Entre ou
Cadastre-se

Compartilhe
Receba nosso conteúdo

Sistema Bancário do Reino Unido enfrenta ‘Tensão Muito Elevada’

O sistema financeiro do Reino Unido está em um período de “tensão e alerta muito elevados” para mais turbulências no setor bancário, disse o governador do Banco da Inglaterra, Andrew Bailey. O sistema continua em “uma posição forte”, mas o banco central da Inglaterra precisa estar “muito vigilante”, disse Bailey ao Comitê do Tesouro na Câmara dos Comuns na terça-feira.

Sistema bancário do Reino Unido enfrenta ‘tensão muito elevada’: governador do BoE declarou em audiência no parlamento britânico.

Fonte: The Epoch Times

O chefe do banco central britânico foi questionado por parlamentares em meio ao nervosismo global após o colapso do Silicon Valley Bank (SVB) nos Estados Unidos e o “resgate de emergência” do Credit Suisse pelas autoridades suíças.

Tem havido preocupações de que taxas de juros mais altas – após 11 aumentos consecutivos do Banco da Inglaterra – possam estar pressionando os credores. Bailey disse que o banco central está “muito vigilante”, mas enfatizou que o sistema bancário do Reino Unido está em uma situação diferente da crise financeira global de 15 anos atrás.

Ele disse aos parlamentares: “Não acho que estejamos no lugar em que estávamos em 2007/8, um lugar muito diferente, mas temos que estar muito vigilantes. “Estamos em um período de grande tensão e alerta e vamos continuar.”

‘Posição Forte’

O colapso do SVB, 16º maior banco dos Estados Unidos, é a maior falência bancária desde o Washington Mutual em 2008, durante a última crise financeira. O braço do grupo no Reino Unido foi vendido para o HSBC em um acordo de resgate, quando as ondas de choque do colapso abalaram os mercados financeiros globais.

Após o colapso, o chanceler do Tesouro, Jeremy Hunt, disse que não representava “nenhum risco sistêmico” para o sistema financeiro da Grã-Bretanha, mas havia “um risco sério” para os setores de tecnologia e ciências biológicas do Reino Unido.

Bailey disse aos parlamentares que o colapso do SVB foi o colapso mais rápido desde o colapso do Barings Bank, um banco mercantil britânico que faliu em 1995 depois que o comerciante Nick Leeson ocultou até £$ 827 milhões em transações autorizadas, causando perdas maciças ao negócio.

O governador do banco da Inglaterra disse que: “As autoridades dos EUA ainda estão lidando com algumas das consequências dos problemas e das dificuldades com os bancos regionais que vimos com o SVB. Minha opinião muito forte sobre o sistema bancário do Reino Unido é que ele está em uma posição forte tanto em termos de capital quanto de liquidez. Não está mostrando sinais de problemas a esse respeito e testamos extensivamente.”

Bailey acrescentou em sua evidência aos parlamentares que o Reino Unido está passando por condições de crédito mais rígidas, sugerindo que isso pode afetar decisões futuras sobre as taxas.

“Vemos alguma evidência de algumas condições de crédito mais restritivas, mas não vemos um desenvolvimento crítico a esse respeito. Sempre levamos em consideração as condições de crédito na hora de definir a política monetária”, afirmou.

A Proteção dos Depósitos

A secretária do Tesouro dos EUA, Janet Yellen, sugeriu que o governo dos EUA protegeria as economias das pessoas no caso de outro credor menor como o SVB entrar em colapso, como ameaça acontecer com o First Republic Bank de San Francisco.

Em um discurso na American Bankers Association em 21 de março, Yellen disse que novas medidas seriam tomadas para proteger os depositantes bancários se instituições menores sofrerem corridas de saques de seus depósitos adicionais que ameacem a estabilidade financeira do país.

Comentando a mudança, o governador do Banco da Inglaterra disse: “Eu entendo perfeitamente o que os EUA fizeram porque enfrentamos o mesmo desafio em 2008. É uma decisão muito difícil, mas no calor do momento há momentos em que você tem que fazer esse julgamento. Concordo com o que acho que Janet Yellen disse, que esse não é um estado de coisas que deveria ser a norma, e que todos os depósitos são garantidos”.

Ele acrescentou que pode ser difícil encontrar um equilíbrio entre interromper a ocorrência de “corridas aos saques nos bancos” oferecendo proteção à poupança e garantir que as garantias de depósitos não se tornem a norma.

“Não quero nem por um momento criticar as autoridades norte-americanas, pois acho que elas têm lidado com uma situação muito difícil”, disse.

Nenhuma opção atraente

Os parlamentares do Comitê do Tesouro também questionaram os chefes do banco sobre a venda de £$ 2,6 bilhões do Credit Suisse. O Credit Suisse tem problemas há anos, mas foi levado ao limite há uma semana por causa do nervosismo e o pânico do mercado provocado pela falência do SVB.

O banco de investimento suíço UBS anunciou posteriormente que compraria o Credit Suisse em um negócio de mais de US$ 3 bilhões.

Conversando com parlamentares na terça-feira, Sam Woods, vice-presidente do Banco da Inglaterra e executivo-chefe da Prudential Regulation Authority, disse que o banco central vinha conversando com outras autoridades sobre a instabilidade no Credit Suisse desde o outono passado.

“Desde outubro houve discussões envolvendo o Fed, as autoridades suíças e nós, pensando na situação ao vivo”, disse. “Tínhamos discutido: ‘O que vamos fazer se chegar a hora da crise?’ Foi muito útil quando chegou aquele fim de semana.

“No final, um pouco como o Banco do Vale do Silício, nenhuma das opções era tão atraente, mas ainda havia opções.” – [PA Media contribuiu para este relatório]


“Precisamos URGENTEMENTE do seu apoio para continuar nosso trabalho baseado em pesquisa independente e investigativa sobre as ameaças do Estado [Deep State] Profundo, et caterva, que a humanidade enfrenta. Sua contribuição, por menor que seja, nos ajuda a nos mantermos à tona. Considere apoiar o nosso trabalho. Disponibilizamos o mecanismo Pay Pal, nossa conta na Caixa Econômica Federal   AGENCIA: 1803 – CONTA: 000780744759-2, Operação 1288, pelo PIX-CPF 211.365.990-53 (Caixa)” para remessas do exterior via IBAN código: BR23 0036 0305 0180 3780 7447 592P 1


Parece duvidoso se, de fato, a política de “Botas no rosto” pode continuar indefinidamente. Minha própria convicção é que a oligarquia governante encontrará maneiras menos árduas e perdulárias de governar e de satisfazer sua ânsia de poder, e essas formas serão semelhantes às que descrevi em Admirável Mundo Novo [uma verdadeira profecia publicada em 1932]. Na próxima geração, acredito que os governantes do mundo descobrirão que o condicionamento INFANTIL e a narco-hipnose são mais eficientes, como instrumentos de governo, do que prisões e campos de concentração, e que o desejo de poder pode ser completamente satisfeito “SUGERINDO” às pessoas para que “AMEM A SUA SERVIDÃO” ao invés de açoita-los e chuta-los até obter sua obediência“. – Carta de Aldous Huxley  EM 1949 para George Orwell autor do livro “1984”


Saiba mais, leitura adicional:

Permitida a reprodução, desde que mantido no formato original e mencione as fontes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *