browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

“Ministério da Verdade” de Orwell criado pelos EUA. Conselho de Desinformação da DHS será ‘Não Partidário’ e ‘Apolítico’

Posted by on 03/05/2022

A Casa Branca afirmou nessa segunda-feira que um conselho recém criado sobre desinformação sob a supervisão do Departamento de Segurança Interna (DHS) será “não partidário e apolítico”, em meio a preocupações de que possa ameaçar a liberdade de expressão. A secretária de imprensa da Casa Branca, Jen Psaki, foi questionada sobre como o conselho funcionaria, em relação ao combate à desinformação de cartéis [??] e desinformação de grupos extremistas.

“Ministério da Verdade” de Orwell criado pelos EUA. Casa Branca diz que a criação do ‘Conselho de Desinformação’ da DHS [Depto de Segurança Interna] será ‘Não Partidário’ e ‘Apolítico’

Fonte: The Epoch Times

“Como exatamente esse conselho combateria isso [a “desinformação”]? Seria apenas checagem de fatos, publicação de orientação ou, você sabe, o que os americanos realmente veriam quando se trata do trabalho deste conselho?” perguntou um repórter.

Psaki disse que o Conselho de Governança da Desinformação está “continuando o trabalho feito pela [Agência de Segurança Cibernética e Infraestrutura (CISA)] até 2020”.

“Então, o que isso faria é continuar esse trabalho e ajudaria a coordenar as atividades internas do departamento relacionadas à desinformação que representa uma ameaça à pátria”, disse ela.

A CISA foi criada em novembro de 2018 depois que o então presidente Donald Trump sancionou a Lei CISA de 2018. Os objetivos declarados da CISA incluíam coordenar questões de segurança cibernética em todos os níveis de governo e melhorar as proteções de segurança cibernética do governo contra hackers.

Em novembro de 2020, Trump demitiu o então diretor da CISA, Chris Kreb, depois que a agência disse que a eleição presidencial de 2020 era a “mais segura da história americana” e que “não há evidências de que qualquer sistema de votação tenha excluído ou perdido votos, alterado votos ou estava em qualquer forma comprometida.” 

Na ocasião, a CISA omitiu que a Dominion Voting Systems, cujas máquinas vários estados utilizam,  fazia parte de um dos conselhos que divulgou a declaração.

Psaki disse a repórteres na segunda-feira que o objetivo geral do Conselho de Governança da Desinformação “não é julgar o que é verdadeiro ou falso online ou de outra forma”, acrescentando: “Ele funcionará de maneira apartidária e apolítica”.

O secretário do DHS, Alejandro Mayorkas, revelou notícias do Conselho de Governança da Desinformação  durante uma audiência no Congresso em 27 de abril.

O anúncio do conselho ocorre depois que Elon Musk, que é contra a censura e apoia  a liberdade de expressão, chegou a um acordo para comprar o Twitter e torná-lo privado. O conselho foi comparado pelos críticos ao “Ministério da Verdade”, conforme descrito no romance “1984”, de George Orwell. Mais de uma dúzia de legisladores republicanos expressaram preocupação com a nova iniciativa.

Nina Jankowicz

No domingo, Mayorkas disse à Fox News que o conselho abordará a desinformação que representa uma “ameaça à segurança da pátria”, que pode vir de países como China, Rússia e Irã, bem como de cartéis mexicanos. Ele afirmou que o trabalho do conselho não infringiria a liberdade de expressão, liberdades civis ou direitos civis.

“É basicamente destinado a coordenar muito do trabalho em andamento que está acontecendo”, acrescentou. “O foco está na desinformação que ameaça a pátria, como observei – coisas que incitariam o extremismo violento, você sabe, traficantes de seres humanos e outras organizações criminosas transnacionais, quaisquer esforços de influência estrangeira maligna, qualquer coisa que coloque em risco indivíduos durante emergências”.

“Então, muito desse trabalho é realmente sobre o trabalho que as pessoas podem não ver todos os dias que está em andamento pelo Departamento de Segurança Interna.”

Enquanto Psaki afirmou que o conselho seria “não partidário e apolítico”, a khazar Nina Jankowicz, que foi nomeada diretora executiva do “Conselho de Desinformação”, “apoliticamente” já havia expressado apoio à candidata presidencial Hillary Clinton durante a eleição de 2016.

Ela também fez várias declarações públicas contra Trump e, em 2020,  elogiou o  ex-espião britânico Christopher Steele, que em 2016 foi coautor de um dossiê desacreditado sobre Trump, financiado pela campanha de Hillary Clinton e pelo Comitê Nacional Democrata. Não partidário e apolítico é uma piada grosseira.

Mais recentemente, semanas antes da eleição de 2020, Jankowicz postou nas mídias sociais contestando notícias sobre o laptop de Hunter Biden, sugerindo que era uma “operação de influência russa”.

Jankowicz é uma “especialista em desinformação russa” que atuou como Disinformation Fellow no Woodrow Wilson Center for International Scholars em Washington. De acordo com seu site , ela é uma especialista reconhecida internacionalmente em desinformação e democratização”.


“Precisamos URGENTEMENTE do seu apoio para continuar nosso trabalho baseado em pesquisa independente e investigativa sobre as ameaças do Estado [Deep State] Profundo, et caterva, que a humanidade enfrenta. Sua contribuição, por menor que seja, nos ajuda a nos mantermos à tona. Considere apoiar o nosso trabalho. Disponibilizamos o mecanismo Pay Pal, nossa conta na Caixa Econômica Federal   AGENCIA: 1803 – CONTA: 000780744759-2, Operação 1288, pelo PIX-CPF 211.365.990-53 (Caixa)” para remessas do exterior via IBAN código: BR23 0036 0305 0180 3780 7447 592P 1


Mais informação adicional:

Permitida a reprodução, desde que mantido no formato original e mencione as fontes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.