Israel vai ficar mais ‘Agressivo’ com a Rússia. A pulga quer morder o Urso

Um legislador judeu sugeriu que o seu governo adotará uma linha mais dura contra a Rússia, aumentando o seu apoio à Ucrânia, porque vê Moscou como de alguma forma envolvido na guerra do Hamas contra seu país. “Israel assumirá uma postura mais agressiva contra a Rússia”disse o deputado Amir Weitmann ao meio de comunicação norte-americano Business Insider num artigo publicado no sábado. (Os russos devem estar sem dormir com esta ameaça dos sionistas israelenses.)

Tel Aviv aumentará sua ajuda à Ucrânia para retaliar o suposto apoio de Moscou ao Hamas, afirmou o deputado Amir Weitmann.

Fonte: Rússia Today

Ele acrescentou que no meio da sua atual batalha com o Hamas [genocídio dos palestinos], o seu governo não tem munições de sobra, mas se a guerra em Gaza terminar antes do conflito na Ucrânia, “as armas israelitas encontrarão o seu caminho” para Kiev.

Weitmann fez os seus comentários em resposta aos planos de Israel – revelados na quarta-feira na ONU – para fornecer um sistema de alerta precoce para ajudar Kiev a combater ataques aéreos russos e ataques de drones. O anúncio de Gilad Erdan, representante permanente de Israel na ONU, não “surgiu do nada”, disse o legislador.

“A Rússia está fortemente envolvida no que está acontecendo em Israel”, afirmou Weitmann, referindo-se à guerra com o Hamas, que foi desencadeada por ataques surpresa às aldeias do sul de Israel em 7 de outubro, mas não ficou claro “em que nível” a Rússia esteve envolvida.

Weitmann, que lidera a facção libertária do Partido Likud, no poder em Israel, foi menos contido durante uma entrevista à RT em Outubro. “A Rússia está apoiando o povo nazi que quer cometer genocídio contra nós, e a Rússia pagará o preço”, disse ele. O deputado acrescentou: “Vamos garantir que a Ucrânia ganhe. Garantiremos que você pague o preço pelo que fez.”

Uma entrevista de Weitmann na rede de TV estatal russa Rússia Today se tornou viral no final do ano passado, quando ele proclamou que “a Rússia pagará o preço” por “apoiar os inimigos de Israel”.

O Business Insider disse que Israel pode já ter “incendiado o seu relacionamento com a Rússia” ao prometer fornecer um sistema de alerta precoce à Ucrânia. O sistema é semelhante ao radar Tzeva Adom de Israel, que detecta rapidamente lançamentos de foguetes e transmite alertas para áreas ameaçadas para que os civis possam se abrigar.

Depois de dois anos caminhando na “corda bamba” diplomática sobre a crise na Ucrânia, enviando apenas suprimentos humanitários para evitar provocar a Rússia, a decisão de fornecer a Kiev um sistema de radar “sinaliza uma grande reviravolta na política externa israelense”, disse o Business Insider. Israel provavelmente enviará “soldados especializados” no terreno para ajudar os ucranianos a configurar o sistema, observou o veículo.

Falando na ONU na quarta-feira, Erdan referiu-se aos ucranianos como “aliados” e “amigos necessitados”. Ele afirmou que Israel tem estado em “solidariedade” com a Ucrânia desde que o conflito se intensificou em Fevereiro de 2022. “Esta é a coisa moral a fazer, especialmente como um país que sabe exatamente como é ser invadido agressivamente”.

[Nota de Thoth: Os russos devem estar “sem dormir” com esta ameaça dos sionistas israelenses, em seus delírios de grandeza militar, que se não tivesse a ajuda dos EUA em seus conflitos com seus vizinhos no Oriente Médio, há muito tempo teria sucumbido em sua arrogância suicida e assassina.]


Uma resposta

  1. Depois de apoiar a Ucrânia às escondidas… Israel agora corre para tentar salvar seus interesses dentro da Ucrânia, que ja começam a se desintegrar sob os ataques russos…. Israel acaba de se colocar numa posição difícil de ser sustentada. Trump no poder… Israel vai sucumbir…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba nosso conteúdo

Junte-se a 4.310 outros assinantes

compartilhe

Últimas Publicações

Indicações Thoth