Entre ou
Cadastre-se

Compartilhe
Receba nosso conteúdo

OTAN Admite estar se Preparando para ‘Conflito com a Rússia’ desde 2014

O secretário-geral da Otan, Jens Stoltenberg, disse a repórteres na quarta-feira que os aumentos nos gastos militares e o aumento do número de envios de tropas na Europa Oriental desde 2014 foram realizados em antecipação a um conflito com a Rússia. De acordo com os números da OTAN , os membros europeus do bloco e o Canadá aumentaram seus gastos militares entre 1,2% e 5,9% a cada ano desde 2014.

O secretário-geral da OTAN Jens Stoltenberg disse que os aumentos nas implantações e gastos militares foram realizados tendo conflito com a Rússia em mente

Fonte: Rússia Today

Falando após uma reunião de membros de países da OTAN e estados parceiros em Madri, Stoltenberg acusou Moscou de “usar a força no Donbass oriental desde 2014”, apesar do fato de que as forças de Kiev estão bombardeando cidades na região desde que as Repúblicas Populares de Donetsk e Lugansk declararam independência da Ucrânia naquele ano.

No entanto, Stoltenberg disse que o bloco militar liderado pelos EUA decidiu em 2014 começar a reforçar suas forças militares na Europa Oriental. 

“A realidade também é que estamos nos preparando para isso desde 2014” , afirmou. “Essa é a razão pela qual aumentamos nossa presença na parte oriental da aliança, porque os aliados da OTAN começaram a investir mais em defesa e por que aumentamos [nossa] prontidão”.

De acordo com os números da OTAN , os membros europeus do bloco e o Canadá aumentaram seus gastos militares entre 1,2% e 5,9% a cada ano desde 2014. No entanto, apenas 10 dos 30 estados da OTAN atualmente cumprem a meta do bloco de gastar 2% do PIB em “defesa”

O aumento das despesas foi mais perceptível na Europa Oriental e nos países bálticos, com Polônia, Lituânia, Estônia, Letônia, República Tcheca, Eslováquia e Romênia atingindo a meta pela primeira vez em 2022.

Mais cedo na quarta-feira, os membros da OTAN concordaram em adotar um novo Conceito Estratégico. Este plano de política estabelece a postura da aliança em relação a parceiros, não membros e adversários, com a interação de 2022 nomeando a Rússia como a “ameaça mais significativa e direta” ao bloco.

Por outro lado, Moscou rotulou a expansão da OTAN para os ex-estados soviéticos desde o fim da Guerra Fria – que os líderes ocidentais prometeram explicitamente no início dos anos 1990 que não aconteceria – como uma ameaça contra sua própria segurança. 

A posição oficial da OTAN sobre a Ucrânia, estabelecida na Declaração de Bucareste de 2008, é que ela e a Geórgia “se tornarão membros da OTAN” em uma data futura não especificada. A Rússia citou a busca da Ucrânia pela adesão à OTAN como um fator chave por trás do conflito atual.

Apesar da marcha da aliança da OTAN pós-Guerra Fria para os países do antigo Bloco Oriental, Stoltenberg afirmou na quarta-feira que “a OTAN se esforçou por ter um melhor relacionamento com a Rússia por décadas”.


O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é thoth-3126-1.png

“Precisamos URGENTEMENTE do seu apoio para continuar nosso trabalho baseado em pesquisa independente e investigativa sobre as ameaças do Estado [Deep State] Profundo, et caterva, que a humanidade enfrenta. Sua contribuição, por menor que seja, nos ajuda a nos mantermos à tona. Considere apoiar o nosso trabalho. Disponibilizamos o mecanismo Pay Pal, nossa conta na Caixa Econômica Federal   AGENCIA: 1803 – CONTA: 000780744759-2, Operação 1288, pelo PIX-CPF 211.365.990-53 (Caixa)” para remessas do exterior via IBAN código: BR23 0036 0305 0180 3780 7447 592P 1


Mais informação adicional:

Permitida a reprodução, desde que mantido no formato original e mencione as fontes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *