instalações para receber e fazer contato com os visitantes extraterrestres recém-chegados.

É importante enfatizar que as informações do meu insider JP não são canalizadas, mas sim a experiência prática direta adquirida durante uma missão espacial classificada liderada pelo Comando Espacial dos EUA . 

Como descrevi anteriormente, JP está sendo encorajado a divulgar sua participação em missões altamente classificadas no espaço ou viajar para arcas espaciais escondidas na Terra mantidas por agentes secretos. No entanto, seus superiores imediatos do Exército desaprovam o que consideram ser suas divulgações não autorizadas de informações classificadas, colocando-o em uma situação delicada que exige o seu anonimato.

Junto com Elena Danaan e JP, outros contatados descreveram ter sido informados por seus contatos extraterrestres que frotas espaciais recém-chegadas estacionaram nas proximidades de Júpiter. Estes incluem Alex Collier , James Gilliland , Jean Charles Moyen e David Rousseau , todos os quais confirmaram em entrevistas que um grande número de espaçonaves extraterrestres havia chegado recentemente ao nosso sistema solar.

Voltando à imagem do telescópio James Webb de Jupiter, Oona explicou o que era:

A imagem recentemente divulgada de seu planeta Júpiter mostra a nuvem de rochas orbitais, mais a grade de defesa das naves do posto avançado de Ashtar, além de algumas de nossas naves-mãe. A maior parte da nossa frota está atrás do planeta Júpiter, escondido da sua vista. A divulgação desta imagem não é um erro, mas um movimento da Aliança da Terra responsável pelo programa.

Instâncias terrestres podem nomear nossas naves como “pontos frios”, é verdade. Mais visuais para vir. O plano está dentro do cronograma. Um passo de cada vez. Estamos segurando suas mãos e vocês não devem olhar para trás. Em vez disso, olhe para cima. No projeto maior do universo, você já está do outro lado da ponte. Com amor, Uon.

Um exame minucioso da área escurecida mostra que não é uma sombra, como sugerido pela NASA, mas um grande campo escuro orbitando Júpiter logo acima de sua atmosfera. Uma “nuvem de rochas orbitais” que faz parte de uma grade de defesa pertencente a uma cidade flutuante controlada pelo Comando Ashtar, que já discuti anteriormente, juntamente com grandes naves-mãe estacionadas ao lado das rochas, é muito plausível.

O suporte para a observação de Oona vem de Moyen, que disse que sua principal fonte extraterrestre, Victor, lhe disse que a mancha escura era “uma grande nave-mãe”.

A imagem do Telescópio Espacial James Webb de Júpiter pode fornecer a primeira evidência fotográfica mostrando algumas dessas espaçonaves oculta e secretamente estacionadas nas proximidades de Júpiter. Se Oona estiver correta sobre o programa de divulgação da existência de vida extraterrestre que está em andamento, podemos antecipar que mais imagens de Júpiter serão divulgadas, revelando ainda mais detalhes da espaçonave gigante estacionada em torno de Júpiter e suas luas.

© Michael E. Salla, Ph.D. Copyright Notice

Muito obrigado a Elena Danaan pela permissão para incluir sua mensagem de Oona sobre a imagem de Júpiter do Telescópio Espacial Webb.

Versão Podcast disponível na Apple , Spotify e Google.

RELACIONADOS:


O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é thoth-3126-1.png

“Precisamos URGENTEMENTE do seu apoio para continuar nosso trabalho baseado em pesquisa independente e investigativa sobre as ameaças do Estado [Deep State] Profundo, et caterva, que a humanidade enfrenta. Sua contribuição, por menor que seja, nos ajuda a nos mantermos à tona. Considere apoiar o nosso trabalho. Disponibilizamos o mecanismo Pay Pal, nossa conta na Caixa Econômica Federal   AGENCIA: 1803 – CONTA: 000780744759-2, Operação 1288, pelo PIX-CPF 211.365.990-53 (Caixa)” para remessas do exterior via IBAN código: BR23 0036 0305 0180 3780 7447 592P 1


Mais informação adicional:

Permitida a reprodução, desde que mantido no formato original e mencione as fontes.

One Response to Imagem do Telescópio James Webb captura Nave Mãe Gigante estacionada na órbita de Júpiter ?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.