browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Os perigosos Raios Cósmicos estão aumentando mais rápido do que o esperado.

Posted by on 15/08/2019

A história começa há quatro anos, quando Schwadron e seus colegas começaram a soar o alarme sobre o aumento dos raios cósmicos bombardeando a atmosfera terrestre. Analisando dados do Telescópio de Raios Cósmicos para o Instrumento de Efeitos de Radiação (CRaTER) a bordo do Lunar Reconnaissance Orbiter (LRO) da NASA, eles descobriram que os raios cósmicos no sistema Terra-Lua estavam atingindo níveis nunca antes vistos na Era Espacial. A piora do ambiente de radiação, apontaram, era um perigo potencial para os astronautas, reduzindo o tempo que eles poderiam viajar pelo espaço com segurança e também para pilotos e passageiros de aviões.

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

Os Raios Cósmicos são perigosos – e estão aumentando. Este aumento dos raios cósmicos  mostra que a perigosa radiação vinda do espaço profundo se intensifica mais rápido do que o esperado pelos cientistas.

Essa é a conclusão de um novo artigo recém publicado na revista Space Weather. Os autores, liderados pelo professor Nathan Schwadron, da Universidade de New Hampshire, mostram que a radiação do espaço profundo é perigosa e se intensifica mais rápido do que o esperado anteriormente.

cr_strip

A história começa há quatro anos, quando Schwadron e seus colegas começaram a soar o alarme sobre o aumento considerável dos raios cósmicos. Analisando dados do Telescópio de Raios Cósmicos para o Cosmic Ray Telescope for the Effects of Radiation (CRaTER) Instrumento a bordo do Lunar Reconnaissance Orbiter (LRO) da NASA, eles descobriram que os raios cósmicos no sistema Terra-Lua estavam atingindo níveis nunca antes vistos na Era Espacial. A piora do ambiente de aumento da radiação, apontaram, era um perigo potencial para os astronautas, reduzindo o tempo que eles poderiam viajar pelo espaço com segurança.

Este número de seu trabalho original de 2014 mostra o quantidade de dias que um astronauta masculino de 30 anos voando em uma espaçonave com 10 g / cm@² de blindagem de alumínio poderia se expor antes de atingir os limites de exposição à radiação impostos pela NASA:

missionduration_strip

Nos anos 90, o astronauta poderia passar mil dias no espaço interplanetário. Em 2014… apenas 700 dias. “Essa é uma grande mudança”, diz Schwadron.

Os raios cósmicos galácticos vêm de fora do sistema solar (e do Sol Central da Galáxia). Eles são uma mistura de fótons de alta energia e partículas subatômicas aceleradas em direção à Terra por explosões de supernovas e outros eventos violentos no cosmos. Nossa primeira linha de defesa é o nosso próprio sol: o campo magnético do sol e o vento solar se combinam para criar um “escudo” poroso que afasta os raios cósmicos que tentam entrar no sistema solar. 

A ação de proteção do sol é mais forte durante o máximo solar e mais fraco durante o mínimo solar (ciclo atual, que oferece a menor proteção)– daí o ritmo de 11 anos do gráfico de duração da missão acima. O problema é que, como os autores observam em seu novo artigo, o escudo de proteção está enfraquecendo:

“Na última década, o vento solar exibiu baixas densidades e forças de campos magnéticos, representando estados anômalos que nunca foram observados durante a Era Espacial. Como resultado dessa atividade solar notavelmente fraca, também observamos os maiores fluxos de raios cósmicos”.

Em 2014, Schwadron et al usaram um modelo líder de atividade solar para prever como os raios cósmicos prejudiciais se tornariam durante o próximo Ciclo de Mínimo Solar, que começou sua vigência em 2019. “Nosso trabalho anterior sugeriu um aumento de 20% nas taxas de dose de um mínimo solar para o próximo ciclo”, diz Schwadron.

“Na verdade, agora vemos que as taxas reais de dose de radiação observadas pela CRaTER nos últimos 4 anos superam as previsões em 10%, mostrando que o ambiente de radiação, o excesso recente, está piorando ainda mais rapidamente do que esperávamos.” :

excesso_crater_strip

Os dados que Schwadron et al analisam vêm da CRaTER na nave espacial LRO em órbita ao redor da Lua, que é exposta a qualquer radiação cósmica que o sol permita passar. Aqui na Terra, temos duas linhas adicionais de defesa: o próprio campo magnético da Terra (que esta enfraquecendo rapidamente) e a atmosfera do nosso planeta. Ambos amenizam os raios cósmicos.

Mas mesmo na Terra, o aumento do bombardeamento dos raios cósmicos está sendo sentido. Os alunos do Earth to Sky Calculus têm lançado balões meteorológicos espaciais para a estratosfera quase semanalmente desde 2015. Sensores a bordo desses balões mostram um aumento de 13% na radiação (raios X e raios gama) que penetra e atravessa a atmosfera da Terra:

balloon_data_strip

Raios-X e raios gama detectados por esses balões são “raios cósmicos secundários”, produzidos pela queda dos raios cósmicos primários na atmosfera superior da Terra. Eles rastreiam a radiação que se infiltra em direção à superfície do nosso planeta. A faixa de energia dos sensores, de 10 keV a 20 MeV, é semelhante à das máquinas de raios-X médicas e dos scanners de segurança de aeroportos.

Como isso nos afeta? Os raios cósmicos penetram nas linhas aéreas comerciais, afetando seus passageiros e tripulações de voo, tanto que os pilotos são classificados pela Comissão Internacional de Proteção Radiológica como trabalhadores de radiação ocupacional. Algumas pesquisas mostram que os raios cósmicos podem semear nuvens e disparar tempestades, alterando potencialmente o tempo e o clima. Além disso, existem estudos ( # 1 , # 2 , # 3 , # 4 ) ligando aumento dos raios cósmicos com arritmias cardíacas na população geral.

Os raios cósmicos se intensificarão ainda mais nos próximos anos, à medida que o sol mergulha no que pode ser o mais profundo Ciclo de Mínimo Solar em mais de um século. Fique ligado para atualizações.

Referências:

Schwadron, NA, et al (2014), Será que o agravamento do ambiente de radiação cósmica galáctica observado pela CRaTER impediu a futura exploração do espaço profundo tripulado ?, Space Weather , 12, 622-632, doi: 10.1002 / 2014SW001084.

Schwadron, NA, e outros (2018), atualização no ambiente da radiação da partícula da piora observado por CRaTER e implicações para a exploração futura do espaço profundo do ser humano, tempo do espaço , doi: 10.1002 / 2017SW001803.


SPRITES VERMELHOS EM ALTA DEFINIÇÃO

Fonte:  http://www.spaceweather.com

 Segundo a NASA, os raios cósmicos estão se intensificando. Na semana passada, em 6 de agosto, Roger Spinner, de Montsevelier, na Suíça, testemunhou um provável fenômeno de efeito colateral. “O fenômeno atmosférico de “sprites de medusa” saltam acima de uma tempestade no norte da Itália, a cerca de 215 km de distância”, diz Spinner. “Gravei um vídeo HD da tela usando meus Sony A7s.” Abaixo está um único frame:

Quando a tempestade assolou a região da Lombardia , na Itália, a câmera de Spinner gravou, em detalhes raros, três magníficos conjuntos de sprites vermelhos.

“Para mim, pessoalmente, essas cenas são especiais”, diz Spinner, que monitora sprites na Europa há mais de sete anos. “Embora três sprites de águas-vivas em uma noite não sejam nada incomuns para uma forte tempestade, vídeos coloridos de sprites em qualidade HD ou 4K não foram possíveis por muito tempo. Os Sony A7s chegaram ao mercado há apenas alguns anos.”

Os raios cósmicos podem estar ajudando Spinner a capturar essas imagens.Os raios estão se intensificando por causa do Mínimo Solar. Durante esta fase do ciclo solar, a radiação do espaço profundo penetra no enfraquecimento das defesas magnéticas do sol e entra na atmosfera da Terra mais do que o habitual. Alguns pesquisadores acreditam que os raios cósmicos fornecem a “faísca” ionizante que aciona os sprites.

Acima: Neste mapa relâmpago do Blitzortung.org , a estrela amarela marca a câmera do Spinner, e a seta preta mostra onde estava apontando.

Spinner sabe para onde apontar suas câmeras graças, em parte, a mapas de raios publicados pela Blitzortung.org. Sistemas convectivos de mesoescala com forte raio tendem também a produzir sprites. Ela ajuda a ficar a pelo menos cem quilômetros de distância de uma tempestade para ver por cima do topo da nuvem.

Mesmo se você saiba exatamente onde estão as tempestades e onde os sprites podem ocorrer, no entanto, é sempre uma surpresa sobre que tipo de espetáculo a natureza realmente oferece, a cada momento”, diz Spinner.


“E o quarto anjo derramou a sua taça sobre o sol, e foi-lhe permitido que abrasasse os homens com fogo.
E os homens foram abrasados com grandes calores, e blasfemaram o nome de Deus, que tem poder sobre estas pragas; e não se arrependeram para lhe darem glória”.  Apocalipse 16:8,9


Matrix , o SISTEMA de CONTROLE MENTAL:  “A Matrix é um sistema de controle, NEO. Esse sistema é o nosso inimigo. Mas quando você está dentro dele, olha em volta, e o que você vê? Empresários, professores, advogados, políticos, carpinteiros, sacerdotes, homens e mulheres… As mesmas mentes das pessoas que estamos tentando despertar. 

Mas até que nós consigamos despertá-los, essas pessoas ainda serão parte desse sistema de controle e isso as transformam em nossos inimigos. Você precisa entender, a maioria dessas pessoas não está preparada para ser desconectada da Matrix de Controle mental. E muitos deles estão tão habituados, tão profunda e desesperadamente dependentes do sistema, que eles vão lutar contra você  para proteger o próprio sistema de controle mental que aprisiona suas mentes …” 


Mais informações, leitura adicional:

Permitida a reprodução desde que mantida na formatação original e mencione as fontes.

phi-golden-ratiowww.thoth3126.com.br

3 Responses to Os perigosos Raios Cósmicos estão aumentando mais rápido do que o esperado.

  1. André

    Isso teria alguma coisa a ver com o SOL CENTRAL da Galáxia?

Deixe uma resposta para André Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.