Painel da OMS que elaborará Políticas de Saúde Infantil tem 11 membros Sem Formação Médica e 7 são Transgêneros

HOSPÍCIO OCIDENTAL: Onze dos 21 membros do comitê de política de saúde da Organização Mundial da Saúde (OMS)  não são médicos especialistas qualificados e sete são transexuais. De acordo com um relatório do Daily Mail, apenas 10 membros do painel são médicos. Um dos membros é um polêmico ativista transgênero canadense chamada Florence Ashley, professora de direito no Canadá, que tem forte influência no aplicativo chinês TikTok.

Painel da OMS que elaborará “Políticas de Saúde Infantil” tem 11 membros Sem Formação Médica e 7 são Transgêneros

Fonte: Natural News

Ashley disse anteriormente que os bloqueadores da puberdade deveriam ser prescritos a todas as crianças, independentemente de sua identidade de gênero, para que as crianças possam “escolher” seu gênero, em vez de serem atribuídos pela [natureza biológica] sociedade.

Outro integrante disse anteriormente que a transição de gênero não causa problemas de saúde e afirmou que os únicos “efeitos colaterais reais” de obter uma alteração de gênero são uma “qualidade de vida significativamente melhorada e a alegria trans”.

Os outros membros do painel da OMS são ativistas ‘acordados’, defensores da justiça social, advogados de direitos humanos, investigadores de doenças sexualmente transmissíveis (DST) e conselheiros políticos.

“Seja Gay, Cometa Crimes”

Ashley, que ostenta uma tatuagem com a frase “Seja Gay, Cometa Crimes”, é uma mulher trans e o membro mais polêmico do comitê. “Avaliações de gênero são uma forma desnecessária de controle à qual as comunidades trans têm se oposto há algum tempo”, ” Ashley disse recentemente no TikTok. Ashley também é autora de um estudo que afirma que os bloqueadores da puberdade e as terapias hormonais “devem ser tratadas como opção padrão” para crianças com disforia de gênero.

Enquanto isso, o porta-voz da OMS, Tarik Jasarevic, insistiu que as diretrizes sobre questões trans se concentrariam em “apenas nos adultos” e não o uso de hormônios, supressores e cirurgias em crianças. “As diretrizes da OMS baseiam-se sempre no equilíbrio entre as evidências disponíveis, os princípios dos direitos humanos, a consideração dos danos e benefícios e as contribuições dos usuários finais e beneficiários”, disse ele. Jasarevic afirmou. No entanto, alguns dos membros do comitê manifestam seu apoio a permitir que crianças sejam submetidas a procedimentos de mutilação.

Por causa disso, várias organizações de direitos das mulheres e LGBTQ+ temem que a agência tenha sido capturada por um “preconceito trans”. A Relatora Especial das Nações Unidas sobre Violência contra as Mulheres, Reem Alsalem, disse que o novo painel é muito “unilateral” e ela acredita que o comitê contém “conflitos de interesse significativos e não gerenciados”.

“As partes interessadas cujas opiniões diferem daquelas defendidas por organizações de ativistas transgênero não parecem ter sido convidadas,” Alsalem disse. “Essas partes interessadas incluem especialistas de autoridades europeias de saúde pública que assumiram a liderança no desenvolvimento de uma abordagem baseada em evidências e, consequentemente, cautelosa para transições de gênero dos jovens.”

Diz-se que o painel da OMS determina diretrizes de cuidados para pessoas trans, mas eles não têm ninguém para representar o equilíbrio crítico no painel, de acordo com a psicoterapeuta e diretora executiva do Genspect, Stella O’Malley. “A abordagem afirmativa de gênero é presumida pela OMS como o único caminho a seguir e, portanto, descarta a psicoterapia convencional.”

(Relacionado: NOVO ESTUDO: As taxas de cirurgia de transgêneros (mutilação) triplicaram em todas as faixas etárias de 2016 a 2019.)

Mais de 8.000 entidades questionam o painel da OMS

Logo após a finalização dos membros do comitê, uma petição online foi organizada por Jamie Reed, ex-assistente social do Hospital Infantil de St. Louis, que revelou anteriormente que os hormônios sexuais cruzados aceleravam os problemas de saúde mental das crianças de lá.

O documento foi assinado por mais de 8.000 entidades desde dezembro, incluindo particulares, psicólogos, enfermeiros e pais de pessoas que destransicionaram, bem como organizações como a Genspect, que tem criticado as transições médicas de gênero. A petição pedia que a organização interrompesse a reunião do grupo em fevereiro.

Reed, agora diretor executivo do grupo de campanha LGBT Courage Coalition, chamou os membros do painel da OMS de um grupo de “ativistas orientados por uma agenda com pouca ou nenhuma experiência científica”.

“Alguns são ativistas transgênero radicais bem conhecidos que promovem intervenções médicas experimentais e estigmatizam a terapia exploratória”, disse ele, ressaltando que o comitê deveria incluir “especialistas com uma diversidade de perspectivas”.

Além de pressionar a OMS a reequilibrar a sua abordagem “tendenciosa” no painel, Reed e sua equipe alegaram que a organização não conseguiu dar ao público tempo suficiente para expressar preocupações sobre a composição do grupo influente. O período de comentários públicos terminou em 8 de janeiro.

A petição dizia: “Esta é uma velocidade extremamente rápida para qualquer organização, mas especialmente para a OMS, que deve consultar várias partes interessadas, encomendar análises de evidências de terceiros e potencialmente envolver especialistas independentes para ajudar a supervisionar o processo de desenvolvimento de diretrizes”. Acrescentou que nada disto pode ser realizado de forma realista dentro do prazo artificialmente limitado da OMS.

Confira MedicalViolence.com para mais histórias relacionadas às violentas cirurgias de mutilação de gênero realizadas em crianças.

Assista ao vídeo onde a campeã pró humanidade Laura Aboli fala sobre como o transhumanismo  é o objetivo final dos globalistas.

As fontes incluem: Breitbart.com – – florenceAshley.comDailyMail.co.ukBrighteon. com


SEJA UM ASSINANTE DO BLOG: Para os leitores do Blog que ainda não são assinantes e desejam acessar as postagens em seus endereços de E-Mail, solicitamos, por favor, que façam a sua inscrição aqui neste LINK: https://linktr.ee/thoth3126

Convidamos também a conhecerem e seguirem nossas redes sociais:
Instagram: https://www.instagram.com/th.oth3126/
Facebook: https://www.facebook.com/thoth3126.blog
X (antigo Twitter): https://twitter.com/thoth3126_blog
Youtube: https://www.youtube.com/@thoth3126_blog

Siga o canal “Blog Thoth3126” no WhatsApp: https://www.whatsapp.com/channel/0029VaF1s8E9Gv7YevnqRB3X


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba nosso conteúdo

Junte-se a 4.326 outros assinantes

compartilhe

Últimas Publicações

Indicações Thoth