browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Um cavalo de Troia da I.A.: Assumir o Controle da Humanidade

Posted by on 15/02/2019

Um vídeo de 8 de fevereiro da Liga anti-difamação (ADL) promove um novo algoritmo baseado na Inteligência Artificial (IA) que ele chama de “Índice de Odio Online”, que visa identificar o discurso de ódio. O ADL acredita que o algoritmo AI pode ser usado por plataformas de redes sociais, como Facebook, YouTube, Twitter para identificar e remover rapidamente o discurso do ódio.

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

Hate Speech Initiative (Iniciativa Discurso de Ódio) um cavalo de Troia para a AI assumir o Controle da Humanidade

Fonte: https://www.exopolitics.org/

No vídeo , Brittan Heller, diretor do ADL Center for Technology & Society, diz que o objetivo do índice é:

“Ajudar as plataformas de tecnologia a entender melhor a crescente quantidade de ódio nas mídias sociais e a usar essa informação para resolver o problema. Ao combinar Inteligência Artificial e Aprendizagem de Máquinas e Ciências Sociais, o “Índice de Ódio Online” irá finalmente descobrir e identificar tendências e padrões de discurso de ódio em diferentes plataformas”.

Em sua “Fase I Resumo de Inovação” publicado em janeiro de 2018 em seu site, a ADL explica ainda mais como a “aprendizagem da máquina”, uma forma de Inteligência Artificial baseada em algoritmos, pode ser usada para identificar e remover discursos de ódio de plataformas de redes sociais:

“O Online Hate Index (OHI), uma iniciativa conjunta do Centro de Tecnologia e Sociedade da ADL e D-Lab da UC Berkeley, destina-se a transformar a compreensão humana do discurso de ódio através da aprendizagem de máquinas em uma ferramenta escalável que pode ser implantada no conteúdo da Internet para descobrir o escopo e a disseminação do discurso de ódio online. Através de um processo de aprendizagem de máquinas em constante evolução, baseado em um protocolo desenvolvido por uma equipe de codificadores humanos quanto ao que faz e não constitui discurso de ódio, essa ferramenta irá descobrir e identificar tendências e padrões de discurso de ódio em diferentes plataformas online, permitindo a nós para pressionar as mudanças necessárias para garantir que as comunidades online sejam espaços seguros e inclusivos”.

O índice de ódio online da ADL é descrito como “uma análise baseada em sentimentos que sai do aprendizado da máquina”. O ADL Brief continua dizendo:

“Todas as decisões que entraram em cada etapa da criação do OHI foram feitas com o objetivo de construir um modelo habilitado para aprendizagem de máquina que possa ser usado para identificar e nos ajudar a entender o discurso do ódio online”. 

O que a ADL e outros promotores de algoritmos baseados em IA não conseguem entender é o potencial da IA de evoluir através de sua capacidade programada para “aprendizagem em máquina” no tipo de temível inteligência consciente interconectada apresentada em filmes como a série  Terminator e Battlestar Galactica.

Sabe-se que cientistas / inventores, como Stephen Hawkins e Elon Musk, advertiram fortemente sobre a ameaça a longo prazo representada pela IAEles e outros acreditam que a IA representa uma ameaça existencial para a humanidade e precisa ser controlada e monitorada de perto. Em um discurso de 2014 Musk disse :

“Eu acho que devemos ter muito cuidado com a Inteligência Artificial. Se eu tivesse que adivinhar o que é a nossa maior ameaça existencial, provavelmente é a IA. Então precisamos ter muito cuidado com a inteligência artificial …. “Estou cada vez mais inclinado a pensar que deve haver alguma supervisão regulamentar, talvez a nível nacional e internacional, apenas para se certificar de que não façamos algo muito tolo … Com inteligência artificial estamos convocando o demônio. Você conhece as histórias onde está o cara com o pentagrama e a água benta, e … ele tem certeza de que pode controlar o demônio? Não funciona”.

A visão de Musk foi repetida por Stephen Hawking, que alertou contra o perigo de IA em  entrevista à BBC em dezembro de 2014:

“O desenvolvimento da inteligência artificial completa poderia significar o fim da raça humana … Ela decolaria por conta própria e reescreveria-se a uma taxa cada vez maior. Os seres humanos, que estão limitados pela lenta evolução biológica, não poderiam competir e seriam substituídos”.

Artificial intelligence — Image by © Colin Anderson/Blend Images/Corbis

Da mesma forma, Corey Goode, um insider informante que revelou a existência de múltiplos programas espaciais secretos, afirma que a IA já é uma ameaça nas operações no espaço profundo. Quando ele surgiu no início de 2015, Goode concentrou muita atenção na ameaça da IA e continua a alertar sobre isso hoje.

Ele diz que esses programas, juntamente com civilizações extraterrestres, tomam rigorosas precauções de segurança para identificar e remover qualquer tipo de assinatura de uma  IA:

“Existem alguns grupos ET “IA” (ALL Malevolent to Humanity, from our perspective) de que o (s) SSP (Existem vários Programas Secretos Espaciais) estão lidando há décadas.

Se um “Asset” (ativo) é “Escaneado” e tem uma “Assinatura Bio Neural”, “IA Nano Tech” ou “Overlinking AI related EMG type Brian Wave Signature” (Ou qualquer outro sinal de exposição à conexão por uma IA), essas pessoas são imediatamente colocadas em isolamento e não são permitidos em qualquer lugar perto da era atual da tecnologia dos programas espaciais secretos (SSPs) (que é “Principalmente” Consciência Interativa bio-neurológica) até que eles tenham sido “Eliminados” de todas as influências de controle por uma IA.” 

Agora, vamos analisar tudo isso em termos do que a ADL está propondo para as plataformas de redes sociais usar algoritmos baseados em IA para identificar discursos de ódio.

À primeira vista, há um grande apelo na idéia de monitorar o discurso e regular as pessoas promovendo medo, ódio ou violência contra outros indivíduos, seja por motivos sociais, religiosos ou econômicos. Afinal, todos queremos viver em um mundo pacífico e tolerante, que inclui o ciberespaço, então por que não excluir indivíduos e grupos intolerantes e odiosos de nossas plataformas de redes sociais?

O grande problema aqui, é claro, é que existe o perigo real de que as mídias sociais possam ser subrepticiamente usadas para excluir pontos de vista políticos dissidentes sob o pretexto de regular o discurso de ódio. Vemos isso já ocorrendo com o Youtube usando um exército de 10 mil voluntários de grupos como o Southern Poverty Law Center.

Muitos canais populares do YouTube estão sendo cada vez mais alvo de ataques e remoções por comportamentos caracterizados como bullying ou discurso de ódio. No entanto, essa repressão do YouTube parece ser uma campanha habilmente polida disfarçada para remover vozes alternativas questionando a narrativa oficial da mídia em um grande número de questões sociais, em vez de realmente reprimir o discurso de ódio. Eu escrevi sobre o problema aqui.

O que a ADL está propondo, no entanto, vai muito além do que o YouTube está fazendo atualmente. A ADL está promovendo abertamente um sistema de censura onde não serão seres humanos no monitoramento real e na remoção do discurso de ódio, mas um algoritmo de IAQual pode ser o resultado disso, se permitido, dado os alertas de IA apresentados por Hawking, Musk e Goode?

Não é necessário ser um Einstein para perceber que, se as plataformas de redes sociais permitiam que os algoritmos de IA monitorizassem e censurassem o conteúdo, os avisos sobre uma futura ameaça da IA ​​seriam eventualmente considerados como uma forma de discurso de ódio. Afinal, se as corporações podem ser reconhecidas para ter os mesmos direitos que os indivíduos de acordo com a infame decisão dos Cidadãos Unidos pelo Supremo Tribunal em 2000, a inteligência de um algoritmo IA nunca mais será reconhecida como tendo direitos humanos semelhantes nos EUA?

Podemos facilmente acabar em um futuro distópico onde diferentes formas de IA seãro usadas para monitorar e regular o comportamento humano de maneiras flagrantes, e qualquer ser humano que proteste ou adverte o que o sistema IA está fazendo seria censurado pelo discurso de ódio.

Dada a ameaça existencial colocada pela IA, se aceitarmos o que Hawking, Musk e Goode estão nos contando, e muito menos a inadequação da censura de perspectivas de notícias alternativas, em primeiro lugar, a liberdade de expressão precisa ser protegida em mídia social a todo custo.

Nos Estados Unidos, isso não deve apresentar um desafio muito grande dado o direito constitucional da Primeira Emenda à liberdade de expressão e os recursos legais disponíveis no sistema de tribunais federais. Aqueles indivíduos que ameaçaram com processos legais para o YouTube criticando seus canais parecem ter sido os mais bem sucedidos em restaurar seus canais. O YouTube pediu desculpas a esses usuários pelo comportamento exagerado de seu novo exército de 10.000 moderadores. 

No entanto, os EUA são uma ilha em um vasto oceano onde outros países punem ativamente indivíduos e grupos pelos discursos de ódio. Este é o lugar onde o futuro parece ameaçador dada a tentação de os reguladores nacionais eventualmente punir as plataformas de redes sociais que não regulem o discurso do ódio. Isso forçaria o Facebook, YouTube, Twitter e outras plataformas a adotar os algoritmos baseados em IA recomendados pela ADL ou outras organizações para uso generalizado.

Isto é susceptível de levar a uma situação em que grandes nações, como a China, ou entidades supranacionais como a União Européia, possam adotar algoritmos de IA para monitorar e regular discursos de ódio. A China já está monitorando de perto e removendo o pensamento político dissidente das plataformas de mídia através de firewalls e poderia estar pensando em incorporar algoritmos IA para fazê-lo de forma mais eficaz.

Enquanto os reguladores nacionais em todo o mundo podem ser tentados por diferentes razões para adotar a proposta da ADL para uso dos algoritmos de IA para identificar e remover o discurso de ódio, precisamos ter sempre em mente que isso criaria um cavalo de Troia para o eventual controle de IA sobre a humanidade.

Apesar dos problemas genuínos colocados pelo discurso de ódio, os reguladores nacionais precisam garantir que as plataformas de redes sociais nunca sejam reguladas pelos algoritmos de IA, dado o potencial de segurança global a ser prejudicada, e a humanidade está realmente ficando em perigo de ser controlada pela IA-Inteligência Artificial.

© Michael E. Salla, Ph.D.


Matrix (o SISTEMA de CONTROLE): “A Matrix é um sistema de controle, NEO. Esse sistema é o nosso inimigo. Mas quando você está dentro dele, olha em volta, e o que você vê? Empresários, professores, advogados, políticos, carpinteiros, sacerdotes, homens e mulheres… As mesmas mentes das pessoas que estamos tentando despertar. 

Mas até que nós consigamos despertá-los, essas pessoas ainda serão parte desse sistema de controle e isso as transformam em nossos inimigos. Você precisa entender, a maioria dessas pessoas não está preparada para ser desconectada da Matrix de Controle. E muitos deles estão tão habituados, tão profunda e desesperadamente dependentes do sistema, que eles vão lutar contra você  para proteger o próprio sistema de controle que aprisiona suas mentes …” 


Mais informações, leitura adicional:

Permitida a reprodução desde que mantida a formatação original e mencione as fontes.

www.thoth3126.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.