Provações e Tribulações (do Hospício) do Ocidente, OTAN-EUA

Alguém pode ser desculpado por imaginar todos os tipos de jogos divertidos se desenrolando no QG do Estado-Maior Russo enquanto os psicopatas ‘acordados’ e liberais do Império hegemon e da OTAN ficam literalmente malucos. Que truque maluco eles inventarão a seguir – antes da Terceira Guerra Mundial estourar nas suas caras?Sentem-se, relaxem e desfrutem de uma queda até o fundo do Grand Canyon, ao estilo de Wile Coyote. A única questão é quem chegará no fundo primeiro: a UE, a OTAN (EUA junto) ou ambos. 

Provações e Tribulações (do Hospício) do Ocidente, OTAN-EUA

Fonte: The Saker – Por Pepe Escobar

Aqui está um delicioso relato da demência precoce da OTAN. Tudo até agora falhou contra a Rússia, desde “as sanções incapacitantes” a todos os tipos de wunderwaffen, enquanto todo o Sul Global se maravilha com as façanhas dos mercenários da Wagner PMC – agora configurado como a principal máquina de combate urbana do planeta.

O porta-voz da CIA, a pre$$tituta Washington Post, divulgou devidamente como Washington, mais uma vez, comeu o chanceler de salsicha de fígado Scholz no café da manhã, almoço e jantar. A ideia foi lançada pelo secretário de Estado Tony Blinken: vamos anunciar que entregaremos o tanque M1 Abrams à Ucrânia em um futuro nebuloso e não especificado, fornecendo assim cobertura para Scholz liberar os tanques alemães Leopards agora.

Você não ama a soberania alemã em ação?

Todo analista militar com QI acima da temperatura ambiente sabe que todos esses tanques leopards serão devidamente incinerados nas estepes congeladas da Ucrânia – ou melhor ainda, capturados e dissecados por especialistas militares russos.

Então, o que acontece a seguir é mais um vetor da – muito bem-sucedida até agora – raquete de desindustrialização alemã desencadeada pelos EUA: os americanos invadirão o complexo militar industrial alemão com seu M1 Abrams “muito melhorado” – que talvez chegue em 2024, quando apenas uma pequena Ucrânia ainda pode existir, ou nunca chegar. Portanto, não há necessidade de os tanques Abrams provarem seu valor em combate real – como sendo capturados e/ou incinerados pelo fogo dos russos.

Rumores em Washington avançam que a “estratégia” dos EUA na Ucrânia – amplamente detalhada por relatórios intermináveis ??de think tanks – teve que ser “adaptada”. Não se trata mais de “derrotar a Rússia”, mas de fornecer a Kiev os meios para “assustar” a Rússia. O Estado-Maior russo deve estar tremendo nas suas botas.

Enquanto isso, na vida real, quase todos os cenários possíveis jogados em Washington e Bruxelas terminam com a OTAN como uma versão blindada gigante de Wile E. Coyote mergulhando nas profundezas do Grand Canyon após mais um fracasso de seus planos. E isso acontece mesmo que a nova ofensiva russa do “Big Arrow” comece em alguns dias ou semanas, ou nunca comece.

Indiscutivelmente, o Estado-Maior russo concluiu há muito tempo que não faz sentido reduzir a Ucrânia a escombros em questão de horas – algo que eles poderiam facilmente realizar. Assim, a abordagem da lendária máquina de picar russa – não oferece desculpas para a OTAN “escalar” (o que eles continuam a fazer de qualquer maneira, como Jens “Guerra é Paz” Stoltenberg gosta tanto de repetir em Bruxelas).

O truque é que o overdrive de escalada da OTAN, por acaso, é um pouco controlado pelo Estado-Maior russo, que está sempre calculando quais manobras ideais consumirão o equipamento militar da OTAN mais rapidamente. Chame isso de uma versão russa do axioma popular “sapo em uma panela fervendo não percebe que está sendo cozido até morrer”.

Atacando Rússia-China-Irã

O desespero absoluto dos psicopatas do hospício ocidental agora está extrapolando graficamente para ataques ao Irã. Tanto a Rússia quanto a China têm o Irã como seu principal aliado na Ásia Ocidental para todo o complexo processo de integração da Eurásia; parcerias estratégicas interligam o trio, sendo que a Rússia e o Irã acabaram de unir seus sistemas financeiros.

Portanto, atacar o Ministério da Defesa do Irã em Isfahan com drones (de Israel) – uma falha total – e bombardear um comboio do IRGC de ajuda humanitária que cruza do Iraque para a Síria é uma séria provocação coordenada pelos EUA e Israel.

Essencialmente, esses também são ataques contra a Rússia e a China. Israel não pode levantar a mão ou o pé sem a permissão dos EUA. A inteligência iraniana pode ser capaz de estabelecer como a cabala neoconservadora e neoliberal judeu khazar ‘acordada’ encarregada da política externa dos EUA autorizou, se não ordenou, esses ataques, que obviamente estão diretamente conectados ao desespero da OTAN no terreno congelado da Ucrânia.

Em caso de dúvida, basta voltar a doutrina de Zbigniew “Grand Chessboard” Brzezinski: “Potencialmente, o cenário mais perigoso seria uma grande coalizão da China, Rússia e talvez do Irã, uma coalizão ‘anti-hegemônica’ unida não pela ideologia, mas pelas queixas. Seria uma reminiscência em escala e escopo do desafio [ao imperialismo dos EUA] uma vez colocado pelo bloco sino-soviético”.

E, espelhando a Ucrânia/Rússia, há, é claro, Taiwan/China.

Como o estrategista do Credit Suisse, Zoltan Pozsar, explicou extensivamente, se Taiwan fabrica chips para mísseis dos EUA, Washington envia armas a Taiwan para sua “autodefesa”, mas Taiwan precisa esperar porque os mísseis são necessários na Ucrânia, ou os chips não podem ser enviados para os EUA devido a um possível bloqueio marítimo e aéreo imposto pela China, os americanos estarão operacionalmente mal equipados para apoiar sua guerra em duas frentes contra seus concorrentes Rússia e China.

Adeus falsa ‘Pax Americana’. É o medo, na verdade a paranóia, de uma Taiwan destruída – e a destruição em todos os cenários seria provocada pelos próprios americanos – que levou a cabala neoconservadora e neoliberal ‘acordada’ judeu khazar a exigir que seus chips sejam fabricados nos EUA.

Na frente da energia, uma vez que os custos de energia dos EUA são baixos, Washington apostou que grande parte da desindustrialização da Alemanha reverteria em benefício americano. No entanto, como os preços do petróleo iraniano, russo e venezuelano são mais baixos do que os dos EUA, pouca produção pode estar sendo transferida para o Hegemon: ela irá para a China.

Direto Para o fundo do Grand Canyon!

declaração conjunta UE-NATO de 10 de janeiro mostra graficamente como a UE não é mais do que o braço de relações públicas da OTAN.

Esta missão conjunta OTAN-UE consiste em utilizar todos os meios econômicos, políticos e militares para que a “selva” se comporte sempre de acordo com a “ordem internacional baseada em regras” e aceite ser saqueada ad infinitum pelo “jardim florido” da Europa.

Então, no final, o que resta da “Europa”, quando é a OTAN – na verdade Washington – que realmente governa?

“Europa”, de acordo com a propaganda implacável das pre$$tituta$, significa defender “nossos valores” [como o wokism, transgênero, satanismo, LGBTQ+, pedofilia, et caterva] – como na paz, democracia e prosperidade. O truque é que as elites não eleitas forçaram a identificação implícita dessa “Europa” imaginária e praticamente sagrada com a União Européia. E foi assim que a UE adquiriu uma identidade mítica.

É claro que, na vida real, a UE – como na “Europa” real e politicamente organizada – tem funcionado como um instrumento tóxico de divisão entre os povos europeus.

Em vez de paz, investiu em uma guerra raivosa total contra a Rússia. A UE é indiscutivelmente a instituição mais democraticamente irresponsável do planeta: passe um dia em Bruxelas e você entenderá tudo. E em vez de prosperidade, a UE institucionalizou a austeridade.

Então sente-se, relaxe e desfrute de uma queda estilo Wile Coyote até o fundo do Grand Canyon. A única questão é quem chegará lá primeiro: a UE, a OTAN-EUA ou ambos.

Pepe Escobar, nascido no Brasil, é correspondente e editor-geral do Asia Times e colunista do Consortium News and Strategic Culture. Desde meados da década de 1980, ele viveu e trabalhou como correspondente estrangeiro em Londres, Paris, Milão, Bruxelas, Los Angeles, Cingapura, Bangkok. Ele cobriu extensivamente o Paquistão, Afeganistão e Ásia Central para a China, Irã, Iraque e todo o Oriente Médio. Pepe é o autor de Globalistan – How the Globalized World is Dissolving into Liquid War; do Red Zone Blues, a snapshot of Baghdad during the surge um instantâneo de Bagdá durante o surto. Ele estave contribuindo como editor para The Empire e The Crescent e Tutto in Vendita na Itália. Seus dois últimos livros são Empire of Chaos e 2030. Pepe também está associado à Academia Europeia de Geopolítica, com sede em Paris. Quando não está na estrada, vive entre Paris e Bangkok. Ele é um colaborador regular da Global Research, The Cradle, The Saker e da Press TV.


“Precisamos URGENTEMENTE do seu apoio para continuar nosso trabalho baseado em pesquisa independente e investigativa sobre as ameaças do Estado [Deep State] Profundo, et caterva, que a humanidade enfrenta. Sua contribuição, por menor que seja, nos ajuda a nos mantermos à tona. Considere apoiar o nosso trabalho. Disponibilizamos o mecanismo Pay Pal, nossa conta na Caixa Econômica Federal  AGENCIA: 1803 – CONTA: 000780744759-2, Operação 1288, pelo PIX-CPF 211.365.990-53 (Caixa)”. para remessas do exterior via IBAN código: BR23 0036 0305 0180 3780 7447 592P 1


E os dez chifres que viste são dez reis, que ainda não receberam o reino, mas receberão poder como reis por uma hora, juntamente com a BESTA. Estes têm um mesmo intento, e entregarão o seu poder e autoridade à besta. Estes combaterão contra o Cordeiro, e o Cordeiro os vencerá, porque é o Senhor dos senhores e o Rei dos reis; Vencerão os que estão com Ele, Chamados, e Eleitos, e Fiéis. E disse-me: As águas que viste, onde se assenta a prostituta [ROMA], são povos, e multidões, e nações, e línguas“. – Apocalipse 17:12-15

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é nabucodonoor-estatua-daniel.png

A estátua do sonho de Nabucodonosor, um símbolo daquilo que a humanidade construiria na Terra. Os dias de insanidade da atualidade estão contados, muito em breve, a “Grande Prostituta”, a cidade de Roma será varrida da face da Terra, dando início a derrota completa dos servidores das trevas e o fim de seus planos nefastos para o controle do planeta. Em 2023 o Brasil terá um papel decisivo na Guerra entre a Luz e as trevas.


Saiba mais, leitura adicional:

Permitida a reprodução, desde que mantido no formato original e mencione as fontes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba nosso conteúdo

Junte-se a 4.325 outros assinantes

compartilhe

Últimas Publicações

Indicações Thoth