O Fanatismo Escatológico por trás do Movimento para Reerguer o 3º Templo de Israel

Enquanto o mundo espera ansiosamente pela potencial escalada de um conflito entre Israel e o Irã que definiu a trajetória para a 3ª Guerra Mundial que poderá culminar num apocalipse nuclear, Israel encontra-se no meio de outra narrativa apocalíptica, embora uma que seja muito mais fanática. Com a Páscoa a aproximar-se numa altura em que o conflito entre os mundos Judaico e Islâmico é mais terrível do que nunca, parece que o Estado de Israel pode estar à beira de sancionar um “ritual” profético e arcaico com a intenção de cumprir a profecia que os Judeus mantêm relativamente à revelação do seu Messias [o AntiCristo].

O Fanatismo da Escatológico por trás do Movimento para Reerguer o 3º Templo de Israel

Fonte: Zero Hedge

“… Existem três portões para o INFERNO, um esta no deserto, um esta no oceano e o outro esta em JERUSALEM”.   Jeremias XIX – Talmud

A realização desse ritual profético e arcaico com a intenção de cumprir a profecia que os Judeus mantêm relativamente à revelação do seu Messias é procurada pelo Movimento de Reconstrução do 3º Templo de Israel em Jerusalém, o que demonstra como o judaísmo é uma força motriz por trás da política de Israel, apesar da afirmação dos seus aliados de que o país é “excepcional” por ser uma democracia secular moderna numa região onde está cercado por teocracias radicais.

O sacrifício da Novilha Vermelha parece estar marcado para 22 de abril. No calendário lunar hebraico é 14 de nisã do ano 5784 (e nisã é o primeiro mês, o que significa que o Eclipse Solar caiu no primeiro dia do primeiro mês). Há muito alinhamento aqui. Então, como vimos, a Grande Loja de Israel/Palestina completa 33.333 dias em 13/04 e, 3 dias depois, serão 3.330 dias após a estreia do programa Dig – então, 3+3 dias depois disso, será o sacrifício da novilha vermelha programada. [o “deus” de Israel ainda precisa de muito sangue . . .]

Dig gira em torno de uma conspiração de extremistas religiosos apocalípticos que buscam trazer o fim dos tempos, reencenando as cerimônias de um antigo culto bíblico [Magia Negra ancestral]– sacrificando uma novilha vermelha para cumprir artificialmente a profecia para iniciar a construção do Terceiro Templo [em Jerusalém].

De acordo com vários meios de comunicação, grupos judaicos em Israel estão preparando o sacrifício de uma novilha vermelha no Monte das Oliveiras, com vista para o Monte do Templo

A especulação é que o ritual de sacrifício ocorrerá no dia 22 de abril, após a Páscoa, em um ato que o judaísmo considera necessário para “purificar o terreno” sobre o qual o Terceiro Templo deve ser construído para trazer o seu Messias [o antiCristo do Apocalipse bíblico]. 

A purificação do solo [pelo sangue de um animal sacrificado] do Terceiro Templo exigiria a destruição completa da atual Mesquita Al Aqsa que ali se encontra localizada, erguida em 705 e se trata do terceiro local mais sagrado para o islamismo depois de Meca e Medina.

Fanáticos religiosos do judaísmo arcaico procuram materializar essa profecia que provocará ainda mais conflitos religiosos, culturais e com mais derramamento de sangue humano entre judeus e muçulmanos em Israel e em todo o mundo, mas também aumentará a volatilidade numa região cuja instabilidade política, ódio e fanatismo religioso representa talvez a maior ameaça para a humanidade hoje.

O ditame profético arcaico que exige o sacrifício da novilha vermelha faz parte de um ritual estabelecido no capítulo XIX do Livro dos Números, A Novilha Vermelha e as Águas Limpadoras, que considera que “uma novilha vermelha sem defeito ou mancha e que nunca esteve sob um jugo” deve ser sacrificado antes que o templo possa ressuscitar. 

Realizar esse sacrifício  foi o ímpeto por trás da importação de 5 bovinos Red Angus do Texas em 2022. Para contornar as leis de exportação que impedem as exportações de gado dos EUA para Israel, o membro da Uvne Jerusalem, Yitshak Mamo, declarou as novilhas vermelhas como seus animais de estimação, empreendendo uma árdua tarefa para levá-las para a Terra Santa Maldita e prepará-los para o sacrifício.

Uvne Jerusalem é um dos muitos grupos abrangidos pelo Movimento do 3º Templo que varreu Israel. A missão desses grupos é promover a criação do Terceiro Templo, que é precedido pelo sacrifício da novilha vermelha para “purificar “o monte do templo. A realização do primeiro estágio dessa missão parece estar no horizonte, de acordo com outros membros do Movimento do 3º Templo.

De acordo com Michael Samuel Smith, um pregador cristão e membro do grupo Movimento do 3º Templo Boneh Israel, o momento de completar esse sacrifício é agora, quando as novilhas vermelhas finalmente atingiram a maioridade. Smith opinou:

“Esta é a primeira vez em quase 2.000 anos que uma novilha vermelha bem-sucedida surge… Ainda é nossa opinião que o primeiro sacrifício de novilha vermelha bem-sucedido ocorrerá na primavera de 2024, próximo ao período da Páscoa até Pentecostes. Acreditamos que “deus se revelará” através dos esforços deste evento futuro. É verdadeiramente um sinal dos tempos, especialmente para os judeus em Israel.”

Ao fazê-lo, o Movimento do 3º Templo espera cumprir a profecia da escatologia judaica para trazer o seu messias.

Escatologia é definida como o estudo teológico sobre o Fim dos Dias. De forma mais ampla, a sua definição pode ser expandida para se referir às crenças dentro de um dogma religioso específico que defendem como o destino da humanidade será realizado no advento do apocalipse.

Tal como demonstrado pelas primeiras evidências de teologia registradas na história, esta faceta da religião é omnipresente em todos os sistemas de crenças, desde o politeísmo dos tempos antigos até às religiões abraâmicas que serviram de base para a sociedade ocidental e do Oriente Médio na modernidade. Embora cada religião difira nas suas crenças escatológicas, nenhuma afirmaria que as outras são inexistentes, apesar da oposição inerente que teriam à sua validade.

O mundo secular opor-se-ia a ambas as premissas, vendo a especialização teológica como nada mais do que um sistema de crenças absurdo e arcaico que deveria ter sido anacronizado muito antes de a humanidade entrar na era da racionalidade. 

Atualização sobre a situação da Red Heifer. Está acontecendo e eles construíram o altar sacrificial… então é isso. https: https://cbsnews.com/video/the-unlikely-role-red-cows-play-in-war-between-israel-and-hamas/… ah, sim, a “Temporada do Sacrifício” [1]. os ocultistas vão enlouquecer, não é?

No entanto, ao rejeitarem totalmente a escatologia, os secularistas fecham-se a uma consideração importante que orienta os fundamentos de muitas ideologias políticas modernas. Embora as profecias sobre o fim do mundo não existam aos seus olhos, rejeitá-las inteiramente ignora a realidade material irrefutável de que a crença daqueles que atribuem à escatologia é uma força que impulsionou o curso da história e continua até hoje, como evidenciado pelo Movimento do 3º Templo e seus apelos ao sacrifício da novilha vermelha.

Esta supervisão pode não ser mais aparente do que no que diz respeito ao sionismo. Apesar do vínculo inextricável com o Judaísmo como base para a criação e existência sustentada do Estado de Israel, o Sionismo é quase sempre percebido através de lentes completamente seculares. Em vez de o dogma e a doutrina serem considerações para a avaliação que as pessoas têm da história e da política israelitas, esses princípios são substituídos por aspectos culturais secularizados que representam a etnia judaica.

No entanto, essa perspectiva não é apenas limitada, mas ingênua na compreensão da missão que os sionistas, em última análise, defendem. Não é preciso ir além da retórica direta vinda do primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, para ver os óbvios motivos religiosos por detrás da sua formulação de políticas. Isto é evidente quando Netanyahu recorre repetidamente ao Livro de Samuel para se referir ao Hamas como “Amaleque”, como se fosse o seu destino ser um administrador da promessa de destruí-los feita há muito tempo, nos primeiros dias da história deuteronomista.

O que o Movimento do 3º Templo agora focado no sacrifício da novilha vermelha mostra em conjunto com a retórica proveniente do regime de Netanyahu é que a permeação da escatologia judaica que impulsiona o corpo político de Israel é mais prevalente do que a retórica confinada à guerra Israel-Hamas.

Expressão artística de como seria o primeiro Templo, construído por Salomão, em torno do ano 1000 a.C. Este foi destruído em 586 a.C. por Nabucodonosor, que arrasou Jerusalém.

A magnitude dessa força não só ressoa na diáspora judaica, mas também no mundo islâmico, que é diametralmente oposto a estes desenvolvimentos. Essas reverberações são tão impactantes que o porta-voz do Hamas, Abu Ubaida, chegou a citar a importação de novilhas vermelhas para sacrifício pelo Movimento do 3º Templo como um dos motivos para o ataque do grupo militante em 7 de Outubro. Abu Ubaida incluiu esta declaração num discurso proferido por ocasião do 100º dia da guerra em Gaza.

Apesar dos motivos religiosos totalmente aparentes que guiam a direção da formulação de políticas de Israel, o Estado Judeu tornou-se de alguma forma imune contra críticas comparáveis ​​que o mundo ocidental coloca sobre Estados Islâmicos como o Irã por serem uma teocracia radical. 

Embora as nações islâmicas sejam vistas no Ocidente como estados religiosos inerentemente radicais, Israel não é rotulado com a mesma distinção, apesar da sua fundação se basear na ideia de que o seu deus prometeu ao seu povo a terra que hoje ocupam, o que legitima assim a sua reivindicação sobre ela. 

Se essa dissonância cognitiva [fanatismo religioso e ilusão de ser um “povo eleito”] não for corrigida, então o apoio incondicional que o mundo ocidental tinha a Israel pode ser o verdadeiro catalisador do fim dos tempos. Embora possa não se enquadrar nos moldes da profecia messiânica do Judaísmo que abrange o sacrifício da novilha vermelha, a provocação desse apocalipse significaria o fim da humanidade e dos judeus juntos.


Até os dias atuais os judeus não aceitaram CRISTO como o seu messias ….

“… mas receberão poder como reis por uma hora, juntamente com a BESTA. Estes têm um mesmo intento, e entregarão o seu poder e autoridade à BESTA. Estes combaterão contra o Cordeiro, e o Cordeiro [Cristo] os vencerá, porque é o Senhor dos senhores e o Rei dos reis; vencerão os que estão com ele, chamados, e eleitos, e fiéis. –  Apocalipse 17:12-14]

Sucedeu, pois, que, havendo-os ferido, e ficando eu sozinho, caí sobre a minha face, e clamei, e disse: Ah! Senhor DEUS! dar-se-á caso que destruas todo o restante de Israel, derramando a tua indignação sobre Jerusalém? Então me disse: A maldade da casa de Israel e de Judá é grandíssima, e a terra se encheu de sangue e a cidade se encheu de perversidade; porque dizem: O Senhor abandonou a terra, e o Senhor não vê. 10 Pois, também, quanto a mim, não poupará o meu olho, nem me compadecerei; sobre a cabeça deles farei recair o seu caminho. – Ezequiel 9:8,10


2 respostas

  1. E o fanatismo escatológico e messianico por trás do Iran xiita, que desde 1979 vem trazendo instabilidade ao Oriente Médio?

  2. Religião não tem nada a ver com espiritualidade. É um sistema demoníaco criado pelas elites ocultas para controlar o gado humano através do medo e culpa. Que tipo de deus exige adoração, oferendas, sacrifícios, adoração, adulação, humilhação ……… para seus seguidores? Só mesmo demônios que gostam e exigem tal coisa. Já a “ciência” darwinista é outro tipo de religião assim como é a Nova Era,

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba nosso conteúdo

Junte-se a 4.326 outros assinantes

compartilhe

Últimas Publicações

Indicações Thoth